Rodolfo 2018

PEQUENOS MISSIONÁRIOS DE JESUS
<O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.>
Rodolfo Carlos de Siqueira, São José dos Campos (SP)
Mini-Sermão
- - -

27/06/2018

 

Missionários Vocacionados: Obediência - “Professando com voto o conselho evangélico da obediência, os Pequenos Missionarios de Jesus imitam Nosso Senhor Jesus Cristo, que veio ao mundo para fazer a vontade do Pai (João 4, 34; 5, 30) e se fez obediente até a morte de cruz (Filipenses 2, 8). Seguindo seu exemplo, oferecem a Deus a total entrega da própria vontade, como sacrifício de si mesmos, a fim de se unirem de maneira mais firme à vontade salvífica do Pai. “Como verdadeiros “filhos da Igreja”, os Pequenos Missionarios de Jesus acolherão com bondade tudo aquilo que a Santa Igreja Católica Apostólica Romana lhes propõe, mediante o magistério e a autoridade legitima; e sentir-se-ão felizes ao saberem-se obrigados a obedecer ao Sumo Pontífice, como a seu Superior supremo, também em virtude do vínculo sagrado da obediência”. Paz e Bem! Rodolfo Carlos de Siqueira. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização.

 

- - -

 

26/06/2018

 

Missionários Vocacionados: Pobreza - “Para serem participantes da pobreza de Nosso Senhor Jesus Cristo, que, sendo rico, fez-se pobre para enriquecer (2 Coríntios 8, 9), os Pequenos Missionarios de Jesus abraçam com voto o conselho evangélico da pobreza. Está, além de implicar uma vida real e espiritualmente pobre, baseada no trabalho, na sobriedade e no desprendimento dos bens terrenos”. Paz e Bem! Rodolfo Carlos de Siqueira. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização.

- - -
07/06/2018
PEQUENOS MISSIONÁRIOS DE JESUS: VOCAÇÃO MISSIONÁRIA: O leigo, para ser missionário, deve cada dia se sentir atraído para um caminho diferente daquele proposto pelo mundo atual. Deve participar de encontros, estudos religiosos, missões, retiros, orações, Santa Missa... Para assim começar a despertar intensamente o ideal missionário e religioso e sempre em busca da vontade de Deus a seu respeito, e então perceber que ali está o seu lugar e a realização do seu ideal missionário. A vida laboriosa, a dedicação e total consagração ao ideal e à missão, são virtudes. Duas características logo sobressaem sobre estes missionários: - O grande espírito e zelo missionário. - E a adesão e dedicação plena à causa de Nosso Senhor Jesus Cristo. O zelo apostólico – missionário transforma a vida numa busca contínua e ansiosa da própria vocação. Esta busca tem uma resposta mais concreta no momento em que se conhece realmente o Divino Salvador Nosso Senhor Jesus Cristo. Paz e Bem! Rodolfo Carlos de Siqueira.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II. Mensagens anteriores em www.maikol.com.br

- - -

06/06/2018
FUNDAÇÃO DO GRUPO DE FORMAÇÃO RELIGIOSA PEQUENOS MISSIONÁRIOS DE JESUS: No intuito de concretizar esse ideal, os leigos, fundaram o grupo de formação religiosa: “Pequenos Missionários de Jesus”. Pequenos: Limitados. Missionários: Pregadores da missão cristã. Jesus: Deus Salva. Este grupo de formação religiosa é constituído por leigos que a exemplo dos apóstolos, que deixaram tudo para se dedicarem inteiramente ao serviço da evangelização, animação e coordenação das atividades da sociedade comprometendo-se a realizar a missão, cada qual no seu respectivo campo de ação: (catequese, nas diversas pastorais: da evangelização, da família, do menor, carcerária, dos enfermos...). Este foi o primeiro grande passo para a formação religiosa: “Pequenos Missionários de Jesus”. A planta evolui, várias modificações vão acontecendo, com dor e alegria, mas sempre para uma vida nova em direção à meta proposta: “Tornar Nosso Senhor Jesus Cristo conhecido para a glória de Deus Pai”. Paz e Bem! Rodolfo Carlos de Siqueira.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II. Mensagens anteriores em www.maikol.com.br

- - -

05/06/2018
PEQUENOS MISSIONÁRIOS DE JESUS: APELO DE DEUS E RESPOSTA DOS LEIGOS CRISTÃOS: Rezando e refletindo sobre a atual realidade, estes leigos descobrem aos poucos o apelo de Nosso Senhor Jesus Cristo a respeito de cada um. Afinal de contas, o que é que Nosso Senhor Jesus Cristo pede a cada um nesta situação concreta? E, inquietos, eles se perguntam: Por que tanta gente ignora ou nega explicitamente a fé, quando antes pareciam ser tão Católicas? Por que tantos cristãos abandonam a fé? A resposta a essas perguntas é simples, profunda e atual: Para se viver a fé em profundidade e com perseverança, duas coisas são indispensáveis: Primeiro: O conhecimento do Santo Evangelho e da Doutrina da Igreja Católica Apostólica Romana, pois só se ama aquilo que se conhece; Segundo: O Envolvimento pessoal, assumindo a fé de modo ativo e comprometedor, pois, a convicção leva a ação. Coerentes com estas respostas, estes leigos decidem desencadear um vasto movimento de renovação e animação da vida cristã partindo destes dois desafios: Conhecimento e envolvimento. Para superar a ignorância religiosa é preciso ensinar, evangelizar, levar ao conhecimento da verdade. E para superar a passividade dos cristãos, é preciso envolver, ativar, transformar em apóstolos da fé. E para conseguir tudo isso, é necessário promover uma autêntica liderança cristã. Estes leigos estão convictos de que não basta esta ou aquela obra da Santa Igreja Católica Apostólica Romana. É preciso usar todos os meios para renovar a vida, o espírito, atingindo a pessoa do cristão. Paz e Bem! Rodolfo Carlos de Siqueira.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II. Mensagens anteriores em www.maikol.com.br
- - -

04/06/2018

Pequenos Missionários de Jesus: Estamos em meados do século XXI, onde o mundo se encontra em meio à revolução de todos os tipos que hostiliza a Igreja Católica Apostólica Romana e quer acabar com a influência dos Católicos. Esta revolução gera uma série de conflitos de caráter social e religioso, abalando a consciência cristã desta época. ORIGEM DE UMA VOCAÇÃO: Um grupo de leigos idealistas vê nesta situação um apelo de Deus, que os deixam irrequietos, na busca de uma resposta. E a partir de encontros, estudos, orações, retiros e o Batismo no Espírito Santo – (Reavivamento no Espírito), eles descobrem, aos poucos, suas vocações. Deus os prepara para uma missão toda especial. LEIGOS TRABALHADORES: Sendo todos de famílias pobres, desde cedo eles têm de enfrentar a dura realidade da vida, ajudando em casa, jogam-se na luta, enfrentando a sorte do assalariado. Desta forma vão se familiarizando com a luta pela vida, a cruz e a perseverança nas dificuldades. Uma das consequências imediatas da Revolução é o afastamento de muitos Católicos Apostólicos Romanos da vida da Santa Igreja. Alguns agem assim, levados pelo engano, outros por comodismo e oportunismo, outros ainda, por interesses pessoais. Reagindo contra estas e outras restrições impostas arbitrariamente à vida da Igreja Católica Apostólica Romana, estes pequenos missionários de Jesus, começaram a se organizar num movimento de defesa dos direitos da Santa Igreja. Nessa luta estes pequenos missionários desenvolvem o ardor e o amor pela Santa Igreja, bem como suas capacidades de lideranças e a consciência de apóstolos comprometidos com a causa de Nosso Senhor Jesus Cristo. Paz e Bem! Rodolfo Carlos de Siqueira.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II. Mensagens anteriores em www.maikol.com.br

- - -

 

03/06/2018

 

Pequenos Missionários de Jesus: Somos a família dos “Pequenos Missionários de Jesus”, um grupo de leigos (as), que procura viver hoje o sonho: “Tornar todos os povos seguidores de Nosso Senhor Jesus Cristo”. Estamos imbuídos num processo de renovação, no sentido de manter vivo o carisma dos primeiros apóstolos. Trata-se de redescobrir nossa verdadeira identidade. Queremos, pois, estar participando da evangelização com renovado ardor e comunhão fraterna. Nesta tarefa de redefinir nossa missão específica, estamos descobrindo, aos poucos, um novo jeito de ser missionários. Para isso, vem contribuindo, sem dúvida nenhuma, a presença forte dos leigos(as), a vivência de uma espiritualidade própria, um novo modo de viver em comunidade, um redimensionamento e um redirecionamento de nossas atividades. Mulheres e homens com o compromisso de anunciar a boa notícia de Nosso Senhor Jesus Cristo, testemunhando os valores do Reino. Cada vez mais animados por esta causa queremos com nosso estilo de vida, fazer também um convite para que outras pessoas, atraídas pela proposta de combater a idolatria e anunciar o Deus verdadeiro, venham conosco dar continuidade à missão. “PEQUENOS MISSIONÁRIOS DE JESUS – A CAMINHO DE UM IDEAL” é um dos meios que utilizamos para tornar conhecida a nossa missão. Oferecemos estes e-mails, aos leigos(as), que desejam conhecer, saber de nosso ideal, de nossas obras, para ser também um subsídio de ajuda, sobretudo aos leigos(as) que, atraídos por este ideal, desejam fazer um processo de discernimento vocacional. O chamado a uma participação ativa na Santa Igreja Católica Apostólica Romana e na construção de uma nova sociedade. Paz e Bem! Rodolfo Carlos de Siqueira.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II. Mensagens anteriores em www.maikol.com.br
- - -

02/06/2018

 

Pequenos Missionários de Jesus - APRESENTAÇÃO: Cada leigo tem sua dificuldade, sua luta interior, o seu descontentamento com o próximo, e até mesmo com a Igreja Católica Apostólica Romana. Estes leigos não foram covardes, não desanimaram, não fugiram para outras denominações religiosas ou seitas que dizem ser igreja. E hoje procurando a conversão, estes leigos são conhecedores das Sagradas Escrituras, da Doutrina da Igreja Católica Apostólica Romana, e de sua História. Eles sabem que é preciso passar por tudo isto, pois o próprio Mestre Nosso Senhor Jesus Cristo também teve a sua luta, a sua dificuldade, a sua dor... E você meu irmão, você minha irmã, não são diferentes dos leigos desta história, e nem é mais que Nosso Senhor Jesus Cristo na busca de sua conversão. Vocês também têm suas dúvidas, suas dificuldades, seus desânimos, suas solidões, seus vícios... Esperamos poder ajudar de certa forma a sua caminhada, mas, já antecipamos, não será fácil. Será preciso a ajuda dos irmãos de caminhada, dos Sacramentos, das leituras diárias da Sagrada Escritura, do Novo Catecismo da Igreja Católica Apostólica Romana... Das orações diárias... Das horas de silêncio e do recolhimento... Até mesmo de suas dúvidas, angústias e solidões... Paz e Bem! Rodolfo Carlos de Siqueira.

 

Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II. Mensagens anteriores em www.maikol.com.br
- - -
01/06/2018
PEQUENOS MISSIONÁRIOS DE JESUS A CAMINHO DE UM IDEAL... Neste e-mail, contamos a história de um grupo de leigos que vivem em meados do século XXI, onde o mundo se encontra em meio à revolução que hostiliza a Igreja Católica Apostólica Romana e quer acabar com a influência dos cristãos. Este grupo de leigos vê nesta situação um apelo de Deus que os deixam irrequietos, na busca de uma resposta. Rezando e refletindo sobre a realidade de seu tempo, formaram um grupo de formação religiosa: “Pequenos Missionários de Jesus”. Estes leigos se comprometeram a defender a Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, a Igreja Católica Apostólica Romana, a servir os irmãos necessitados, a trabalhar em Catequese, em diversas Pastorais, Retiros, Missões..., enfim, onde a caridade de Nosso Senhor Jesus Cristo e a ação do Espírito Santo inspirar.  Paz e Bem!
Rodolfo Carlos de Siqueira.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II. Mensagens anteriores em www.maikol.com.br

- - -
Dia a Dia com o Evangelho
30/05/2018
– (Marcos 10, 32-45) Naquele tempo, os discípulos estavam no caminho, subindo para Jerusalém. Jesus ia è frente deles. Estavam assustados, e o seguiam com medo. E, tomando de novo os Doze à parte, começou a contar-lhes as coisas que estavam para acontecer com ele: “Eis que estamos subindo para Jerusalém. O Filho do Homem vai ser entregue aos chefes dos sacerdotes e aos doutores da Lei. Eles vão condená-lo à morte e entregá-lo aos gentios, vão zombar dele e cuspir nele, vão açoitá-lo e matá-lo. E, três dias depois, ele vai ressuscitar”. Tiago e João, filhos de Zebedeu, aproximaram-se de Jesus e lhe disseram: “Mestre, queremos que nos faças o que vamos te pedir”. Ele perguntou: “O que vocês querem que eu lhes faça?” Eles responderam: “Permite que nos sentemos um à tua direita e outro a tua esquerda, na tua glória”. Jesus lhes disse: “Vocês não sabem o que estão pedindo. Vocês conseguem beber o cálice que eu vou beber, e ser batizados com o qual eu vou ser batizado?” Eles lhe responderam: “Conseguimos”. Então Jesus lhes disse: “Vocês beberão o cálice que eu vou beber, e receberão o batismo com o qual eu serei batizado. Mas, sentar-se à minha direita e à minha esquerda, não cabe a mim concedê-lo, porque é para aqueles a quem está reservado”. Ouvindo isso, os dez começaram a ficar zangados com Tiago e João. Então, chamando-os para junto de si, Jesus lhes disse: “Vocês sabem que aqueles que são vistos como governantes das nações as dominam, e seus grandes as tiranizam. Mas, entre vocês não deve ser assim. Ao contrário, quem de vocês quiser ser grande, seja o servidor de vocês. E quem de vocês quiser ser o primeiro, seja o servo de todos. Porque, o Filho do Homem não veio para ser servido, mas, para servir e dar a própria vida como resgate por muitos”. Breve Comentário: Aos apóstolos e demais seguidores, Jesus apresenta um panorama detalhado englobando sua paixão, morte e ressurreição. Insensíveis à grave informação sobre o fim trágico do Mestre, os discípulos buscam poder e triunfo (sentar-se à direita e à esquerda). Imaginam que Jesus ocupará o trono de Israel e querem ocupar os lugares mais importantes. Aos dois apóstolos, ansiosos pelo poder terreno, Jesus lhes propõe uma morte semelhante à sua (beber o cálice). Sua realeza será proclamada na cruz. A ambição dos dois desencadeia a indignação dos outros dez. Em vez de buscar o domínio sobre os outros, como fazem os “governantes das nações”, os apóstolos são incentivados a assumir atitudes de servidores, pois, na comunidade de Jesus, quem “quiser ser o primeiro, seja o servo de todos.”

Mensagens anteriores em www.maikol.com.br
Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
29/05/2018

Naquele tempo, Pedro começou a dizer a Jesus: “Eis que nós deixamos tudo e te seguimos”. Jesus respondeu: “Eu lhes garanto: Não há ninguém que tenha deixado casa, irmãos, irmãs, pai, mãe, filhos e campos por causa de mim e do evangelho, que não receba agora, no tempo presente, cem vezes mais em casas, irmãos, pai, mãe, filhos e campos, com perseguições, e no mundo futuro a vida eterna. Muitos dos primeiros serão os últimos, e os últimos serão os primeiros.” (Marcos 10, 28-31). Breve Comentário: Faz sentido a pergunta de Pedro. Os apóstolos sabem que Jesus é pobre, e eles próprios deixaram para trás tudo o que possuíam. Jesus então lhes mostra um lado novo da sua comunidade: a partilha dos bens entre todos. Nada faltará a ninguém; ao contrário, tudo se multiplica. Não vai faltar tampouco a perseguição (“Se perseguiram a mim, vão perseguir também a vocês” João 15, 20). As primeiras comunidades cristãs viveram essa proposta: partiam o pão pelas casas e celebravam a eucaristia. Havia um clima de satisfação geral e acentuado espírito de partilha, de tal modo que “ninguém dizia que eram seus os bens que possuía, mas tudo entre eles era posto em comum” (Atos dos Apóstolos 4, 32). Tudo pode continuar dando certo, a menos que na comunidade se infiltre no egoísmo e vigore o apego aos bens materiais. Paz e Bem! Rodolfo Carlos de Siqueira.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II. Mensagens anteriores em www.maikol.com.br
- - -

25/05/2018

Naquele tempo, Jesus foi para o território da Judeia, do outro lado do rio Jordão. E de novo as multidões se reuniram em torno dele, e ele as ensinava como de costume. Alguns fariseus se aproximaram dele e perguntaram, para pô-lo à prova: “É permitido ao marido divorciar-se de sua mulher?” Ele respondeu: “O que Moisés lhes ordenou?” Responderam: “Moisés permitiu escrever a carta de divórcio e mandá-la embora”. Jesus lhes disse: “Ele escreveu esse mandamento por causa da dureza do coração de vocês. Mas, desde o princípio da criação, Deus os fez homem e mulher. Por isso o homem deixará seu pai e sua mãe, e os dois serão uma só carne. E assim já não serão dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus uniu o homem não separe”. Em casa, os discípulos fizeram de novo perguntas sobre isso. Jesus lhes disse: “Quem se divorcia de sua esposa e se casa com outra, comete adultério contra a primeira. E se ela se divorcia do seu marido e se casa com outro, comete adultério” (Marcos 10, 1-12). Breve Comentário: Divorciar-se, na época de Jesus, significava que o homem podia despedir sua mulher por motivos banais. Isso era reflexo da superioridade do homem e seu domínio sobre a mulher (machismo). Então, no lar acontecia a opressão que se verificava em todos os níveis da sociedade judaica. Ao responder aos fariseus que vieram “para pô-lo à prova”, Jesus se posiciona a favor do matrimônio e da mulher. Ensina que o ideal do matrimônio está baseado no projeto criador de Deus. E reforça o sentido de igualdade entre homem e mulher: “Os dois serão uma só carne”. “Esta íntima união, entrega recíproca de duas pessoas, assim como o bem dos filhos, exigem a plena fidelidade dos esposos e requerem sua indissolúvel unidade”. Paz e Bem! Rodolfo Carlos de Siqueira

Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II. Mensagens anteriores em www.maikol.com.br

- - -
24/05/2018

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: “Quem dá a vocês um copo de água em meu nome, por vocês serem de Cristo, eu lhes garanto: não perderá sua recompensa”. E se alguém escandalizar um destes pequenos que creem, seria melhor que lhe amarassem no pescoço uma pedra de moinho e o atirassem ao mar. Se a sua mão é motivo de escândalo para você, corte-a. É melhor entrar na vida mutilado do que tendo as duas mãos, você ir para o inferno, para o fogo que nunca se apaga. Se o seu pé é para você motivo de escândalo, corte-o. É melhor você entrar coxo na vida do que, tendo os dois pés, ser atirado no inferno. Se o seu olho é motivo de escândalo para você, arranque-o. É melhor você entrar no Reino de Deus com um só olho do que, tendo os dois olhos, ser atirado no inferno, onde o verme deles não morre e o fogo não se apaga. Porque todos serão salgados com fogo. O sal é bom. Mas se o sal perde o sabor, como fazê-lo readquirir esse sabor? Tenham sal em vocês mesmos, e vivam em paz uns com os outros.” (Marcos 9, 41-50). Breve Comentário: Escandalizar significa fazer tropeçar e cair. O escândalo existe quando, na comunidade, alguém pretende ser servido em vez de servir;  colocar-se acima dos outros como superior. O discípulo de Jesus não pode cultivar ambição de poder e riqueza: “Se alguém quiser ser o primeiro, seja o último de todos e o servidor de todos” (Marcos 9, 35). Por isso, Jesus convida todos a cortar o mal pela raiz. Para mostrar a gravidade do escândalo, Jesus usa imagens fortes e linguagem simbólica. A mão representa toda atividade; o pé indica conduta, comportamento; o olho se refere ao desejo, aspiração. É necessário eliminar tudo o que desvia os cristãos de sua adesão ao Reino de Deus. O sal, que impedia a corrupção dos alimentos, é de fidelidade ao projeto de Jesus. Paz e Bem! Rodolfo Carlos de Siqueira

Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II. Mensagens anteriores em www.maikol.com.br

- - -
23/05/2018
Naquele tempo, João disse a Jesus: “Mestre, vimos alguém expulsando demônios em teu nome e lhe proibimos, porque não nos segue”. Jesus, porém, disse: “Não lhe proíbam. Pois não há ninguém que faça um milagre em meu nome e logo em seguida possa falar mal de mim. De fato, quem não está contra nós, está a nosso favor.” (Marcos 9, 38-40). Breve Comentário: Estaria o apóstolo João com uma ponta de inveja diante da expulsão de demônios por alguém que não pertence ao grupo de Jesus? Justamente após o fracasso dos discípulos de Jesus, que foram incapazes de curar o menino epilético. Esse “alguém” representa os não judeus. O que ele tem que os discípulos não têm? Provavelmente ele tem fé no poder de Deus manifestado em Jesus. O nome de Jesus não é monopólio de uma comunidade. O que Jesus mais deseja é que o bem se alastre, que o Reino de Deus chegue a todos. Então, não é o caso de se incomodar com o bem que os outros fazem. Os fariseus é que assim procedem em relação a Jesus. Reta intenção e vontade de fazer o que Jesus faz, isso é o que conta para Deus. Não se trata de dar espetáculo. O que está em jogo é o bem realizado em favor do próximo. Paz e Bem! Rodolfo Carlos de Siqueira
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II. Mensagens anteriores em www.maikol.com.br

- - -

22/05/2018
“Naquele tempo, Jesus e seus discípulos caminhavam através da Galileia, mas Jesus não queria que ninguém ficasse sabendo. É que ele ensinava os discípulos, e lhes dizia: “O Filho do homem será entregue nas mãos dos homens, e eles o matarão. E, morto, ressuscitará depois de três dias”. Mas eles não entendiam o que isso queria dizer, e tinham medo de lhe perguntar. E chegaram a Cafarnaum. Quando estavam em casa, Jesus lhes perguntou: “O que é que vocês discutiam no caminho?” Mas eles ficaram calados, porque no caminho tinham discutido entre si sobre quem era o maior. Tendo sentado, Jesus chamou os Doze e lhes disse: “Se alguém quiser ser o primeiro, seja o último de todos e o servidor de todos”. Tomando uma criança, colocou-a no meio deles. E, pegando-a nos braços, disse a eles: Quem acolhe uma destas crianças por causa do meu nome, é a mim que está acolhendo. “E quem me acolhe, não é a mim que está acolhendo, mas aquele que me enviou” (Marcos 9, 30-37). Breve Comentário: Os discípulos de Jesus discutem sobre um tema corriqueiro na comunidade todos os tempos. Conversam sobre negócios: compras, vendas, lucros, sucesso... Sabe-se que, em vista de se tornarem ricas e poderosas, algumas pessoas não hesitam em explorar as outras, lançando mão de propinas e roubos camuflados. Por vezes, usando a posição social, a influência e muito dinheiro. Formam uma sociedade opressora, desprovida de valores éticos e morais. Jesus caminha na direção contrária. Para todos ele quer vida digna, relações fraternas, espírito de partilha e igualdade. Esse é o projeto do Pai. Essa é a bandeira erguida e sustentado pelo Filho do Homem que, por defender essa causa, morre na cruz. Confirmando que Jesus lutou por uma causa justa, o Pai o ressuscita dos mortos. Sua luta não foi em vão. Paz e Bem! Rodolfo Carlos de Siqueira
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II. Mensagens anteriores em www.maikol.com.br
- - -
21/05/2018
“Naquele tempo, descendo Jesus do monte com Pedro, Tiago e João e chegando perto dos outros discípulos, viram em volta deles grande multidão, e doutores da Lei discutindo com eles. Assim que toda a multidão viu Jesus, ficaram admirados e correram para saudá-lo. Ele lhes perguntou: “Sobre o que vocês estão discutindo com eles?” Alguém da multidão lhe respondeu: “Mestre, eu trouxe a ti meu filho, que tem um espírito mudo. Sempre que se apodera dele, atira-o no chão. Ele espuma, range os dentes e fica todo rígido. Pedi aos teus discípulos que o expulsassem, mas eles não conseguiram”. Jesus lhes respondeu: “Oh, geração incrédula! Até guando estarei com vocês? Até quando hei de suportar vocês? Tragam o menino para mim”. E o levaram até ele. Assim que viu Jesus, o espírito sacudiu com violência o menino, que caiu no chão e rolava espumando. Jesus perguntou ao pai: “Quanto tempo faz que isso acontece com ele?” Ele respondeu: “Desde criança. E muitas vezes o atirou no fogo e na água para o matar. Mas tu, se podes fazer alguma coisa, ajuda-nos e tem compaixão de nós”. Jesus lhe disse: “Como assim, se podes? Tudo é possível para quem crê”. Imediatamente o pai do menino gritou: “Eu creio! Ajuda a minha falta de fé”. Vendo que a multidão acorria, Jesus repreendeu o espírito impuro: “Espírito surdo e mudo, eu lhe ordeno: saia dele e nunca mais entre nele!” E, gritando e agitando-o com violência, saiu. O menino ficou como se estivesse morto, de modo que muitos diziam que ele tinha morrido. Jesus, porém, tomando-o pela mão, o levantou, e ele ficou de pé. Quando Jesus entrou em casa, seus discípulos lhe perguntaram a sós: “Por que nós não fomos capazes de expulsá-lo?” Jesus lhes respondeu: “Essa espécie não pode sair de jeito nenhum, a não ser pela oração”. (Marcos 9,14-29) - Breve Comentário: Uma multidão inerte diante de um menino com sintomas de epilepsia, popularmente considerado endemoninhado. Os discípulos são incapazes de curá-lo. Fracassam, pois Jesus ainda não está com eles. Desprezados, falta-lhes suficiente confiança no poder de Deus e maior sintonia com o projeto de Jesus. O Pai da criança, por sua vez, tem fé incompleta: não confia totalmente em que Jesus possa remediar a situação: “Se podes alguma coisa...”. Jesus, responde solenemente: “Tudo é possível para quem crê”. Em casa, os discípulos querem saber por quê foram incapazes de curar o menino com espírito mudo e surdo. Simples: “Essa espécie não pode sair de jeito nenhum, a não ser pela oração.” É necessário não apenas ter fé, mas, estar intimamente unido a Deus pela oração. Qual é a qualidade de nossa fé? Paz e Bem! 

Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.  Mensagens anteriores em www.maikol.com.br 
- - -
20/05/2018
“Ao anoitecer daquele dia, que era o primeiro da semana, estando trancadas as portas do lugar onde estavam os discípulos com medo dos judeus, chegou Jesus. Colocou-se no meio deles e disse: “A paz esteja com vocês”. Dizendo isso, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos ficaram contentes, porque viram o Senhor. Jesus lhes disse de novo: “A paz esteja com vocês. Assim como o Pai me enviou, eu também envio vocês”. Tendo falado isso, Jesus soprou sobre eles, dizendo: “Recebam o Espírito Santo. Os pecados daqueles que vocês perdoarem, estarão perdoados. Os pecados daqueles que vocês não perdoarem, não serão perdoados” (João 20,19-13). Breve Comentário: A paz é o primeiro dom que o Ressuscitado oferece à comunidade reunida no primeiro dia da semana, com as portas trancadas por medo. “A paz esteja com vocês”. Paz que é plenitude de vida e possibilidade de devolver aos medrosos a coragem para proclamá-la à humanidade, tão carente de paz. Talvez a paz esteja cada vez mais longe, porque continuamos acuados e não somos corajosos o suficiente para levar adiante o projeto de Jesus. Para não ser confundido com um fantasma, Jesus mostra as mãos e o lado, sinais da sua entrega por amor. Os discípulos se alegram por verem o Senhor. A seguir, Ele os envia a missão, a mesma que Ele realizou. Para animar a comunidade a viver a reconciliação, Jesus lhe envia o Espírito Santo, força que cria e renova o íntimo das pessoas. É o mesmo Espírito que sustentou a missão de Jesus para realizar o projeto de Deus. A paz, a harmonia, a alegria e a reconciliação fazem parte da comunidade cristã, convidada a levar esses valores para o meio da sociedade, tão marcada pela intolerância e violência. Paz e Bem!

Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II. Mensagens anteriores em www.maikol.com.br
- - -
19/05/2018
“Naquele tempo, Pedro, voltou-se e percebeu que vinha atrás o discípulo que Jesus amava. Era aquele discípulo que na ceia se inclinara sobre o peito de Jesus para lhe perguntar: “Senhor, quem é que vai traí-lo?” Quando Pedro o viu, disse a Jesus: “Senhor, é ele?” Jesus lhe disse: “Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, o que tem a ver com isso? Trate de me seguir”. Então correu o boato entre os irmãos de que o tal discípulo não iria morrer. Porém, Jesus não disse que ele não iria morrer, mas disse: “Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, o que você tem a ver com isso?” Este é o discípulo que dá testemunho dessas coisas e as escreveu. E nós sabemos que o testemunho dele é verdadeiro. Jesus fez ainda muitas outras coisas. Se fossem escritas uma por uma, penso que o mundo inteiro não teria lugar para os livros que precisariam ser escritos.” (João 21,20-25) - Breve Comentário: Dois aspectos sobressaem desta conclusão do quarto evangelho: o seguimento a Jesus e o testemunho sobre ele. Pedro e nós precisamos aplicar todas as nossas energias e atenção em seguir a Jesus. Corremos o risco de desviarmo-nos do caminho certo, mesmo ocupando-nos com fatos que parece ser bons ou inofensivos. Jesus nos puxa para a realidade: “Trate de me seguir”. O “discípulo que Jesus o amava” dá testemunho, por escrito, de tudo o que viu e ouviu a respeito de Jesus. A comunidade cristã, que acrescentou esta breve conclusão ao evangelho, afirma com segurança a respeito do seu autor: “Nós sabemos que o testemunho dele é verdadeiro”. Desse modo, o evangelho chega até nós, com a força de iluminar e transformar a nossa vida pessoal e a vida das comunidades cristãs de todas as épocas e lugares. Paz e Bem!
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II. Mensagens anteriores em www.maikol.com.br 
- - -
18/05/2018
Jesus manifestou-se aos seus discípulos e, depois de terem comido, Jesus perguntou a Simão Pedro: “Simão, filho de João, você me ama mais do que estes outros? Pedro respondeu: “Sim, Senhor, tu sabes que eu sou teu amigo”. Jesus disse: “Alimente os meus cordeiros”. De novo Jesus disse a Pedro: “Simão, filho de João, você me ama?” Pedro respondeu: “Sim, Senhor, tu sabes que sou teu amigo”. Jesus disse: “Tome conta das minhas ovelhas”. Pela terceira vez, disse Jesus a Pedro: “Simão, filho de João, você é meu amigo?” Então Pedro ficou triste, porque na terceira vez Jesus lhe havia perguntado se era seu amigo. E disse a Jesus: “Senhor, tu conheces tudo, e sabes que eu sou teu amigo”. Jesus disse: “Alimente as minhas ovelhas. Eu lhe garanto: Quando você era mais jovem, se preparava e ia para onde queira. “Quando ficar velho, estenderá as mãos, e outro vai prepará-lo e levá-lo para onde você não quer ir”. Jesus falou isso, indicando com que tipo de morte Pedro glorificaria a Deus. E completou: “Siga-me”. (João 21, 15-19). Breve Comentário: Embora curto, o diálogo entre Jesus e Pedro é extremamente denso e significativo, porque toca a atitude essencial de todo cristão: amar. Ora, amar implica não só dizer que ama, mas demonstrar com atos concretos que ama realmente. O amor ensinado e praticado por Jesus Cristo pede a entrega da própria vida. Ele amou o próximo e os inimigos com amor total: “Tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim” (João 13, 1). O último ato de amor praticado por Jesus é incomparável: morreu na cruz em favor da humanidade. Essa é a disposição que Jesus Cristo espera de Pedro e dos cristãos. Pedro, o líder da comunidade apostólica, dá ao Senhor sua adesão sincera: “Tu sabes que eu sou teu amigo”. Então tem condições de conduzir o rebanho de Jesus Cristo: “Alimente as minhas ovelhas”. Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II
Mensagens anteriores em www.maikol.com.br
- - -
17/05/2018
“Naquele tempo, Jesus ergueu os olhos ao céu e rezou, dizendo: “Eu não te peço apenas em favor deles, mas em favor também daqueles que vão acreditar em mim por meio da palavra deles, para que todos sejam um, como tu, Pai, estás em mim e eu em ti; para que também eles estejam em nós, a fim de que o mundo acredite que tu me enviaste. Eu lhes tenho dado a glória que tu me deste, para que sejam um, como nós somos um. Eu neles e tu em mim, para que sejam aperfeiçoados na unidade, e para que o mundo reconheça que tu me enviaste e que amaste a eles como amaste a mim. Pai, eu quero que aqueles que tu me deste estejam comigo onde eu estiver, para que sejam a minha glória, que tu me deste, pois me amaste antes da fundação do mundo. Pai justo, o mundo não te conheceu, mas eu te conheci. E eles conheceram que tu me enviaste. Eu os levei a conhecer o teu nome. E continuarei a fazê-lo, para que esteja neles o amor com que me amaste, e eu esteja neles” (João 17, 20-26). Breve Comentário: Jesus conclui sua oração de despedida, usando o apelativo “Pai justo”. Reza por nós. Sua prece atravessa os séculos e atinge as pessoas de todos os tempos. O pedido recai sobre a unidade dos seus seguidores: “Para que todos seja um, como tu, Pai estás em mim e eu em ti”. Esta união entre Jesus e o Pai é um dos ensinamentos e testemunhos que os discípulos deverão oferecer ao mundo. É importante que todos conheçam esse movimento da Trindade em beneficio da humanidade: O Pai ama o Filho e o envia ao mundo; o Filho ama o Pai e lhe é fiel em tudo e, ao encerrar sua missão terrena, Jesus envia o Espírito Santo. A unidade será um sinal para que o mundo creia em Jesus como o enviado de Deus. Ainda estamos longe desse ideal! Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

Mensagens anteriores em www.maikol.com.br
- - -
16/05/2018

Naquele tempo, Jesus ergueu os olhos ao céu e rezou, dizendo: “Pai santo, guarda-os no teu nome, o nome que tu me deste, para que eles sejam um, assim como nós. Quando estava com eles, eu os guardava em teu nome, o nome que tu me deste. Eu os protegi, e nenhum deles se perdeu, a não ser o filho da perdição, para que se cumprisse a Escritura. E agora eu vou para junto de ti, e estas coisas eu digo enquanto estou no mundo, para que eles tenham dentro deles toda a minha alegria. Eu tenho dado a eles a tua palavra, mas o mundo os odiou, porque eles não são do mundo, como eu não sou do mundo. Não te peço que os tire do mundo, mas que os guardes do mal. Eles não são do mundo, como eu não sou do mundo. Santifica-os na verdade: a tua palavra é verdade. Assim como tu me enviaste ao mundo, eu também os enviei ao mundo. E eu me santifico em favor deles, a fim de que também eles sejam santificados na verdade”. (João 17,11-19). Breve Comentário: Jesus tinha avisado aos discípulos que voltaria ao Pai, mas não os deixaria órfãos; enviaria para eles o Espírito da verdade. Agora, nesta oração de despedida, recomenda que o Pai cuide deles: “guarda-os no teu nome”; “guarda-os do mal”; “santifica-os na verdade”. São as mesmas atitudes de Jesus em relação a eles. Como se vê, há perfeita união entre Jesus e o Pai na condição da historia da salvação: não há interrupção da assistência e da ação divina na vida do povo. Os discípulos são escolhidos e preparados para dar continuidade à obra de Jesus. A missão de Jesus passa a ser a missão da Igreja. A oração de Jesus por nós robustece nossa vontade de seguirmos fieis a ele até chegarmos à comunhão definitiva com Ele, com o Pai e o Espírito Santo. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

Mensagens anteriores em www.maikol.com.br
- - -

15/05/2018
Naquele tempo, Jesus ergueu os olhos ao céu e disse: “Pai, chegou a hora. Glorifica o teu Filho, para que o teu Filho te glorifique, pois lhe deste poder sobre todo ser humano, para que ele dê vida eterna a todos aqueles que lhe destes. Está é a vida eterna: Que conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e aquele que tu enviaste Jesus Cristo. Eu te glorifiquei na terra, completando a obra que me deste para fazer. E agora, Pai, glorifica-me em ti, com a glória que eu tinha junto de ti antes que o mundo existisse”. “Eu manifestei o teu nome aos homens que me deste do meio do mundo. Eles eram teus e os deste a mim, e eles vêm guardando a tua palavra. Agora eles conhecem que todas as coisas que me deste provêm de ti, porque dei a eles as palavras que me deste. Eles as receberam, e conheceram verdadeiramente que eu saí de junto de ti, e acreditaram que tu me enviaste. Eu peço por eles; não peço pelo mundo, mas, por aqueles que me deste, porque são teus. E tudo o que é meu é teu, e tudo o que é teu é meu, e eu tenho sido glorificado nisso. Eu já não estou no mundo. Eles, porém, estão no mundo. E eu vou para junto de ti” (João 17, 1-11).  Breve Comentário: Jesus se despede deste mundo, rezando ao Pai. Retoma e sintetiza seu itinerário de salvação, a saber: 1º Sua origem e vinda ao mundo: “Eu saí de junto de ti”. 2º O Pai glorifica o Filho, isto é, manifesta-lhe amor constante e o ressuscita dos mortos. 3º Jesus recebe o poder de dar a vida eterna a todos os que o Pai lhe deu. 4º A vida eterna consiste em conhecer o Pai e o Filho. Começa a partir de nossa adesão a Jesus e se prolonga para além desta vida. 5º Jesus retorna à glória divina, a mesma que tinha “antes que o mundo existisse”. 6º Jesus manifesta aos discípulos quem é seu Pai e ensina-lhes as palavras do Pai. 7º Jesus pede em favor dos seus discípulos, porque eles continuaram no mundo. 8º Jesus volta para o Pai: “Eu vou para junto de ti”. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

Mensagens anteriores em: www.maikol.com.br
- - -
14/05/2018
(João 15, 9-17): Naquele tempo, Jesus a seus discípulos: “Da forma que meu Pai me amou, eu também amei a vocês: permaneçam no meu amor. Se vocês guardarem os meus mandamentos, permanecerão no meu amor, assim como eu tenho guardado os mandamentos do meu Pai e permaneço no amor d’Ele. Estou falando essas coisas a vocês para que a minha alegria esteja em vocês, e a alegria de vocês seja completa. Este é o meu mandamento: Amem-se uns aos outros, assim como eu amei a vocês. Ninguém tem amor maior do que alguém que dá a vida pelos amigos. Vocês são meus amigos, se fizerem o que estou mandando. Eu já não digo que vocês são servos, porque o servo não sabe o que seu senhor faz; eu chamei vocês de amigos, porque fiz vocês conhecerem tudo o que ouvi do meu Pai. Não foram vocês que me escolheram; fui eu que escolhi e orientei vocês, para que vão e deem fruto, e o fruto de vocês permaneça. Assim, qualquer coisa que vocês pedirem ao Pai em meu nome, ele lhes dará. É isto que eu ordeno a vocês: Amem-se uns aos outros”. Breve Comentário: Para o lugar de Judas Iscariotes, os Onze escolheram Matias, por este ter seguido Jesus durante seu ministério público, a começar de João Batista até os dias da Ascensão (Atos dos Apóstolos 1, 15-20). Desse modo, Matias tornou-se testemunha qualificada da ressurreição de Jesus. Se há um tema sobre o qual Jesus não se cansa de insistir, é o amor: “Permaneçam no meu amor”. O amor de Jesus é concreto, real, feito de obediência à vontade do Pai. Jesus é e sente-se infinitamente amado pelo Pai e, por sua vez, ama intensamente seus discípulos, a ponto de entregar-lhes a própria vida. Esse é o modelo de amor: dar a vida pela pessoa amada. Mas, o amor de Jesus pede nossa resposta. De que maneira podemos expressar o nosso amor a Jesus? Mediante nosso amor a Deus e aos irmãos.
Mensagens anteriores em www.maikol.com.br
Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
10/05/2018
(João 16, 16-20) Naquele tempo, Jesus disse a seus discípulos: “Daqui a pouco vocês não me verão mais; porém, mais pouco de tempo, e vocês tornarão a me ver”. Os discípulos então disseram uns aos outros: “O que é isso que ele está dizendo: Daqui a pouco vocês não me verão mais; porém, mais um pouco de tempo, e vocês tornarão a me ver? E ainda: Porque eu vou para o Pai?” E diziam: “O que é esse um pouco? Não entendemos o que ele está falando”. Jesus percebeu que estavam querendo perguntar. E disse: “Vocês estão discutindo porque eu falei: “Daqui a pouco vocês não me verão mais; porém, mais um pouco de tempo, e vocês tornarão a me ver? Eu lhes garanto: Vocês vão chorar e se lamentar, mas, o mundo vai se alegrar. “Vocês ficarão angustiados, mas a angústia de vocês se transformará em alegria”. Breve Comentário: Jesus, aos poucos, vai preparando seus discípulos para a hora da prova que Ele deverá enfrentar: sua paixão e morte. Faz referência a choro, lamentações e angústia. Alegria para a sociedade injusta, que imaginava ter eliminado a quem considerava “malfeitor”. Jesus, porém, deixa para trás a morte, o sepulcro, e zomba dos planos dos malvados. Ressuscita glorioso e restitui aos discípulos a esperança e a alegria. De fato, ao ressurgir dos mortos, Jesus se apresenta às mulheres no caminho, e aos discípulos unidos, com a eufórica saudação: “A paz esteja com vocês” A presença e a ação do Espírito Santo na comunidade há de transformar a vida deles: de medrosos a corajosos; de tristes a alegres e dispostos a dar a vida pelo Senhor Jesus (Atos dos Apóstolos 5, 41). Mensagens anteriores em www.maikol.com.br. Paz e Bem! R. Carlos.  Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II
- - -

09/05/2018
(João 16, 12-15): “Naquele tempo, Jesus disse a seus discípulos: “Ainda tenho muitas coisas para lhes dizer, mas, agora vocês não têm condições de suportar. Quando ele vier, o Espírito da Verdade, ele mesmo guiará vocês em toda a verdade, porque não falará em seu próprio nome, mas vai falar as coisas que tiver ouvido e anunciará a vocês as coisas que estão para vir. Ele me glorificará, porque vai receber do que é meu, e o anunciará a vocês. Todas as coisas que o Pai tem são minhas. Por isso é que eu disse: Ele vai receber do que é meu, e o anunciará a vocês”. Breve Comentário: Os discípulos não estão em condições de compreender muitas coisas que Jesus teria a comunicar-lhes; tampouco podem assimilar o sentido profundo de sua morte. Só a entenderão após sua ressurreição (João 2, 22; 12, 16). Quem vai auxiliá-los nessa tarefa é o Espírito Santo, que dirá toda a verdade que recebeu de Jesus: “Vai receber do que é meu e comunicará a vocês”. Receber de Jesus é como receber do Pai, pois “todas as coisas que o Pai tem são minhas”, afirmou Jesus. Desse modo, os discípulos de Jesus não ficam órfãos ou desamparados, pois o Pai, o Filho e o Espírito Santo estarão presentes e atuantes na vida e na missão de todo cristão. Basta que estes estejam abertos aos sinais dos tempos e ao Espírito Santo que os interpreta. Paz e Bem!
R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

08/05/2018
(João 16, 5-11) Naquele tempo, Jesus disse a seus discípulos: “Mas, agora eu vou para junto daquele que me enviou. E ninguém de vocês pergunta: “Para onde vais?” Mas, porque agora estou falando dessas coisas, a tristeza tomou conta do coração de vocês. No entanto, eu lhes digo a verdade: É melhor para vocês que eu vá, porque, se eu não for, o Advogado não virá para vocês. Mas, se eu for, eu enviarei para vocês. E quando ele vier, vai convencer o mundo a respeito do pecado, da justiça, e do julgamento. A respeito do pecado, porque não acreditam em mim. A respeito da justiça, porque eu vou para junto do Pai e vocês não me verão mais. A respeito do julgamento, porque o chefe deste mundo está condenado”. Breve Comentário: Três aspectos sobressaem neste trecho: Primeiro, o retorno de Jesus ao Pai. Segundo, o imediato envio do Espírito Santo. Terceiro, a atuação do Espírito Santo em favor das comunidades cristãs. Os discípulos mergulharam na tristeza, porque haveriam de enfrentar tribulações. Porém, serão beneficiados com a volta de Jesus ao Pai. Jesus tem de ser glorificado antes de enviar o Espírito (João 7, 39). O Espírito Santo vai esclarecer o significado da obra de Jesus. Mostrará que a sociedade que não acreditou em Jesus e o matou cometeu pecado; que Jesus de fato é inocente, pois, veio do Pai e volta ao Pai; que o “chefe deste mundo” (o mal) está condenado. É um julgamento que se prolonga na história. Ao mesmo tempo o Espírito age como defensor dos cristãos e como acusador dos que não creem em Nosso Senhor Jesus Cristo. Paz e Bem! R. Carlos.
Mensagens anteriores em www.maikol.com.br
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
07/05/2018
(João 15, 26-16,4) Naquele tempo, Jesus disse a seus discípulos: “Mas, quando vier Advogado, que eu mandarei para vocês de junto do Pai, o Espírito da Verdade que procede do Pai, ele dará testemunho de mim. Vocês também tratem de dar testemunho de mim, porque vocês estão comigo desde o começo. Eu tenho falado todas as coisas, para que vocês não fiquem escandalizados. Vão excluir vocês das sinagogas. E vai chegar a hora quando alguém, matando vocês, julgará estar prestando culto a Deus. Farão isso porque não conhecem nem ao Pai nem a mim. Eu lhes tenho falado essas coisas para que, quando chegar a hora, vocês se lembrem do que eu disse”. Breve Comentário: Jesus comunica a seus discípulos que vai enviar-lhes o Espírito da Verdade, que procede do Pai. Chama-o de Advogado (ou Defensor). Ele vem para dar testemunho de Jesus e de sua obra, isto é, lembrar e esclarecer aos discípulos tudo o que Jesus ensinou. O Espírito estará presente e atuante na vida de cada cristão e na vida das comunidades, em toda parte. Sofrerão tribulações, preditas por Jesus, o qual não descarta sequer o absurdo de alguém que, “matando vocês, julgará estar prestando culto a Deus”. Em outras circunstâncias, Jesus adverte que seus seguidores não precisam se preocupar com o que vão responder diante dos tribunais, pois terão a garantia da ação eficaz do Espírito Santo, o Defensor dos cristãos. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
06/05/2018
(João 15, 9-17) Naquele tempo, Jesus disse a seus discípulos: “Da mesma forma que meu Pai me amou, eu também amei a vocês: permaneçam no meu amor. Se vocês guardarem os meus mandamentos, permanecerão no meu amor, assim como eu tenho guardado os mandamentos do meu Pai e permaneço no amor dele. Estou falando essas coisas a vocês para que a minha alegria esteja com vocês, e a alegria de vocês seja completa. Este é meu mandamento: Amem-se uns aos outros, assim como eu amei vocês. Ninguém tem amor maior do que alguém que dá a vida pelos amigos. Vocês são meus amigos, se fizerem o que estou mandando. Eu já não digo que vocês são servos, porque o servo não saber o que seu Senhor faz; eu chamei vocês de amigos, porque fiz vocês conhecerem tudo o que ouvi do meu Pai. Não foram vocês que me escolheram; fui eu que escolhi e orientei vocês, para que vão e deem fruto, e o fruto de vocês permaneça. Assim, qualquer coisa que vocês pedirem ao Pai em meu nome, ele lhes dará. É isto que eu ordeno a vocês: Amem-se uns aos outros”. Breve Comentário: Fruto do permanecer em Jesus é o amor que contagia e circula entre as pessoas: o Pai ama Jesus, que por sua vez ama seus seguidores e os convida a permanecer no seu amor. Guardando e vivendo seu mandamento, permaneceremos no seu amor. Além disso, Jesus convida os seus a se amarem uns aos outros, da mesma forma que ele os amou. A maior prova de amor que podemos demonstrar é dedicar a vida para o bem e a felicidade dos outros, a exemplo do Mestre. Quando as pessoas se amam de fato, surgem comunidades igualitárias e solidárias, onde seus membros não são mais senhores nem servos de ninguém e o seu relacionamento supera o nível de mestre-discípulo, para serem somente amigos. Aí haverá uma comunhão plena entre iguais. Escolhidos por Jesus para formar comunidades fraternas, os discípulos são enviados para dar continuidade à missão do Mestre: construir seu Reino. Esta página do evangelho é clara ao nos mostrar que os cristãos se distinguem pela vivência do amor. A vivência do amor não é exclusiva dos cristãos, mas para eles é questão de identidade. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
05/05/2018
(João 15, 18-21) Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: “Se o mundo odeia vocês, saibam que primeiro odiou a mim. Se vocês fossem do mundo, o mundo amaria o que é dele. Mas, porque vocês não são do mundo, pois o fato de eu os ter escolhido é que separou vocês do mundo, por isso é que o mundo os odeia. Lembrem-se do que eu lhes disse: Um servo não é maior que seu senhor. Se perseguiram a mim, vão perseguir a vocês também; se guardaram a minha palavra, vão guardar também a palavra de vocês. Farão essas coisas a vocês por causa do meu nome, pois, não reconhecem aquele que me enviou”. Breve Comentário: Não é certamente luminoso o panorama que Jesus apresenta a seus discípulos. Não lhes promete aplausos. Prepara-os, ao invés, para enfrentarem a missão, com realismo. Fala de ódio e perseguições. O mundo persegue os seguidores de Jesus Cristo porque estes “não são do mundo”. O mundo egoísta, contrário ao projeto de Jesus, não aceita os discípulos de Jesus, porque não aceita Jesus nem o Pai que o enviou. Quem adere a Jesus pela fé não pode concordar com uma sociedade injusta, opressora, que caminha exatamente na direção contraria ao projeto do Reino. Por que muita gente ainda desconhece Jesus e seu projeto de amor e vida para todos? Seria falta de zelo apostólico dos líderes da Igreja? Ou talvez, acomodação e fé inconsistente dos atuais cristãos e cristãs? Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
04/05/2018
Dia a Dia com o Evangelho
: Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: “Este é o meu mandamento: Amem-se uns aos outros, assim como eu amei vocês. Ninguém tem amor maior do que alguém que dá a vida pelos amigos. Vocês são meus amigos, se fizerem o que estou mandando. Eu já não digo que vocês são servos, porque o servo não sabe o que seu senhor faz; eu chamei vocês de amigos, porque fiz vocês conhecerem tudo o que ouvi do meu Pai. Não foram vocês que me escolheram; foi eu que escolhi e orientei vocês, para que vão e deem fruto, e o fruto de vocês permaneça. Assim, qualquer coisa que vocês pedirem ao Pai em meu nome, ele lhes dará. É isto que eu ordeno a vocês: amem-se uns aos outros” (João 15, 12-17). Breve Comentário: Volta o tema do amor, agora com a força de “mandamento novo” (João 13, 34). É o amor sem limites, manifestado em favor da pessoa amada; esse amor está acima de qualquer medida. Somente Jesus, o Filho de Deus, é capaz de amar assim. Sua morte é resultado do amor supremo por nós: “Ninguém tem amor maior do que alguém que dá a vida pelos amigos”. Fica declarado que Jesus nos considera amigos, desde que cumpramos o mandamento do amor: “Chamei vocês de amigos”. Ele mostra a qualidade de Suas declarações: “Porque fiz vocês conhecerem tudo o que ouvi do meu Pai”. Amizade que partilha confidencia: os mistérios do Pai. Enfim, Jesus toma a iniciativa de escolher os seus (Marcos 3, 1); escolhe os que ele quer, para uma missão bem definida: “para que vão e deem frutos”, e fruto duradouro. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

03/05/2018
(João 14, 6-14) Naquele tempo, disse Jesus a Tomé: “Eu sou o caminho a verdade e a vida. Ninguém chega ao Pai, a não ser por mim. Se vocês chegaram a me conhecer, conhecerão também o meu Pai. Desde agora vocês o estão conhecendo e vendo”. Felipe disse a Jesus: “Senhor, mostra-nos o Pai, e isso para nós é suficiente”. Jesus respondeu: “Já faz tanto tempo que estou no meio de vocês, e você ainda não me conhece, Felipe? Quem me vê está vendo o Pai. Como é que você pode dizer: Mostra-nos o Pai? Você não acredita que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que estou dizendo a vocês, não as digo por mim mesmo. É o Pai que permanece em mim, ele é quem realiza as suas obras. Acreditem em mim: Eu estou no Pai e o Pai está em mim. Se não for por outra razão, acreditem por causa destas obras. Eu garanto a vocês: Quem acredita em mim, fará as obras que eu faço, e fará obras maiores do que estas, porque eu vou para o Pai. E o que vocês pedirem em meu nome, eu vou fazer, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se vocês pedirem alguma coisa em meu nome, eu vou fazer”. Breve Comentário: Filipe foi um dos primeiros a seguir Jesus e pertencer ao grupo dos doze apóstolos. No evangelho de João, as intenções de Filipe expressam sua esperança de ver a realização das antigas profecias na pessoa de Jesus. A tradição aponta a Turquia como lugar do apostolado e martírio de Filipe. Tiago, filho de Alfeu, é um dos doze e autor da Carta de Tiago. Ocupou cargo de responsabilidade na comunidade de Jerusalém e teve importante papel no Concílio de Jerusalém. Morreu mártir pelo ano 62. A partir do pedido de Filipe, Jesus faz verdadeira catequese sobre sua identificação com o Pai. O que o Pai quer, e o que o Filho executa; o que o Pai manda dizer, é o que o Filho diz. Pela fé em Jesus, seus discípulos poderão realizar obras ainda maiores do que as feitas por Jesus durante sua missão terrena. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II

- - -
02/05/2018

(João 15, 1-8) Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que não dá fruto em mim, o Pai o corta. Mas, os ramos que dão fruto, ele os limpa, para que deem mais frutos ainda. Vocês já estão limpos por causa da palavra que eu lhes falei. Permaneçam em mim, e eu permanecerei em vocês. Da mesma forma que não pode dar fruto o ramo que não permanece na videira, também vocês não poderão dar fruto, se não permanecerem em mim. Eu sou a videira e vocês são os ramos. Quem permanece em mim, e eu nele, dará muitos frutos, porque sem mim será jogado fora como ramo, e vai secar. Esses ramos são recolhidos, atirados no fogo e queimados. Se vocês permanecerem em mim e minhas palavras permaneceram em vocês, peçam o que quiserem, e isso lhes será concedido. A glória de meu Pai se manifestada nisto: que vocês deem muitos frutos e se tornem meus discípulos”. Breve Comentário: Ficamos encantados com os cuidados do Pai – Javé (agricultor) para com o Filho – Jesus Cristo (videira verdadeira) e os cristãos (ramos). O que o Pai deseja e espera é que todos estejam unidos a Jesus para produzirem obras de amor e justiça (frutos). Os ramos são partes integrantes da videira. A mesma coisa se diz da relação de Jesus com seus fieis seguidores; estes brotam dele, não são acrescentados, mas permanecem unidos a ele e dele recebem a seiva, o Espírito Santo. Essa é a condição indispensável para o aumento de frutos. A satisfação do Pai está em verificar que seus filhos e filhas, unidos a Jesus, produzem abundantes frutos de justiça e fraternidade capazes de transformar a sociedade: “A glória de meu Pai se manifesta nisto: que vocês deem muitos frutos e se tornem meus discípulos”. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II

- - -
01/05/2018
(Mateus 13, 54-58): Naquele tempo, voltando para sua terra, Jesus ensinava na sinagoga, de modo que se maravilhavam e diziam: “De onde lhe vêm essa sabedoria e esses milagres? Não é ele filho do carpinteiro? Sua mãe não se chama Maria? Não são seus irmãos Tiago, José, Simão e Judas? E suas irmãs não vivem todas entre nós? Então, de onde lhe vêm todas essas coisas?” E se escandalizavam por causa dele. Jesus, porém lhes disse: “Não existe profeta sem honra, a não ser em sua terra e em sua casa”. E Jesus não fez aí muitos milagres, porque eles não tinham fé. Breve Comentário: A festa de São José Operário foi introduzida no Calendário Romano pelo Papa Pio XII, em 1955. Ao introduzir esta festa, o Papa quis dar sentido cristão para a comemoração que, há varias décadas, a classe operaria realizava em 1º de maio – Dia do trabalho – como símbolo de seus direitos. Para isso, escolheu São José, um santo operário, carpinteiro de Nazaré. O evangelho nos mostra que Jesus pertencia a uma família simples, bem conhecida, do mesmo nível social que a maioria dos moradores daquele lugarejo. Ele é “o filho do carpinteiro”. Por um lado, admiravam sua brilhante sabedoria e os milagres que realizava. Por outro, faltou-lhes fé para chegarem a Deus por meio do humano. Colocaram-se numa posição tão inflexível, que Jesus ficou sem condições de operar milagres entre eles. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -

27/04/2018
Dia a Dia com o Evangelho: - (João 14, 1-6) Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: “Que o coração de vocês não fique perturbado. Vocês acreditam em Deus; acreditam em mim também. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fosse, eu lhes teria dito; porque vou preparar um lugar para vocês. E quando eu for e tudo estiver preparado, voltarei e levarei vocês comigo, para que vocês também estejam onde eu estiver. E para onde eu vou, vocês conhecem o caminho”. Tomé lhe disse então: “Senhor, nós não sabemos para onde vais, como podemos conhecer o caminho?” Jesus lhe disse: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém chega ao Pai, a não ser por mim”. Breve Comentário: A certeza da iminente morte de Jesus deixa os apóstolos desolados e inseguros. Jesus os conforta. Garante-lhes que a morte d’Ele não é o fim de tudo. Não há razão para tristeza. Ele jamais abandona seus discípulos. Está voltando ao Pai, é verdade, mas continua presente na vida e na missão de seus seguidores. Mas, vai reservar um ambiente glorioso para os que permanecem fiéis ao seu projeto de amor e vida para todos. Essa foi a missão de Jesus; será também essa a tarefa para seus discípulos e discípulas. E não lhes faltará a constante ajuda do mestre e Senhor: “O que vocês pedirem em meu nome, eu vou fazer, para que o Pai seja glorificado no Filho” (João 14, 13). A exigência de Jesus é que sejam fiéis a ele, único caminho que conduz ao Pai: “Ninguém chega ao Pai, a não ser por mim”. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
26/04/2018
Dia a Dia com o Evangelho: João 13, 16-20 - Depois de lavar os pés dos discípulos, Jesus lhes disse: “Eu garanto a vocês: O servo não é maior do que o seu Senhor, nem o Apóstolo é maior do que aquele que o enviou. Se vocês entenderem isso, serão felizes se o praticarem. Eu não estou falando de todos vocês. Eu conheço aqueles que escolhi, mas, é preciso que se cumpra o que está na Escritura: Aquele que come pão comigo, é o primeiro a me trair! Desde agora estou dizendo isso a vocês, antes que aconteça, para que, quando acontecer, vocês acreditem que Eu Sou. Eu lhes garanto: Quem receber aquele que eu enviar, estará recebendo  a mim, e quem me receber, estará recebendo aquele que me enviou.” - Breve Comentário: Jesus acaba de lavar os pés dos seus discípulos. Admirável atitude de amor e serviço. Entretanto, não basta compreender a lição do lava-pés; é preciso colocá-la em prática: “Serão felizes se o praticarem”. As pessoas podem ser felizes não dominando, mas, amando; não sendo superioras às outras, mas, iguais. Nem todos seguirão o projeto de Jesus. Sem declarar o nome, Jesus afirma que entre os Apóstolos um será o traidor. Mas, Jesus é fiel ao Pai: Levará a sua missão até o fim. Ele é o Messias, o enviado pelo Pai o Salvador, a luz do mundo, o Filho de Deus, a presença de Deus neste mundo. Jesus vai ser afastado pela morte-glorificação, mas, deixará aos Apóstolos a incumbência de levar adiante a sua mesma missão, a que recebeu do Pai: dar vida abundante para todos. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
25/04/2018
Caríssimos: “Por conseguinte, a missão da Igreja Católica não pode ser considerada como realidade facultativa ou suplementar da vida eclesial. Trata-se de deixar que o Espírito Santo nos assimile a Cristo, participando assim na sua própria missão: Assim como o Pai Me enviou, também eu vos envio a vós (João 20, 21), de modo a comunicar a Palavra com a vida inteira. É a própria Palavra que nos impele para os irmãos: é a Palavra que ilumina, purifica, converte; nós somos apenas servidores. Por isso, é necessário descobrir cada vez mais a urgência e a beleza de anunciar a Palavra para a vinda do Reino de Deus, que o próprio Cristo pregou. Nesse sentido, renovamos a consciência tão familiar aos Padres da Igreja Católica de que o anúncio da Palavra tem como conteúdo o Reino de Deus (Marcos 1, 14-15), sendo este a própria pessoa de Jesus como sugestivamente lembra Orígenes. O Senhor oferece a salvação aos homens de cada época. Todos nos damos conta de quão necessário é que a luz de Cristo ilumine a cada âmbito da humanidade: a família, a escola, a cultura, o trabalho, o tempo livre e os outros setores da vida social. Não se trata de anunciar uma palavra anestesiante, mas desinstaladora, que chama à conversão que torna acessível o encontro com Ele, através do qual floresce uma humanidade nova”. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -

24/04/2018
MINI SERMÃO - Caríssimos: Muitos cristãos corromperam-se, desviaram-se do caminho que Deus lhes prescreveu. Fizeram falsos deuses, inclinando-se em adoração diante deles e oferecendo sacrifícios. Este é um povo de cabeça dura. Devemos suplicar ao Senhor nosso Deus piedade, pedindo que nos purifique, lavando-nos por inteiro de nossos pecados, apagando completamente nossa culpa! Criando em nós um coração puro, dando-nos um espírito decidido, nos fortalecendo com o Espírito Santo. Jesus Cristo diz: “Haverá no céu mais alegria por um só pecador que se converte, do que por noventa e nove justos que não precisam de conversão” (Lucas 15, 7). “Haverá alegria entre os anjos de Deus por um só pecador que se converte” (Lucas 15, 10). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
23/04/2018
MINI SERMÃO - Caríssimos: O tema central é o amor incondicional de Deus por seus filhos. Não importa aquilo que façamos ou deixemos de fazer, pois a iniciativa de amar, perdoar e compreender o ser humano é sempre de Deus. De nossa parte, cabem somente os sentimentos de gratidão, confiança e arrependimento pelos erros cometidos. Assim sendo, é com este sentimento de profunda gratidão por tão grande amor que nos reunimos como família de Deus. Peçamos, irmãos, a conversão de nosso coração, fonte de reconciliação e comunhão com Deus e com os irmãos e irmãs. Deus não vem para nos condenar, mas para nos perdoar. Jesus Cristo alegra-se pelo pecador arrependido. Jesus Cristo quer perdoar os nossos pecados e nos conduzir para a vida eterna. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
20/04/2018 – Sexta Feira

MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Liturgia Diária – nº 1. NOSSO VIGÉSSIMO OITAVO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA. A palavra de Deus é luz para iluminar nossa vida e nos conduzir no caminho da liberdade e da salvação. Ao abraçar o projeto de Jesus, o cristão não está livre da perseguição, mas, pode superá-la. Caríssimos, a mensagem que ouvimos de Jesus Cristo e vos anunciamos é esta: Deus é luz e n’Ele não há trevas. Se dissermos que estamos em comunhão com Ele, mas andamos nas trevas, estamos mentindo e não nos guiamos pela verdade. Mas, se andamos na luz, como ele está na luz, então estamos em comunhão uns com os outros e o sangue de seu Filho, Jesus, nos purifica de todo pecado. Se dissermos que não temos pecado, estamo-nos enganando a nós mesmos e a verdade não está dentro de nós. Se reconhecermos nossos pecados, então Deus se mostra fiel e justo, para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda culpa. Se dissermos que nunca pecamos, fazemos dele um mentiroso e sua palavra não está dentro de nós. Meus filhinhos escrevo isto para que não pequeis. No entanto, se alguém pecar, temos junto do Pai um defensor: Jesus Cristo, o justo. Ele é a vítima de expiação pelos nossos pecados, e não só pelos nossos, mas também pelos pecados do mundo inteiro. Palavra do Senhor (1 João 1, 5-2, 2). Rezemos o Salmo: Nossa alma como um pássaro, escapou do laço que lhe armara o caçador. 1º Se o Senhor não estivesse ao nosso lado quando os homens investiram contra nós, com certeza nos teria, devorado no furor de sua ira contra nós. 2º Então as águas nos teriam submergido a correnteza nos teria arrastado e então por sobre nós teriam passado essas águas sempre mais impetuosas. 3º O laço arrebentou-se de repente, e assim nós conseguimos libertar-nos. O  nosso auxílio está no nome do Senhor, do Senhor que fez o céu e fez a terra! Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: Depois que os magos partiram, o anjo do Senhor apareceu em sonho a José e lhe disse: “Levanta-te, pega o menino e sua mãe e foge para o Egito! Fica lá até que eu avise! Porque Herodes vai procurar o menino para matá-lo”. José levantou-se de noite, pegou o menino e sua mãe e partiu para o Egito. Ali ficou até a morte de Herodes, para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta: “Do Egito chamei o meu filho”. Quando Herodes percebeu que os magos o haviam enganado, ficou muito furioso. Mandou matar todos os meninos de Belém e de todo o território vizinho de dois anos para baixo, exatamente conforme o tempo indicado pelos magos. Então se cumpriu o que foi dito pelo profeta Jeremias: “Ouviu-se um grito em Ramá, choro e grande lamento: é Raquel que chora seus filhos e não quer ser consolada, porque eles não existem mais” – Palavra da Salvação (Mateus 2, 13-18). Façamos nossas preces: Ficai sempre conosco, Senhor. 1º Livra-nos, Senhor, das trevas do pecado e da discórdia. 2º Renovai-nos na fé, para que vivamos em contínua conversão. 3º Protegei as crianças da fome, da miséria e do abandono social. 4º Confortai as mães que não desfrutam a presença física dos filhos. 5º Dai força e coragem às mães que perdem seus filhos pela violência. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
19/04/2018 – Quinta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Liturgia Diária – nº 1. NOSSO VIGÉSSIMO SÉTIMO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA.

 

Caríssimos, o que era desde o princípio, o que nós ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e as nossas mãos tocaram da palavra da vida – de fato, a vida manifestou-se e nós a vimos, e somos testemunhas, e a vós anunciamos a vida eterna, que estava junto do Pai e que se tornou visível para nós; isso que vimos e ouvimos, nós vos anunciamos para que estejais em comunhão conosco. E a nossa comunhão é com o Pai e com o Filho, Jesus Cristo. Nós vos escrevemos estas coisas para que a nossa alegria fique completa. – Palavra do Senhor. (1 João 1, 1-4). Rezemos o Salmo: Ó justos, alegrai-vos no Senhor! 1º Deus é rei! Exulte a terra de alegria, e as filhas numerosas rejubilem! Treva e nuvem o rodeia no seu trono, que se apoia na justiça e no direito. 2º As montanhas se derretem como cera ante a face do Senhor de toda a terra; e assim proclama o céu sua justiça, todos os povos podem ver a sua glória. 3º Uma luz já se levanta para os justos, e a alegria, para os retos corações. Homens justos alegrem-vos no Senhor, celebrai e bendizei seu santo nome! Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: No primeiro dia da semana, Maria Madalena saiu correndo e foi encontrar Simão Pedro e outro discípulo, que Jesus amava, e lhes disse: “Tiraram o Senhor do túmulo, e não sabemos onde o colocaram”. Saíram, então, Pedro e o outro discípulo e foram ao túmulo. Os dois corriam juntos, mas o outro discípulo correu mais depressa que Pedro e chegou primeiro ao túmulo. Olhando para dentro, viu as faixas de linho no chão, mas não entrou. Chegou também Simão Pedro, que vinha correndo atrás, e entrou no túmulo. Viu as faixas de linho deitadas no chão e o pano que tinha estado sobre a cabeça de Jesus, não posto com as faixas, mas enrolado num lugar à parte. Então entrou também o outro discípulo, que tinha chegado primeiro ao túmulo, ele viu e acreditou. – Palavra da Salvação (João 20, 2-8). Façamos nossas preces: Vinde em nosso auxílio Senhor. 1º A fim de que a Igreja Católica anuncie com alegria o que recebeu do Senhor desde o princípio. 2º A fim de que as mães que sofrem com a violência e a desigualdade sintam a proteção divina. 3º A fim de que os familiares dos vocacionados compreendam e respeitem sua decisão. 4º A fim de que as autoridades se empenhem pela paz e pelo bem-estar do povo brasileiro. 5º A fim de que, inspirados por São João, cresçamos em nosso compromisso com o Reino de Deus. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
18/04/2018 – Quarta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Liturgia Diária – nº 1 NOSSO VIGÉSSIMO SEXTO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA. A palavra de Deus nos anima diante das dificuldades. A exemplo de santo Estevão somos convidados a depositar nossa vida nas mãos de Deus. O apóstolo São Paulo nos fala: Naqueles dias, Estevão, cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo. Mas, alguns membros da chamada Sinagoga dos Libertos, junto com cireneneses e alexandrinos e alguns da Cicília e da Ásia, começaram a discutir com Estevão. Porém, não conseguiam resistir à sabedoria e ao Espírito com que ele falava. Ao ouvir essas palavras, eles ficaram enfurecidos e rangeram os dentes contra Estevão. Estevão, cheio do Espírito Santo, olhou para o céu e viu a glória de Deus e Jesus, de pé, à direita de Deus. E disse: “Estou vendo o céu aberto e o Filho do homem, de pé, à direita de Deus”. Mas, eles, dando grandes gritos e tapando os ouvidos, avançaram todos juntos contra Estevão; arrastaram-no para fora da cidade e começaram a apedrejá-lo. As testemunhas deixaram suas vestes aos pés de um jovem, chamado Saulo. Enquanto o apedrejavam, Estevão clamou, dizendo: “Senhor Jesus, acolhe o meu espírito”. – Palavra do Senhor (Atos dos Apóstolos 6, 8-10; 7, 54-59) Rezemos o Salmo: Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito. 1º Sede uma rocha protetora para mim, um abrigo bem seguro que me salve! Sim, sois vós a minha rocha e fortaleza; por vossa honra, orientai-me e conduzi-me! 2º em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito, porque vós me salvareis, ó Deus fiel! Vosso amor me faz saltar de alegria, pois olhastes para as minhas aflições. 3º Eu entrego em vossas mãos o meu destino; libertai-me do inimigo e do opressor! Mostre serena a vossa face ao vosso servo e salvai-me pela vossa compaixão! Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Cuidado com os homens, porque eles vos entregarão aos tribunais e vos açoitarão nas suas sinagogas. Vós sereis levados diante de governadores e reis por minha causa, para dar testemunho diante deles e das nações. Quando vos entregarem, não fiqueis preocupados em como falar ou o que dizer. Então, naquele momento, vos será indicado o que deveis dizer. Com efeito, não sereis vós que haveis de falar, mas sim, o Espírito do vosso Pai é que falará através de vós. O irmão entregará à morte o próprio irmão; o pai entregará o filho; os filhos se levantarão contra seus pais e os matarão. Vós sereis odiados por todos por causa do meu nome. Mas, quem perseverar até o fim, esse será salvo – Palavra da salvação. (Mateus 10, 17-22). Façamos nossas preces: Senhor atenda nossa prece. 1º Recompense Senhor, os que lutam pela justiça e pela igualdade. 2º Amparai as comunidades que passam por dificuldades. 3º Fortalecei a fé das famílias que vivenciaram os mistérios cristãos. 4º dai alegria e perseverança a todos os bispos, padres, freiras, diáconos, catequistas, coordenadores de movimento religioso. 5º Tornai-nos fortes perseverantes na caminhada cristã. Paz e Bem! R. Carlos.

Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
17/04/2018 – Terça Feira.
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Liturgia Diária – nº 1. NOSSO VIGÉSSIMO QUARTO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA. Exultemos todos no Senhor: nasceu-nos o salvador do mundo, do céu desceu a verdadeira paz e felicidade. Na fragilidade da criança, contemplamos a revelação de Deus na história da humanidade. Deus se encarna no humano para nos tornar mais divinos. Todos nós somos convidados a formar coro com os anjos: glória a Deus no mais alto dos céus e paz na terra as pessoas de boa vontade. Jesus chegou até nós, trazendo-nos a salvação. Pai Javé nos fala: - O povo que andava na escuridão viu uma luz; para os que habitavam nas sobras da morte, uma luz resplandeceu. Fizeste crescer a alegria e aumentaste a felicidade; todos se regozijam em tua presença como alegres ceifeiros na colheita ou como exaltados guerreiros ao dividirem os despojos. Pois, o jugo que oprimia o povo – a carga sobre os ombros, o orgulho dos fiscais – tu, os abatestes como na jornada de Madiã. Botas de tropa de assalto, trajes manchados de sangue, tudo será queimado e devorado pelas chamas. Porque nasceu para nós um menino, foi-nos dado um filho; ele traz aos ombros a marca da realeza; o nome que lhe foi dado é: conselheiro admirável, Deus forte, pai dos tempos futuros, príncipe da paz. Grande será o seu reino e a paz não há de ter fim sobre o trono de Davi e sobre o seu reinado, que ele irá consolidar e confirmar, em justiça e santidade, a partir de agora e para todo o  sempre. O amor zeloso do Senhor dos exércitos há de realizar essas coisas. – Palavra do Senhor. (Isaías 9,1-6). Rezemos o Salmo: Hoje nasceu para nós o Salvador, que é Cristo, o Senhor. 1º Cantai ao Senhor Deus um canto novo, cantai ao Senhor Deus ó terra inteira! Cantai e bendizei seu santo nome! 2º Dia após dia anuncie sua salvação, manifestai a sua glória entre as nações e, entre os povos do universo, seus prodígios! 3º O céu se rejubile e exulte a terra, aplauda o mar com o que vive em suas águas; os campos com seus frutos rejubilem e exultem as Florestas e as matas. 4º Na presença do Senhor, pois ele vem, porque vem para julgar a terra inteira. Governará o mundo todo com justiça, e os povos ele julgará com lealdade. Salmo 95 (96). O apóstolo São Paulo nos fala: Caríssimos, a graça de Deus se manifestou, trazendo salvação para todos os homens. Ela nos ensina a abandonar a impiedade e as paixões mundanas e a viver neste mundo com equilíbrio, justiça e piedade, aguardando a feliz esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e salvador, Jesus Cristo. Ele se entregou por nós para nos resgatar de toda maldade e purificar para si um povo que lhe pertença e que se dedique a praticar o bem. – Palavra do Senhor. (Tito 2, 11-14). Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: Aconteceu que, naqueles dias, César Augusto publicou um decreto, ordenando o recenseamento de toda a terra. Esse primeiro recenseamento foi feito quando Quirino era governador da Síria. Todos iam registrar-se, cada um na sua cidade natal. Por ser da família descendência de Davi, José subiu da cidade de Nazaré, na Galileia, até a cidade de Davi, chamada Belém, na Judéia, para registrar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida. Enquanto estavam em Belém, completaram-se os dias para o parto, e Maria deu à luz o seu filho primogênito. Ela o enfaixou e o colocou na manjedoura, pois não havia lugar para eles na hospedaria. Naquela região havia pastores que passavam a noite nos campos, tomando conta de seu rebanho. Um anjo do Senhor apareceu aos pastores, a glória do Senhor os envolveu em luz, e eles ficaram com muito medo. O anjo, porém, disse aos pastores: “Não tenhais medo! Eu vos anuncio uma grande alegria, que o será para todo o povo: hoje, na cidade de Davi, nasceu para vós um salvador, que é o Cristo Senhor. Isto vos servirá de sinal: encontrareis um recém-nascido envolvido em faixas e deitado numa manjedoura”. E, de repente, juntou-se ao anjo uma multidão da corte celeste. Cantavam louvores a Deus, dizendo: “Glória a Deus no mais alto dos céus, e paz na terra aos homens por ele amados”. – Palavra da Salvação (Lucas 2, 1-14). Façamos nossas preces: Venha salvar-nos, Senhor. 1º Na hora em que a boa-nova anunciada pelos anjos leva alegria a todas as comunidades cristãs, rezemos pela humanidade. 2º Príncipe da paz abençoe e proteja vossa Igreja Católica e seus ministros. 3º Príncipe da paz, tornai-nos todos instrumentos de vossa paz e de vosso amor. 4º Príncipe da paz, dai esperança e otimismo aos desanimados e tristes. 5º Príncipe da paz livre o mundo das guerras e das maldades, do medo e do egoísmo. Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

16/04/2018 – Segunda Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Liturgia Diária – nº 1. NOSSO VIGÉSSIMO QUARTO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA. Nosso Senhor Jesus Cristo alegra nosso espírito, motiva a acolhida e fortalece nossa expectativa. Chegada a plenitude dos tempos, Deus envia o salvador da humanidade para iluminar os passos de todas as pessoas de boa vontade. “Eis que já veio a plenitude dos tempos, em que Deus mandou a terra o seu Filho” (Gálatas 4, 4). Pai Javé nos fala: - Tendo-se o rei Davi instalado já em sua casa e tendo-lhe o Senhor dado a paz, livrando-o de todos os inimigos, ele disse ao profeta Natã: “Vê, eu resido num palácio de cedro, e a arca de Deus está alojada numa tenda!” Natã respondeu ao rei: “Vai e faça tudo o que diz o teu coração, pois o Senhor está contigo”. Mas, naquela mesma noite, a palavra do Senhor foi dirigida a Natã nestes termos: “Vai dizer ao meu servo Davi: Assim fala o Senhor: Porventura és tu que me construías uma casa para eu habitar? Fui eu que te tirei do pastoreio, do meio das ovelhas, para que fosses o chefe do meu povo, Israel. Estive contigo em toda parte por onde andaste e exterminei diante de ti todos os teus inimigos, fazendo o eu nome tão célebre como o dos homens mais famosos da terra. Vou preparar um lugar para o meu povo, Israel: eu o implantarei do modo que possa morar lá sem jamais ser inquietado. Os homens violentos não tornarão a oprimi-lo como outrora, no tempo em que eu estabelecia juízes sobre o meu povo, Israel. Concedo-te uma vida tranquila, livrando-te de todos os teus inimigos. E o Senhor te anuncia que te fará uma casa. Quando chegar o fim dos teus dias e repousares com teus pais, então suscitarei depois de ti, um filho teu e confirmarei a sua realeza. Eu serei para ele um pai e ele será para mim um filho. Tua casa e teu reino serão estáveis para sempre diante de mim, e teu trono será firme para sempre”. – Palavra do Senhor. (2 Samuel 7, 1-5.8-12.14.16). Rezemos o Salmo: Ó Senhor, eu cantarei eternamente o vosso amor! 1º Ó Senhor, eu cantarei eternamente o vosso amor, de geração em geração eu cantarei vossa verdade! Porque dissestes: “O amor é garantido para sempre!” E a vossa lealdade é tão firme como os céus. 2º “Eu firmei uma aliança com meu servo, meu eleito, e eu fiz um juramento a Davi, meu servidor. Para sempre, no teu trono, firmarei tua linhagem de geração em geração garantirei o teu reinado!”. 3º Ele, então, me invocará: ”Ó Senhor vós sois meu Pai, sois meu Deus, sois meu rochedo onde encontro a salvação!” Guardarei eternamente para ele a minha graça, e com ele firmarei minha aliança indissolúvel. Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: Naquele tempo, Zacarias, o pai de João, repleto do Espírito Santo, profetizou, dizendo: “Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, porque o seu povo visitou e libertou. Fez aparecer para nós uma força de salvação na casa de seu servo Davi, como tinha prometido desde outrora, pela boca de seus santos profetas, para nos salvar dos nossos inimigos e da mão de todos os que nos odeiam. Ele usou de misericórdia para com nossos pais, recordando-se de sua santa aliança e do juramento que fez a nosso pai Abraão, para conceder-nos que, sem temor e libertos das mãos dos inimigos, nós o sirvamos com santidade e justiça, em sua presença, todos os dias. E tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo, pois irás adiante do Senhor para preparar-lhe os caminhos, anunciando ao seu povo a salvação pelo perdão dos seus pecados. Graças à misericordiosa compaixão do nosso Deus, o sol que nasce do alto nos visitará, para iluminar os que jazem nas trevas e nas sombras da morte e dirigir nossos passos no caminho da paz”. – Palavra da salvação (Lucas 1, 67-79). Façamos nossas preces: Venha, Senhor Jesus. 1º Senhor da luz, fazei vossa Igreja, povo de Deus, ser cada vez mais unida e promotora da paz. 2º Senhor da luz, tornai-nos dignos das vossas graças e sábios para bem aproveitá-las. 3º Senhor da luz, dai-nos coragem de anunciar sem cessar a vossa mensagem de salvação. 4º Senhor da luz, concedei-nos sabedoria para compreendermos o verdadeiro sentido do Natal. 5º Senhor da luz, abençoai e protegei todas as crianças vindas ao mundo. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -

13/04/2018 – Sexta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ Liturgia Diária – nº 1. NOSSO VIGÉSSIMO TERCEIRO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA. Levantemos a cabeça e olhemos para o horizonte, pois nossa salvação se aproxima. Deus envia seu anjo para preparar e apontar o caminho a ser seguido pelas pessoas de boa vontade. O nascimento de João Batista é motivo de alegria, pois é ele que vai preparar os caminhos do Salvador. Deus Pai Javé nos fala: - Assim fala o Senhor Deus: “Eis que envio meu anjo, e ele há de preparar o caminho para mim; logo chegará ao seu templo o dominador, que tentais encontrar, e o anjo da aliança, que desejais. Ei-lo quem vem, diz o Senhor dos exércitos; e quem poderá fazer-lhe frente, no dia de sua chegada? E quem poderá resistir-lhe quando ele aparecer? Ele é como o fogo da forja e como a barrela dos lavadeiros; e estará a postos, como para fazer derreter e purificar a prata: assim ele purificará os filhos de Levi e os refinará como ouro e como prata, e eles poderão assim fazer oferendas justas ao Senhor. Será então aceitável ao Senhor a oblação de Judá e de Jerusalém, como nos primeiros tempos e nos anos antigos. Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o dia do Senhor, dia grande e terrível; o coração dos pais há de voltar-se para os filhos, e o coração dos filhos para os pais, para que eu não intervenha, ferindo de maldição a vossa terra”. – Palavra do Senhor (Malaquias 3,1-4.23-24). Rezemos o Salmo: Levantai vossa cabeça e olhai, pois a vossa redenção se aproxima! 1º Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos e fazei-me conhecer a vossa estrada! Vossa verdade meu oriente e me conduza, porque é o Deus da minha salvação. 2º O Senhor é piedade e retidão e reconduz ao bom caminho os pescadores. Ele dirige os humildes na justiça e os pobres ele ensina o seu caminho. 3º Verdade e amor são os caminhos do Senhor para quem guarda sua aliança e seus preceitos. O Senhor se torna íntimo aos que o temem e lhes dá a conhecer a sua aliança. Salmo 24 (25) Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: Completou-se tempo da gravidez de Isabel, e ela deu à luz um filho. Os vizinhos e parentes ouviram dizer como o Senhor tinha sido misericordioso para com Isabel e alegraram-se com ela. No oitavo dia, foram circuncidar o menino e queriam dar-lhe o nome de seu pai, Zacarias. A mãe, porém, disse: “Não! Ele vai chamar-se João”. Os outros disseram: “Não existe nenhum parente teu com esse nome!” Então fizeram sinais ao pai, perguntando como ele queria que o menino se chamasse. Zacarias pediu uma tabuinha e escreveu: “João é o seu nome”. No mesmo instante, a boca de Zacarias se abriu, sua língua se soltou, e ele começou a louvar a Deus. Todos os vizinhos ficaram com medo, e a notícia espalhou-se por toda a região montanhosa da Judéia. E todos os que ouviam a notícia ficavam pensando: “O que virá a ser este menino?” De fato, a mão do Senhor estava com ele. Palavra da salvação (Lucas 1,24-28). Façamos nossas preces: Mostre-nos, Senhor, vossa glória. 1º Concedei Senhor saúde e paz aos que cooperam para a construção de um mundo melhor. 2º Fortalecei os vocacionados, para que encontrem em vós ânimo para a missão. 3º iluminai nossas decisões para que sejam firmes e agradáveis aos vossos olhos. 4º Dai-nos sabedora para que saibamos viver bem este dia na família e na comunidade. 5º Abençoai as crianças, para que cresçam no vosso amor e na vivencia comunitária. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
12/04/2018 – Quinta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ Liturgia Diária – nº 1. NOSSO VIGÉSSIMO SEGUNDO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA. Ao acolher a Palavra de Deus, nosso coração exulta. O exemplo de Ana e Maria nos motiva a glorificar o Senhor com nossa vida. Deus Pai Javé nos fala: Naqueles dias, Ana, logo que o desmamou, levou consigo Samuel à casa do Senhor em Silo, e mais um novilho de três anos, três arrobas de farinha e um odre de vinho. O menino, porém, era ainda uma criança. Depois de sacrificarem o novilho, apresentaram o menino a Eli. E Ana disse-lhe: “Ouve, meu senhor, por tua vida, eu sou a mulher que esteve aqui orando ao Senhor na tua presença. Eis o menino por quem eu pedi, e o Senhor ouviu a minha súplica. Portanto, eu também o ofereço ao Senhor, a fim que só a ele sirva em todos os dias da sua vida”. E adoraram o Senhor. – Palavra do Senhor. (1 Samuel 1, 24-28).  Rezemos o Salmo: Meu coração exultou no meu Senhor salvador. 1º Exulta no Senhor meu coração, e se eleva a minha fronte no meu Deus. Minha boca desafia os meus rivais porque me alegro com a vossa salvação. 2º O arco dos fortes foi dobrado, foi quebrado, mas, os fracos se vestiram de vigor. Os saciados se empregaram por um pão, mas os pobres e os famintos se fartaram. Muitas vezes deu à luz a que era estéril, mas a mãe de muitos filhos definhou. 3º É o Senhor quem dá a morte e dá a vida, faz descer à sepultura e faz voltar; é o Senhor quem faz o pobre e faz o rico, é o Senhor quem nos humilha e nos exalta. 4º O Senhor ergue do pó o homem fraco, e do lixo ele tira o indigente, para fazê-los assentar-se com os nobres num lugar de muita honra e distinção. (Salmo responsorial - 1 Samuel 2). Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: Naquele tempo, Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador, porque olhou para a humildade de sua serva. Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada, porque o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor. O seu nome é santo, e sua misericórdia se estende, de geração em geração, a todos os que o temem, Ele mostrou a força de seu braço: dispersou os soberbos de coração. Derrubou do trono os poderosos e elevou os humildes. Encheu de bens os famintos e despediu os ricos de mãos fazias. Socorreu Israel, seu servo, lembrando-se de sua misericórdia, conforme prometera aos nossos pais, em favor de Abraão e de sua descendência para sempre”. Maria ficou três meses com Isabel; depois voltou para casa. Palavra da Salvação. (Lucas 1, 46-56). Façamos nossas preces: Venha Senhor Jesus. 1º Senhor da luz, conservai na humildade o papa, os bispos, os padres, as freiras, os leigos consagrados, os catequistas, os coordenadores de grupo de oração e os vocacionados. 2º Senhor da luz, iluminai as mulheres que se põem a serviço da comunidade. 3º Senhor da luz, cumulai de força e coragem os doentes e sofredores. 4º Senhor da luz, daí vida e alegria ao mundo com a vossa vinda na ação do Espírito Santo. 5º Senhor da luz, abençoai as mães gestantes. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
11/04/2018 – Quarta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ Liturgia Diária – nº 1. NOSSO VIGÉSSIMO PRIMEIRO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA. A alegria transborda dos corações que se deixam conduzir pelo amor e pela solidariedade: o amado vai ao encontro da amada; Maria Santíssima vai ao encontro de Isabel para auxiliá-la nas tarefas domésticas. Alegremo-nos no Senhor, pois, sua palavra nos conduz para o amor e para a solidariedade aos que necessitam. Deixemo-nos conduzir por ela. Deus Pai Javé nos fala: É a voz do meu amado! Eis que ele vem saltando pelos montes, pulando sobre as colinas. O meu amado parece uma gazela ou um cervo ainda novo. Eis que ele está de pé atrás de nossa parede, espiando pelas janelas, observando através das grades. O meu amado me fala, dizendo: “Levanta-te, minha amada, minha rola, formosa minha, e vem! O inverno já passou, as chuvas pararam e já se foram. No campo aparece com as flores, chegou o tempo das canções, a rola já faz ouvir seu canto em nossa terra. Da figueira brotam os primeiros frutos, soltam perfume as vinhas em flor. Levanta-te, minha amada, formosa minha, e vem! Minha rola, que moras nas fendas da rocha, no esconderijo escarpado, mostra-me teu rosto deixa-me ouvir tua voz! Pois a tua voz é tão doce, e gracioso o teu semblante”. – Palavra do Senhor (Cântico 2, 8-14). Rezemos o Salmo: Ó justo, alegrai-vos no Senhor! Cantai para o Senhor um canto novo! 1º Dai graças ao Senhor ao som da harpa, na lira de dez cordas celebrai-o! Cantai para o Senhor um canto novo, com arte sustentai a louvação! 2º Mas os desígnios do Senhor são para sempre, e os pensamentos que ele traz no coração, de geração em geração, vão perdurar. Feliz o povo cujo Deus é o Senhor e a nação que escolheu por sua herança! 3º No Senhor nós esperamos confiantes, porque ele é nosso auxílio e proteção! Por isso o nosso coração se alegra nele, seu nome é nossa única esperança Salmo 32 (33). Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judéia. Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. Com um grande grito, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”. – Palavra da Salvação. (Lucas 1, 39-45).  Façamos nossas preces: Venha Senhor Jesus. 1º Senhor da luz, iluminai a vossa Igreja Católica, peregrina neste mundo. 2º Senhor da luz, fazei que a mulher seja mais valorizada no serviço pastoral. 3º Senhor da luz, tornai as mães solidarias umas com as outras. 4º Senhor da luz, ajudai os noivos a se respeitarem mutuamente. 5º Senhor da luz, abençoai os catequistas e seus catequizando. Paz e Bem!
R. Carlos.  Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

10/04/2018 – Terça Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Liturgia Diária – nº 1. NOSSO VIGÉSSIMO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA. Fica mais evidente nosso papel de cristão na construção de um mundo onde reine a paz e o amor. A exemplo da Virgem Maria devemos oferecer Jesus a todas as pessoas e nos empenhar em favor dos pobres que esperam pela grande libertação. Apesar de nossas incredulidade, Deus cotando com pessoas generosas, não deixa de cumprir suas promessas em favor de toda a humanidade. Deus Pai Javé nos fala: (Isaías 7, 10-14) Naqueles dias, o Senhor falou com Acaz, dizendo: “Pede ao Senhor teu Deus que te faça ver um sinal, quer provenha da profundeza da terra, quer venha das alturas do céu”. Mas, Acaz respondeu: “Não pedirei nem tentarei o Senhor”. Disse o profeta: “Ouvi então, vós casa de Davi: será que achais pouco incomodar os homens e passais a incomodar até o meu Deus? Pois bem, o próprio Senhor vos dará um sinal. Eis que uma virgem conceberá e dará à luz um filho e lhe porás o nome de Emanuel”. – Palavra do Senhor. Rezemos o Salmo: 23 (24) O Senhor vai entrar, é o rei glorioso! 1º Ao Senhor pertence a terra e o que ela encerra, o mundo inteiro com os seres que o povoam; porque ele a tornou firme sobre os mares e sobre as águas e mantém inabalável. 2º “Quem subirá até o monte do Senhor, quem ficará em sua santa habitação?” “Quem tem mãos puras e inocente coração, quem não dirige sua mente para o crime. 3º “Sobre este desce a bênção do Senhor e a recompensa de seu Deus e salvador. “É assim a geração dos que o procuraram e do Deus de Israel buscam a face”. Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: (Lucas 1, 26-38) No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi, e o nome da virgem era Maria. O anjo entrou onde ela estava e disse: “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!” Maria ficou perturbada com essas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação. O anjo, então disse-lhe: “Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim”. Maria perguntou ao anjo: “Como acontecerá isso se eu não conheço homem algum?” O anjo respondeu: “O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sobra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado santo, Filho de Deus. Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, porque para Deus nada é impossível”. Maria, então, disse: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!” E o anjo retirou-se. – Palavra da Salvação. Façamos nossas preces: Venha, Senhor Jesus. 1º Concedei, Senhor, que caminhemos sempre à luz de vossa palavra. 2º Livrai nossa vida do egoísmo e da indiferença para com o próximo. 3º Ajudai cada um de nós a se tornar templo vivo do Espírito Santo. 4º Dai saúde a todas as mães e fazei que vivam na santidade a sua vocação. 5º Fazei que o verdadeiro sentido cristão não seja encoberto pela ânsia de consumismo. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
09/04/2018 – Segunda Feira

MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Liturgia Diária – nº 1. NOSSO DÉCIMO NONO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA. As aparições dos anjos mostram que já há distância entre céu e terra. Deus se faz presente no meio de nós, promovendo a vida e comunicando-nos sua Palavra. Apesar da fraqueza humana, o Senhor se serve das pessoas para realizar seus planos. Deus escolhe instrumentos frágeis e pobres para manifestar sua força e onipotência. É com essas pessoas que ele quer realizar a salvação do povo. Deus Pai Javé nos fala: (Juízes 13, 2-7.24-25) Naqueles dias, havia um homem de Saraá, da tribo de Dã chamado Manué, cuja mulher era estéril. O anjo do Senhor apareceu à mulher e disse-lhe: “Tu és estéril e não tiveste filhos, mas conceberás e darás à luz um filho. Toma cuidado de não beberes vinho nem licor, de não comeres coisas alguma impura, pois conceberás e darás à luz um filho. Sua cabeça não será tocada por navalha, porque ele será consagrado ao Senhor desde o ventre materno e começará a libertar Israel das mãos dos filisteus”. A mulher foi dizer ao seu marido: “Veio visitar-me um homem de Deus cujo aspecto era terrível como o de um anjo do Senhor. Não lhe perguntei de onde vinha nem ele me revelou o seu nome. Ele disse-me: Conceberás e darás à luz um filho. De hoje em diante, toma cuidado para não beberes vinho nem licor e não comeres nada de impuro, pois o menino será consagrado a Deus, desde o ventre materno até o dia da sua morte”. Ela deu à luz um filho e deu-lhe o nome de Sansão. O menino cresceu e o Senhor o abençoou. O espírito do Senhor começou a agir nele no campo de Dã. - Palavra do Senhor. Rezemos o Salmo: 70 (71) Minha boca se encha de louvor, para que eu cante vossa glória. 1º Sede uma rocha protetora para mim, um abrigo bem seguro que me salve! Porque é a minha força e meu amparo o meu refúgio, proteção e segurança! Libertai-me, ó meu Deus, das mãos do ímpio. 2º Porque és, ó Senhor Deus, minha esperança, em vós confio desde a minha juventude! Sois meu apoio desde antes que eu nascesse, desde o seio maternal, o meu amparo. 3º Cantarei vossos portentos, ó Senhor, lembrarei vossa justiça sem igual! Vós me ensinastes desde a minha juventude, e até hoje canto as vossas maravilhas. Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: (Lucas 1,5-25) Nos dias de Herodes, rei da Judéia, vivia um sacerdote chamado Zacarias, do grupo de Abia. Sua esposa era descendente de Aarão e chamava-se Isabel. Ambos eram justos, diante de Deus e obedeciam fielmente a todos os mandamentos e ordens do Senhor. Não tinham filhos, porque Isabel era estéril, e os dois já eram de idade avançada. Em certas ocasião, Zacarias estava exercendo as funções sacerdotais no templo, pois era a vez de seu grupo. Conforme o costume dos sacerdotes, ele foi sorteado para entrar no santuário e fazer a oferta do incenso. Toda a assembleia do povo estava do lado de fora, rezando, enquanto o incenso estava sendo oferecido, apareceu-lhe o anjo do Senhor, de pé, à direita do altar do incenso. Ao vê-lo, Zacarias ficou perturbado e o temos apoderou-se dele. Mas o anjo disse: “Não tenhas medo, Zacarias, porque Deus ouviu tua súplica. Tua esposa, Isabel, vai ter um filho, e tu lhe darás o nome de João. Tu ficarás alegre e feliz, e muita gente se alegrará com o nascimento do menino. Porque ele vai ser grande diante do Senhor. Não beberá vinho nem bebida fermentada e, desde o ventre materno, ficará repleto do Espírito Santo. Ele reconduzirá muitos dos povos de Israel ao Senhor seu Deus. E há de caminhar à frente deles com o espírito e o poder de Elias, a fim de converter os corações dos pais aos filhos e os rebeldes à sabedoria dos justos, preparando para o Senhor um povo bem-disposto”. Então Zacarias perguntou ao anjo: “Como terei certeza disso? Sou velho e minha mulher é de idade avançada”. O anjo respondeu-lhe: “Eu sou Gabriel. Estou sempre na presença de Deus e fui enviado para dar-te esta boa noticia. Eis que ficarás mudo e não poderás falar, até o dia em que essas coisas acontecerem, porque tu não acreditaste nas minhas palavras. Que hão de se cumprir no tempo certo”. O povo estava esperando Zacarias e admirava-se com a sua demora no santuário. Quando saiu, não podia falar-lhes. E compreenderam que ele tinha tido uma visão no santuário. Zacarias falava com sinais e continuava mudo. Depois que terminou seus dias de serviço no santuário, Zacarias voltou para casa. Algum tempo depois, sua esposa Isabel ficou grávida e escondeu-se durante cinco meses. Ela dizia: “Eis o que o Senhor fez por mim, nos dias em que ele se dignou tirar-me da humilhação pública!” – Palavra da Salvação. Façamos nossas preces: Venha Senhor Jesus. 1º Senhor, que sois o caminho, converta vossa Igreja Católica para que se volte para os pobres. 2º Senhor, que sois a verdade, prepare-nos para vos receber toda vez que vindes a nós. 3º Senhor, que sois a vida, ajude-nos a acolher e valorizar toda vida que vem a este mundo. 4º Senhor, que sois o amor, faça que nos tornemos solidários e fraternos. 5º Senhor, que sois nosso Deus, ilumine pais e mães na criação dos seus filhos. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
06/04/2018 – Sexta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Liturgia Diária – nº 1. NOSSO DÉCIMO OITAVO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA. Graças ao sim de Maria Santíssima, Deus veio habitar entre nós na pessoa de Jesus. Todos nós devemos estar disponíveis para a ação do Espírito Santo de Deus, acolhendo no coração o mistério da encarnação. A páscoa de Jesus se manifesta nas pessoas e grupos que se dispõem a receber a boa-nova trazida pelo anjo Gabriel. Deus Pai Javé nos fala: (2 Samuel 7, 1-5.8-12.14.16). – Tendo-se o rei Davi instalado já em sua casa e tendo-lhe o Senhor dado paz, livrando-o de todos os seus inimigos, ele disse ao profeta Natã: “Vê, eu resido num palácio de cedro, e a arca de Deus está alojada numa tenda!” Natã respondeu ao rei: “Vai e faz tudo o que diz o teu coração, pois o Senhor está contigo”. Mas, nessa mesma noite, a palavra do Senhor foi dirigida a Natã nestes termos: “Vai dizer ao meu servo Davi: Assim fala o Senhor: Porventura és tu que me construirás uma casa para eu habitar? Fui eu que te tirei do pastoreio, do meio das ovelhas, para que fosses o chefe do meu povo, Israel. Estive contigo em toda parte por onde andaste e exterminarei diante de ti todos os teus inimigos, fazendo o teu nome tão célebre como o dos homens mais famosos da terra. Vou preparar um lugar para o meu povo, Israel: eu o implantarei, de modo que possa morar lá sem jamais ser inquietado. Os homens violentos não tornarão a oprimi-lo como outrora, no tempo em que eu estabelecia juízes sobre o meu povo, Israel. Concedo-te uma vida tranquila, livrando-te de todos os teus inimigos. E o Senhor te anuncia que te fará uma casa. Quando chegar o fim dos teus dias e repousares com teus pais, então suscitarei, depois de ti, um filho teu e confirmarei a sua realeza. Eu serei para ele um pai e ele será para mim um filho. Tua casa e teu reino serão estáveis para sempre diante de mim, e teu trono será firme para sempre”. – Palavra do Senhor. Rezemos o Salmo 88 (89): Ó Senhor, eu cantarei eternamente o vosso amor! 1º Ó Senhor, eu cantarei eternamente o vosso amor, de geração em geração eu cantarei vossa verdade! Porque dissestes: “O amor é garantido para sempre!” E a vossa lealdade é tão firme como os céus. 2º “Eu firmei uma aliança com meu servo, meu eleito, e eu fiz um juramento a Davi, meu servidor. Para sempre, no meu trono, firmei tua linhagem, de geração em geração garantirei o teu reinado! 3º Ele, então me invocará: “Ó Senhor, vós sois meu Pai, sois meu Deus, sois meu rochedo onde encontro a salvação!” guardarei eternamente para ele a minha graça e com ele firmarei minha aliança indissolúvel”. Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: (Lucas 1, 26-38) Naquele tempo, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi, e o nome da virgem era Maria. O anjo entrou onde ela estava e disse: “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!” Maria ficou perturbada com essas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação. O anjo, então, disse-lhe: “Não tenhas medo, Maria, porque encontrastes graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim”. Maria perguntou ao anjo: “Como acontecerá isso se eu não conheço homem algum?” O anjo respondeu: “O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado santo, Filho de Deus. Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, porque para Deus nada é impossível!”. Maria então disse: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!” E o anjo retirou-se. Palavra da salvação. Façamos nossas preces: Nosso Senhor Jesus Cristo, ouvi-nos, Nosso Senhor Jesus Cristo, atendei-nos. 1º Pela Igreja Católica, para que reconheça em Maria o modelo perfeito de fidelidade. 2º Pelos que não creem, para que nosso testemunho os ajude na descoberta da fé. 3º Pelas mulheres grávidas, para que acolham com alegria e amor o filho esperado. 4º Pelas crianças, para que nunca lhes falte o cuidado dos pais e da sociedade. 5º Pela nossa comunidade, para que seja sempre fiel na convivência do evangelho. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
05/04/2018 – Quinta Feira

 

MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Liturgia Diária – nº 1. NOSSO DÉCIMO SÉTIMO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA. Alegremo-nos todos no Senhor, porque nosso Deus virá e terá compaixão dos pequeninos. Estamos firmes na caminhada rumo nossa conversão, tendo um encontro pessoal com Nosso Senhor Jesus Cristo, rumo a Pátria Celestial, e isso nos motiva a andar com alegria e otimismo, anunciando a boa-nova a todas as gerações. Alegrem-se os céus e exulte a terra, porque o Senhor nosso Deus virá e terá compaixão dos pequeninos (Isaías 49, 13). Desde que nos criou, Deus mantém a sua aliança conosco. Tão grande é seu amor por nós, que mandou seu Filho para nos salvar. Somos herdeiros das suas bênçãos. Deus Pai Javé nos fala: (Gênesis 49, 2. 8-10). – Naqueles dias, Jacó chamou seus filhos e disse: “Juntai-vos e ouvi filhos de Jacó, ouvi Israel, vosso pai! Judá, teus irmãos te louvarão; pesará tua mão sobre a nuca de teus inimigos, se prostrarão diante de ti os filhos de teu pai. Judá, filhote de leão: subiste meu filho, da pilhagem; ele se agacha e se deita como um leão, e como uma leoa; quem o despertará? O cetro não será tirado de Judá, nem o bastão de comando dentre seus pés, até que venha aquele a quem pertencem e a quem obedecerão os povos”. – Palavra do Senhor. Rezemos o Salmo: 71 (72) Nos seus dias a justiça florirá e paz em abundância, para sempre. 1º Dai ao rei vossos poderes, Senhor Deus, vossa justiça ao descendente da realeza! Com justiça ele governe o vosso povo, com equidade ele julgue os vossos pobres. 2º Das montanhas venha a paz a todo o povo, e desça das colinas a justiça! Este rei defenderá os que são pobres, os filhos dos humildes salvará. 3º Nos seus dias a justiça florirá e grande paz, até que a lua perca o brilho! De mar a mar estenderá o seu domínio, e desde o rio até os confins de toda a terra! 4º Seja bendito o seu nome para sempre! E que dure como o sol sua memória! Todos os povos serão nele abençoados, todas as gentes cantarão o seu louvor!  Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: (Mateus 1, 1-17) Livro da origem de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão. Abraão gerou Isaac; Isaac gerou Jacó; Jacó gerou Judá e seus irmãos. Jessé gerou o rei Davi. Davi gerou Salomão, daquela que tinha sido mulher de Urias. Matã gerou Jacó. Jacó gerou José, o esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, que é chamado o Cristo. Assim, as gerações desde Abraão até Davi são quatorze; de Davi até o exílio na Babilônia, quatorze; e do exílio na Babilônia até Cristo, quatorze. – Palavra da Salvação. Façamos nossas preces: Proteja Senhor, o vosso povo. 1º Senhor Deus, velai pela santidade do vosso povo, que caminha convosco. 2º Tornai-nos firmes e fieis no seguimento de Cristo, pão da vida e luz do mundo. 3º Fortalecei os que não medem esforços no anúncio da boa-nova. 4º Dai esperança e consolo aos idosos desassistidos pelos filhos. 5º Vinde iluminar e animar os que vivem à sobra do erro e do comodismo. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo

- - -
04/04/2018 – Quarta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ . Liturgia Diária – nº 1. NOSSO DÉCIMO SEXTO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA.

 

Todos nós formamos Igreja. Pode haver entre nós diferenças culturais, mas constituímos um só povo, que o Pai ama e protege. Como Igreja, iluminados por Nosso Senhor Jesus Cristo, desejamos iluminar todos os povos, anunciando o evangelho a toda criatura. O Senhor descerá com esplendor, para visitar o seu povo na paz e fazê-lo viver a vida eterna. Glorifiquemos o Senhor, pois nos reúne numa mesma fé para ouvir sua Palavra, ela nos mostra Jesus, luz duradoura que vem para iluminar os caminhos da humanidade. Deus Pai Javé nos fala: (Isaías 56, 1-3.6-8). – Isto diz o Senhor: “Cumpri o dever e pratique a justiça, minha salvação está prestes a chegar e minha justiça não tardará a manifestar-se. Feliz do homem que assim proceder e que nisso perseverar, observando o sábado sem o profanar, preservando suas mãos de fazer o mal. Não diga o estrangeiro que aderiu ao Senhor: Por certo o Senhor me excluirá de seu povo. Aos estrangeiros que aderem ao Senhor, prestando-lhe culto, honrando o nome do Senhor, servindo-o como servos seus, a todos que observam o sábado e não o profanam e aos que mantêm aliança comigo, a esses conduzirei ao meu santo monte e os alegrarei em minha casa de oração; aceitarei com agrado em meu altar seus holocaustos e vitimas, pois minha casa será chamada casa de oração para todos os povos”. Diz o Senhor Deus, que reúne os dispersos de Israel: “Ainda reunirei com eles outros, além dos que já estão reunidos”. Palavra do Senhor.  Rezemos o Salmo: 66 (67) Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor, que todas as nações vos glorifiquem. 1º Que Deus nos dê a sua graça e sua bênção, e sua face resplandeça sobre nós! Que na terra se conheça o seu caminho e sua salvação por entre os povos. 2º Exulte de alegria a terra inteira, pois julgais o universo com justiça; os povos governais com retidão e guiais, em toda a terra, as nações. 3º A terra produziu sua colheita: O Senhor e nosso Deus nos abençoa. Que o Senhor e nosso Deus nos abençoe e o respeitem os confins de toda a terra! Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: (João 5, 33-36) Naquele tempo, Jesus disse aos judeus: “Vós mandastes mensageiros a João, e ele deu testemunho da verdade. Eu, porém, não dependo do testemunho de um ser humano. Mas,  falo assim para a vossa salvação. João era uma lâmpada que estava acesa e a brilhar, e vós com prazer vos alegrastes por um tempo com a sua luz. Mas eu tenho um testemunho maior que o de João: as obras que o Pai me concedeu realizar. As obras que eu faço dão testemunho de mim, mostrando que o Pai me enviou”. Palavra da Salvação. Façamos nossas preces: Venha Senhor Jesus. 1º Pela Igreja Católica, povo de Deus, para que, vivendo a unidade e praticando a Palavra, ilumine a todos. 2º Pelos povos em conflito, para que superem as hostilidades iluminados pela palavra de Deus. 3º Pelos cristãos, para que busquem a unidade e juntos anunciem o evangelho a todas as pessoas. 4º Pelas religiões, para que anunciem e revelem o Deus da paz, do amor e da união. 5º Pelas pastorais, para que a luz de Nosso Senhor Jesus Cristo ilumine os caminhos de sua missão. Paz e Bem! Carlos. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

03/04/2018 – Terça Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Liturgia Diária – nº 1. NOSSO DÉCIMO QUINTO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA. Está perto, Senhor, e todos os vossos caminhos são verdadeiros. Desde muito aprendi que vossa aliança foi estabelecida para sempre (Salmo 118, 151s). A palavra de Deus nos faz exultar, pois o Senhor mostra toda sua misericórdia e amor por nós ao enviar o próprio Filho para morar em nosso meio. Deus Pai Javé nos fala: (Isaías 54, 1-10). – Alegra-te ó estéril, que nunca foste mãe, exulta e regozija-te, tu que nunca deste à luz; os filhos da mulher abandonada são mais numerosos do que os filhos da bem-casada, diz o Senhor. Alarga o espaço de tua tenda e distende bastante as peles das tuas barracas; usa cordas bem longas e finca as estacas com segurança. Farás expansão para um lado e para outro e tua posteridade receberá em herança as nações que povoarão cidades abandonadas. Não tenhas medo, pois não sofrerás afronta alguma; nem te perturbes, pois não tens de que te envergonhar; esquecerás a vergonha sofrida na juventude e não te recordarás mais da humilhação da viuvez. Teu esposo é aquele que te criou, seu nome é Senhor dos exércitos; teu redentor, o santo de Israel, chama-se Deus de toda a terra. O Senhor te chamou, como a  mulher abandonada e de alma aflita; como a esposa repudiada na mocidade, falou o teu Deus. Por um breve instante eu te abandonei, mas com imensa compaixão volto a acolher-te. Num momento de indignação por pouco ocultei de ti minha face, mas com misericórdia eterna compadeci-me de ti, diz teu salvador, o Senhor. Como fiz nos dias de Noé, a quem jurei nunca mais inundar a terra, assim juro que não me irritarei contra ti nem te farei ameaças. Podem os montes recuar e as colinas abalar-se, mas, minha misericórdia não se apartará de ti, nada fará mudar a aliança de minha paz, diz o teu misericordioso Senhor – Palavra do Senhor.    Rezemos o Salmo: Salmo responsorial 29 (30): Eu vos exalto, ó Senhor, porque vós me livrastes! 1º Eu vos exalto, ó Senhor, pois me livrastes, e não deixastes rir de mim meus inimigos! Tirastes-vos minha alma dos abismos e me salvastes quando estava já morrendo! 2º Cantai salmos ao Senhor, povo fiel, dai-lhe graças e invocai seu santo nome! Pois sua ira dura apenas um momento, mas sua bondade permanece a vida inteira; se à tarde vem o pranto visitar-nos, de manha vem saudar-nos a alegria. 3º Escutai-me, Senhor Deus, tende piedade! Sede, Senhor, o meu abrigo protetor! Transformastes o meu pranto em uma festa. Senhor meu Deus, eternamente hei de louvar-vos! (Preparai o caminho do Senhor, endireitai suas veredas! Toda carne há de ver a salvação que vem de Deus! – Lucas 3, 4-6) Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: (Lucas 7, 24-30) Depois que os mensageiros de João partiram, Jesus começou a falar sobre João às multidões: “O que fostes ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento? O que fostes ver? Um homem vestido com roupas finas? Ora, os que se vestem com roupas preciosas e vivem no luxo estão nos palácios dos reis. Então, o que fostes ver? Um profeta? Eu vos afirmo que sim, e alguém que é mais do que um profeta. É de João que está escrito: Eis que eu envio o meu mensageiro à tua frente; ele vai preparar o meu caminho diante de ti. Eu vos digo; entre os nascidos de mulher, ninguém é maior do que João. No entanto, o menor no reino de Deus é menor do que ele”. Todo o povo ouviu, e até mesmo os cobradores de impostos reconheceram a justiça de Deus e receberam o batismo de João. Mas, os fariseus e os mestres da lei, rejeitando o batismo de João, tornaram inútil para si mesmo o projeto de Deus. Palavra da Salvação. Façamos nossas preces: Senhor, ouvi e atendei-nos. 1º Pela Igreja Católica, para que não esmoreça diante das dificuldades da evangelização. 2º Pelo papa, bispos, padres, freiras, diáconos, catequistas, coordenadores de grupo de orações de jovens, para que sejam fieis na missão. 3º Pelos casais estéreis, para que sintam a presença amorosa de Deus. 4º Pelos pobres, para que sintam o quanto são importantes no reino de Deus. Paz e Bem! R. Carlos.

Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II. 
- - -
02/04/2018 – Segunda Feira

MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Liturgia Diária – nº 1. NOSSO DÉCIMO QUARTO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA. A cruz de nosso Senhor Jesus Cristo deve ser a nossa glória: nele está nossa vida e ressurreição; foi ele que nos salvou e libertou (Gálatas 6,14). A Palavra de Deus nos convida a estar abertos para acolher o “justo esperado”, que vem do alto como orvalho, e proclamar a todos as maravilhas que vemos e ouvimos de Jesus. Deus Pai Javé nos fala: (Isaías 45, 6-8.18.21-25). “Eu sou o Senhor, não há outro, eu formei a luz e criei as trevas, crio o bem-estar e as condições de mal-estar: sou o Senhor que faço todas as coisas. Céu deixe cair orvalho das alturas, e que as nuvens façam chover justiça; abra-se a terra e germine a salvação; brote igualmente a justiça: eu, o Senhor, a criei”. Isto diz o Senhor que criou os céus, o próprio Deus que fez a terra, a confirmou e consolidou; não a criou para ficar vazia, formou-a para ser habitada: “Sou eu o Senhor, e não há outro. Acaso não sou eu o Senhor? E não há deus além de mim. Não há um Deus justo, e que salve, a não ser eu. Povos de todos os caminhos os confins da terra, voltai-vos para mim e sereis salvos, eu sou Deus e não há outro. Juro por mim mesmo: de minha boca sai o que é justo, a palavra que não volta atrás; todo joelho há de dobrar-se para mim, por mim há de jurar toda língua, dizendo: Somente no Senhor residem justiça e força” Comparecerão perante ele, envergonhados, todos os que lhe resistem; no Senhor será justificada e glorificada toda a descendência de Israel – Palavra do Senhor. Rezemos o Salmo: Salmo responsorial 84 (85): Que os céus lá do alto derramem o orvalho que chora das nuvens o justo esperado! 1º Quero ouvir o que o Senhor irá falar: é a paz que ela vai anunciar; a paz para o seu povo e seus amigos, para os que voltam ao Senhor seu coração. Está perto a salvação dos que o temem, e a glória habitará em nossa terra. 2º A verdade e o amor se encontrarão, a justiça e a paz se abraçarão da terra brotará a fidelidade, e a justiça olhará dos altos céus. 3º O Senhor nos dará tudo o que é bom, e a nossa terra nos dará suas colheitas; a justiça andará na sua frente e a salvação há de seguir os passos seus. Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: (Lucas 7, 19-23) Naquele tempo, João convocou dois de seus discípulos e mandou-os perguntar ao Senhor: “É tu aquele que há de vir ou devemos esperar outro?” Eles foram ter com Jesus e disseram: “João Batista nos mando a ti para perguntar: “És tu aquele que há de vir ou devemos esperar outro?” Nessa mesma hora, Jesus curou de doenças, enfermidades e espíritos malignos a muitas pessoas e fez muitos cegos recuperarem a vista. Então, Jesus lhes respondeu: “Ide contar a João o que vistes e ouvistes: os cegos recuperam a vista, os paralíticos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e a boa-nova é anunciada aos pobres. E feliz é aquele que não se escandaliza por causa de mim!”– Palavra da Salvação. Façamos nossas preces: Senhor atenda nossa prece. 1º Para que a Igreja Católica esteja sempre ao lado dos que mais sofrem. 2º Para que sejamos sensíveis aos apelos dos necessitados. 3º Para que o Espírito Santo nos ajude a perceber os sinais de Jesus. 4º Para que nunca cansemos de contar ao mundo o que vimos e ouvimos em nosso Senhor Jesus Cristo. 5º Para que sejamos exemplo de coerência na vivência de nossa fé. (Quem quiser ser meu discípulo renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me, diz o Senhor – Mateus 16, 24). Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II
- - -

29/03/2018 – Quinta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Liturgia Diária – nº 1. NOSSO DÉCIMO TERCEIRO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA. A palavra de Deus questiona as injustiças e a corrupção, defende o pobre e lhe garante a salvação quando este clama a Deus e nele acredita. Deus Pai Javé nos fala: (Sofonias 3, 1-2.9-13). Assim fala o Senhor: “Ai de ti, rebelde e desonrada, cidade desumana. Ela não prestou ouvidos ao apelo, não aceitou a correção; não teve confiança no Senhor nem se aproximou de seu Deus. Darei aos povos, nesse tempo, lábios purificados, para que todos invoquem o nome do Senhor e lhe prestem culto em união de esforços. Desde além-rios da Etiópia, os que me adoram, os dispersos do meu povo, me trarão suas oferendas. Naquele dia, não terás de envergonhar-te por causa de todas as tuas obras com que prevaricaste contra mim; pois eu afastarei do teu meio teus fanfarrões arrogantes, e não continuarás a fazer de meu santo monte motivo de tuas vanglórias. E deixarei entre vós um punhado de homens humildes e pobres”. E no nome do Senhor porá sua esperança o resto de Israel. Eles não cometerão iniquidades nem falarão mentiras; não se encontrará em sua boca uma língua enganadora; serão apascentados e repousarão, e ninguém os molestará – Palavra do Senhor.  Rezemos o Salmo: Salmo responsorial 33 (34): Este infeliz gritou a Deus e foi ouvido. 1º Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo, seu louvor estará sempre em minha boca. Minha alma se gloria no Senhor; que ouçam os humildes e se alegrem! 2º Contemplai a sua face e alegrai-vos, e vosso rosto não se cubra de vergonha! Este infeliz gritou a Deus e foi ouvido, e o Senhor o libertou de toda angústia. 3º Mas ele volta a sua face contra os maus, para da terra apagar sua lembrança. Clamam os justos, e o Senhor bondoso escuta e de todas as angústias os liberta. 4º Do coração atribulado ele está perto e conforta os de espírito abatido. Mas o Senhor liberta a vida dos seus servos, e castigado não será quem nele espera. Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: (Mateus 21, 28-32) Naquele tempo, disse Jesus aos chefes dos sacerdotes e aos anciãos do povo: “Que vos parece? Um homem tinha dois filhos. Dirigindo-se ao primeiro, ele disse: Filho vai trabalhar hoje na vinha! O filho respondeu: Não quero. Mas depois mudou de opinião e foi. O pai dirigiu-se ao outro filho e disse a mesma coisa. Este respondeu: Sim, senhor, eu vou. Mas não foi. Qual dos dois fez a vontade do pai?” Os sumos sacerdotes e os anciãos do povo responderam: “O primeiro”. Então Jesus lhes disse: “Em verdade vos digo que os publicanos e as prostitutas vos precedem no reino de Deus. Porque João veio até vós, num caminho de justiça, e vós não acreditastes nele. Ao contrário, os publicanos e as prostitutas creram nele. Vós, porém, mesmo vendo isso, não vos arrependestes para crer nele” – Palavra da Salvação. Façamos nossas preces: Vinde Senhor Jesus. 1º Senhor, tornai o mundo justo e humano. 2º Reuni os povos numa só fé e caridade. 3º Cumulai nossa comunidade com os dons do Espírito. 4º Mostrai-nos o caminho que devemos seguir. 5º Fazei-nos sermos exemplos de luz e doação. Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II
- - -
28/03/2018 – Quarta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ Liturgia Diária – nº 1. NOSSO DÉCIMO SEGUNDO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA. Aceitando ser a mãe da humanidade a Virgem Maria tornou-se protetora dos pequenos e defensora dos oprimidos. A imagem da Virgem de Guadalupe apareceu impressa na manta do índio São João Diego em 1531, período de grande opressão espanhola no México. Maria Santíssima foi proclamada padroeira da América Latina pelo Papa Pio X em 1910. Chegou o tempo em que Maria santíssima se deixa conduzir pela ação divina, torna-se a mãe do Filho de Deus e é proclamada bendita entre as mulheres. O apóstolo São Paulo nos fala: (Gálatas 4, 4-7) Irmãos, quando se completou o tempo previsto, Deus enviou o seu Filho, nascido de uma mulher, nascido sujeito à lei, a fim de resgatar os que eram sujeitos à lei e para que todos recebêssemos a filiação adotiva. E, porque sois filhos, Deus enviou aos nossos corações o Espírito do seu Filho, que clama: Abá – ó Pai! Assim já não és mais escravo, mas filho; e, se és filho, és também herdeiro, tudo isso por graça de Deus. Palavra do Senhor. Rezemos o Salmo: Salmo responsorial 95 (96): manifestai a sua glória entre as nações. 1º Cantai ao Senhor um cântico novo, cantai ao Senhor Deus, ó terra inteira! Cantai e bendizei seu santo nome! 2º Dia após dia anunciai sua salvação, manifestai a sua glória entre as nações e entre os povos do universo, seus prodígios! 3º Publicai entre as nações: “Reina o Senhor! Ele firmou o universo inabalável, e os povos ele julga com justiça”. Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: (Lucas 1, 39-47) Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judéia. Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito santo. Com um grande grito, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. Bem-aventurada aquela que acreditou porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”. Então Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus, meu salvador”. Palavra da salvação. Façamos nossas preces: Nós vos louvamos senhor. 1º Bendito sejais Senhor, por nos teres dado a mãe do vosso Filho como nossa mãe. 2º Bendito sejais Senhor, por nos teres revelado vossos mistérios de amor. 3º Bendito sejais Senhor, pelos santos mártires. 4º Bendito sejais Senhor, pelos anseios de paz e união dos povos de todas as nações. Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
27/03/2018 – Terça Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Liturgia Diária – nº 1. NOSSO DÉCIMO PRIMEIRO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA. Com otimismo e fé nos reunimos para celebrar nosso encontro cristão. A exemplo do profeta, todos devemos nos alegrar, pois o Senhor está próximo: João Batista aparece hoje para preparar o caminho de Jesus até nós. Alegrai-vos sempre no Senhor. De novo eu vos digo: Alegrai-vos! O Senhor está perto (Filipenses 4, 4s). As leituras nos apresentam o tema da alegria, pois o Espírito do Senhor está sobre nós, nos leva a rezar sem cessar e nos faz reconhecer em João Batista o mensageiro da vinda de Jesus. Deus Pai Javé nos fala: (Isaías 61, 1-11) O espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu; enviou- me para dar a boa-nova aos humildes, curar as feridas da alma, pregar a redenção para os cativos e a liberdade para os que estão presos; para proclamar o tempo da graça do Senhor. Exulto de alegria no Senhor e minha alma regozija-se em meu Deus; ele me vestiu com as vestes da salvação, envolvendo-me com o manto da justiça e adornou-me como um noivo com sua coroa ou uma noiva com suas joias. Assim como a terra faz brotar a planta e o jardim faz germinar a semente, assim o Senhor Deus fará germinar a justiça e a sua glória diante de todas as nações. – Palavra do Senhor. Rezemos o Salmo: Lucas 1 – A minha alma se alegra no meu Deus. 1º A minha alma engrandece ao Senhor, e se alegrou o meu espírito em Deus, meu salvador, pois ele viu a pequenez de sua serva, desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita. 2º O poderoso fez por mim maravilhas, e santo é o seu nome! Seu amor, de geração em geração, chega a todos os que o respeitam. 3º De bens saciou os famintos e despediu, sem nada, os ricos. Acolheu Israel, seu servidor, fiel ao seu amor. O apóstolo São Paulo nos fala: (1 Tessalonicenses 5, 16-24) Irmãos, estai sempre alegres! Rezai sem cessar. Dai graças em todas as circunstâncias, porque essa é a vosso respeito, a vontade de Deus em Jesus Cristo. Não apagueis o espírito! Não desprezeis as profecias, mas examinai tudo e guardai o que for bom. Afastai-vos de toda espécie de maldade! Que o próprio Deus da paz vos santifique totalmente e que tudo aquilo que sois – espírito, alma, corpo – seja conservado sem mancha alguma para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo! Aquele que vos chamou é fiel; ele mesmo realizará isso – Palavra do Senhor. Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: (João 1, 6-8.19-28) Surgiu um homem enviado por Deus; seu nome era João. Ele veio como testemunha para dar testemunho da luz, para que todos chegassem à fé por meio dele. Ele não era a luz, mas veio para dar testemunho da luz. Este foi o testemunho de João, quando os judeus enviaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para perguntar: “Quem és tu?” João confessou e não negou. Confessou: “Eu não sou o Messias”. Eles perguntaram: “Quem és então? És tu Elias?” João respondeu: “Não sou”. Eles perguntaram: “És o profeta?” Ele respondeu: “Não”. Perguntaram então: “Quem és, afinal? Temos que levar uma resposta para aqueles que nos enviaram. O que dizes de ti mesmo?” João declarou: “Eu sou a voz que grita no deserto: Aplanai o caminho do Senhor, conforme disse o profeta Isaías”. Ora, os que tinham sido enviados pertenciam aos fariseus e perguntaram: Por que então andas batizando se não és o Messias, nem Elias, nem o profeta?” João respondeu: “Eu batizo com água; mas no meio de vós está aquele que vós não conheceis e que vem depois de mim. Eu não mereço desamarrar a correia de suas sandálias”. Isso aconteceu em Betânia, além do Jordão, onde João estava batizando. Palavra da Salvação. Façamos nossas preces: Ajudai-nos, Senhor, a aplainar vossos caminhos. 1º Elevemos a Deus nossas súplicas pelos que esperam a vinda de Jesus. 2º Pelo Papa, Bispos, padres, Freiras, diáconos, leigos para que tenham a fortaleza e a coragem de João Batista. 3º Pelos que creem, para que sejam testemunhas de alegria e da esperança no mundo. 4º Pela humanidade, para que veja em Jesus não apenas um sábio, mas o próprio Filho de Deus. 5º Pelos pobres, doentes e idosos, para que recebam a solidariedade da sociedade. 6º Pela Campanha da Evangelização, para que encontre corações generosos para ajudar no anúncio do evangelho. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
26/03/2018 – Segunda Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Liturgia Diária – nº 1. NOSSO DÉCIMO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA. Ao preparar os discípulos para a missão, Jesus quer convencê-los de que Ele é o verdadeiro Messias que esperavam e que profetas anunciaram. Convictos de que Ele é o salvador, reunimo-nos para celebrar sua presença entre nós. Venha, Senhor, que estais acima dos querubins; mostrai-nos a vossa face, e seremos salvos – Salmo 79, 4. 2. Os profetas se assemelham entre si pela missão e pela coragem com que proclamam a vontade de Deus. É preciso saber reconhecer e aceitar sua mensagem. Deus Pai Javé nos fala: Eclesiástico 79 (80) Naqueles dias, o profeta Elias surgiu como um fogo, e suas palavras queimavam como uma tocha. Fez vir a fome sobre eles e, no seu zelo, reduziu-os a pouca gente. Pela palavra do Senhor fechou o céu e de lá fez cair fogo por três vezes. Ó Elias, como te tornaste glorioso por teus prodígios! Quem poderia gloriar-se de ser semelhante a ti? Tu foste arrebatado num turbilhão de fogo, num carro de cavalos também de fogo, tu, nas ameaças para os tempos futuros, foste designado para acalmar a ira do Senhor antes do furor, para reconduzir o coração do pai ao filho e restabelecer as tribos de Jacó. Felizes os que te viram e os que adormeceram na tua amizade! – Palavra do Senhor. Rezemos o Salmo: Salmo Responsorial 79 (80):  Convertei-nos, ó Senhor, resplandecei a vossa face e nós seremos salvos! 1º Ó pastor de Israel, prestai ouvidos. Vós que sobre os querubins vos assentais. Despertai vosso poder, ó nosso Deus, e venha logo nos trazer a salvação! 2º Voltai-vos para nós, Deus do universo! Olhai dos altos céus e observai a vossa vinha e protegei-a! Foi a vossa mão direita que a plantou; protegei-a, e ao rebento que firmastes! 3º Pousai a mão por sobre o vosso protegido, o filho do homem que escolhestes para vós! E nunca mais vos deixaremos Senhor Deus! Dai-nos vida, e louvaremos vosso nome! Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: Mateus 17, 10-13 – Ao descerem do monte, os discípulos perguntaram a Jesus: “Por que os mestres da lei dizem que Elias deve vir primeiro?” Jesus respondeu: “Elias vem e colocará tudo em ordem. Ora, eu vos digo Elias já veio, mas eles não o reconheceram. Ao contrário, fizeram com ele tudo o que quiseram. Assim também o Filho do homem será maltratado por eles”. Então os discípulos compreenderam que Jesus lhes falava de João Batista. Palavra da Salvação. Façamos nossas preces: Senhor escute nossa prece. 1º Para que a Igreja Católica reconheça e ouça os profetas de ontem e de hoje. 2º Para que os missionários tenham sempre entusiasmo no serviço ao evangelho. 3º Para que nos preparemos bem para acolher Jesus que vem nesta Páscoa.  4º Para que os grupos de reflexão sejam iluminados pelo Espírito Santo. 5º Para que os direitos humanos sejam valorizados e respeitados. (Eis que venho logo, diz o Senhor; e trago comigo a recompensa: darei a cada um segundo as suas obras – Apocalipse 22, 12). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
21/03/2018 – Quarta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Liturgia Diária – nº 1. NOSSO NONO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA. Por meio de sua palavra, Deus nos propõe um caminho de paz e justiça e nos  impele a tomar posição diante das situações. Somos continuamente desafiados a nos mover na vida com discernimento e sabedoria. (Jesus nos ensina que a indiferença não é a melhor atitude dos acontecimentos. Quem se deixa guiar pela sabedoria de Deus terá a luz da vida). Deus Pai Javé nos fala: Isto diz o Senhor, o teu libertador, o santo de Israel: “Eu, o Senhor teu Deus, te ensino coisas úteis, te conduzo pelo caminho em que andas. Ah, se tivesses observado os meus mandamentos! Tua paz teria sido como um rio e tua justiça como as ondas do mar; tua descendência seria como a areia do mar e os filhos do teu ventre como os grãos de areia; este nome não teria desaparecido nem teria sido cancelado de minha presença”. – Palavra do Senhor (Isaías 48, 17-19).  Rezemos o Salmo: (1) Senhor quem te vos seguir terá a luz da vida. 1º Feliz é todo aquele que não anda conforme os conselhos dos perversos; que não entra no caminho dos malvados nem junto aos zombadores vai sentar-se; mas encontra seu prazer na lei de Deus e a medita, dia e noite, sem cessar. 2º Eis que ele é semelhante a uma árvore que à beira da torrente está plantada; ela sempre dá seus frutos a seu tempo, e jamais as suas folhas vão murchar. Eis que tudo o que ele faz vai prosperar. 3º Mas bem outra é a sorte dos perversos. Ao contrário, são iguais à palha seca espalhada e dispersada pelo vento. Pois Deus vigia o caminho dos eleitos, mas a estrada dos malvados leva à morte. Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: Naquele tempo, disse Jesus às multidões: “Com quem vou comparar esta geração? São como crianças sentadas nas praças, que gritam para os colegas, dizendo: Tocamos flauta e vós não dançastes. Entoamos lamentações e vós não batestes no peito! Veio João, que não come nem bebe, e dizem: Ele está com um demônio. Veio o Filho do Homem, que come e bebe, e dizem: É um comilão e beberrão amigo de cobradores de impostos e de pecadores. Mas a sabedoria foi reconhecida com base em suas obras” – Palavra da Salvação. (Mateus 11, 16-19).  Façamos nossas preces: Senhor escute nossas preces. 1º Para que a Igreja Católica, iluminada pela palavra de Deus, seja sinal de libertação na sociedade.  2º Para que os governantes se preocupem em proporcionar condições de vida digna para o povo brasileiro. 3º Para que as pessoas descontentes com tudo se deixem preencher pelo caminho do Pai. 4º Para que nos libertemos dos preconceitos e hábitos que nos impedem melhor convívio. 5º Para que o tempo de Páscoa nos ilumine e nos motive a tomar decisões acertadas. (Esperamos um salvador, o Senhor Jesus Cristo; ele transformará segundo a sua condição gloriosa a nossa humilde condição – Filipenses 3, 20s). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
20/03/2018 – Terça Feira 

MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Liturgia Diária – nº 1. NOSSO OITAVO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA. Com grande alegria rejubilo-me no Senhor, e minha alma exultará no meu Deus, pois me revestiu de justiça e salvação, como a noiva ornada de suas joias (Isaías 61, 10). Maria Santíssima aparece na história da salvação como aquela que resgata a imagem da humanidade infiel e colabora para que Deus realize, por meio de Jesus, a redenção universal. Deus Pai Javé nos fala: O Senhor Deus chamou Adão, dizendo: “Onde estás?” E ele respondeu: “Ouvi tua voz no jardim e fiquei com medo, porque estava nu, e me escondi”. Disse-lhe o Senhor Deus: “E quem te disse que estavas nu? Então comeste da árvore de cujo fruto te proibi comer?” Adão disse: “A mulher que tu me deste por companheira, foi ela que me deu do fruto da árvore, e eu comi”. Disse o Senhor Deus à mulher: “Por que fizeste isso?” E a mulher respondeu: “A serpente enganou-me e eu comi”. Então o Senhor Deus disse à serpente: “Porque fizeste isso, serás maldita entre todos os animais domésticos e todos os animais selvagens! Rastejarás sobre o ventre e comerás pó todos os dias de tua vida! Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar”. E Adão chamou a mulher Eva, porque ela é a mãe de todos os viventes – Palavra do Senhor. (Gênesis 3, 9-20). Rezemos o Salmo: 97 (98) Cantai ao Senhor Deus um cântico novo, porque ele fez prodígios. 1º Cantai ao Senhor Deus um cântico novo, porque ele fez prodígios! Sua mão e o seu braço forte e santo alcançaram-lhe a vitória. 2º O Senhor fez conhecer a salvação e às nações, sua justiça; recordou o seu amor sempre fiel pela casa de Israel. 3º Os confins do universo contemplaram a salvação do nosso Deus. Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, alegrai-vos e exultai! Apóstolo Paulo nos fala: Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. Ele nos abençoou com toda a bênção  do seu Espírito Santo em virtude de nossa união com Cristo, no céu. Em Cristo, ele nos escolheu, antes da fundação do mundo, para que sejamos santos e irrepreensíveis sob o seu olhar, no amor. Ele nos predestinou para sermos seus filhos adotivos por intermédio de Jesus Cristo, conforme a decisão da sua vontade, para o louvor da sua glória e da graça com que ele nos cumulou no seu bem-amado. Nele também nós recebemos a nossa parte. Segundo o projeto daquele que conduz tudo conforme a decisão de sua vontade, nós fomos predestinados a ser, para o louvor de sua glória, os que de antemão colocaram a sua esperança em Cristo – Palavra do Senhor. (Efésios 1, 12). Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: Naquele tempo, no sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi, e o nome da Virgem era Maria. O anjo entrou onde ela estava e disse: “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!” Maria ficou perturbada com essas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação. O anjo, então, disse-lhe: “Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim.” Maria perguntou ao anjo: “Como acontecerá isso se eu não conheço homem algum?” O anjo respondeu: “O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado santo, Filho de Deus. Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerável estéril, porque para Deus nada é impossível”. Maria, então disse: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!” e o anjo retirou-se. – Palavra da Salvação. Façamos nossas preces: Irmãos e irmãs, enquanto proclamamos as maravilhas que Deus realizou em Maria, preservando-a do pecado, rezemos com Maria Santíssima ao Senhor, que atende aos nossos pedidos. Ó Maria Santíssima, rogai por nós; intercedei a Deus por nós. 1º Para que a Igreja Católica não se deixe enganar pela maldade do mundo, mas seja esposa de Cristo, santa e imaculada. 2º Para que os ministros ordenados, chamados por Deus, recebam dele a graça de ser sempre bons pastores. 3º Para que os cristãos reconheçam com Maria Imaculada o cumprimento da promessa de Deus. Para que as mulheres grávidas saibam agradecer e acolher com alegria o dom da vida. (Todas as nações cantam as vossas glórias, ó Maria Santíssima; por vós nos veio o sol da justiça, Nosso Senhor Jesus Cristo, nosso Deus). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
16/03/2018 – Sexta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Liturgia Diária – nº 1. NOSSO SÉTIMO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA. Nossa alma sempre se alegra e bendiz o Senhor, pois ele traz palavras de esperança e consolo a todos os aflitos e cansados. Acolhamos com entusiasmo sua palavra. Deus Pai Javé nos fala: Com quem haveis de me comparar, e a quem seria eu igual? Fala o Santo. Levantai os olhos para o alto e vede: quem criou tudo isso? Aquele que expressa em números o exército das estrelas e a cada um chama pelo nome: tal é a grandeza e força e poder de Deus, que nenhuma delas falta à chamada (Isaías 40, 25-26); então, por que dizes, Jacó, e por que falas, Israel: “Minha vida ocultou-se da vista do Senhor e meu julgamento escapa ao do meu Deus? Acaso ignoras ou não ouvistes? (Isaías 40, 27-28) O Senhor é o Deus eterno que criou os confins da terra; ele não falha nem se cansa, insondável é sua sabedoria; ele dá coragem ao desvalido e aumenta o vigor do mais fraco. Cansam-se as crianças e param, os jovens tropeçam e caem, mas os que esperam no Senhor renovam suas forças, criam asas como as águias, correm sem se cansar, caminham sem parar (Isaías 40, 29-31) – Palavra do Senhor. Rezemos o Salmo: 102 (103) Bendize, ó minha alma, ao Senhor. 1º Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e todo o meu ser, seu santo nome! Bendize, ó minha alma, ao Senhor, não te esqueças de nenhum de seus favores! 2º Pois ele te perdoa toda culpa e cura toda a tua enfermidade; da sepultura ele salva a tua vida e te cerca de caminho e compaixão. 3º O Senhor é indulgente, é favorável, é paciente, é bondoso e compassivo. Não trata como exigem nossas faltas nem nos pune em proporção às nossas culpas. (Eis que o Senhor há de vir, a fim de salvar o seu povo; felizes são todos aqueles que estão prontos para ir-lhe ao encontro). Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: Naquele tempo, tomou Jesus a palavra e disse: “Vinde a mim todos vós que estais cansados e fadigados sob o peso dos vossos fardos, e eu vos darei descanso. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração, e vós encontrareis descanso. “Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve” – Palavra do Senhor (Mateus 11, 28-30).  Façamos nossas preces: Ouvi-nos e atendei-nos, Senhor. 1º A fim de que a Igreja Católica seja exemplo de humildade, dedicação e colegialidade. 2º A fim de que as estruturas opressoras e injustas não nos deixem abatidos e resignados. 3º A fim de que o espírito renovador dos jovens dê novo ânimo à sociedade. 4º A fim de que os sofredores tenham esperança e confiança no poder de Deus. 5º A fim de que a miséria na América Latina seja motivo de preocupações de todos. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

 

- - -
15/03/2018 – Quinta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Liturgia Diária – nº 1 NOSSO SEXTO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA.

 

Alegremo-nos, pois Nosso Senhor Jesus Cristo está para chegar e fazer morada no meio de nós. Preparemos o coração para acolhê-lo: ele vem para buscar e integrar os que se desviam do bom caminho e os que foram rejeitados pela nossa sociedade. A Palavra de Deus nos traz novo ânimo diante das adversidades da vida, pois o Senhor vem de verdade e o desejo dele é que ninguém se perca, mas todos tenham vida e salvação. Deus Pai Javé nos fala: Consolai o meu povo, consolai-o! Diz o vosso Deus. Grita uma voz: “Preparai no deserto o caminho do Senhor, aplanai na solidão a estrada de nosso Deus. A glória do Senhor então se manifestará, e todos os homens verão juntamente o que a boca do Senhor falou.” Dizia uma voz: “Grita!” E respondi: “O que devo gritar?” Sobe a um alto monte, tu, que trazes a boa-nova a Sião; levanta com força a tua voz, tu, que trazes a boa-nova a Jerusalém, ergue a voz, não temas, dize às cidades de Judá: “Eis o vosso Deus, eis que o Senhor Deus vem com poder, seu braço tudo domina: eis, com ele conquista, eis à sua frente a vitória. Como um pastor, ele apascenta o rebanho, reúne, com a força dos braços, os cordeiros e carrega os ao colo; ele mesmo tange as ovelhas-mães” – Palavra do Senhor. (Isaías 40, 1-11). Rezemos o Salmo: Olhai e vede: o nosso Deus vem com poder! 1º Cantai ao Senhor Deus um canto novo, cantai ao Senhor Deus, ó terra inteira! Cantai e bendizei seu santo nome! Dia após dia anunciai sua salvação. 2º Manifestai a sua glória entre as nações e entre os povos do universo seus prodígios! Publicai entre as nações: “Reina o Senhor!”, e os povos ele julga com justiça. 3º O céu se rejubile e exulte a terra, aplauda o mar com o que vive em suas águas; os campos com seus frutos rejubilem e exultem as florestas e as matas. 4º Na presença do Senhor, pois ele vem, porque vem para julgar a terra inteira. Governará o mundo todo com justiça e os povos julgará com lealdade. (Salmo 95, Salmo 96). Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: Jesus disse a seus discípulos: “Que vos parece? Se um homem tem cem ovelhas e uma delas se perde, não deixa ele as noventa e nove nas montanhas para procurar aquela que se perdeu? Em verdade vos digo, se ele a encontrar, ficará mais feliz com ela do que com as noventa e nove que não se perderam. Do mesmo modo, o Pai que está nos céus não deseja que se perca nenhum desses pequeninos” (Mateus 18, 12-14)  Façamos nossas preces: Para que a Igreja Católica, a exemplo de Jesus, se preocupe com os pobres e abandonados. Para que o Papa, bispos, sacerdotes, diáconos, freiras, catequistas, coordenadores de movimentos dentro da Igreja Católica tenham sabedoria no serviço pastoral. Para que tenhamos forças para superar os obstáculos que não deixam o ser humano viver de forma digna. Para que saibamos conviver com as diferenças religiosas, étnicas, culturais e de cor. Para que as famílias, por meio do diálogo e da compreensão, superem os conflitos internos. O Senhor, justo juiz, dará a coroa da justiça aos que esperam com amor a sua vinda (2 Timóteo 4, 8). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

 

- - -
14/03/2018 – Quarta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Liturgia Diária – nº 1. NOSSO QUARTO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA. A comunidade unida e movida por sua fé se alegra com as maravilhas que Deus realiza em seu favor e mantém firme a esperança de dias melhores, pois sabe acolher o Deus que vem para salvar. Advento sempre é tempo de expectativa e esperança de um mundo melhor, de admirar as “coisas maravilhosas” que Deus realiza por meio de Nosso Senhor Jesus Cristo. Deus Pai Javé nos fala: Alegre-se a terra que era deserta e intransitável, exulte a solidão e floresça como um lírio. Germine e exulte de alegria e louvores; seus habitantes verão a glória do Senhor, a majestade do nosso Deus. Fortalecei as mãos enfraquecidas e firmai os joelhos debilitados. Dizei às pessoas deprimidas: “Criai ânimo, não tenhais medo! Vede, é vosso Deus, é a vingança que vem, é a recompensa de Deus; é ele que vem para vos salvar”. Então se abrirão os olhos dos cegos e se descerrarão os ouvidos dos surdos. O coxo saltará como um cervo e se desatará a língua dos mudos, assim como brotarão águas no deserto. A terra árida se transformará em lago, e a região sedenta em fontes de água. Ali haverá uma vereda e um caminho; o caminho se chamará estrada santa: por ela não passará o impuro; mas será uma estrada reta em que até os débeis não se perderão. Ali não existem leões, não andam por ela animais depredadores, nem mesmo aparecem lá, os que forem libertados poderão percorrê-la, os que o Senhor salvou voltarão para casa. “Eles virão a Sião cantando louvores, com infinita alegria brilhando em seus rostos: cheios de gozo e contentamento, não mais conhecerão a dor e o pranto” – Palavra do Senhor. (Isaías 35, 1-10) Rezemos o Salmo: Eis que vem o nosso Deus! Ele vem para salvar. 1º Quero ouvir o que o Senhor irá falar: é a paz que ele vai anunciar; a paz para o seu povo e seus amigos, para os que voltam ao Senhor seu coração. Está perto a salvação dos que o temem e a glória habitará em nossa terra. 2º A verdade e o amor se encontrarão, a justiça e a paz abraçarão; da terra brotará a felicidade, e a justiça olhará dos altos céus. 3º O Senhor nos dará tudo o que é bom, e a nossa terra nos dará suas colheitas; a justiça andará na sua frente e a salvação há de seguir os passos seus. Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: Um dia Jesus estava ensinando. E a virtude do Senhor o levava a curar. Uns homens traziam um paralitico num leito e procuravam fazê-lo entrar para apresentá-lo. Mas, não achando por onde introduzi-lo devido à multidão, subiram ao telhado e, entre as telhas, o desceram com o leito no meio da assembleia, diante de Jesus. Vendo-lhes a fé, ele disse: “Homem, teus pecados estão perdoados”. Os escribas e fariseus começaram a murmurar, dizendo: “Quem é este que assim blasfema? Quem pode perdoar os pecados senão Deus?” Conhecendo-lhes os pensamentos, Jesus respondeu, dizendo: “Por que murmurais em vossos corações? O que é mais fácil, dizer: teus pecados estão perdoados ou dizer: levanta-te e anda? Pois, para que saibais que o Filho do homem tem na terra poder de perdoar os pecados – disse ao paralítico – eu te digo: Levanta-te, pega o leito e vai para casa. Imediatamente, diante deles ele se levantou, tomou o leito e foi para casa, louvando a Deus. Todos ficaram fora de si, glorificaram a Deus e, cheios de temor, diziam: “Hoje vimos coisas maravilhosas! – Palavra da salvação. Façamos nossas preces: Venha Senhor Jesus. 1º Congregai Senhor, na unidade a vossa Igreja, povo de Deus. 2º Purificai nosso coração do egoísmo e da ganância. 3º Curai-nos de nossas enfermidades e de nossa fraqueza. 4º Revigorai as pessoas com o poder da vossa divindade. 4º Iluminai a sociedade, para que acolha as pessoas com deficiência. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
13/03/2018 – Terça Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Liturgia Diária – nº 1. NOSSO QUARTO ENCONTRO - LITURGIA DIÁRIA. Somos responsáveis pela vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo, que nos traz sua proposta de paz e salvação. Os profetas Isaías e João Batista nos convidam a preparar os caminhos por onde Nosso Senhor Jesus Cristo deve passar, pois ele vai nos ajudar a construir o novo céu e a nova terra que todos almejamos. Da alegria do nosso coração brilhará a luz de Deus. Preparemos o coração e os ouvidos, pois Deus vai nos falar. Todos nós somos responsáveis pela preparação dos caminhos da nova humanidade redimida pela graça de Nosso Senhor Jesus Cristo. Deus Pai Javé nos fala: “Consolai o meu povo, consolai-o – diz o vosso Deus. Falai ao coração de Jerusalém e dizei em alta voz que a sua servidão acabou e a expiação de suas culpas foi cumprida; ela recebeu das mãos do Senhor o dobro por todos os seus pecados.” Grita uma voz: “Preparai no deserto o caminho do Senhor, aplanai na solidão a estrada de nosso Deus. A glória do Senhor então se manifestará, e todos os homens verão o que a boca do Senhor falou. Sobe a um alto monte, tu, que trazes a boa-nova a Sião; levanta com força a tua voz, tu, que trazes a boa-nova a Jerusalém, ergue a voz, não temas; dize às cidades de Judá: Eis o vosso Deus, eis que o Senhor Deus vem com poder, seu braço tudo domina: eis, com ele, sua conquista, eis à sua frente a vitória. Como um pastor, ele apascenta o rebanho, reúne, com a força dos braços, os cordeiros e carrega-os ao colo; ele mesmo tange as ovelhas-mães”. (Isaías 40, 1-11). Rezemos o Salmo: Mostrai-nos, ó Senhor, vossa bondade e a vossa salvação nos concedei! Quero ouvir o que o Senhor irá falar: é a paz que ele vai anunciar; a paz para o seu povo e seus amigos, para os que voltam ao Senhor seu coração. Está perto a salvação dos que o temem, e a glória habitará em nossa terra. A verdade e o amor se encontrarão, a justiça e a paz se abraçarão; da terra brotará a fidelidade, e a justiça olhará dos altos céus. O Senhor nos dará tudo o que é bom, e a nossa terra nos darão suas colheitas; a justiça andará na sua frente e a salvação há de seguir os passos seus. O apostolo Pedro nos fala: “Uma coisa vós não podeis desconhecer, caríssimos: para o Senhor, um dia é como mil anos e mil anos como um dia. O Senhor não tarda a cumprir sua promessa, como pensam alguns, achando que demora. Ele está usando de paciência para conosco, pois não deseja que alguém se perca. Ao contrário, quer que todos venham a converter-se. O dia do Senhor chegará como um ladrão, e então os céus acabarão com barulho espantoso; os elementos, devorados pelas chamas, se dissolverão, e a terra será consumida com tudo o que nela se fez. Se desse modo tudo se vai desintegrar, qual não deve ser o vosso empenho numa vida santa e piedosa, enquanto esperais com anseio a vinda do dia de Deus, quando os céus em chama se vão derreter e os elementos, consumidos pelo fogo, se fundirão? Os que nós esperamos, de acordo com a sua promessa, são novos céus e uma nova terra, onde habitará a justiça. Caríssimos, vivendo nessa esperança, esforçai-vos para que ele vos encontre numa vida pura e sem mancha e em paz”  – Palavra do Senhor (2 Pedro 3, 8-14) Preparai o caminho do Senhor; endireitai suas veredas. Toda carne há de ver a salvação do nosso Deus (Lucas 3, 4-6).  Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: Está escrito no  livro do profeta Isaías: “Eis que envio meu mensageiro à tua frente, para preparar o teu caminho. Esta é a voz daquele que grita no deserto: Preparai o caminho do Senhor endireitai sua estrada!” Foi assim que João Batista apareceu no deserto, pregando um batismo de conversão para o perdão dos pecados. Toda a região da Judéia e todos os moradores de Jerusalém iam ao seu encontro. Confessavam os seus pecados e João os batizava no rio Jordão. Eu vos batizei com água, mas ele vos batizará com o Espírito Santo. (I – É necessário preparar o caminho para o Messias. II – Deus tem tempo e dá tempo para a conversão. III – João Batista é o precursor que anuncia e apresenta o Salvador). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
12/03/2018 – Segunda Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Liturgia Diária – nº 1. Nosso terceiro encontro: O Senhor se comove ante o clamor dos sofredores e cumpre suas promessas ao enviar seu próprio Filho Nosso Senhor Jesus Cristo para que, confiando nos trabalhadores do reino, realize o projeto da humanidade restabelecida. Deus Pai Javé nos fala: Assim fala o Senhor, o Santo de Israel: “Povo de Sião, que habitas em Jerusalém, não terás motivo algum para chorar: ele se comoverá à voz do teu clamor; logo que te ouvir, ele atenderá. O senhor dará a todos o pão da angústia e a água da aflição, não se apartará mais de ti o teu mestre; teus olhos poderão vê-lo e teus ouvidos poderão ouvir a palavra de aviso atrás de ti. O caminho é este para todos, segui por ele, sem desviar-vos à direita ou à esquerda. Ele te dará chuva para a semente que tiveres semeado na terra, e o fruto da terra será abundante e rico. Haverá em toda montanha alta e em toda colina elevada arroios de água corrente, num dia em que muitos serão mortos com o desabamento de seus torrões. A lua brilhará com a luz do sol, e o sol brilhará sete vezes mais, como a luz de sete dias, no dia em que o Senhor curar a ferida de seu povo e fizer sarar a lesão de sua chaga” (Isaías 31, 19-26). Rezemos o Salmo: Felizes são aqueles que esperam no Senhor! Louve o Senhor Deus, porque ele é bom, cantai ao nosso Deus, porque é suave: ele é digno de louvor, ele o merece! O Senhor reconstruiu Jerusalém e os dispersos de Israel juntou de novo. Ele conforta os corações despedaçados, ele enfaixa suas feridas e as cura; fixa o número de todas as estrelas e chama a cada uma por seu nome. É grande e onipotente o nosso Deus, seu saber não tem medida nem limites. O Senhor Deus é o amparo dos humildes, mas, dobra até o chão os que são ímpios. Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: É o Senhor nosso juiz e nosso Rei. O Senhor legislador nos salvará (Isaías 33, 22). Naquele tempo, Nosso Senhor Jesus Cristo percorria todas as cidades e povoados, ensinando nas suas sinagogas, pregando o Evangelho do Reino e curando todo tipo de doença e enfermidade. Vendo Nosso Senhor Jesus Cristo as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam cansadas e abatidas como ovelhas que não tem pastor. Então disse a seus discípulos: “A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi, pois ao dono da messe que envie trabalhadores para a sua colheita!” E, chamando os seus doze discípulos, deu-lhes poder para expulsarem os espíritos maus e para curarem todo o tipo de doença e enfermidade. Enviou-os com as seguintes recomendações: “Ide, antes, às ovelhas perdidas da casa de Israel! Em vosso caminho, anunciai: O Reino dos Céus está próximo. Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. De graça recebestes, de graça deveis dar!” (Mateus 9, 35-10, 1-8). Palavra da Salvação. Façamos nossas preces: Senhor, reuni todos os povos na vossa Igreja Católica Apostólica Romana. Ajudai-nos no serviço pastoral e na doação ao próximo. Confirmai-nos na esperança da vida Eterna. Ensinai-nos a amparar os que sofrem. Iluminai-nos no caminho da inclusão social. Eu mesmo apascentarei as minhas ovelhas e as farei repousar, diz o Senhor (Ezequiel 34, 15). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
09/03/2018 – Sexta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Liturgia Diária – nº 1. Nosso segundo encontro: Nosso Senhor Jesus Cristo veio devolver a visão a quem não a tinha e trazer vida nova a todos os que se sentem lesados ou diminuídos em sua dignidade. O Senhor é nossa luz e salvação, não há motivo para continuarmos temerosos. O Senhor descerá com esplendor, para visitar o seu povo na paz e fazê-lo viver a vida eterna. A Palavra de Deus ilumina nossa vida e nosso caminho. Abramos os ouvidos para acolhê-la e deixemos que ela nos tire de nossa cegueira e indiferença. Deus Pai Javé nos fala: Assim fala o Senhor Deus: “Naquele dia, os surdos ouvirão as Palavras do livro e os olhos dos cegos verão no meio das trevas e das sombras. Os humildes aumentarão sua alegria no Senhor, e os mais pobres dos homens se rejubilarão no Santo de Israel; fracassou o prepotente, desapareceu o trapaceiro e sucumbiram todos os malfeitores precoces, os que faziam os outros pecar por palavras, e armavam ciladas, e atacavam os justos com palavras falsas.” “Quando contemplarem as obras de minhas mãos, hão de honrar meu nome no meio do povo, honrarão o Santo de Jacó e temerão o Deus de Israel; os homens de espírito inconstante conseguirão sabedoria e os maldizentes concordarão em aprender.”  (Isaías 29, 17-24) Rezemos o Salmo: O Senhor é minha luz e salvação. O Senhor é minha luz e salvação; de quem eu terei medo? O Senhor é a proteção de minha vida; perante quem eu tremerei? Ao Senhor eu peço apenas uma coisa, e é só isto que eu desejo: habitar no santuário do Senhor por toda a minha vida; saborear a suavidade do Senhor e contemplá-lo no seu Templo. Sei que a bondade do Senhor eu hei de ver na terra dos viventes. Espera no Senhor e tem coragem, espera no Senhor! (Salmo 26) – (Salmo 27). Nosso Senhor Jesus Cristo nos fala: Eis que virá o nosso Deus com poder e majestade, e ele há de iluminar os olhos dos seus servos! Dois cegos seguiam Nosso Senhor Jesus Cristo, gritando: “Tem piedade de nós, filho de Davi!” Quando Nosso Senhor Jesus Cristo entrou na casa, os cegos se aproximaram dele. Então, Nosso Senhor Jesus Cristo perguntou-lhes: “Vós acreditais que eu posso fazer isso?” Eles responderam: “Sim, Senhor.” Então Nosso Senhor Jesus Cristo tocou nos olhos deles, dizendo: “Faça-se conforme a vossa fé.” E os olhos deles se abriram  (Mateus 29,17-24). Façamos nossas preces: Tornai-nos Senhor, mais humildes e acolhedores. Ajudai-nos a reconhecer vossa ação no mundo, principalmente em nossa vida. Livrai-nos da ganância no trato com a natureza e fazei-nos buscar sempre sua preservação. Curai-nos da cegueira, para podermos ver vossa luz que brilha a cada dia aos nossos olhos. Cumulai-nos de otimismo e alegria, para tornarmos nossa sociedade mais fraterna e feliz. Esperamos um Salvador, o Senhor Jesus Cristo; Ele transformará, segundo a sua condição gloriosa, a nossa humilde condição (Filipenses 3, 20). Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

08/03/2018 – Quinta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ Liturgia Diária – nº 1. Nosso primeiro encontro: Caríssimos, acostumados a tantas facilidades no mundo de hoje, temos dificuldade em crer que esta vida cômoda possa um dia ter fim. Nosso Senhor Jesus Cristo vem a nós para nos dizer que tudo isso passa e precisamos viver sobre valores que valham à pena e sejam duradouros. Nos Salmos 118, 151 está escrito: “Estais perto, Senhor, e todos os vossos caminhos são verdadeiros”. A segurança do justo está em Deus, e a fidelidade a Ele é garantia de vida e de paz. A escuta e as vivências de suas Palavras nos asseguram a conquista do Reino e a vitória final. Lemos também em Isaías 26, 2-4: “Abri as portas para que entre um povo justo, cumpridor da palavra, firme em seu propósito; e tu lhe conservarás a paz, porque confia em ti. Esperai no Senhor por todos os tempos, o Senhor é a rocha eterna.” Nos Salmos 117, 118 está escrito: “Bendito é aquele que vem vindo em nome do Senhor! 1º: Dai graças ao Senhor, porque ele é bom! Eterna é a sua misericórdia! É melhor buscar refúgio no Senhor do que pôr no ser humano a esperança; é melhor buscar refúgio no Senhor do que contar com os poderosos desde mundo! 2º: Abri-me vós, abri-me as portas da justiça; quero entrar para dar graças ao Senhor! Sim, esta é a porta do Senhor, por ela só os justos entrarão! Dou-vos graças ó Senhor, porque me ouvistes e vos tornastes para mim o salvador! 3º: Ó Senhor, dai-nos a vossa salvação; ó Senhor, dai-nos também prosperidade! Bendito seja, em nome do Senhor, aquele que em seus átrios vai entrando! Desta casa do Senhor vos bendizemos. Que o Senhor e nosso Deus nos ilumine. Caríssimos, em Isaias 55, 6 lemos: “Busque o Senhor, vosso Deus invoque-o, enquanto está perto!” No Evangelho de São Mateus 7, 27-31 Nosso Senhor Jesus Cristo diz: “Nem todo aquele que me diz: Senhor, Senhor entrará no Reino dos Céus, mas o que põe em prática a vontade de meu Pai que estás nos Céus. Portanto, quem ouve as minhas Palavras e as põe em prática é como um homem prudente, que construiu sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva, vieram as enchentes, os ventos deram contra a casa, mas, a casa não caiu, porque estava construída sobre a rocha. Por outro lado, quem ouve estas minhas Palavras e não as põe em prática é como um homem sem juízo, que construiu sua casa sobre a areia. Caiu a chuva, vieram as enchentes, os ventos sopraram e deram contra a casa, e a casa caiu, e sua ruína foi completa!” Façamos nossas preces: Nosso Senhor Jesus Cristo, vinde iluminar a caminhada missionária da Santa Igreja Católica Apostólica Romana. Vinde sustentar nossa luta pela superação da miséria. Vinde nos ajudar no combate à AIDS e ao preconceito. Vinde fortalecer nossa comunidade na vivência fraterna. Caríssimos, Vivamos neste mundo com justiça e piedade, esperando a feliz esperança e o advento da glória de nosso grande Deus. (Tito 2, 12). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
07/03/2018 – Quarta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ
Liturgia Diária – nº 1. Iniciemos a nossa Liturgia Diária nº 1 - Intenções do mês – Caríssimos, rezemos para que todos os povos da terra cresçam na misericórdia e na paz através do conhecimento e respeito mútuos. Para que as crianças e os jovens sejam mensageiros do Evangelho e para que suas dignidades sejam respeitadas e privadas contra toda violência e explorações. A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam conosco. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Nosso Senhor Jesus Cristo. No dia em que celebramos a vitória de Nosso Senhor Jesus Cristo sobre o pecado e a morte, também nós somos convidados a morrer para o pecado e ressurgir para uma vida nova. Reconheçamo-nos necessitados da misericórdia do Pai Celestial. Confessemos os nossos pecados. Confesso a Deus todo-poderoso e a vós irmãos e irmãs, que pequei muitas vezes por pensamentos e palavras, atos e omissões, por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos Anjos e Santos e a vós, irmãos e irmãs, que rogueis por mim a Deus, nosso Senhor. Deus todo poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Amém. O Senhor disse: “Quem dentre vós estiver sem pecado atire a primeira pedra”. Reconheçamo-nos que somos pecadores e perdoemo-nos mutuamente do fundo do nosso coração. Deus todo poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Amém. Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
06/03/2018 – Terça Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TEMA: SERÁ QUE A BÍBLIA AINDA É ÚTIL?  O que a Bíblia pode fazer por você agora? Já parou para pensar? Será que a Bíblia pode nos ajudar a sermos amigos de Deus? Alguns acreditam que é impossível sermos amigos de Deus. Eles acham que não merecem isso porque são pecadores. Outros dizem que Deus não se importa com as pessoas. O que você acha? O que a Bíblia diz – Deus tem amizade com os íntegros, ou seja, com os que fazem a vontade dele (Provérbios 3, 32). Se obedecermos a Deus, vamos poder ser amigos d’Ele.  O que mais podemos aprender da Bíblia? – Deus quer ser nosso Amigo (Tiago 4, 8). Como nosso Amigo, Deus quer nos ajudar e nos perdoar. (Salmo 86, 5) – Os amigos de Deus amam o que Ele ama e odeiam o que ele odeia. (Romanos 12, 9).  Fim desta matéria. (Em anexo a apostila desta matéria). Paz e Bem!
R. Carlos.  Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
05/03/2018 – Segunda Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TEMA: SERÁ QUE A BÍBLIA AINDA É ÚTIL?  O que a Bíblia pode fazer por você agora? 2º Ser amigo do Criador – A Bíblia também nos incentiva a sermos amigos de Deus Pai Javé nosso Criador. Ela diz: “Acheguem-se a Deus, e ele se achegará a vocês.” (Tiago 4, 8) de vez em quando pode acontecer de a gente ficar na dúvida se é mesmo possível ser amigo do Deus todo – poderoso. Mas, a Bíblia nos garante que se realmente quisermos, nós vamos achar a Deus, porque Ele não está longe de cada um de nós. (Atos dos Apóstolos 17, 27). O conselho da Bíblia para sermos amigos de Deus é muito importante para o nosso futuro. Como assim? Pense nisto: por mais que tentemos, nenhum de nós consegue escapar do nosso pior inimigo, a morte (1 Coríntios 15, 26) Mas, Deus é eterno. Ele nunca vai morrer e quer que seus amigos vivam para sempre também. Com palavras simples, mas muito bonitas, a Bíblia diz que Javé deseja: “Que vocês vivam para sempre.” (Salmo 22, 26) Como você pode ser amigo de Deus para sempre? Continue a aprender sobre Ele por meio da sua Palavra, a Bíblia (João 17, 3), (2 Timóteo 3, 16). Peça a ajuda d’Ele para entender a Bíblia. Ele nos garante que Deus nos dará sabedoria se continuarmos a pedir a ele de coração (Tiago 1, 5). E se esforce para colocar em prática o que você aprender. Assim, você vai deixar a Palavra de Deus ser uma “lâmpada para o seus pés” e uma “luz para o seu caminho”, agora e para sempre. (Salmo 119); (Salmo 105). Paz e Bem! R. Carlos.  Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
02/03/2018 – Sexta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TEMA: SERÁ QUE A BÍBLIA AINDA É ÚTIL? O que a Bíblia pode fazer por você agora? 1º Ter um objetivo de vida – Os conselhos da Bíblia para lidar com problemas realmente funcionam. Só que ela é muito melhor do que um livro de autoajuda. Ela nos incentiva a não nos concentrar em nós mesmos, mas, a enxergar além dos nossos problemas. Só assim nossa vida pode ter verdadeiro objetivo. Veja, por exemplo, este conselho da Bíblia: “Há mais felicidade em dar do que receber.” (Atos dos Apóstolos 20, 35). Você consegue lembrar quando você ajudou alguém que estava passando necessidade? Ou de quando deu atenção a um amigo enquanto ele desabafava com você? Como você se sentiu? Com certeza você ficou feliz por ter ajudado a melhorar o dia dessa pessoa. Somos muito mais felizes quando ajudamos outros sem esperar nada em troca. Um escritor disse: “É praticamente impossível alguém dar de si e não receber mais do que deu. Mas isso só acontece se a pessoa der sem pensar em receber uma recompensa.” Só que quando ajudamos outros, especialmente os que não têm condições de retribuir, somos recompensados. Quando ajudamos outros, estamos trabalhando lado a lado com Nosso Senhor Jesus Cristo, e ele como que se sente em dívida com a gente. (Provérbios 19, 17) ele dá muito valor ao que fizermos pelos humildes e promete nos recompensar com algo maravilhoso: a vida eterna. Existe uma recompensa melhor do que essa? (Salmo 37, 39); (Lucas 14, 12-14). Para termos verdadeiro objetivo de vida, a Bíblia nos diz que precisamos adorar o Deus verdadeiro, Javé. A Bíblia diz que Ele merece nossa obediência e que precisamos dar honra e glória a ele (Eclesiastes 12, 13); (Apocalipse 4, 11) quando fazemos isso, conseguimos deixar Deus feliz. Isso é maravilhoso só de pensar! Ele até nos incentiva: “Seja sábio... e alegre meu coração.” (Provérbios 27, 11). Imagine só: quando tomamos decisões levando em conta o que a Bíblia diz, nós alegramos muito o coração de nosso Criador. Ele fica feliz porque nos ama e sabe que os conselhos da sua Palavra são sempre para o nosso bem. (Isaías 48, 17-18) Realmente, não existe objetivo maior na vida do que adorar a Pessoa mais importante do Universo e alegrar seu coração. Não concorda? Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II

- - -
01/03/2018 – Quinta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TEMA: SERÁ QUE A BÍBLIA AINDA É ÚTIL? O que a Bíblia pode fazer por você agora? Perder alguém na morte – Tamires lembra: “Depois que minha filha de 18 anos morreu, a dor foi tão grande que eu não queria mais viver. As coisas nunca mais iam ser as mesmas.” Apesar disso, as palavras bíblicas do Salmo 94, 19 a consolaram muito. O escritor desse salmo disse a Deus: “Quando as ansiedades me esmagaram, tu me consolaste e me acalmaste.” Tamires diz: “Pedi a Nosso Senhor Jesus Cristo que me ajudasse a fazer coisas que me consolassem que diminuíssem minha dor.” Tamires resolveu concentrar sua vida num serviço voluntário muito gratificante. Ela ainda sentia que uma parte dela estava faltando. Mas, ela comparou sua situação a um lápis de cor. Um lápis quebrado também consegue colorir. Então, ela viu que ainda podia ajudar outros. Ela lembra: “Eu percebi que quando usava a Bíblia pra me consolar as pessoas eram como se Nosso Senhor Jesus Cristo estivesse consolando a mim.” Ela também fez uma lista de pessoas mencionadas na Bíblia que perderam alguém na morte. O que ela descobriu? Ela diz: “Todas elas oravam muito.” E acrescenta: “A Bíblia não vai nos ajudar a lidar com os problemas se ficar guardada na estante.” Por estudar a Bíblia, Tamires também aprendeu a se concentrar no futuro, não no passado. O texto bíblico de Atos dos Apóstolos 24, 15 a consola muito. “Haverá uma ressurreição tanto de justos como de injustos.” Tamires tem certeza de que Nosso Senhor Jesus Cristo vai ressuscitar sua filha. Ela diz: “Eu já posso ver minha filha lá no futuro. Sei que nosso próximo encontro já está marcado; é como se estivesse na agenda do meu Pai. Eu consigo ver nós duas sentadas conversando na varanda da nossa casa. Isso é tão real na minha mente como o dia em que ela nasceu.” Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II
- - -
28/02/2018 – Quarta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ TEMA: SERÁ QUE A BÍBLIA AINDA É ÚTIL? O que a Bíblia pode fazer por você agora? Como Deus nos ajuda hoje? – A resposta da Bíblia é clara. Ela diz: “Javé está perto de todos os que o invocam, de todos os que o invocam em verdade. Ele satisfaz o desejo dos que o temem; ouve o seu clamor por ajuda e os livra.” (Salmo 145, 18-19) Isso nos consola muito, não concorda? Mas, como Deus responde às orações das pessoas de coração sincero que pedem a ajuda d’Ele?  Por dar força: Os problemas podem deixar você desanimado e esgotado em sentido físico, emocional e espiritual. (Provérbios 24, 10) Mas, Javé “dá poder ao cansado e enche de vigor aquele que está sem forças.” (Isaías 40,29). O apóstolo Paulo, que enfrentou vários problemas, disse: “Para todas as coisas tenho forças graças àquele que me dá poder.” (Filipenses 4, 13). O Espírito Santo de Deus deu forças a Paulo. Então, ore a Deus pedindo o Espírito Santo. – (Lucas 11, 13). Por dar sabedoria: Você precisa de ajuda para entender a Bíblia e fazer o que ela diz? O discípulo Tiago escreveu: “Se falta sabedoria a algum de vocês, que ele persista em pedi-la a Deus – pois ele dá a todos generosamente, sem censurar, e ela será dada.” (Tiago 1, 5). Depois de orar, faça a sua parte por ler a Bíblia e fazer o que ela diz. (Tiago 1, 23-25). Assim, você vai ver por experiência própria que esse conselho dá certo. Por dar paz: Mesmo enfrentando um problema muito difícil, Nosso Senhor Jesus Cristo pode ajudar você a sentir calmo. A Bíblia diz: “Não fiquem ansiosos por causa de coisa alguma, mas, em tudo, por orações e súplicas, junto com agradecimentos, tornem os seus pedidos conhecidos a Deus; e a paz de Deus que está além de toda compreensão, guardará o seu coração e a sua mente por meio de Nosso Senhor Jesus Cristo.” (Filipenses 4, 6-7). Se você pedir, Deus Pai Javé vai dar paz a você. Mas, e se os problemas continuarem? Não pense que Deus se esqueceu de você. Deus pode dar a coragem e a força que você precisa para aguentar o problema. (1 Coríntios 10, 13). A Bíblia também promete que no futuro todos os nossos problemas serão resolvidos para sempre! Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
27/02/2018 – Terça Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ  TEMA: SERÁ QUE A BÍBLIA AINDA É ÚTIL? O que a Bíblia pode fazer por você agora? Doenças crônicas – Rose diz: “Eu tenho uma doença genérica que me faz ter muitas dores. Essa doença limita muito o que eu posso fazer.” Por causa das dores, Rose nem sempre conseguia se concentrar para estudar a Bíblia. Às vezes, ler era quase impossível. Isso a deixava muito frustrada. Mas, as palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo em Mateus 19, 26 foram de grande ajuda: “Para Deus todas as coisas são possíveis.” Rose descobriu que existem outras maneiras de estudar: ela começou a ouvir as gravações de áudio da Bíblia, e a Catequese da Igreja Católica. Ela diz: “Sem isso, não sei como eu teria mantido forte a minha fé.” Ás vezes Rose fica triste porque não consegue fazer tanta coisa como antes. Quando fica assim, ela lembra das palavras bíblica em 2 Coríntios 8, 12: “Se já existe a prontidão, a dádiva é especialmente aceitável segundo o que a pessoa tem, não segundo o que a pessoa não tem.” Essas palavras lembram Rose de que Deus fica feliz com o que ela faz, porque ela faz tudo o que pode dentro das suas limitações. Paz e Bem! . Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.    
- - -

26/02/2018 – Segunda Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TEMA: SERÁ QUE A BÍBLIA AINDA É ÚTIL? O que a Bíblia pode fazer por você agora? Sentir-se sozinho – Lucia conta: “Meu marido me abandonou com duas crianças pra criar.” Que texto da Bíblia a ajudou? Provérbios 17, 17, que diz: “O verdadeiro amigo ama em todos os momentos e se torna um irmão em tempos de aflição.” Lucia procurou a ajuda de outros que, assim como ela, adoram a Nosso Senhor Jesus Cristo. O Resultado? Ela conta: “Meus irmãos me ajudaram tanto! Alguns deixaram sacolas de compras na minha casa. Um deles me ajudou a arrumar um emprego. Sempre pude contar com eles.” Cláudia, também se sentiu muito sozinha depois de tantas perdas. Ela lembra: “Era como se eu estivesse assistindo um filme: Todo mundo feliz, vivendo sua vida. Mas eu não estava nesse filme.” O texto de Salmo 68, 6 foi de muita ajuda: “Deus dá ao que está sós um lar onde morar.” Ela explica: “Eu sabia que a ideia não era apenas ter um lugar onde morar. Eu entendi que Deus oferece pra nós um lar em sentido espiritual, um lugar onde a gente se sente amado e protegido, onde a gente encontra verdadeiros amigos, que amam a Nosso Senhor Jesus Cristo. Mas, eu sabia que, antes de ser amiga deles, eu precisava ser amiga de Nosso Senhor Jesus Cristo. O Salmo 37, 4 me ajudou. Ele diz: Encontre a mais plena alegria em Javé, e ele lhe concederá os desejos do seu coração.” Cláudia diz: “Vi que eu tinha que me apegar ainda mais em Nosso Senhor Jesus Cristo. Ele é o melhor amigo que podemos ter na vida. Depois eu fiz uma lista de coisas que eu poderia fazer junto com outros que adoram a Nosso Senhor Jesus Cristo; assim, eu poderia ser mais amiga deles. Aprendi a me concentrar nas qualidades deles e a deixar as suas falhas de lado.” É claro que não é porque nossos amigos se esforçam para obedecer a Deus que eles são perfeitos. Todo mundo tem seus problemas, e os Católicos não são exceção. Só que ter amigos que obedecem a Bíblia faz toda a diferença, já que ela nos incentiva a ajudar outros sempre que possível. Mas, surge a pergunta: Será que a Bíblia também pode nos ajudar com problemas que não podem ser resolvidos agora, como uma doença crônica e perder um parente na morte? Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II

- - -
23/02/2018 – Sexta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TEMA: SERÁ QUE A BÍBLIA AINDA É ÚTIL? Os conselhos da Bíblia nos ajudam a evitar muitos problemas. Ficar adiando as coisas – Uma jovem chamada Beatriz diz: “Acho que ficar adiando as coisas é genético porque meu pai também é assim. Fico deixando coisas importantes de lado só pra relaxar e assistir televisão. Esse costume é péssimo porque só aumenta o estresse e você acaba fazendo as coisas de qualquer jeito.” As palavras de 2 Timóteo 2, 15 a ajudaram muito: “Faça o máximo para se apresentar a Deus aprovado, como um trabalhador que não tem nada de que se envergonhar.” Beatriz conta: “Eu não queria que Nosso Senhor Jesus Cristo ficasse com vergonha de mim.” Por seguir esse conselho da Bíblia, ela melhorou muito. Priscila tinha o mesmo problema. Ela diz: “Se eu tinha um prazo para entregar uma atividade, eu ficava adiando até o último minuto. Isso não me fazia bem. Eu acabava chorando, perdendo o sono e ficando ansiosa.” O que a ajudou? As palavras de Provérbios 13, 16: “O homem age com conhecimento, mas, o tolo expõe sua própria tolice.” Depois de pensar nesse texto, qual foi o resultado? Ela conta: “É muito melhor agir logo e ter uma programação. Agora eu coloco todos os meus compromissos numa agenda. Assim consigo me organizar e não deixo as coisas pra última hora”. Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
22/02/2018 – Quinta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ TEMA: SERÁ QUE A BÍBLIA AINDA É ÚTIL? Os conselhos da Bíblia nos ajudam a evitar muitos problemas. Ficar se preocupando demais – Mas, se algum problema está fugindo do controle e não conseguimos ver uma saída? Vamos ver como a Palavra de Deus pode nos ajudar a resolver esse tipo de problemas. Alguns problemas começaram a controlar nossa vida sem a gente perceber. Eles podem durar anos e talvez sem saída. Será que a Bíblia pode nos ajudar a resolver problemas assim? Vejamos alguns exemplos. Maria diz: “Tinha coisas que eu me preocupava que não conseguia tirar da cabeça e sempre imaginava o pior.” Um texto da Bíblia que ajudou foi Mateus 6, 34: “Nunca fiquem ansiosos por causa do amanhã, pois o amanhã terá suas próprias ansiedades. Bastam a cada dia suas próprias dificuldades.” Esse texto ajudou Maria a parar de se preocupar com coisas que talvez acontecessem. Ela diz: “Eu já tinha muita coisa com o que me preocupar; não precisava encher a cabeça com coisas que não tinham acontecido que talvez nunca acontecessem.” Marlene também percebeu que a ansiedade estava controlando a vida dela. Ela diz: “Eu vivia chorando, e tinha noites que eu não conseguia dormir. Os sentimentos negativos estavam acabando comigo.” O texto 1 Pedro 5, 7, que diz: “Lancem sobre Deus toda a sua ansiedade porque ele cuida de vocês.” Marlene conta: “Comecei a orar a Nosso Senhor Jesus Cristo, e ele respondeu minhas orações. Senti como se um peso enorme saísse das minhas costas. Às vezes ainda tenho pensamentos negativos, mas, agora consigo lidar melhor com eles.”. Carlos. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II
- - -
21/02/2018 – Quarta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TEMA: SERÁ QUE A BÍBLIA AINDA É ÚTIL? Os conselhos da Bíblia nos ajudam a evitar muitos problemas. Imoralidade sexual – Poucos problemas causam tanto sofrimento como a imoralidade. Mas, a Bíblia pode nos ajudar a evitar este problema. Veja duas coisas que levam à imoralidade: a pornografia e paquerar sem querer nada sério. Um jovem chamado Bruno diz: “Pra mim, paquerar era coisa mais natural do mundo. Tinha vezes que eu nem estava interessado na garota. Mas, quando eu sabia que ela gostava de mim, ficava com mais vontade ainda de paquerar.” Mesmo quando Bruno não tinha a intenção de paquerar ninguém, diziam que ele estava paquerando. Aí ele começou a fazer disso um habito, mas, não se sentiu bem. Ele diz: “Foi uma péssima ideia, porque a gente começa a ficar muito egoísta.” Bruno leu em Provérbios 20, 11: Até mesmo uma criança (ou “um menino”, nota) mostra o que é pelas suas ações, se o seu comportamento é puro e correto.” Bruno viu que paquerar sem nada sério não é puro nem correto. “Também percebi que fazer isso não é nada bom para quem quer ser um bom marido. Fiquei pensando em como minha futura esposa ia se sentir se ela me visse paquerando outra mulher. Isso me fez perceber que esse hábito pode trazer muitos problemas. “Paquerar era natural pra mim, mas não era certo”. Bruno decidiu mudar. Isso também o ajudou a se proteger contra a imoralidade. Já Marcio enfrentou um perigo muito maior: ele estava viciado em pornografia. Apesar de ter uma esposa que amava muito, ele não conseguia parar de ver pornografia. O que o ajudou? Pensar nas Palavras de 1 Pedro 5, 8, que diz: “Mantenham os sentidos, sejam vigilantes! Seu adversário, o diabo, anda em volta como um leão que ruge, procurando a quem devorar”. Marcio diz: “A pornografia está em todo lugar, e é difícil arrancar essas imagens da mente. Esse texto Bíblico ajudou a lembrar que é o diabo que está por trás dessas imagens sujas; eu nunca podia me esquecer disso. A pornografia é um perigo para minha mente, meu coração e meu casamento. Mas, sei que posso vencer essa luta com a ajuda de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ele pode me ajudar a manter meus sentidos e ser vigilante.” Marcio recebeu a ajuda que precisava e se livrou desse mau hábito. Isso o ajudou a evitar problemas ainda piores. Vimos que a Bíblia é útil e que ela nos ajuda a evitar problemas sérios. Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
20/02/2018 – Terça Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TEMA: SERÁ QUE A BÍBLIA AINDA É ÚTIL? A Bíblia ajuda a evitar problemas. A Bíblia diz que seus conselhos vêm de Deus e são úteis para “ensinar, para repreender, para endireitar as coisas.” (2 Timóteo 3, 16). Será que isso é verdade? Veja como a Bíblia ajuda as pessoas a evitar alguns dos problemas mais difíceis da vida antes que eles fiquem fora de controle. Beber demais – Muitos descontam suas ansiedades na bebida. A Bíblia diz que beber com moderação não é errado.  Mas a Bíblia também diz: “Não esteja entre os que bebem muito vinho” (Provérbios 23, 20). Beber demais causa sérios problemas de saúde, estraga relacionamentos e acaba resultando na morte de milhões de pessoas todos os anos. Muitos desses problemas poderiam ser evitados se as pessoas seguissem esse conselho da Bíblia. Filipenses 4, 6-7: Não fiquem ansiosos por causa de coisa alguma, mas... Tornem os seus pedidos conhecidos a Deus. Quando a ansiedade vier, ore a Javé, conte o que você está sentindo: raiva, tristeza, desespero. Implore para você encontrar um jeito de se sentir melhor, faça tudo para esses sentimentos negativos não voltarem. Isso te ajuda a se concentrar no que você tem não no que você tinha. A paz que você passa a sentir é tão importante que você não vai querer perder por nada. Então faça a decisão de nunca mais beber. Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
19/02/2018 – Segunda Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TEMA: SERÁ QUE A BÍBLIA AINDA É ÚTIL? O que a Bíblia pode fazer por você agora? O mais sábio dos homens disse: “A sabedoria se prova justa pelos seus resultados” (Mateus 11, 9). O melhor jeito de saber se um conselho dá certo é colocá-lo em prática. Sendo assim, você talvez pense: Se a Bíblia for útil mesmo, então ela tem que melhorar a minha vida. Mas, como ela pode me ajudar com os problemas que tenho agora? Veja um exemplo. Maria, a vida dela era completa e feliz. Mas, de repente, tudo mudou. Sua filha adolescente morreu, seu casamento acabou e o que restou foram as dívidas. “Ela ficou arrasada; não sabia mais a quem recorrer e não tinha motivos para viver.” Maria sentiu na pele como as Palavras do Salmo 90, 10 são verdadeiras: “A duração da nossa vida é de setenta anos, ou oitenta, para os mais fortes. Mas, esses anos são repletos de dificuldades e tristeza. Passam depressa, e logo desaparecemos”. Maria buscou ajuda na Bíblia. E o que a Bíblia fez por ela foi incrível. Os conselhos da Bíblia realmente funcionam. A Bíblia é realmente a Palavra de Deus, 1 Tessalonicenses 2, 13. Você talvez já tenha notado que a vida é curta e cheia de problemas. Quando os problemas parecem que vão sufocar você, onde buscar consolo ajuda e conselho? Vamos ver três maneiras em que a Bíblia é útil para a sua vida. Ela pode ajudar você: 1. Evitar problemas sempre que possível. 2. Resolver dificuldades quando elas surgem. 3. Lidar com situações que você não pode mudar.  Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
16/02/2018 – Sexta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TEMA: SERÁ QUE A BÍBLIA AINDA É ÚTIL? Ajudar os outros. “Consolem os que estão deprimidos, amparem os fracos, sejam pacientes com todos” (1 Tessalonicenses 5, 14) “Cuidem dos órfãos e das viúvas nas suas dificuldades” (Tiago 1, 27). A Bíblia faz mais do que dizer o que precisamos para melhorar a nossa vida. Ela nos ensina a dar valor a esses conselhos e a colocá-los em prática. Se mais pessoas fizessem o que a Bíblia diz, não acha que isso ia resolver muitos problemas da humanidade? Na verdade, os conselhos da Bíblia são mais atualizados do que nunca! Mas, na prática, o que a Bíblia pode fazer por você agora? Paz e Bem!
R. Carlos. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
15/02/2018 – Quinta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TEMA: SERÁ QUE A BÍBLIA AINDA É ÚTIL? Ser honesto e trabalhador. “Queremos nos comportar honestamente em todas as coisas” (Hebreus 13, 18). “Quem furta não furte mais; em vez disso, trabalhe arduamente” (Efésios 4, 28).  Paz e Bem! R. Carlos. Veja no www.maikol.com.br as mensagens. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
14/02/2018 – Quarta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TEMA: SERÁ QUE A BÍBLIA AINDA É ÚTIL? Odiar a ganância e a imoralidade. “Protejam-se de todo tipo de ganância, porque mesmo quando alguém tem abundância, sua vida não vem das coisas que possui” (Lucas 12, 15). “A imoralidade sexual, todo tipo de impureza e a ganância não sejam nem mesmo mencionadas entre vocês, assim como é próprio de pessoas santas” (Efésios 5,3). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
09/02/2018 – Sexta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ TEMA: SERÁ QUE A BÍBLIA AINDA É ÚTIL? Respeitar a natureza. “Javé Deus tomou o homem e o estabeleceu no jardim do Éden, para que o cultivasse e tomasse conta dele”. (Gênesis 2, 15) Deus vai “arruinar os que arruínam a terra”. (Apocalipse 11, 18) Paz e Bem! R. Carlos.  Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
08/02/2018 – Quinta Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TEMA: SERÁ QUE A BÍBLIA AINDA É ÚTIL? Não ter preconceito. “Deus fez de um só homem todas as nações dos homens, para morarem na face de toda a terra.” (Atos dos apóstolos 17, 26). “Deus não é parcial, mas, em toda nação, ele aceita aquele que o teme e faz o que é direito.” (Atos dos Apóstolos 10, 34-35) Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
07/02/2018 – Quarta Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TEMA: SERÁ QUE A BÍBLIA AINDA É ÚTIL. Ser misericordioso e saber perdoar. “Felizes os misericordiosos, porque serão tratados com misericórdia” (Mateus 5, 7) “Continuem a suportar uns aos outros e a perdoar uns aos outros liberalmente, mesmo que alguém tenha razão para queixa contra outro. Assim como Javé os perdoou liberalmente, vocês devem fazer o mesmo” (Colossenses 3, 13). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
06/02/2018 – Terça Feira

MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TEMA: SERÁ QUE A BÍBLIA AINDA É ÚTIL? Amar a Paz. “Felizes os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus” (Mateus 5, 9). “Se possível, no que depender de vocês, sejam pacíficos com todos” (Romanos 12, 18).  Paz e Bem! R. Carlos. 
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -

05/02/2018 – Segunda Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TEMA: SERÁ QUE A BÍBLIA AINDA É ÚTIL? Conselhos que precisamos. Mas, você talvez se pergunte: “Será que os conselhos da Bíblia valem no nosso mundo moderno?” Para responder, pense no seguinte: Quais os piores problemas da humanidade? Quais são os mais assustadores? Talvez você pense em guerra, poluição, crime ou corrupção. Agora, veja algumas coisas que a Bíblia ensina. Pergunte-se: “Se as pessoas fizerem o que a Bíblia nos ensina, o mundo seria melhor?” Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
2 de fevereiro de 2018
Há duas maneiras de espalhar a luz: ser a vela que a emite ou o espelho que a reflete” (Edith Wharton, escritora norte americana, 1862-1937).
Na ausência de luz, podemos caminhar juntos de mãos dadas. A luz auxilia nossa visão. Nossa grande fonte de luz aqui no planeta Terra é o Sol. Dele emanam muitas fontes de energia; a luminosa, o calor, as magnéticas etc. Ele é vital para nossa sobrevivência. Ao mesmo tempo ele é discreto, ou seja, pelo movimento de rotação, ele vai surgindo aos poucos pela manhã até chegar sua plenitude ao meio dia, e depois vai definhado até desaparecer no horizonte. Ele continua lá em sua plenitude; nós é que nos escondemos durante a noite. Para compensar sua ausência nos momentos de escuridão, utilizamos o fogo, ou outras fontes de luz e calor. O salmista compara a experiência da luz com a ação de Deus em nossa vida dizendo: “Tua palavra é uma lâmpada para meus passos e uma luz para meus caminhos” (Salmo 119, 105). Este versículo nos mostra outra fonte de luz e energia, a Palavra de Deus, que ilumina as trevas de nossa alma e nos dá segurança em nossa caminhada pelas incertezas da vida. Esta fonte inesgotável é muito mais importante que o sol, pois é eterna. Nossa convivência fraterna pede que sejamos luz para os que se encontram na escuridão. Dividir um pouco de nossa energia para que possamos caminhar juntos. Bom trabalho! (Reflexão feita por Jose Irineu Neneve). Bom Dia! 22 anos)
- - -
1 de fevereiro de 2018
A inveja vê sempre tudo com lentes de aumento que transformam pequenas coisas em grandiosas, anões em gigantes, indícios em certezas” (Miguel de Cervantes Saavedra, poeta espanhol, 1547 – 1616).
A inveja nasce da comparação com o que é do outro. É um dos sete pecados capitais. Capitais por estarem na origem de outros vícios. Os outros pecados capitais são: gula, avareza, luxúria, ira, preguiça e soberba. Esta classificação está nos primórdios do Cristianismo. Segundo Cervantes, a inveja amplia ou amplifica o que vemos do outro, causando um desconforto quando comparamos com o que é nosso. Segundo Rubens Alves, é aquele olhar com o cantinho de olho para o que outro tem; também chamado de olho gordo. Ao se sentir inferiorizado por não ter aquilo que supõe que o outro tenha e é causa de sua alegria, fica triste e deixa de perceber seus valores, em todas as dimensões. Daí nasce uma série de atitudes que vão destruindo sua capacidade de realização, por estar preso no que é do outro. Como é imperceptível à primeira vista, só se dá conta de sua atuação quando ela já avançou. Quem é sempre agradecido por tudo o que tem, dificilmente será atingido pelo “vírus” da inveja, pois sabe que tudo é dom de Deus, e daqui nada levamos. Bom trabalho! (Reflexão feita por Jose Irineu Neneve). Bom Dia!
(22 anos)
- - -
31/01/2018 – Quarta Feira

MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ
ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. QUAIS SÃO OS MANDAMENTOS DA IGREJA CATÓLICA?
Os cinco preceitos da Igreja Católica têm como fim garantir aos fieis o mínimo indispensável do espírito de oração, da vida sacramental, do esforço moral e do crescimento do amor a Deus e ao próximo. São eles: 1) Participar da Missa aos domingos e outros dias de festas de guarda, ficando livre de trabalhos e de atividades que possam impedir a santificação desses dias; 2) confessar os próprios pecados, recebendo o sacramento da Reconciliação, pelo menos uma vez por ano; 3) Receber o sacramento da Eucaristia, pelo menos na Páscoa; 4) Abster-se de comer carne e observar os jejuns nos dias estabelecidos pela Igreja Católica; 5) Atender às necessidades materiais da Igreja Católica, cada qual segundo as próprias possibilidades. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
30/01/2018 – Terça Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ
ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA.
O QUE DIFERENCIA A BÍBLIA DOS CATÓLICOS DA BÍBLIA DE OUTRAS RELIGIÕES?
As Sagradas Escrituras contêm a Palavra de Deus e, por serem inspiradas, são verdadeiramente Palavra de Deus. A Igreja Católica venera como inspirados os 46 livros do Antigo Testamento (45, se consideramos Jeremias e Lamentações juntos) e os 27 livros do Novo Testamento. A Bíblia Católica contém todos os livros que formam o conjunto das Sagradas Escrituras. Esta lista completa é denominada “Cânon” das Escrituras. Nas versões protestantes, faltam os livros de Tobias, Judite, Sabedoria, Eclesiástico, Baruc, 1 e 2 de Macabeus e partes dos livros de Ester e de Daniel. “A interpretação da Escritura está sujeita, em última instância, ao juízo da Igreja Católica, que exerce o divino mandato de guardar e interpretar a Palavra de Deus”Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

29/01/2018 – Segunda Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. POR QUE OS CATÓLICOS HONRAM A EUCARISTIA E PRESTAM-LHE O CULTO MÁXIMO DE ADORAÇÃO? Quem recebe a comunhão eucarística deve estar em estado de graça, pois, a Eucaristia contém o próprio Nosso Senhor Jesus Cristo, que nela se oferece e é recebido mediante os sinais do pão e do vinho consagrados. Pela Eucaristia, a Igreja Católica vive e cresce continuamente. A Eucaristia é o memorial da morte e da ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo, confiado à Igreja Católica, pelo qual se perpetua, pelos séculos, o sacrifício da cruz. Os fiéis têm em máxima honra a Eucaristia e, por isso, buscam participar ativamente da celebração eucarística, recebê-la muitas vezes, com a máxima devoção e prestar-lhe culto de suprema adoração. A Eucaristia é a presença real de Nosso Senhor Jesus Cristo. A Eucaristia significa e realiza a unidade do povo de Deus; é o ápice e a fonte de todo o culto e da vida cristã. Uma vez que Nosso Senhor Jesus Cristo mesmo está presente no sacramento do altar, também depois da celebração da Missa, é preciso honrá-lo com um culto de adoração. “A visita ao Santíssimo Sacramento é uma prova de gratidão, um sinal de amor e um dever de adoração para com Nosso Senhor Jesus Cristo”. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

26/01/2018 – Sexta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ

ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. SANTIFICAÇÃO DO SÁBADO OU DO DOMINGO? A Bíblia ordena: “Lembra-te de santificar o dia de sábado” (Êxodo 20, 8). Por que, então, os católicos guardam o domingo? A palavra sábado vem do hebraico shabat, que significa “descanso”. É dia de descanso em honra de Deus. Para os cristãos, o dia sabático consagrado a Deus é o domingo. Em (Marcos 2, 27-28), Nosso Senhor Jesus Cristo afirma: “O sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado. Deste modo, o Filho do Homem é Senhor também do sábado”. Fatos relevantes da vida de Nosso Senhor Jesus Cristo e da Igreja primitiva aconteceram no domingo, como, por exemplo, a Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo e Pentecostes. A Igreja primitiva reunia-se no primeiro dia da semana (Atos dos Apóstolos 20, 7); (1Coríntios 16, 2), em (Apocalipse 1, 10) já se usa a nova denominação cristã, domingo, “dia do Senhor”, o dia de sua Ressurreição e da vinda do Espírito Santo à Igreja (Marcos 16, 9) e (Atos dos Apóstolos 2, 1). Por esta razão, a Igreja Católica observa o domingo como dia de descanso e como dia consagrado a Nosso Senhor Jesus Cristo. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
25/01/2018 – Quinta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. O QUE VEM A SER O ECUMENISMO? É a aproximação, a cooperação entre os cristãos, a busca fraterna da superação das divisões entre as diferentes Igrejas cristãs: os católicos, os ortodoxos, os protestantes em geral, os evangélicos. O Concílio Vaticano II assim fala do Movimento Ecumênico: “Dele participam os que invocam o Deus Trino e confessam a Nosso Senhor Jesus Cristo como Salvador e Senhor, não só individualmente, mas também reunidos em assembleias, onde ouviram o Evangelho e que declaram cada um, ser sua Igreja a de Deus. Quase todos, porém, embora diversamente, desejam uma Igreja de Deus una e visível, que seja verdadeiramente universal e enviada ao mundo inteiro, a fim de que o mundo se converta ao Evangelho e assim seja salvo para a glória de Deus”. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II

- - -
24/01/2018 – Quarta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA EM QUE A IGREJA CATÓLICA DIFERE DAS DEMAIS IGREJAS CRISTÃS? Apesar da divisão entre os cristãos, ao longo da história, a verdadeira Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo nunca desapareceu, nem foi perdida. Ela possui todos os elementos de eclesialidade que encontramos no Novo Testamento: a mesma fé, os sete sacramentos, a sucessão no colégio apostólico por meio dos bispos, a sucessão do ministério petrino exercido pelo Papa, o ministério da Palavra não só como anúncio, mas também como Magistério autêntico, isto é, como ensino normativo, em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo. Em nenhum outro lugar se encontra como na Igreja Católica, a plenitude dos meios salvíficos queridos e estabelecidos por Nosso Senhor Jesus Cristo. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.    
- - -

22/01/2018 – Segunda Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. QUAL É A DOUTRINA DA IGREJA CATÓLICA SOBRE PURGATÓRIO? O purgatório é a purificação final dos eleitos que morreram na graça e na amizade de Deus, mas, que não alcançaram ainda a santidade necessária para usufruir da alegria celestial. A purificação final nada tem a ver com o castigo dos condenados. Dois textos Bíblicos são fundamentais na compreensão deste tema: (Mateus 12, 31 e 2Macabeus 12, 46). No texto de Mateus 12, 31, diz-se que o “pecado contra o Espírito Santo não será perdoado nem no presente século e nem no futuro”. Esta afirmação nos leva a deduzir que alguns pecados poderão ser perdoados no século futuro. Já em 2Macabeus 12, 46, Judas Macabeu mandou oferecer um sacrifício expiatório pelos que haviam morrido, a fim que obtivessem o perdão dos pecados. A partir destas citações e de sua Tradição, a Igreja Católica sempre orou pelos defuntos, particularmente na celebração Eucarística, para que purificados, possam chegar à visão beatifica de Deus. Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
21/01/2018 – Domingo
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. QUEM FUNDOU A IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA? A Igreja de Deus foi prefigurada desde a criação do mundo. O Antigo Testamento se refere às alianças de Deus com o justo Abel, com Noé e com Abraão. Dessas alianças, voltadas para a adoração do Criador e para busca da salvação, nasceu a verdadeira comunhão de Deus com os seres humanos. A Igreja Católica foi preparada na história do antigo Israel e na antiga aliança. Segundo São Paulo, ela é herdeira das promessas que Deus fez a Abraão (Gálatas 3, 15-19), pois, a descendência de Abraão não foi segundo a carne, mas segundo a fé. Do Antigo Israel, a Igreja Católica recebeu as Escrituras do Antigo Testamento. O Novo Testamento originou-se, de certo modo, de uma leitura cristológica do Antigo Testamento, pois, é a realização das promessas nele contidas. A Igreja Católica foi fundada por Nosso Senhor Jesus Cristo, através da pregação do Evangelho, o envio dos discípulos em missão, sua paixão, morte e ressurreição e através do envio do Espírito Santo santificador sobre os apóstolos. O Concílio Vaticano II, na sua Constituição Lumen Gentium, sobre a Igreja Católica, fala de atos fundantes da Igreja, realizados pelo Nosso Senhor Jesus Cristo. Atos fundantes da Igreja foram, por exemplo, a convocação dos Doze: A instituição da Eucaristia, a Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo e a vinda do Espírito Santo. A Igreja Católica é a comunidade em que o Ressuscitado está presente: “Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos” (Mateus 28, 20). É Nosso Senhor Jesus Cristo que convoca os seus: “Ide, portanto, e fazei discípulos entre todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo” (Mateus 28, 19). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

19/01/2018 – Sexta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. O CATÓLICO PODE ACEITAR A REENCARNAÇÃO? A reencarnação é a teoria segundo a qual a alma, deixando o corpo após a morte, passaria para outro corpo. A Bíblia ensina que cada pessoa tem uma só existência sobre a terra e que, após essa vida, comparece diante de Deus para ser julgada. Diz a Carta aos Hebreus: “Está determinado que os homens morram uma só vez, e depois vem o julgamento” (Hebreus 9, 27). De fato, Nosso Senhor Jesus Cristo e os Apóstolos não pregaram a reencarnação e sim a ressurreição dos mortos: “Vem a hora em que todos os que estão nos túmulos ouvirão sua voz, e sairão. Aqueles que fizeram o bem ressuscitarão para a vida; e aqueles que praticaram o mal, para a condenação” (João 5, 28-29; João 6, 54; Marcos 3, 29; Marcos 9, 43-48). Da mesma forma, os Apóstolos ensinaram que a ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo é garantia da nossa ressurreição. (1Coríntios 15, 12-19). A Igreja Católica nos convida a vigiar “constantemente, a fim de que, terminando o único curso de nossa vida terrestre, possamos entrar com Nosso Senhor Jesus Cristo para as bodas e mereçamos ser contados entre os benditos!”. Portanto, a reencarnação é incompatível com a fé Católica. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
18/01/2018 – Quinta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. QUEM É O PAPA PARA NÓS CATÓLICOS? O Papa é o sucessor do Apóstolo Pedro, o bispo de Roma que Nosso Senhor Jesus Cristo constituiu como “perpétuo e visível fundamento da unidade”. Como sucessor de Pedro, o Papa conduz a Igreja Católica, a Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus vivo (Mateus 16, 16). Sua autoridade é expressão de amor, a serviço da unidade. Na expressão de Gregório Magno, ele é o “servo dos servos de Deus”. O Papa é o pastor da Igreja Católica. Nosso Senhor Jesus Cristo confiou a Pedro todo o rebanho (João 21, 15-17). Na cidade de Roma, Pedro desempenhou o seu ministério e foi martirizado. Assim, o Papa, com os bispos unidos a ele, conserva o testemunho do martírio de Pedro e também e também de Paulo, sendo o sinal visível da unidade da Igreja Católica. Sua presença expressa e significativa a continuidade da Palavra de Nosso Senhor Jesus Cristo e da Doutrina dos Apóstolos na Igreja Católica, a segurança da fé, da esperança e da caridade. O Papa tem a missão de confirmar toda a Igreja Católica na fé, continuando a mesma tarefa que Nosso Senhor Jesus Cristo confiou a Pedro: “Eu, porém, orei por ti para que tua fé não desfaleça. E tu, uma vez convertido, confirma os teus irmãos” (Lucas 22, 32). O Papa, com os bispos unidos a ele, tem a missão de conservar a Igreja Católica fiel ao Evangelho e ao testemunho dos apóstolos. Todo católico, além de conhecer e viver a Palavra de Deus, e dar testemunho de sua fé em Nosso Senhor Jesus Cristo, de participar da comunidade eclesial, espaço de testemunho, de serviço, de diálogo e de anúncio, ama e respeita o Papa e os bispos como seus legítimos pastores. Ora por ele, e obedece às orientações da Igreja Católica. Paz e Bem! R. Carlos.  Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
17/01/2018 – Quarta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. PARA A IGREJA CATÓLICA, O CASAMENTO É SACRAMENTO INDISSOLÚVEL. COMO ENDENDER ISSO? “Radicada na doação pessoal e total dos cônjugues e exigência pelo bem dos filhos, a indissolubilidade do Matrimônio encontra a sua verdade última no desígnio que Deus manifestou na Revelação: Ele quer e concede a indissolubilidade matrimonial como fruto, sinal e exigência do amor absolutamente fiel, que Deus Pai manifesta pelo homem e que Nosso Senhor Jesus Cristo vive para com a Igreja Católica” (Familiaris Consortio, Exortação Apostólica de João Paulo II, sobre a função da família cristã no mundo de hoje, 1981). Em alguns textos, o Novo Testamento trata da indissolubilidade do Matrimônio (Marcos 10, 11; Lucas 16, 18; 1Coríntios 7, 10s; Mateus 5, 13s; Mateus 19, 6). Trata-se de uma indissolubilidade objetiva, derivada do próprio projeto salvífico de Deus e de sua origem de valores, independente de subjetividade dos contraentes; quem contrai o Matrimônio cristão deve sabê-lo de antemão. Nosso Senhor Jesus Cristo assim o diz: “O que Deus uniu o homem não o separe” (Mateus 19, 6). Deste modo, por sua índole mesma, o matrimônio é indissolúvel. A Tradição cristã, desde os princípios séculos, apresenta diversas vozes importantes (Tertuliano, Clemente de Alexandria, Orígenes, Ambrósio e Agostinho) como exemplos favoráveis à indissolubilidade do matrimônio religioso, validamente contraído. No decorrer dos séculos, a doutrina da indissolubilidade foi sempre reafirmada pelos Concílios e pelas declarações pontifícias. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
16/01/2018 – Terça Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. SE A BÍBLIA DIZ: “QUEM PODE PERDOAR OS PECADOS SENÃO SÓ DEUS?” (Marcos 2, 7). POR QUE CONFESSAR-SE COM O PADRE? Nosso Senhor Jesus Cristo confiou o ministério da remissão dos pecados aos seus discípulos. Antes da Paixão, prometeu a Pedro (Mateus 16, 19) e aos outros apóstolos (Mateus 18, 18) o poder de ligar e desligar na terra e no Céu. Depois da ressurreição, confiou aos onze a faculdade de perdoar ou de reter os pecados (João 20, 21-23). Com o poder das chaves, entregou aos seus ministros a incumbência de ouvir a confissão sacramental dos pecados, habilitando-os, ao mesmo tempo, a absolver ou repreender em seu nome. A confissão aos sacerdotes é atestada por documentos da Igreja Católica já na antiga literatura cristã. Além disso, deve-se considerar que o pecado não é somente um ato que atinge a Deus e ao mesmo pecador; tem profundas consequências para as outras pessoas, para a comunidade dos irmãos. Compreende-se, então, que a remissão concedida por Deus passe pelos ministérios da Igreja Católica, enquanto representante da comunidade eclesial e do próprio Deus. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
15/01/2018 – Segunda Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. POR QUE A IGREJA CATÓLICA BATIZA CRIANÇAS? A Bíblia não se refere explicitamente ao Batismo de crianças, mas, narra que vários personagens pagãos professaram a fé cristã e se fizeram batizar “com toda a sua casa”: Cornélio, o centurião romano (Atos dos Apóstolos 10, 1s. 24, 44.47s); a negociante Lidia, de Filipos (Atos dos Apóstolos 16, 14s); o carcereiro de Filipos (Atos dos Apóstolos 16, 31-33); Crispo, de Corinto (Atos dos Apóstolos 18, 8); a família de Estéfanas (1Coríntios 1, 16). A expressão “casa” designava o chefe de família com toda a sua família, inclusive as crianças que, certamente, não faltavam naqueles tempos. Portanto, indiretamente, a Escritura sugere o Batismo de crianças. Desde os primeiros séculos, existiram testemunhos diretos a respeito do Batismo de crianças. Santo Agostinho, no século IV, considerou isso inclusive como tradição recebida dos Apóstolos. Recorrendo à Sagrada Escritura e à Tradição, os Papas e Concílios intervieram, muitas vezes, para recordar aos cristãos o dever de batizar os filhos pequeninos. Os pais, quando pedem o Batismo de seus filhos, desejam para eles a vida verdadeira e feliz, mas, não podem garantir este dom durante todo o tempo futuro e desconhecido. Por isso, querem inserir seus filhos na vida divina. E, o fazem por meio do Batismo. Dessa forma, tornam-se os primeiros responsáveis pela educação de seus filhos e afilhados na fé. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
12/01/2018 – Sexta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. OS CATÓLICOS ADORAM IMAGENS? Nosso Senhor Jesus Cristo assumiu um verdadeiro corpo humano, por meio do qual Deus invisível se tornou visível. Por essa razão, Nosso Senhor Jesus Cristo pode ser representado e venerado nas santas imagens. N’Ele vemos o rosto humano de Deus e o rosto divino do ser humano. O que Deus no Antigo Testamento proíbe, é fazer imagens para serem adoradas como deuses, em substituição ao Deus único (Êxodo 20, 4). Mas não proíbe fazer outras imagens ((Êxodo 25, 18-20; Números 21, 8-9; Romanos 6, 23-35 e 7, 29). A Bíblia Sagrada mesma diz que Deus fez o homem e a mulher “à sua imagem e semelhança” (Gênesis 1, 26-27). A imagem faz parte da linguagem humana, é representação de alguma pessoa, coisa, ideia. Assim, o desenho de uma flor, as fotos de uma pessoa e a pintura de uma paisagem são imagens. A imagem de Nosso Senhor Jesus Cristo é o ícone por excelência. As outras imagens que representam Nossa Senhora e os santos significam Nosso Senhor Jesus Cristo, que nelas é glorificado. Proclamam a mesma mensagem evangélica que a Sagrada Escritura transmite mediante a palavra e ajudam a despertar e a nutrir a fé dos cristãos. A tradição cristã reconheceu reiteradamente o valor pedagógico e psicológico das imagens, como suportes para a catequese, para a oração e para a evangelização. Numa época em que a comunicação se baseia, sobretudo, em imagens, o uso das imagens cristãs pode ser uma grande contribuição para a evangelização. É claro, porém, que o católico não adora a imagem. O católico adora somente a Deus. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

11/01/2018 – Quinta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. COMO ENTENDER A DOUTRINA DAS INDULGÊNCIAS? A doutrina e a prática das indulgências na Igreja Católica estão estreitamente ligadas aos efeitos do sacramento da Penitência (Catecismo da Igreja Católica nº 1471). “Indulgência é a remissão, diante de Deus, da pena temporal devida aos pecados já perdoados quanto à culpa, que o fiel cristão, devidamente disposto e em certas e determinadas circunstâncias, alcança por meio da Igreja Católica, a qual, como dispensadora da redenção, distribui e aplica, com autoridade, o tesouro das satisfações de Nosso Senhor Jesus Cristo e dos santos. A indulgência é parcial ou plenária, conforme libera total ou parcialmente da pena devida pelos pecados”. “Qualquer fiel cristão pode alcançar indulgências parciais ou plenárias para si mesmo ou aplicá-las aos defuntos, como sufrágio” (Código de Direito Canônico nº 994). As indulgências existem porque o pecado grave nos priva da comunhão com Deus e, consequentemente, nos torna incapazes da vida eterna. Esta privação se chama pena eterna do pecado. Por outro lado, todo pecado, mesmo venial, acarreta um apego prejudicial e exige purificação, quer nesta vida, quer depois da morte, no estado chamado purgatório. Esta purificação liberta o fiel cristão da chamada pena temporal do pecado que permanece mesmo após a confissão sacramental e a obtenção do pecado. Obras de misericórdia, caridade, orações e práticas de penitência podem produzir a graça da indulgência parcial ou total. Ao conferir as indulgências, a Igreja Católica, que recebeu de Nosso Senhor Jesus Cristo o poder de ligar e desligar, intervém em favor dos cristãos, abrindo-lhes os tesouros dos méritos de Nosso Senhor Jesus Cristo e dos santos, para obter do Pai Celestial a remissão das penas temporais devidas aos pecados. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
10/01/2018 – Quarta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. OS SANTOS INTERCEDEM POR NÓS JUNTO A DEUS? Todos nós que vivemos na graça de Deus estamos em comunhão com Deus. Somos ramos vivos da videira (João 15, 5), membros vivos do Corpo de Nosso Senhor Jesus Cristo. Por isso, estamos unidos também entre nós, numa ligação invisível, mas real (Romanos 12, 4-5). É uma comunhão no amor. Podemos rezar por alguém, ou pedir que alguém reze e interceda por nós, porque estamos ligados a Nosso Senhor Jesus Cristo e, n’Ele, aos irmãos. Da mesma forma, podemos pedir a um santo canonizado que interceda por nós junto a Nosso Senhor Jesus Cristo. Gozando da intimidade com Deus, certamente ele intercederá por nossas intenções, para que o Reino de Deus se realize (Marcos 6, 33). Por outro lado, a intercessão dos justos, sobretudo dos que alcançaram a plenitude (Gênesis 18, 22-32), pode obter as graças espirituais e materiais para aqueles que necessitam conseguir a plenitude da Redenção (Romanos 8, 29). Trata-se de uma comunhão em que, os santos, em virtude de sua caridade, não podem deixar de orar por quem não está ainda na Pátria Celeste, mas a caminho. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

09/01/2018 – Segunda Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. O QUE É CULTO (VENERAÇÃO) DOS SANTOS? Nosso Senhor Jesus Cristo é a cabeça do Corpo, que é a Igreja Católica, cujos membros são todos os cristãos. Existe entre a Cabeça (Nosso Senhor Jesus Cristo) e o Corpo (cristãos), uma comunhão de vida, assim como os cristãos entre si. Os santos são membros do Corpo Místico de Nosso Senhor Jesus Cristo, nos quais a Redenção alcançou a plenitude dos seus frutos. Terminadas as peregrinações terrestres, plenamente compenetrados pelo amor de Nosso Senhor Jesus Cristo e configurados com Ele, os santos gozam atualmente da visão de Deus face a face. Conscientes desta verdade, os cristãos, desde os princípios séculos, entendendo que esta nova situação não cancela a comunhão e a solidariedade, começaram a venerar santos como modelos e como intercessores em favor daqueles que ainda peregrinam pelas estradas deste mundo. Na perfeição dos santos, em primeiro lugar, os católicos adoram, louvam e bendizem a obra do Criador e Redentor, a expressão perfeita de sua sabedoria e vitória. O culto aos santos desperta, nos que estão em estado de peregrinação, o desejo de chegarem à Jerusalém celeste, onde já se encontram os bem-aventurados. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
08/01/2018 – Segunda Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. O QUE É CANONIZAÇÃO DOS SANTOS? Canonização é o reconhecimento definitivo pelo qual a Igreja Católica declara que alguém, que viveu exemplarmente a fé, participa da glória celeste, prescrevendo que lhe seja prestada a veneração pública. Uma pessoa não é santa porque a Igreja Católica a canoniza, mas, a Igreja Católica a canoniza porque ela é santa. A Igreja Católica, pelo Magistério solene e universal do Papa, reconhece a santidade dos seus membros e filhos. Desde os princípios tempos, a Igreja Católica cultuava os mártires e os confessores da fé. O heroísmo da fé, o ardor da caridade e das outras virtudes dos discípulos de Nosso Senhor Jesus Cristo e amigos de Deus, reconhecidos pelas pessoas que conviviam com eles, ocasionavam a proclamação espontânea da santidade destes cristãos. Eram bispos, monges, missionários, fundadores de conventos e mosteiros, pais e mães de família, jovens. Até o século VI, bastava o reconhecimento da comunidade cristã para que se desse início ao culto. Com o tempo, a Igreja Católica exigiu um procedimento mais detalhado e a canonização passou a ser feita pelo Papa. Com a canonização de alguém, a Igreja Católica nos propõe exemplos de vida e nos mostra que todos nós somos chamados a corresponder plenamente ao chamado de Deus a sermos santos, como ele é Santo (Mateus 5, 48). Os santos são discípulos exemplares de Nosso Senhor Jesus Cristo e ajudam seus irmãos a conhecerem os caminhos do Evangelho e da imitação de Nosso Senhor Jesus Cristo. Participamos da Igreja Católica que apesar das muitas falhas de seus filhos, é santa e tem em seu seio verdadeiros heróis da fé e do amor, pessoas como nós, que estão na glória de Deus e que intercede por nós. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
06/01/2018 – Sábado
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. O QUE SIGNIFICA SER SANTO? No Evangelho de São Mateus, encontramos estas palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo: “Sede perfeitos, assim como vosso Pai celestial é perfeito” (Mateus 5 ,48). Deus é o único santo (Levítico 19, 2). Também o apóstolo Pedro nos exorta: “Como é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos, também vós, em todo vosso proceder” (1Pedro 1, 15). Pelo Batismo, recebemos a graça de Deus e a Santíssima Trindade vem habitar em nós. Somos templos do Espírito Santo e devemos conservar sempre Deus em nós, abrindo-nos sempre mais a Ele, deixando que sua graça nos transforme (2Coríntios 6, 16). Assim, vamos todos nos assemelhando cada vez mais ao Deus Santo. Isto é certamente fruto de nosso esforço, mas é, sobretudo, dom da graça do Espírito Santo. Deus é amor. Ser santo é, portanto, viver o amor puro a Deus e aos irmãos. Jesus mesmo falou que os “benditos de seu Pai” são aqueles que, por causa d’Ele, fazem o bem a todos os necessitados (Mateus 25, 34-40). O martírio constitui o cume da santidade, porque faz do cristão um seguidor de Nosso Senhor Jesus Cristo, até o ponto de entregar a vida e deixar derramar o sangue como testemunho por Ele. Santos são, enfim, todos aqueles que vivem o Evangelho e se encontram na casa do Pai Celestial. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
05/01/2018 – Sexta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. POR QUE CHAMAMOS A MÃE DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO DE NOSSA SENHORA? NÃO EXISTE APENAS UM SENHOR? A palavra Senhor, na linguagem cotidiana, é usada como um tratamento respeitoso, dado a algumas pessoas, como aos pais, professores, autoridades. Na Idade Média, São Bernardo, vendo como cada “senhor” apresentava sua “senhora”, recordou que Nosso Senhor Jesus Cristo nos deu uma “senhora” para amparar a todos. Desde então, Maria Santíssima é chamada de “Nossa Senhora”. Trata-se de um título da devoção popular. A Mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo, com toda certeza, merece esse respeito e, por isso, a designamos comumente como Senhora, sem qualquer  conotação do sentido especialmente bíblico do termo Senhor. Na Sagrada Escritura, este termo tem um sentido muito maior. Senhor é o nome próprio para designar o Deus de Israel, desde que se revelou a Moisés como Iavê, “aquele que é”, traduzindo na versão grega dos livros do Antigo Testamento por Kyrios, “Senhor”. No Novo Testamento, Nosso Senhor Jesus Cristo é chamado Senhor por aqueles que d’Ele se aproximam com respeito e confiança em seu poder de ajuda e de cura. Nos encontros com Nosso Senhor Jesus Cristo Ressuscitado, o termo Senhor aparece como expressão de adoração: “Meu Senhor e meu Deus” (João 20, 28). Por ser “de condição divina” (Filipenses 2, 6), Nosso Senhor Jesus Cristo é o Senhor, digno do mesmo poder, hora e glória devido ao Pai Celestial. Ele é o Senhor da vida e da história. A Ele a Igreja Católica invoca: “Amém, vem Senhor Jesus!” (Apocalipse 22, 20). O nome Senhor indica, portanto, a sabedoria divina. Quem confessa ou invoca Nosso Senhor Jesus Cristo como Senhor demonstra que crê em Sua divindade. “Ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor a não ser no Espírito Santo” (1 Coríntios 12, 3). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II. 
- - -

04/01/2018 – Quinta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. POR QUE DIZEMOS QUE MARIA SANTISSIMA É A MÃE DA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA? Maria Santíssima foi escolhida de modo especialíssimo por Deus para cooperar em Seu plano de salvação do gênero humano. Foi chamada a ser a Mãe do Redentor Nosso Senhor Jesus Cristo e respondeu a este apelo com seu “sim” (Lucas 1, 38). O Evangelho nos mostra como Ela está presente junto a seu filho Nosso Senhor Jesus Cristo, indicando-lhe a ocasião para que Ele realizasse seu primeiro milagre, nas bodas de Caná. Por esse milagre, seus discípulos chegaram à fé em Nosso Senhor Jesus Cristo (João 2, 11). Foi junto à cruz, porém, que Maria Santíssima recebeu a missão de ser a mãe dos discípulos de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ao tornar-se mãe do discípulo amado (João 19, 26). Ela se torna, por extensão, mãe de todo aquele que se faz discípulo de Nosso Senhor Jesus Cristo e membro de seu Corpo que é a Igreja Católica Apostólica Romana e, portanto, Mãe da Igreja Católica Apostólica Romana. Por isso, Ela ficou junto aos discípulos, rezando com eles à espera do Espírito Santo (Atos dos Apóstolos 1, 14). Esta Sua missão não passou. Até a segunda vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo, a consumação do Reino de Deus, Maria Santíssima continua realizando seu papel de mãe amorosa da Igreja Católica Apostólica Romana e de cada um de seus filhos. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
03/01/2018 – Quarta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. NOSSO SENHOR JESUS CRISTO TEVE IRMÃOS? SUA MÃE TEVE OUTROS FILHOS? Em sete textos do Novo Testamento são mencionados os “irmãos” de Nosso Senhor Jesus Cristo (Mc 6, 3; Mc 3, 31-35; Jo 2, 12; Jo 7, 2-10; At. 1, 14; Gl 1, 19; 1Cor 9, 5). Segundo Mc 6, 3 eles se chamavam Simão, Tiago, José e Judas. O episódio da peregrinação, aos doze anos, quando os pais não deixariam o lar por quinze dias com filhos pequenos (Lc 2, 41-42) e o episódio da entrega da mãe a João, aos pés da cruz, seriam incompreensíveis se Nosso Senhor Jesus Cristo tivesse outros irmãos em casa (Jo 19, 26). O termo irmão supõe um contexto linguístico pobre de palavras: a palavra aramaica “irmão” podia indicar não somente os filhos dos mesmos pais, mas, também os primos ou parentes mais distantes. Com efeito, Tiago e José, “irmãos de Jesus” (Mc 13, 55), são filhos de outra Maria, discípula de Jesus (Mt 28, 1). Que eles sejam chamados de irmãos não é uma novidade do novo Testamento; a expressão indicadora de um parentesco próximo já se encontra no Antigo Testamento (Gn 13, 8; 14, 16; 29, 15). A partir destes dados, a Igreja Católica sempre entendeu que Maria não teve outros filhos. Jesus foi o Filho único de Maria, n’Ela concebido pelo poder do Espírito Santo. (Mt 1, 20). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
02/01/2018 – Terça Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. POR QUE DIZEMOS QUE MARIA SANTISSIMA É A MÃE DE DEUS? A Igreja Católica crê e estima que Maria Santíssima é verdadeiramente Mãe de Deus, porque Ela é a Mãe do Filho Eterno de Deus, Nosso Senhor Jesus Cristo, feito  homem. Os Evangelhos a denominam como “a Mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo” (João 2, 1; 19, 25). Desde antes do nascimento de seu Filho, Ela é chamada “Mãe do meu Senhor” (Lucas 1, 43). E o anjo anunciou a Maria que o filho que nasceria d’Ela seria “santo, Filho de Deus” (Lucas 1, 31-35). Maria Santíssima não gerou o Deus criador, mas, gerou e deu à luz Nosso Senhor Jesus Cristo, que é homem e Deus. Homem por ter nascido da carne de Maria Santíssima; Deus por ter a natureza divina. Por isso, é realmente o Filho de Deus e, consequentemente, Maria pode se chamada “Mãe de Deus”. Falando assim, afirmamos nossa fé na divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo e confessamos que aquele que nasceu de Maria Santíssima é um só ser, humano e divino; é o Filho de Deus que se fez homem. A fórmula “Maria, Mãe de Deus” preserva uma das verdades mais fundamentais da fé, a verdade da Encarnação e a maneira como Deus realizou a redenção do gênero humano. Como os Padres da Igreja Católica diziam, o Verbo de Deus se fez homem para que a humanidade fosse divinizada. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

01/01/2018 – Segunda Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. POR QUE OS CATÓLICOS VENERAM A VIRGEM MARIA? Porque Deus a escolheu para ser a Mãe de seu Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo. O amor e a veneração pela Mãe do Filho de Deus Encarnado já são mencionados no Evangelho; ela mesma disse: “Todas as gerações me chamarão bem-aventurada” (Lucas 1, 48). Demonstramos nosso amor à Virgem Maria de várias formas: a) nas festas que a Igreja Católica celebra em seu louvor; b) quando rezamos o Rosário, contemplando Nosso Senhor Jesus Cristo com Maria Santíssima; c) quando nos dirigimos a Ela pedindo seu auxílio, rezando com amor a “Ave Maria” (Lucas 1, 28-42); d) quando colocamos nossa vida sob sua proteção materna. Adoramos somente a Deus. A Maria Santíssima dedicamos especial amor, a imitação, o respeito e a confiança que seu próprio Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, lhe dedicou. Ela é a criatura que está mais próxima do Senhor. Ela é a primeira criatura plenamente glorificada, sinal concreto da eficácia da salvação de Nosso Senhor Jesus Cristo na nossa humanidade. Venerar Maria Santíssima significa professar nossa fé na poderosa realização da Páscoa de Nosso Senhor Jesus Cristo em nós, criaturas e filhos. Ela se interessa por nós, ama-nos como a filhos queridos, pois o próprio Nosso Senhor Jesus Cristo nos confiou a Ela: “Mulher, eis o teu filho” (João 19, 26). Temos especial carinho por Maria Santíssima, em obediência a Nosso Senhor Jesus Cristo e por fidelidade ao evangelho: “Filho, eis aí tua mãe” (João 19, 27). Por isso podemos dirigirmo-nos a Ela confiando-nos à sua intercessão materna em todas as nossas necessidades. Nosso Senhor Jesus Cristo mesmo mostrou como lhe agradava a intercessão de Maria quando, por ocasião das Bodas de Caná, a pedido d’Ela, realizou o primeiro sinal (João 2, 1-11). Quanto mais assemelhados a Nosso Senhor Jesus Cristo, tanto mais os cristãos devem nutrir os sentimentos de veneração e estima filial que Nosso Senhor Jesus Cristo nutria para com a sua mãe Maria Santíssima. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
30/12/2017 – Sexta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. A VIDA NOVA EM NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. A SEXUALIDADE E AMOR HUMANO. As muitas opiniões existentes no campo da Moral desafiam o católico a ter uma visão correta e uma vivência cristã da sexualidade. Este tema não pode ficar excluído da vida nova em Nosso Senhor Jesus Cristo. Na Palavra de Deus e nas orientações da Igreja Católica, ele encontra uma ética da sexualidade capaz de dar significado profundo a esta rica realidade humana e também capaz de orientar o seu comportamento rumo à sua realização como pessoa. A vivência da sexualidade não pode ser excluída da vida moral, nem ficar à imagem da fé. Diante da tendência crescente de fazer da sexualidade um objeto, uma mercadoria a ser desfrutada segundo a liberdade e o interesse de cada um, o católico é chamado a reconhecer a dignidade desta dimensão humana. Diante da violência, do uso e da banalização do sexo e das relações entre as pessoas, o católico é chamado a viver sua sexualidade iluminado pela fé e sustentado pela graça, num processo de conversão permanente que envolve toda a existência, a caminho da vida plena, imagem do Homem Novo, Nosso Senhor Jesus Cristo. A visão católica da sexualidade afirma a igual dignidade do homem e da mulher, exigindo a superação de formas de dominação, que desrespeitam o ser humano, e a rejeição de qualquer manifestação de violência e exploração sexual. A maneira de viver a moral matrimonial e familiar, no dia a dia, depende de como são entendidos o casamento e a família. À luz da fé, o casamento é um sacramento da Igreja Católica, e jamais pode ser visto como mero contrato entre um homem e uma mulher. A conduta do casal depende desta compreensão do Matrimônio como Sacramento. Afirmar que o Matrimônio é sacramento significa reconhecer que o amor que une homem e mulher no casamento tem seu sentido mais profundo em Deus, e não pode ser reduzido a um simples fato natural, ou acontecimento social. O Matrimônio, como sacramento assumido e celebrado na Igreja Católica, é sinal visível do próprio amor de Deus, da aliança de amor fiel, perene e fecundo, entre Deus e seu povo, da união inseparável entre Nosso Senhor Jesus Cristo e a Igreja Católica. Deus ama sempre e para sempre, de modo fiel: na alegria e na tristeza, na saúde e na doença. Ama gerando vida e educando; seu amor é criador e fecundo. Assumir e viver o Matrimônio significa assumir o compromisso de amar como Deus ama: um amor que nunca se acaba e que sustenta a fidelidade e o compromisso de gerar a vida dos filhos com responsabilidade, educando-os para a experiência da fé. O Matrimônio, ao unir o homem e a mulher numa aliança inseparável de amor e de fidelidade, é a base da família, cuja importância na vida social precisa ser mantida e aprofundada. O amor conjugal não se fecha sobre si, mas, se abre para a geração dos filhos. A Igreja Católica pede aos esposos uma atitude de fecundidade responsável na transmissão da vida. Isto significa não apenas procriar, mas, acima de tudo, acolher os filhos e cuidar deles com amor e educá-los na fé. Daí, a exigência do planejamento familiar, conforme as orientações da Igreja Católica, que é sinal de maternidade e de paternidade responsáveis. A convivência da família católica deve ser marcada pela prática do amor, que tem suas expressões no amor matrimonial, no afeto paternal e maternal e no amor fraterno; o amor se expressa no diálogo e respeito mútuo, no exercício do perdão e na solidariedade. Seu alimento deve ser a oração, a leitura e escuta da Palavra de Deus e a participação na vida da Igreja Católica. O autêntico amor conjugal tem sua fonte em Deus, que é Amor. O amor que une o casal católico não depende apenas do seu compromisso e dos seus esforços. A graça de Deus está presente de modo eficaz, e não apenas simbólico, na celebração litúrgica e na experiência do dia a dia da família, sustentando o compromisso de amor e fidelidade, em meio aos muitos desafios. Em síntese, o católico é chamado a viver uma “vida nova”, no seguimento de Nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo seu exemplo e seus ensinamentos. A lei moral está sintetizada nos Dez mandamentos, que por sua vez se ressumem no “mandamento maior” do amor a Deus e ao próximo, como Nosso Senhor Jesus Cristo nos ensinou. A vida e o comportamento moral são consequências de nossa fé e abrangem a vida pessoal, familiar e social. O católico é chamado a testemunhar no mundo a força da vida em Nosso Senhor Jesus Cristo, colaborando na construção de um mundo novo à imagem do Reino de Deus, à luz da justiça, da fraternidade e da paz. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -

08/03/2018 – Quinta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ Liturgia Diária – nº 1. Nosso primeiro encontro: Caríssimos, acostumados a tantas facilidades no mundo de hoje, temos dificuldade em crer que esta vida cômoda possa um dia ter fim. Nosso Senhor Jesus Cristo vem a nós para nos dizer que tudo isso passa e precisamos viver sobre valores que valham à pena e sejam duradouros. Nos Salmos 118, 151 está escrito: “Estais perto, Senhor, e todos os vossos caminhos são verdadeiros”. A segurança do justo está em Deus, e a fidelidade a Ele é garantia de vida e de paz. A escuta e as vivências de suas Palavras nos asseguram a conquista do Reino e a vitória final. Lemos também em Isaías 26, 2-4: “Abri as portas para que entre um povo justo, cumpridor da palavra, firme em seu propósito; e tu lhe conservarás a paz, porque confia em ti. Esperai no Senhor por todos os tempos, o Senhor é a rocha eterna.” Nos Salmos 117, 118 está escrito: “Bendito é aquele que vem vindo em nome do Senhor! 1º: Dai graças ao Senhor, porque ele é bom! Eterna é a sua misericórdia! É melhor buscar refúgio no Senhor do que pôr no ser humano a esperança; é melhor buscar refúgio no Senhor do que contar com os poderosos desde mundo! 2º: Abri-me vós, abri-me as portas da justiça; quero entrar para dar graças ao Senhor! Sim, esta é a porta do Senhor, por ela só os justos entrarão! Dou-vos graças ó Senhor, porque me ouvistes e vos tornastes para mim o salvador! 3º: Ó Senhor, dai-nos a vossa salvação; ó Senhor, dai-nos também prosperidade! Bendito seja, em nome do Senhor, aquele que em seus átrios vai entrando! Desta casa do Senhor vos bendizemos. Que o Senhor e nosso Deus nos ilumine. Caríssimos, em Isaias 55, 6 lemos: “Busque o Senhor, vosso Deus invoque-o, enquanto está perto!” No Evangelho de São Mateus 7, 27-31 Nosso Senhor Jesus Cristo diz: “Nem todo aquele que me diz: Senhor, Senhor entrará no Reino dos Céus, mas o que põe em prática a vontade de meu Pai que estás nos Céus. Portanto, quem ouve as minhas Palavras e as põe em prática é como um homem prudente, que construiu sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva, vieram as enchentes, os ventos deram contra a casa, mas, a casa não caiu, porque estava construída sobre a rocha. Por outro lado, quem ouve estas minhas Palavras e não as põe em prática é como um homem sem juízo, que construiu sua casa sobre a areia. Caiu a chuva, vieram as enchentes, os ventos sopraram e deram contra a casa, e a casa caiu, e sua ruína foi completa!” Façamos nossas preces: Nosso Senhor Jesus Cristo, vinde iluminar a caminhada missionária da Santa Igreja Católica Apostólica Romana. Vinde sustentar nossa luta pela superação da miséria. Vinde nos ajudar no combate à AIDS e ao preconceito. Vinde fortalecer nossa comunidade na vivência fraterna. Caríssimos, Vivamos neste mundo com justiça e piedade, esperando a feliz esperança e o advento da glória de nosso grande Deus. (Tito 2, 12). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -

Rodolfo Carlos de Siqueira

Rodolfo 2017

PEQUENOS MISSIONÁRIOS DE JESUS
<O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.>

Rodolfo Carlos de Siqueira, São José dos Campos (SP)
Mini-Sermão
.

29/01/2018 – Segunda Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. POR QUE OS CATÓLICOS HONRAM A EUCARISTIA E PRESTAM-LHE O CULTO MÁXIMO DE ADORAÇÃO? Quem recebe a comunhão eucarística deve estar em estado de graça, pois, a Eucaristia contém o próprio Nosso Senhor Jesus Cristo, que nela se oferece e é recebido mediante os sinais do pão e do vinho consagrados. Pela Eucaristia, a Igreja Católica vive e cresce continuamente. A Eucaristia é o memorial da morte e da ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo, confiado à Igreja Católica, pelo qual se perpetua, pelos séculos, o sacrifício da cruz. Os fiéis têm em máxima honra a Eucaristia e, por isso, buscam participar ativamente da celebração eucarística, recebê-la muitas vezes, com a máxima devoção e prestar-lhe culto de suprema adoração. A Eucaristia é a presença real de Nosso Senhor Jesus Cristo. A Eucaristia significa e realiza a unidade do povo de Deus; é o ápice e a fonte de todo o culto e da vida cristã. Uma vez que Nosso Senhor Jesus Cristo mesmo está presente no sacramento do altar, também depois da celebração da Missa, é preciso honrá-lo com um culto de adoração. “A visita ao Santíssimo Sacramento é uma prova de gratidão, um sinal de amor e um dever de adoração para com Nosso Senhor Jesus Cristo”. Paz e Bem!
R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
26/01/2018 – Sexta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ
ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. SANTIFICAÇÃO DO SÁBADO OU DO DOMINGO? A Bíblia ordena: “Lembra-te de santificar o dia de sábado” (Êxodo 20, 8). Por que, então, os católicos guardam o domingo? A palavra sábado vem do hebraico shabat, que significa “descanso”. É dia de descanso em honra de Deus. Para os cristãos, o dia sabático consagrado a Deus é o domingo. Em (Marcos 2, 27-28), Nosso Senhor Jesus Cristo afirma: “O sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado. Deste modo, o Filho do Homem é Senhor também do sábado”. Fatos relevantes da vida de Nosso Senhor Jesus Cristo e da Igreja primitiva aconteceram no domingo, como, por exemplo, a Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo e Pentecostes. A Igreja primitiva reunia-se no primeiro dia da semana (Atos dos Apóstolos 20, 7); (1Coríntios 16, 2), em (Apocalipse 1, 10) já se usa a nova denominação cristã, domingo, “dia do Senhor”, o dia de sua Ressurreição e da vinda do Espírito Santo à Igreja (Marcos 16, 9) e (Atos dos Apóstolos 2, 1). Por esta razão, a Igreja Católica observa o domingo como dia de descanso e como dia consagrado a Nosso Senhor Jesus Cristo. Paz e Bem! R. Carlos.

Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

25/01/2018 – Quinta Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. O QUE VEM A SER O ECUMENISMO? É a aproximação, a cooperação entre os cristãos, a busca fraterna da superação das divisões entre as diferentes Igrejas cristãs: os católicos, os ortodoxos, os protestantes em geral, os evangélicos. O Concílio Vaticano II assim fala do Movimento Ecumênico: “Dele participam os que invocam o Deus Trino e confessam a Nosso Senhor Jesus Cristo como Salvador e Senhor, não só individualmente, mas também reunidos em assembleias, onde ouviram o Evangelho e que declaram cada um, ser sua Igreja a de Deus. Quase todos, porém, embora diversamente, desejam uma Igreja de Deus una e visível, que seja verdadeiramente universal e enviada ao mundo inteiro, a fim de que o mundo se converta ao Evangelho e assim seja salvo para a glória de Deus”. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II

- - -
24/01/2018 – Quarta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA EM QUE A IGREJA CATÓLICA DIFERE DAS DEMAIS IGREJAS CRISTÃS? Apesar da divisão entre os cristãos, ao longo da história, a verdadeira Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo nunca desapareceu, nem foi perdida. Ela possui todos os elementos de eclesialidade que encontramos no Novo Testamento: a mesma fé, os sete sacramentos, a sucessão no colégio apostólico por meio dos bispos, a sucessão do ministério petrino exercido pelo Papa, o ministério da Palavra não só como anúncio, mas também como Magistério autêntico, isto é, como ensino normativo, em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo. Em nenhum outro lugar se encontra como na Igreja Católica, a plenitude dos meios salvíficos queridos e estabelecidos por Nosso Senhor Jesus Cristo. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.    
- - -
22/01/2018 – Segunda Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. QUAL É A DOUTRINA DA IGREJA CATÓLICA SOBRE PURGATÓRIO? O purgatório é a purificação final dos eleitos que morreram na graça e na amizade de Deus, mas, que não alcançaram ainda a santidade necessária para usufruir da alegria celestial. A purificação final nada tem a ver com o castigo dos condenados. Dois textos Bíblicos são fundamentais na compreensão deste tema: (Mateus 12, 31 e 2Macabeus 12, 46). No texto de Mateus 12, 31, diz-se que o “pecado contra o Espírito Santo não será perdoado nem no presente século e nem no futuro”. Esta afirmação nos leva a deduzir que alguns pecados poderão ser perdoados no século futuro. Já em 2Macabeus 12, 46, Judas Macabeu mandou oferecer um sacrifício expiatório pelos que haviam morrido, a fim que obtivessem o perdão dos pecados. A partir destas citações e de sua Tradição, a Igreja Católica sempre orou pelos defuntos, particularmente na celebração Eucarística, para que purificados, possam chegar à visão beatifica de Deus. Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
21/01/2018 – Domingo
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. QUEM FUNDOU A IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA? A Igreja de Deus foi prefigurada desde a criação do mundo. O Antigo Testamento se refere às alianças de Deus com o justo Abel, com Noé e com Abraão. Dessas alianças, voltadas para a adoração do Criador e para busca da salvação, nasceu a verdadeira comunhão de Deus com os seres humanos. A Igreja Católica foi preparada na história do antigo Israel e na antiga aliança. Segundo São Paulo, ela é herdeira das promessas que Deus fez a Abraão (Gálatas 3, 15-19), pois, a descendência de Abraão não foi segundo a carne, mas segundo a fé. Do Antigo Israel, a Igreja Católica recebeu as Escrituras do Antigo Testamento. O Novo Testamento originou-se, de certo modo, de uma leitura cristológica do Antigo Testamento, pois, é a realização das promessas nele contidas. A Igreja Católica foi fundada por Nosso Senhor Jesus Cristo, através da pregação do Evangelho, o envio dos discípulos em missão, sua paixão, morte e ressurreição e através do envio do Espírito Santo santificador sobre os apóstolos. O Concílio Vaticano II, na sua Constituição Lumen Gentium, sobre a Igreja Católica, fala de atos fundantes da Igreja, realizados pelo Nosso Senhor Jesus Cristo. Atos fundantes da Igreja foram, por exemplo, a convocação dos Doze: A instituição da Eucaristia, a Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo e a vinda do Espírito Santo. A Igreja Católica é a comunidade em que o Ressuscitado está presente: “Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos” (Mateus 28, 20). É Nosso Senhor Jesus Cristo que convoca os seus: “Ide, portanto, e fazei discípulos entre todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo” (Mateus 28, 19). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II

- - -
19/01/2018 – Sexta Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. O CATÓLICO PODE ACEITAR A REENCARNAÇÃO? A reencarnação é a teoria segundo a qual a alma, deixando o corpo após a morte, passaria para outro corpo. A Bíblia ensina que cada pessoa tem uma só existência sobre a terra e que, após essa vida, comparece diante de Deus para ser julgada. Diz a Carta aos Hebreus: “Está determinado que os homens morram uma só vez, e depois vem o julgamento” (Hebreus 9, 27). De fato, Nosso Senhor Jesus Cristo e os Apóstolos não pregaram a reencarnação e sim a ressurreição dos mortos: “Vem a hora em que todos os que estão nos túmulos ouvirão sua voz, e sairão. Aqueles que fizeram o bem ressuscitarão para a vida; e aqueles que praticaram o mal, para a condenação” (João 5, 28-29; João 6, 54; Marcos 3, 29; Marcos 9, 43-48). Da mesma forma, os Apóstolos ensinaram que a ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo é garantia da nossa ressurreição. (1Coríntios 15, 12-19). A Igreja Católica nos convida a vigiar “constantemente, a fim de que, terminando o único curso de nossa vida terrestre, possamos entrar com Nosso Senhor Jesus Cristo para as bodas e mereçamos ser contados entre os benditos!”. Portanto, a reencarnação é incompatível com a fé Católica. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
18/01/2018 – Quinta Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. QUEM É O PAPA PARA NÓS CATÓLICOS? O Papa é o sucessor do Apóstolo Pedro, o bispo de Roma que Nosso Senhor Jesus Cristo constituiu como “perpétuo e visível fundamento da unidade”. Como sucessor de Pedro, o Papa conduz a Igreja Católica, a Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus vivo (Mateus 16, 16). Sua autoridade é expressão de amor, a serviço da unidade. Na expressão de Gregório Magno, ele é o “servo dos servos de Deus”. O Papa é o pastor da Igreja Católica. Nosso Senhor Jesus Cristo confiou a Pedro todo o rebanho (João 21, 15-17). Na cidade de Roma, Pedro desempenhou o seu ministério e foi martirizado. Assim, o Papa, com os bispos unidos a ele, conserva o testemunho do martírio de Pedro e também e também de Paulo, sendo o sinal visível da unidade da Igreja Católica. Sua presença expressa e significativa a continuidade da Palavra de Nosso Senhor Jesus Cristo e da Doutrina dos Apóstolos na Igreja Católica, a segurança da fé, da esperança e da caridade. O Papa tem a missão de confirmar toda a Igreja Católica na fé, continuando a mesma tarefa que Nosso Senhor Jesus Cristo confiou a Pedro: “Eu, porém, orei por ti para que tua fé não desfaleça. E tu, uma vez convertido, confirma os teus irmãos” (Lucas 22, 32). O Papa, com os bispos unidos a ele, tem a missão de conservar a Igreja Católica fiel ao Evangelho e ao testemunho dos apóstolos. Todo católico, além de conhecer e viver a Palavra de Deus, e dar testemunho de sua fé em Nosso Senhor Jesus Cristo, de participar da comunidade eclesial, espaço de testemunho, de serviço, de diálogo e de anúncio, ama e respeita o Papa e os bispos como seus legítimos pastores. Ora por ele, e obedece às orientações da Igreja Católica. Paz e Bem! R. Carlos.  Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
17/01/2018 – Quarta Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. PARA A IGREJA CATÓLICA, O CASAMENTO É SACRAMENTO INDISSOLÚVEL. COMO ENDENDER ISSO? “Radicada na doação pessoal e total dos cônjugues e exigência pelo bem dos filhos, a indissolubilidade do Matrimônio encontra a sua verdade última no desígnio que Deus manifestou na Revelação: Ele quer e concede a indissolubilidade matrimonial como fruto, sinal e exigência do amor absolutamente fiel, que Deus Pai manifesta pelo homem e que Nosso Senhor Jesus Cristo vive para com a Igreja Católica” (Familiaris Consortio, Exortação Apostólica de João Paulo II, sobre a função da família cristã no mundo de hoje, 1981). Em alguns textos, o Novo Testamento trata da indissolubilidade do Matrimônio (Marcos 10, 11; Lucas 16, 18; 1Coríntios 7, 10s; Mateus 5, 13s; Mateus 19, 6). Trata-se de uma indissolubilidade objetiva, derivada do próprio projeto salvífico de Deus e de sua origem de valores, independente de subjetividade dos contraentes; quem contrai o Matrimônio cristão deve sabê-lo de antemão. Nosso Senhor Jesus Cristo assim o diz: “O que Deus uniu o homem não o separe” (Mateus 19, 6). Deste modo, por sua índole mesma, o matrimônio é indissolúvel. A Tradição cristã, desde os princípios séculos, apresenta diversas vozes importantes (Tertuliano, Clemente de Alexandria, Orígenes, Ambrósio e Agostinho) como exemplos favoráveis à indissolubilidade do matrimônio religioso, validamente contraído. No decorrer dos séculos, a doutrina da indissolubilidade foi sempre reafirmada pelos Concílios e pelas declarações pontifícias. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -

16/01/2018 – Terça Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. SE A BÍBLIA DIZ: “QUEM PODE PERDOAR OS PECADOS SENÃO SÓ DEUS?” (Marcos 2, 7). POR QUE CONFESSAR-SE COM O PADRE? Nosso Senhor Jesus Cristo confiou o ministério da remissão dos pecados aos seus discípulos. Antes da Paixão, prometeu a Pedro (Mateus 16, 19) e aos outros apóstolos (Mateus 18, 18) o poder de ligar e desligar na terra e no Céu. Depois da ressurreição, confiou aos onze a faculdade de perdoar ou de reter os pecados (João 20, 21-23). Com o poder das chaves, entregou aos seus ministros a incumbência de ouvir a confissão sacramental dos pecados, habilitando-os, ao mesmo tempo, a absolver ou repreender em seu nome. A confissão aos sacerdotes é atestada por documentos da Igreja Católica já na antiga literatura cristã. Além disso, deve-se considerar que o pecado não é somente um ato que atinge a Deus e ao mesmo pecador; tem profundas consequências para as outras pessoas, para a comunidade dos irmãos. Compreende-se, então, que a remissão concedida por Deus passe pelos ministérios da Igreja Católica, enquanto representante da comunidade eclesial e do próprio Deus. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

15/01/2018 – Segunda Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. POR QUE A IGREJA CATÓLICA BATIZA CRIANÇAS? A Bíblia não se refere explicitamente ao Batismo de crianças, mas, narra que vários personagens pagãos professaram a fé cristã e se fizeram batizar “com toda a sua casa”: Cornélio, o centurião romano (Atos dos Apóstolos 10, 1s. 24, 44.47s); a negociante Lidia, de Filipos (Atos dos Apóstolos 16, 14s); o carcereiro de Filipos (Atos dos Apóstolos 16, 31-33); Crispo, de Corinto (Atos dos Apóstolos 18, 8); a família de Estéfanas (1Coríntios 1, 16). A expressão “casa” designava o chefe de família com toda a sua família, inclusive as crianças que, certamente, não faltavam naqueles tempos. Portanto, indiretamente, a Escritura sugere o Batismo de crianças. Desde os primeiros séculos, existiram testemunhos diretos a respeito do Batismo de crianças. Santo Agostinho, no século IV, considerou isso inclusive como tradição recebida dos Apóstolos. Recorrendo à Sagrada Escritura e à Tradição, os Papas e Concílios intervieram, muitas vezes, para recordar aos cristãos o dever de batizar os filhos pequeninos. Os pais, quando pedem o Batismo de seus filhos, desejam para eles a vida verdadeira e feliz, mas, não podem garantir este dom durante todo o tempo futuro e desconhecido. Por isso, querem inserir seus filhos na vida divina. E, o fazem por meio do Batismo. Dessa forma, tornam-se os primeiros responsáveis pela educação de seus filhos e afilhados na fé. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

12/01/2018 – Sexta Feira

- - - 

MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. OS CATÓLICOS ADORAM IMAGENS? Nosso Senhor Jesus Cristo assumiu um verdadeiro corpo humano, por meio do qual Deus invisível se tornou visível. Por essa razão, Nosso Senhor Jesus Cristo pode ser representado e venerado nas santas imagens. N’Ele vemos o rosto humano de Deus e o rosto divino do ser humano. O que Deus no Antigo Testamento proíbe, é fazer imagens para serem adoradas como deuses, em substituição ao Deus único (Êxodo 20, 4). Mas não proíbe fazer outras imagens ((Êxodo 25, 18-20; Números 21, 8-9; Romanos 6, 23-35 e 7, 29). A Bíblia Sagrada mesma diz que Deus fez o homem e a mulher “à sua imagem e semelhança” (Gênesis 1, 26-27). A imagem faz parte da linguagem humana, é representação de alguma pessoa, coisa, ideia. Assim, o desenho de uma flor, as fotos de uma pessoa e a pintura de uma paisagem são imagens. A imagem de Nosso Senhor Jesus Cristo é o ícone por excelência. As outras imagens que representam Nossa Senhora e os santos significam Nosso Senhor Jesus Cristo, que nelas é glorificado. Proclamam a mesma mensagem evangélica que a Sagrada Escritura transmite mediante a palavra e ajudam a despertar e a nutrir a fé dos cristãos. A tradição cristã reconheceu reiteradamente o valor pedagógico e psicológico das imagens, como suportes para a catequese, para a oração e para a evangelização. Numa época em que a comunicação se baseia, sobretudo, em imagens, o uso das imagens cristãs pode ser uma grande contribuição para a evangelização. É claro, porém, que o católico não adora a imagem. O católico adora somente a Deus. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
11/01/2018 – Quinta Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. COMO ENTENDER A DOUTRINA DAS INDULGÊNCIAS? A doutrina e a prática das indulgências na Igreja Católica estão estreitamente ligadas aos efeitos do sacramento da Penitência (Catecismo da Igreja Católica nº 1471). “Indulgência é a remissão, diante de Deus, da pena temporal devida aos pecados já perdoados quanto à culpa, que o fiel cristão, devidamente disposto e em certas e determinadas circunstâncias, alcança por meio da Igreja Católica, a qual, como dispensadora da redenção, distribui e aplica, com autoridade, o tesouro das satisfações de Nosso Senhor Jesus Cristo e dos santos. A indulgência é parcial ou plenária, conforme libera total ou parcialmente da pena devida pelos pecados”. “Qualquer fiel cristão pode alcançar indulgências parciais ou plenárias para si mesmo ou aplicá-las aos defuntos, como sufrágio” (Código de Direito Canônico nº 994). As indulgências existem porque o pecado grave nos priva da comunhão com Deus e, consequentemente, nos torna incapazes da vida eterna. Esta privação se chama pena eterna do pecado. Por outro lado, todo pecado, mesmo venial, acarreta um apego prejudicial e exige purificação, quer nesta vida, quer depois da morte, no estado chamado purgatório. Esta purificação liberta o fiel cristão da chamada pena temporal do pecado que permanece mesmo após a confissão sacramental e a obtenção do pecado. Obras de misericórdia, caridade, orações e práticas de penitência podem produzir a graça da indulgência parcial ou total. Ao conferir as indulgências, a Igreja Católica, que recebeu de Nosso Senhor Jesus Cristo o poder de ligar e desligar, intervém em favor dos cristãos, abrindo-lhes os tesouros dos méritos de Nosso Senhor Jesus Cristo e dos santos, para obter do Pai Celestial a remissão das penas temporais devidas aos pecados. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
10/01/2018 – Quarta Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. OS SANTOS INTERCEDEM POR NÓS JUNTO A DEUS? Todos nós que vivemos na graça de Deus estamos em comunhão com Deus. Somos ramos vivos da videira (João 15, 5), membros vivos do Corpo de Nosso Senhor Jesus Cristo. Por isso, estamos unidos também entre nós, numa ligação invisível, mas real (Romanos 12, 4-5). É uma comunhão no amor. Podemos rezar por alguém, ou pedir que alguém reze e interceda por nós, porque estamos ligados a Nosso Senhor Jesus Cristo e, n’Ele, aos irmãos. Da mesma forma, podemos pedir a um santo canonizado que interceda por nós junto a Nosso Senhor Jesus Cristo. Gozando da intimidade com Deus, certamente ele intercederá por nossas intenções, para que o Reino de Deus se realize (Marcos 6, 33). Por outro lado, a intercessão dos justos, sobretudo dos que alcançaram a plenitude (Gênesis 18, 22-32), pode obter as graças espirituais e materiais para aqueles que necessitam conseguir a plenitude da Redenção (Romanos 8, 29). Trata-se de uma comunhão em que, os santos, em virtude de sua caridade, não podem deixar de orar por quem não está ainda na Pátria Celeste, mas a caminho. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
09/01/2018 – Segunda Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. O QUE É CULTO (VENERAÇÃO) DOS SANTOS? Nosso Senhor Jesus Cristo é a cabeça do Corpo, que é a Igreja Católica, cujos membros são todos os cristãos. Existe entre a Cabeça (Nosso Senhor Jesus Cristo) e o Corpo (cristãos), uma comunhão de vida, assim como os cristãos entre si. Os santos são membros do Corpo Místico de Nosso Senhor Jesus Cristo, nos quais a Redenção alcançou a plenitude dos seus frutos. Terminadas as peregrinações terrestres, plenamente compenetrados pelo amor de Nosso Senhor Jesus Cristo e configurados com Ele, os santos gozam atualmente da visão de Deus face a face. Conscientes desta verdade, os cristãos, desde os princípios séculos, entendendo que esta nova situação não cancela a comunhão e a solidariedade, começaram a venerar santos como modelos e como intercessores em favor daqueles que ainda peregrinam pelas estradas deste mundo. Na perfeição dos santos, em primeiro lugar, os católicos adoram, louvam e bendizem a obra do Criador e Redentor, a expressão perfeita de sua sabedoria e vitória. O culto aos santos desperta, nos que estão em estado de peregrinação, o desejo de chegarem à Jerusalém celeste, onde já se encontram os bem-aventurados. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
08/01/2018 – Segunda Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. O QUE É CANONIZAÇÃO DOS SANTOS? Canonização é o reconhecimento definitivo pelo qual a Igreja Católica declara que alguém, que viveu exemplarmente a fé, participa da glória celeste, prescrevendo que lhe seja prestada a veneração pública. Uma pessoa não é santa porque a Igreja Católica a canoniza, mas, a Igreja Católica a canoniza porque ela é santa. A Igreja Católica, pelo Magistério solene e universal do Papa, reconhece a santidade dos seus membros e filhos. Desde os princípios tempos, a Igreja Católica cultuava os mártires e os confessores da fé. O heroísmo da fé, o ardor da caridade e das outras virtudes dos discípulos de Nosso Senhor Jesus Cristo e amigos de Deus, reconhecidos pelas pessoas que conviviam com eles, ocasionavam a proclamação espontânea da santidade destes cristãos. Eram bispos, monges, missionários, fundadores de conventos e mosteiros, pais e mães de família, jovens. Até o século VI, bastava o reconhecimento da comunidade cristã para que se desse início ao culto. Com o tempo, a Igreja Católica exigiu um procedimento mais detalhado e a canonização passou a ser feita pelo Papa. Com a canonização de alguém, a Igreja Católica nos propõe exemplos de vida e nos mostra que todos nós somos chamados a corresponder plenamente ao chamado de Deus a sermos santos, como ele é Santo (Mateus 5, 48). Os santos são discípulos exemplares de Nosso Senhor Jesus Cristo e ajudam seus irmãos a conhecerem os caminhos do Evangelho e da imitação de Nosso Senhor Jesus Cristo. Participamos da Igreja Católica que apesar das muitas falhas de seus filhos, é santa e tem em seu seio verdadeiros heróis da fé e do amor, pessoas como nós, que estão na glória de Deus e que intercede por nós. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

06/01/2018 – Sábado
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. O QUE SIGNIFICA SER SANTO? No Evangelho de São Mateus, encontramos estas palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo: “Sede perfeitos, assim como vosso Pai celestial é perfeito” (Mateus 5 ,48). Deus é o único santo (Levítico 19, 2). Também o apóstolo Pedro nos exorta: “Como é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos, também vós, em todo vosso proceder” (1Pedro 1, 15). Pelo Batismo, recebemos a graça de Deus e a Santíssima Trindade vem habitar em nós. Somos templos do Espírito Santo e devemos conservar sempre Deus em nós, abrindo-nos sempre mais a Ele, deixando que sua graça nos transforme (2Coríntios 6, 16). Assim, vamos todos nos assemelhando cada vez mais ao Deus Santo. Isto é certamente fruto de nosso esforço, mas é, sobretudo, dom da graça do Espírito Santo. Deus é amor. Ser santo é, portanto, viver o amor puro a Deus e aos irmãos. Jesus mesmo falou que os “benditos de seu Pai” são aqueles que, por causa d’Ele, fazem o bem a todos os necessitados (Mateus 25, 34-40). O martírio constitui o cume da santidade, porque faz do cristão um seguidor de Nosso Senhor Jesus Cristo, até o ponto de entregar a vida e deixar derramar o sangue como testemunho por Ele. Santos são, enfim, todos aqueles que vivem o Evangelho e se encontram na casa do Pai Celestial. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
05/01/2018 – Sexta Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. POR QUE CHAMAMOS A MÃE DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO DE NOSSA SENHORA? NÃO EXISTE APENAS UM SENHOR? A palavra Senhor, na linguagem cotidiana, é usada como um tratamento respeitoso, dado a algumas pessoas, como aos pais, professores, autoridades. Na Idade Média, São Bernardo, vendo como cada “senhor” apresentava sua “senhora”, recordou que Nosso Senhor Jesus Cristo nos deu uma “senhora” para amparar a todos. Desde então, Maria Santíssima é chamada de “Nossa Senhora”. Trata-se de um título da devoção popular. A Mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo, com toda certeza, merece esse respeito e, por isso, a designamos comumente como Senhora, sem qualquer  conotação do sentido especialmente bíblico do termo Senhor. Na Sagrada Escritura, este termo tem um sentido muito maior. Senhor é o nome próprio para designar o Deus de Israel, desde que se revelou a Moisés como Iavê, “aquele que é”, traduzindo na versão grega dos livros do Antigo Testamento por Kyrios, “Senhor”. No Novo Testamento, Nosso Senhor Jesus Cristo é chamado Senhor por aqueles que d’Ele se aproximam com respeito e confiança em seu poder de ajuda e de cura. Nos encontros com Nosso Senhor Jesus Cristo Ressuscitado, o termo Senhor aparece como expressão de adoração: “Meu Senhor e meu Deus” (João 20, 28). Por ser “de condição divina” (Filipenses 2, 6), Nosso Senhor Jesus Cristo é o Senhor, digno do mesmo poder, hora e glória devido ao Pai Celestial. Ele é o Senhor da vida e da história. A Ele a Igreja Católica invoca: “Amém, vem Senhor Jesus!” (Apocalipse 22, 20). O nome Senhor indica, portanto, a sabedoria divina. Quem confessa ou invoca Nosso Senhor Jesus Cristo como Senhor demonstra que crê em Sua divindade. “Ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor a não ser no Espírito Santo” (1 Coríntios 12, 3). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II. 
- - -
04/01/2018 – Quinta Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. POR QUE DIZEMOS QUE MARIA SANTISSIMA É A MÃE DA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA? Maria Santíssima foi escolhida de modo especialíssimo por Deus para cooperar em Seu plano de salvação do gênero humano. Foi chamada a ser a Mãe do Redentor Nosso Senhor Jesus Cristo e respondeu a este apelo com seu “sim” (Lucas 1, 38). O Evangelho nos mostra como Ela está presente junto a seu filho Nosso Senhor Jesus Cristo, indicando-lhe a ocasião para que Ele realizasse seu primeiro milagre, nas bodas de Caná. Por esse milagre, seus discípulos chegaram à fé em Nosso Senhor Jesus Cristo (João 2, 11). Foi junto à cruz, porém, que Maria Santíssima recebeu a missão de ser a mãe dos discípulos de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ao tornar-se mãe do discípulo amado (João 19, 26). Ela se torna, por extensão, mãe de todo aquele que se faz discípulo de Nosso Senhor Jesus Cristo e membro de seu Corpo que é a Igreja Católica Apostólica Romana e, portanto, Mãe da Igreja Católica Apostólica Romana. Por isso, Ela ficou junto aos discípulos, rezando com eles à espera do Espírito Santo (Atos dos Apóstolos 1, 14). Esta Sua missão não passou. Até a segunda vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo, a consumação do Reino de Deus, Maria Santíssima continua realizando seu papel de mãe amorosa da Igreja Católica Apostólica Romana e de cada um de seus filhos. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
03/01/2018 – Quarta Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. NOSSO SENHOR JESUS CRISTO TEVE IRMÃOS? SUA MÃE TEVE OUTROS FILHOS? Em sete textos do Novo Testamento são mencionados os “irmãos” de Nosso Senhor Jesus Cristo (Mc 6, 3; Mc 3, 31-35; Jo 2, 12; Jo 7, 2-10; At. 1, 14; Gl 1, 19; 1Cor 9, 5). Segundo Mc 6, 3 eles se chamavam Simão, Tiago, José e Judas. O episódio da peregrinação, aos doze anos, quando os pais não deixariam o lar por quinze dias com filhos pequenos (Lc 2, 41-42) e o episódio da entrega da mãe a João, aos pés da cruz, seriam incompreensíveis se Nosso Senhor Jesus Cristo tivesse outros irmãos em casa (Jo 19, 26). O termo irmão supõe um contexto linguístico pobre de palavras: a palavra aramaica “irmão” podia indicar não somente os filhos dos mesmos pais, mas, também os primos ou parentes mais distantes. Com efeito, Tiago e José, “irmãos de Jesus” (Mc 13, 55), são filhos de outra Maria, discípula de Jesus (Mt 28, 1). Que eles sejam chamados de irmãos não é uma novidade do novo Testamento; a expressão indicadora de um parentesco próximo já se encontra no Antigo Testamento (Gn 13, 8; 14, 16; 29, 15). A partir destes dados, a Igreja Católica sempre entendeu que Maria não teve outros filhos. Jesus foi o Filho único de Maria, n’Ela concebido pelo poder do Espírito Santo. (Mt 1, 20). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
02/01/2018 – Terça Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. POR QUE DIZEMOS QUE MARIA SANTISSIMA É A MÃE DE DEUS? A Igreja Católica crê e estima que Maria Santíssima é verdadeiramente Mãe de Deus, porque Ela é a Mãe do Filho Eterno de Deus, Nosso Senhor Jesus Cristo, feito  homem. Os Evangelhos a denominam como “a Mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo” (João 2, 1; 19, 25). Desde antes do nascimento de seu Filho, Ela é chamada “Mãe do meu Senhor” (Lucas 1, 43). E o anjo anunciou a Maria que o filho que nasceria d’Ela seria “santo, Filho de Deus” (Lucas 1, 31-35). Maria Santíssima não gerou o Deus criador, mas, gerou e deu à luz Nosso Senhor Jesus Cristo, que é homem e Deus. Homem por ter nascido da carne de Maria Santíssima; Deus por ter a natureza divina. Por isso, é realmente o Filho de Deus e, consequentemente, Maria pode se chamada “Mãe de Deus”. Falando assim, afirmamos nossa fé na divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo e confessamos que aquele que nasceu de Maria Santíssima é um só ser, humano e divino; é o Filho de Deus que se fez homem. A fórmula “Maria, Mãe de Deus” preserva uma das verdades mais fundamentais da fé, a verdade da Encarnação e a maneira como Deus realizou a redenção do gênero humano. Como os Padres da Igreja Católica diziam, o Verbo de Deus se fez homem para que a humanidade fosse divinizada. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

01/01/2018 – Segunda Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. ESCLARECIMENTOS SOBRE ALGUNS PONTOS DA FÉ CATÓLICA. POR QUE OS CATÓLICOS VENERAM A VIRGEM MARIA? Porque Deus a escolheu para ser a Mãe de seu Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo. O amor e a veneração pela Mãe do Filho de Deus Encarnado já são mencionados no Evangelho; ela mesma disse: “Todas as gerações me chamarão bem-aventurada” (Lucas 1, 48). Demonstramos nosso amor à Virgem Maria de várias formas: a) nas festas que a Igreja Católica celebra em seu louvor; b) quando rezamos o Rosário, contemplando Nosso Senhor Jesus Cristo com Maria Santíssima; c) quando nos dirigimos a Ela pedindo seu auxílio, rezando com amor a “Ave Maria” (Lucas 1, 28-42); d) quando colocamos nossa vida sob sua proteção materna. Adoramos somente a Deus. A Maria Santíssima dedicamos especial amor, a imitação, o respeito e a confiança que seu próprio Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, lhe dedicou. Ela é a criatura que está mais próxima do Senhor. Ela é a primeira criatura plenamente glorificada, sinal concreto da eficácia da salvação de Nosso Senhor Jesus Cristo na nossa humanidade. Venerar Maria Santíssima significa professar nossa fé na poderosa realização da Páscoa de Nosso Senhor Jesus Cristo em nós, criaturas e filhos. Ela se interessa por nós, ama-nos como a filhos queridos, pois o próprio Nosso Senhor Jesus Cristo nos confiou a Ela: “Mulher, eis o teu filho” (João 19, 26). Temos especial carinho por Maria Santíssima, em obediência a Nosso Senhor Jesus Cristo e por fidelidade ao evangelho: “Filho, eis aí tua mãe” (João 19, 27). Por isso podemos dirigirmo-nos a Ela confiando-nos à sua intercessão materna em todas as nossas necessidades. Nosso Senhor Jesus Cristo mesmo mostrou como lhe agradava a intercessão de Maria quando, por ocasião das Bodas de Caná, a pedido d’Ela, realizou o primeiro sinal (João 2, 1-11). Quanto mais assemelhados a Nosso Senhor Jesus Cristo, tanto mais os cristãos devem nutrir os sentimentos de veneração e estima filial que Nosso Senhor Jesus Cristo nutria para com a sua mãe Maria Santíssima. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -
30/12/2017 – Sexta Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. A VIDA NOVA EM NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. A SEXUALIDADE E AMOR HUMANO. As muitas opiniões existentes no campo da Moral desafiam o católico a ter uma visão correta e uma vivência cristã da sexualidade. Este tema não pode ficar excluído da vida nova em Nosso Senhor Jesus Cristo. Na Palavra de Deus e nas orientações da Igreja Católica, ele encontra uma ética da sexualidade capaz de dar significado profundo a esta rica realidade humana e também capaz de orientar o seu comportamento rumo à sua realização como pessoa. A vivência da sexualidade não pode ser excluída da vida moral, nem ficar à imagem da fé. Diante da tendência crescente de fazer da sexualidade um objeto, uma mercadoria a ser desfrutada segundo a liberdade e o interesse de cada um, o católico é chamado a reconhecer a dignidade desta dimensão humana. Diante da violência, do uso e da banalização do sexo e das relações entre as pessoas, o católico é chamado a viver sua sexualidade iluminado pela fé e sustentado pela graça, num processo de conversão permanente que envolve toda a existência, a caminho da vida plena, imagem do Homem Novo, Nosso Senhor Jesus Cristo. A visão católica da sexualidade afirma a igual dignidade do homem e da mulher, exigindo a superação de formas de dominação, que desrespeitam o ser humano, e a rejeição de qualquer manifestação de violência e exploração sexual. A maneira de viver a moral matrimonial e familiar, no dia a dia, depende de como são entendidos o casamento e a família. À luz da fé, o casamento é um sacramento da Igreja Católica, e jamais pode ser visto como mero contrato entre um homem e uma mulher. A conduta do casal depende desta compreensão do Matrimônio como Sacramento. Afirmar que o Matrimônio é sacramento significa reconhecer que o amor que une homem e mulher no casamento tem seu sentido mais profundo em Deus, e não pode ser reduzido a um simples fato natural, ou acontecimento social. O Matrimônio, como sacramento assumido e celebrado na Igreja Católica, é sinal visível do próprio amor de Deus, da aliança de amor fiel, perene e fecundo, entre Deus e seu povo, da união inseparável entre Nosso Senhor Jesus Cristo e a Igreja Católica. Deus ama sempre e para sempre, de modo fiel: na alegria e na tristeza, na saúde e na doença. Ama gerando vida e educando; seu amor é criador e fecundo. Assumir e viver o Matrimônio significa assumir o compromisso de amar como Deus ama: um amor que nunca se acaba e que sustenta a fidelidade e o compromisso de gerar a vida dos filhos com responsabilidade, educando-os para a experiência da fé. O Matrimônio, ao unir o homem e a mulher numa aliança inseparável de amor e de fidelidade, é a base da família, cuja importância na vida social precisa ser mantida e aprofundada. O amor conjugal não se fecha sobre si, mas, se abre para a geração dos filhos. A Igreja Católica pede aos esposos uma atitude de fecundidade responsável na transmissão da vida. Isto significa não apenas procriar, mas, acima de tudo, acolher os filhos e cuidar deles com amor e educá-los na fé. Daí, a exigência do planejamento familiar, conforme as orientações da Igreja Católica, que é sinal de maternidade e de paternidade responsáveis. A convivência da família católica deve ser marcada pela prática do amor, que tem suas expressões no amor matrimonial, no afeto paternal e maternal e no amor fraterno; o amor se expressa no diálogo e respeito mútuo, no exercício do perdão e na solidariedade. Seu alimento deve ser a oração, a leitura e escuta da Palavra de Deus e a participação na vida da Igreja Católica. O autêntico amor conjugal tem sua fonte em Deus, que é Amor. O amor que une o casal católico não depende apenas do seu compromisso e dos seus esforços. A graça de Deus está presente de modo eficaz, e não apenas simbólico, na celebração litúrgica e na experiência do dia a dia da família, sustentando o compromisso de amor e fidelidade, em meio aos muitos desafios. Em síntese, o católico é chamado a viver uma “vida nova”, no seguimento de Nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo seu exemplo e seus ensinamentos. A lei moral está sintetizada nos Dez mandamentos, que por sua vez se ressumem no “mandamento maior” do amor a Deus e ao próximo, como Nosso Senhor Jesus Cristo nos ensinou. A vida e o comportamento moral são consequências de nossa fé e abrangem a vida pessoal, familiar e social. O católico é chamado a testemunhar no mundo a força da vida em Nosso Senhor Jesus Cristo, colaborando na construção de um mundo novo à imagem do Reino de Deus, à luz da justiça, da fraternidade e da paz. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

22/12/2017 – Sexta Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. A VIDA NOVA EM NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. A VIDA NOVA DO CRISTÃO CATÓLICO NO CORAÇÃO DO MUNDO - “Colocarei a minha Lei em seu coração, vou gravá-la em seu coração” (Jeremias 31, 33). A vida nova em Nosso Senhor Jesus Cristo envolve toda a existência dos discípulos de Nosso Senhor Jesus Cristo, incluindo o vasto e complexo campo da vida em sociedade, onde eles são chamados a cumprir o mandato de ser sal da terra (Mateus 5, 13) e luz do mundo (Marcos 5, 14). O católico não pode manter-se indiferente diante do que acontece na comunidade, nem pode se omitir diante dos problemas dos irmãos que sofrem. Os rumos da vida social dependem da postura e da contribuição de cada discípulo e de cada comunidade eclesial. Vivendo no mundo, o católico é chamado a ser sinal de misericórdia e de consolação, e não deve reduzir a sua atuação à vida interna da Igreja Católica, ou aos serviços e ministérios dentro da comunidade. Seu campo de atuação é o mundo, com seus todos os desafios decorrentes. O ideal de justiça que motiva o cristão católico e o mantém comprometido com a transformação da sociedade nasce no coração do Evangelho. É consequência de sua fé e de sua opção por Nosso Senhor Jesus Cristo. O católico encontra o precioso desdobramento da vida nova em Nosso Senhor Jesus Cristo na Doutrina Social da Igreja Católica, que reúne os principais ensinamentos do Magistério a respeito da vida em sociedade, alicerçados na Sagrada Escritura e na Tradição da Igreja Católica. O serviço da caridade e da justiça é exigência fundamental na ação evangelizadora da Igreja Católica. Ele dá continuidade à missão de Nosso Senhor Jesus Cristo. Por isso, a ação dos católicos no campo social, animada pela fé da Igreja católica, torna-se verdadeira ação evangelizadora, pois ela testemunha a atualidade e a força transformadora do Evangelho para o mundo. A postura fundamental da Igreja Católica na sociedade é profética, de anúncio e de denúncia. Anúncio da Boa Nova do Reino dos Céus e de suas consequências para a vida social: paz como fruto de justiça. Denúncia dos graves atentados contra o ser humano, que contrariam o plano de Deus. A Igreja Católica não propõe um modelo de sistema social, nem pretende oferecer soluções técnicas para os problemas econômicos, menos ainda fazer opções político-partidárias. No entanto, encoraja os leigos e leigas católicos a fazê-lo. Os fieis participam na elaboração de projetos sócio-políticos, engajam-se no campo político-partidário, preservando sua identidade católica e dando testemunho de honestidade, competência e de dedicação ao bem comum. A participação do católico na construção da sociedade justa e solidária exige a defesa e a promoção dos direitos humanos, que devem ser efetivamente assegurados no contexto de uma democracia participativa, e não meramente representativa. O compromisso católico em favor da paz, da superação da violência e das guerras, exige a adesão pessoal a um projeto de amor e de justiça. A evangélica opção pelos pobres merece prioridade na reflexão e na prática dos católicos no mundo da economia e da política, exigindo iniciativas privadas e públicas para superar a miséria e a fome. Ao invés da acumulação egoísta de bens e da busca insaciável do lucro e do poder, a Igreja Católica propõe a partilha e a solidariedade, o acesso de todos aos bens e serviços necessários à vida digna, de modo a favorecer a superação das desigualdades entre pessoas, religiões e nações. Outro setor da vida social em que os católicos devem se fazer presentes, oferecendo sua contribuição própria, é a da cultura. O tempo da comunicação, da pesquisa científica da ecologia, da promoção da mulher e da criança e do empenho para a paz precisam ser iluminados pela luz do Evangelho. São setores onde a Palavra de Deus deve ser anunciada e testemunhada através do serviço e do diálogo. O católico deve manifestar respeito diante das expressões culturais própria de cada povo e religião, de modo a fomentar relações de convivência pacífica entre diferentes grupos humanos. Paz e Bem! R. Carlos. 

Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

21/12/2017 – Quinta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. A VIDA NOVA EM NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. O PECADO - As normas que nos são dadas pela Igreja Católica sobre pontos específicos do comportamento moral devem ser observadas à luz da Lei de Nosso Senhor Jesus Cristo. É ela que nos ilumina e capacita para fazer o bem e que nos orienta no caminho do verdadeiro amor. A Lei de Nosso Senhor Jesus Cristo consiste na prática da caridade chamada a expressar-se na ternura, na mansidão, no respeito, no diálogo construtivo, na prática da justiça e na tolerância ativa. Contudo, o ser humano pode dizer não à proposta do Pai Celestial, ao plano da graça. O pecado torna-se, assim, consequência do mau uso da liberdade. É a recusa da felicidade que Deus oferece, através do caminho que a Igreja Católica indica como mãe e mestra. A Bíblia nos diz que a raiz do pecado está em comer o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal (Gênesis 2, 17), isto é, em decidir o que é bom e o que é mau para nós, sem ouvir a Deus fechando-nos orgulhosamente sobre nós mesmos. Ao pecar, refazemos a experiência de Adão e de Eva e abrimos caminho ao pecado pela desobediência, fechando-nos ao projeto de amor de Deus para conosco. Rompemos deste modo, a comunhão com Deus e com os irmãos, recusando a vida nova no Espírito Santo. Reconhecer o nosso pecado é o início da conversão e da reconciliação. O “sim” eterno do amor de Deus é mais forte do que o “não” do ser humano pecador. O amor de Deus é mais forte do que o egoísmo humano e está sempre disponível para os que busca trilhar o caminho de conversão e da santidade, nossa vocação fundamental. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
20/12/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. A VIDA NOVA EM NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. AS OBRAS DE MISERICÓRDIA. As obras de misericórdia são manifestações da vivência da caridade por meio das quais socorremos o próximo em suas necessidades corporais e espirituais. Obras de misericórdia corporais (Mateus 25, 35-36).
1. Dar de comer a quem tem fome.
2. Dar de beber a quem tem sede.
3. Vestir os nus.
4. Dar pousada aos peregrinos.
5. Visitar os enfermos e encarcerados.
6. Remir os cativos.
7. Sepultar os mortos.
As obras de misericórdia espirituais.
1. Dar bom conselho. (Colossenses 3, 16).
2. Ensinar os ignorantes. (Hebreus 5, 12-13).
3. Corrigir os que erram. (Mateus 18, 16-17).
4. Consolar os aflitos. (1 Tessalonicense 5,11).
5. Perdoar as ofensas. (Mateus 18, 21-22).
6. Suportar com paciência as fraquezas do próximo. (Colossenses 3, 13).
7. Rogar a Deus pelos vivos. (1 Tessalonicense 5, 25; 2 Tessalonicense 3, 1; Tiago 5, 16). E pelos defuntos (2 Macabeus 12, 45).-
Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II. 
- - -

19/12/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. A VIDA NOVA EM NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. PARA COMPREENDER OS FUNAMENTOS DA MORAL: “É para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gálatas 5, 1). Criada por Deus à sua imagem e semelhança, cada pessoa é convidada a aceitar o seu projeto de amor, ultrapassando o cumprimento automático e mecânico de leis e normas. Em Nosso Senhor Jesus Cristo, nós encontramos a chave de nossa semelhança divina. Ele é a Palavra exemplar e n’Ele o ser humano se reconhece como imagem do Criador e pode responder livremente à proposta que o Pai misericordioso lhe dirige. Redimido por Nosso Senhor Jesus Cristo e sustentado pela graça, o ser humano é capaz de buscar o bem e superar o mal, no caminho para sua realização. Por ser criatura de Deus, cada pessoa traz em si uma dignidade própria. Sua vida e dignidade devem ser respeitadas em todas e quaisquer situações. Independente da condição social, cultural, étnica ou religiosa em que se encontre, a vida deve ser respeitada, valorizada, defendida e promovida. Cada ser humano é um administrador da vida que é dom de Deus. Ninguém é senhor absoluto da própria vida como se dela pudesse dispor arbitrariamente, manipulando-a ao sabor de interesses ou ideologias. A Igreja Católica enfatiza o valor da consciência, núcleo mais profundo, sacrário onde a pessoa está a sós com Deus. Pela consciência, podemos avaliar se uma ação, realizada ou por realizar, é ou não moralmente boa e decidir se devemos ou não concretizá-la. Nosso Senhor Jesus Cristo ressaltou a importância do coração, que deve ser puro, para que dele não saiam ações más. A consciência moral está sempre em formação, em processo de amadurecimento, e deve ser educada para assumir uma postura crítica responsável diante dos padrões de comportamento social apresentados pelos meios de comunicação ou ditados pela cultura. A sociedade precisa de homens e mulheres capazes de fundamentar eficazmente, em nome da ética cristã, atitudes e práticas que superem o oportunismo, o utilitarismo, a arbitrariedade, a perversidade e o egoísmo. A ética cristã é mais do que uma moral normativa. É a ética da Aliança, da vida nova. Ser discípulo de Nosso Senhor Jesus Cristo é fazer a experiência do amor, experiência sempre limitada, pois carregamos em nós a marca da condição humana, que é frágil. Por isto, precisamos de indicações claras, que expressem as melhores possibilidades éticas, no horizonte da liberdade e da fidelidade criativa. A norma moral é um sinal que nos remete à lei que já possuímos dentro de nós, como dádiva de Deus. Nós simplesmente reafirmamos o desejo de cumpri-la no empenho de crescermos em santidade. Do Antigo Testamento, recebemos o Decálogo (Dez Mandamentos), expressão da Aliança que Deus fez com o povo eleito, através de Moisés, no monte Sinai. A estes mandamentos acolhemos no coração e cumprimos na vida. Ao longo dos séculos, o decálogo tem orientado a conduta do Povo de Deus, como caminho de vida e de libertação não somente pessoal, mas, também comunitária. Em sua expressão original, o decálogo deve ser compreendido no contexto do Êxodo, centro da Antiga Aliança, libertação de Israel da escravidão do Egito (Êxodo 20, 1-17). A Igreja Católica, em sua tradição catequética, assim resumiu os mandamentos:
1. Amar a Deus sobre todas as coisas.
2. Não tomar seu Santo nome em vão.
3. Guardar domingos e festas.
4. Honrar pai e mãe.
5. Não matar.
6. Não pecar contra castidade.
7. Não furtar.
8. Não levantar falso testemunho.
9. Não desejar a mulher do próximo.
10. Não cobiçar as coisas alheias.
Ao ser perguntado pelos fariseus e saduceus sobre qual seria o maior mandamento da Lei, Nosso Senhor Jesus Cristo fez uma síntese do Decálogo, mostrando a essência da Lei: o amor a Deus e o amor ao próximo (Marcos 12, 28-34). Na véspera de sua paixão, foi além: “Eu vos dou um novo mandamento: amai-vos uns aos outros. Como eu vos amei, assim também vós deveis amar-vos uns aos outros. Nisto conhecerão todos que sois os meus discípulos: se vos amardes uns aos outros” (João 13, 34-35). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II. 

- - -
18/12/2017 – Segunda Feira

 

MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. A VIDA NOVA EM NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. A VIDA NOVA EM NOSSO SENHOR JESUS CRISTO E A IDENTIDADE CATÓLICA. “Se alguém está em Cristo, é criatura nova” (2 Coríntios 5, 17). Vivemos um tempo de mudanças radicais. Os problemas sociais se agravam com a diversidade de comportamentos. Cada um julga possuir a verdade. É comum a pessoa definir valores e normas por conta própria e adotar a sua moral pessoal. O discípulo de Nosso Senhor Jesus Cristo, porém, não cria valores e normas. Ele os recebe da Igreja Católica e os vive de modo consciente e responsável. A Igreja Católica, por sua vez, os fundamenta na Sagrada Escritura, na Tradição e na Lei natural, estabelecendo um diálogo fecundo com os diversos campos do saber e da cultura, para compreender melhor a natureza humana, a vida social e os desafios contemporâneos. A moral cristã é expressão da adesão a Nosso Senhor Jesus Cristo e se manifesta na prática dos valores evangélicos: caridade, fraternidade, justiça, misericórdia, solidariedade. Defesa da vida e da dignidade da pessoa. Portanto, não deve ser vista como um conjunto de normas sem sentido ou um diálogo frio de leis e de proibições. A conduta do discípulo de Nosso Senhor Jesus Cristo é a realização, na sua vida, das palavras e atitudes do Mestre. A fé que professa e celebra é alimentada na comunidade e concretizada no seu cotidiano. Vida nova em Nosso Senhor Jesus Cristo é graça de Deus, que frutifica em nossa participação na construção da história. Viver em Nosso Senhor Jesus Cristo é não se acostumar e nem se acomodar às estruturas injustas da sociedade, mas, transformar o próprio jeito de pensar e de agir, discernindo o que é bom e agradável a Deus na busca constante do processo de conversão. Nosso Senhor Jesus Cristo é o caminho; segui-Lo, significa buscar a vida plena, a realização do Reino. A fidelidade criativa e responsável a Nosso Senhor Jesus Cristo é dom precioso oferecido por Deus, ao qual devemos responder com a nossa vida. Tal resposta é chamada a ser uma atitude amorosa, agradecida, capaz de multiplicar e distribuir o bem que Ele nos legou. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

15/12/2017 – Sexta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. A VIDA NOVA EM NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Pai querido, conscientes de que Nosso Senhor Jesus Cristo nos libertou, nós queremos segui-Lo. Fortalecidos pela vossa graça, vossa presença em nós, comprometemo-nos com o diálogo fraterno, reconhecendo nosso próximo como o mais importante. Em especial, desejamos ser sinal de vossa ternura para as pessoas com deficiência, pobres, sofredoras e aflitas, vivendo em alegre partilha de amor, o mandamento maior. Amém. Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

 

- - -
14/12/2017 – Quinta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TRÍDUO PASCAL DA PAIXÃO E RESSURREIÇÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Uma existência animada pela graça dos Sacramentos. O ser humano está eternamente mergulhado no amor de Deus. Nele vivemos, existimos e nos movemos, dizia São Paulo (Atos dos Apóstolos 17, 28). A vida, em suas diversas etapas e circunstâncias, só é possível pela graça, pela presença de Deus. Nós, católicos, com profunda gratidão, celebramos esta realidade nos sacramentos da Igreja Católica. É uma questão de opção e de fé, de adesão a Nosso Senhor Jesus Cristo e à sua Igreja Católica. Também é uma questão de iniciação e de formação. A Liturgia educa nossa fé, nosso seguimento de Nosso Senhor Jesus Cristo e nossa espiritualidade, na medida em que participamos da própria ação litúrgica de maneira plena, ativa e consciente exterior e interiormente. Só assim, será uma participação frutuosa e transformadora. Então, a ação litúrgica é capaz de formar (dar forma, alimentar, ajudar e crescer) o “novo ser” em cada um de nós. Isto acontece na medida em que assumimos pessoalmente, depois da celebração, o jeito de viver de Nosso Senhor Jesus Cristo, que a Liturgia nos propõe. O Católico que se coloca na presença de Nosso Senhor Jesus Cristo e se deixa tocar e transformar por seu Espírito na celebração dos sacramentos, também se entregará a Nosso Senhor Jesus Cristo no seu Corpo visível, a família e a comunidade, especialmente nos que sofrem as várias formas de abandono e exclusão. Poderá viver em Nosso Senhor Jesus Cristo e anunciar a alegria das Bem-aventuranças a todas as pessoas que buscam, amam e procuram melhorar o mundo e a humanidade. Certamente não estamos sozinhos, mas, muito bem acompanhados. Quem deu e quem dá sentido à nossa vida, às nossas lutas, à nossa história é o próprio Nosso Senhor Jesus Cristo que, por amor ao Pai e a toda a humanidade, foi fiel à sua missão até o fim. Celebrar a Páscoa em todos os sacramentos e na vida é participar no Ministério de Nosso Senhor Jesus Cristo, deixando que Deus mude o que é morte em vida, a partir de pequenos e grandes gestos de doação, fidelidade e entrega, recordando o que Nosso Senhor Jesus Cristo fez e disse: “Fazei-o em minha memória” (1 Coríntios 11, 25). Assim, toda a existência do Católico torna-se sacramental, culto em espírito e verdade, sacrifício da vida oferecido a Deus no serviço fraterno. A Liturgia torna-se rito e na vida expressão de uma existência no Espírito, a serviço do Reino de Deus. A vida, de todos nós, católicos, unidos na comunhão dos sacramentos, se tornará sacramento do encontro com Nosso Senhor Jesus Cristo para todos os irmãos e irmãs. Em síntese: nossa fé católica nos faz entrar, desde agora, em contato com aquilo que cremos, mas, ainda não vemos, nem possuímos em plenitude. Através da liturgia da Igreja Católica, entramos em comunhão com Deus, por Nosso Senhor Jesus Cristo, e recebemos os frutos do Ministério da paixão, morte e ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. Por meio dos sacramentos, Deus nos envolve de graça e salvação, já durante esta vida. A oração litúrgica é a oração da comunidade de fé, com Nosso Senhor Jesus Cristo, seu Salvador, sempre presente na sua Igreja Católica, e que continua, por meio dela, a realizar a obra de nossa redenção. Paz e Bem.
Carlos. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

 

- - -
13/12/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TRÍDUO PASCAL DA PAIXÃO E RESSURREIÇÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. O sacramento do Matrimônio. O Matrimônio ou aliança conjugal é abençoado por Deus. Esse sacramento tem sentido próprio no desígnio do Criador sobre o homem e a mulher. Deus, que é amor e os criou por amor, chamou-os no Matrimônio a uma íntima comunhão de vida, de amor e de cuidados recíprocos. Assim, os cônjuges já não são dois, mas uma só carne e tornam-se portadores de bênção divina: “Sede fecundos e multiplica-vos...” (Gênesis 1, 28). O sacramento do Matrimônio é ordenado ao bem dos cônjuges, como também à geração e educação dos filhos. Nosso Senhor Jesus Cristo restabelece a ordem inicial querida por Deus e dá ao Matrimônio a nova dignidade de Sacramento, que é o sinal do seu amor qual Esposo da Igreja. Por esta razão, o sacramento do Matrimônio concede aos esposos a graça de se amarem com o mesmo amor com que Nosso Senhor Jesus Cristo amou sua Igreja e de participarem no Mistério da paternidade de Deus e da maternidade da Igreja Católica. Os cônjuges cristãos, pela virtude do Sacramento, participam do mistério da unidade e amor fecundos entre Nosso Senhor Jesus Cristo e a Igreja Católica. Ajudam-se um ao outro a santificar na vida conjugal e na aceitação e educação dos filhos. Por isso, têm, no seu estado e função, uma missão especial dentro do Povo de Deus. O amor do casal abre-se em círculos concêntricos, que envolvem a família, a sociedade e a Igreja Católica, numa perspectiva histórica que tem por horizonte último a eternidade do amor de Deus. Desta abençoada união procede a família, onde nascem os novos membros da comunidade humana que, pela graça do Espírito Santo, tornam-se filhos de Deus, para que o Povo de Deus se perpetue... É por este motivo que a graça do sacramento do Matrimônio transforma a família numa verdadeira Igreja doméstica. Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

 

- - -
12/12/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TRÍDUO PASCAL DA PAIXÃO E RESSURREIÇÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.-O sacramento do Matrimônio. O Matrimônio ou aliança conjugal é abençoado por Deus. Esse sacramento tem sentido próprio no desígnio do Criador sobre o homem e a mulher. Deus, que é amor e os criou por amor, chamou-os no Matrimônio a uma íntima comunhão de vida, de amor e de cuidados recíprocos. Assim os cônjuges já não são dois, mas uma só carne e tornam-se portadores de bênção divina: “Sede fecundos e multiplicai-vos...” (Gênesis 1, 28). O sacramento do Matrimônio é ordenado ao bem dos cônjuges, como também à geração e educação dos filhos. Nosso Senhor Jesus Cristo restabelece a ordem inicial querida por Deus e dá ao Matrimônio a nova dignidade de Sacramento, que é o sinal do seu amor qual Esposo da Igreja. Por esta razão, o sacramento do Matrimônio concede aos esposos a graça de se amarem com o mesmo amor com que Nosso Senhor Jesus Cristo amou sua Igreja e de participarem no Mistério da paternidade de Deus e da maternidade da Igreja Católica. Os cônjuges cristãos, pela virtude do Sacramento, participam do mistério da unidade e amor fecundos entre Nosso Senhor Jesus Cristo e a Igreja Católica. Ajudam-se um ao outro a santificar na vida conjugal e na aceitação e educação dos filhos. Por isso, têm, no seu estado e função, uma missão especial dentro do Povo de Deus. O amor do casal abre-se em círculos concêntricos, que envolvem a família, a sociedade e a Igreja Católica, numa perspectiva histórica que tem por horizonte último a eternidade do amor de Deus. Desta abençoada união procede a família, onde nascem os novos membros da comunidade humana que, pela graça do Espírito Santo, tornam-se filhos de Deus, para que o Povo de Deus se perpetue... É por este motivo que a graça do sacramento do Matrimônio transforma a família numa verdadeira Igreja doméstica. Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

11/12/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TRÍDUO PASCAL DA PAIXÃO E RESSURREIÇÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

O Sacramento da Ordem. “A Ordem é o Sacramento graças ao qual a missão confiada por Nosso Senhor Jesus Cristo aos seus discípulos continua sendo exercida na Igreja Católica até o fim dos tempos; é, portanto, o sacramento do ministério apostólico”. Mediante este Sacramento, alguns cristãos são ordenados para estarem à frente da comunidade, animando e articulando o processo de edificação da Igreja Católica, a serviço do anúncio e da edificação do Reino de Deus. O sacramento da Ordem é essencial para a vida do Povo de Deus. Graças ao Batismo, todos os fiéis também participam do sacerdócio de Nosso Senhor Jesus Cristo e formam, com ele, um povo sacerdotal. Este é o “sacerdócio comum” de todos os fiéis. Mas, na Igreja Católica, por vontade de Nosso Senhor Jesus Cristo, desde os tempo apostólicos, existe o sacerdócio ministerial ou “ministério ordenado”, que é transmitido pelo sacramento da Ordem. No sacerdócio ministerial distinguem-se três graus: diaconato, presbiterato e episcopado. O sacerdócio dos ministros ordenados (diáconos, padres e bispos) existe na Igreja Católica a serviço do sacerdócio comum de todos os batizados. Pelo sacramento da Ordem, eles recebem a missão de servir, em graus e responsabilidade diversa, a comunidade dos fiéis e a humanidade, em nome e na pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo, sumo e eterno Sacerdote. Palavra de Deus para a vida do mundo e Bom Pastor da humanidade. Os bispos, presbíteros e diáconos são, na Igreja Católica, sinais da presença e da ação de Nosso Senhor Jesus Cristo, servo do Pai, para a salvação da humanidade. O bispo recebe a plenitude do sacramento da Ordem que o insere no Colégio Episcopal e faz dele o chefe visível da Igreja Católica Particular que lhe é confiada. O exercício do ministério ordenado, que exige continua e generosa entrega pessoal, está intimamente ligado à pregação do Evangelho e à celebração dos sacramentos, especialmente da Eucaristia, fonte e cume da vida da Igreja Católica. Paz e Bem! R. Carlos.

 

Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -

08/12/2017 – Sexta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TRÍDUO PASCAL DA PAIXÃO E RESSURREIÇÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. O Sacramento da Unção dos Enfermos. A Unção dos Enfermos é o sacramento pelo qual a Igreja Católica, através da unção e da oração dos presbíteros, entrega os doentes aos cuidados de Nosso Senhor Jesus Cristo sofredor e glorificado, para que os alivie e os salve. Deus vem ao encontro da fragilidade do ser humano. Este sacramento pode ser pedido na doença ou na velhice, esteja ou não o doente em perigo iminente de morrer. Trata-se de ação misericordiosa de Nosso Senhor Jesus Cristo Redentor, que se torna presente no sacramento para fortificar, sanar e reerguer o doente ou idoso. O Evangelho revela a compaixão de Nosso Senhor Jesus Cristo para com os doentes. As numerosas curas realizadas são claros sinais de que, por Nosso Senhor Jesus Cristo, chegou o Reino de Deus prometido e esperado e a vitória sobre o pecado, o sofrimento e a morte. Aceitando sua paixão e morte, Nosso Senhor Jesus Cristo deu sentido ao sofrimento humano. A Igreja Católica, além do cuidado com os doentes, acompanha-os com orações e celebra o sacramento da Unção dos Enfermos. Nós cremos que a união do próprio sofrimento ao de Nosso Senhor Jesus Cristo pode se tornar meio de purificação e de salvação para nós e para a Igreja Católica. Se possível, a Unção deve ser precedida pela Confissão do doente. Torna-se, assim, oração da Igreja Católica e profissão de fé do penitente, remédio e conforto espiritual para enfrentar a velhice, a enfermidade e a morte, à luz do mistério de Nosso Senhor Jesus Cristo. Este sacramento transmite o dom da fortaleza, como dom na perseverança do caminho do bem e na oposição às tentações. Por tal motivo, o doente é chamado a fazer de seu leito de dor o altar de seu sacrifício, de sua imolação e de sua oferta ao Pai Celestial, transformando sua dor num ato de amor. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II. 

 

- - -
07/12/2017 – Quinta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TRÍDUO PASCAL DA PAIXÃO E RESSURREIÇÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. O Sacramento da Penitência ou Reconciliação. Penitência ou Reconciliação é o sacramento pelo qual o católico obtém da misericórdia divina, o perdão da ofensa feita a Deus e ao próximo. Ao mesmo tempo, é reconciliado com a Igreja Católica que feriu com seu pecado. Quando melhor se conhece o sacramento da Reconciliação, mais se aprecia este verdadeiro dom de Deus à sua Igreja Católica. Nosso Senhor Jesus Cristo instituiu este sacramento para a remissão dos pecados de todos os batizados que se afastaram de Deus e romperam com a comunidade. O poder divino, atuando através do ministério sacerdotal, restabelece a comunhão rompida pelo pecado. O pecado é o verdadeiro mal a ser vencido, pois, impede a harmonia da pessoa consigo mesma, com a comunidade de fé e com Deus. Provoca angústia e fere as relações fundadas na verdade e no amor, na justiça e na solidariedade, afasta de Deus e pode produzir a morte definitiva. O remédio do sacramento da Penitência é a misericórdia de Deus que, movido por compaixão, perdoa, reconcilia e restaura a pessoa que se converte sob a ação do Espírito Santo e recebe a absolvição do sacerdote, que age em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo. Para receber este dom de Deus, o católico pede o sacramento com fé. Humildade e coração contrito, ao menos uma vez, por ocasião da Páscoa; ou sempre que a consciência o exigir. Ele se entrega ao abraço de Nosso Senhor Jesus Cristo que, ao perdoá-lo, reintegra em sua condição de discípulo e membro da sua Igreja Católica. Os atos do penitente para uma boa confissão são: o exame de consciência, o arrependimento ou a contrição, o firme propósito de não pecar mais, a confissão dos pecados perante o sacerdote e o cumprimento dos atos de penitência indicados pelo sacerdote para reparar o dano causado pelo pecado. A celebração do sacramento sublinha o caráter pessoal, comunitário e social do pecado, assim como o caráter da ação da graça divina. A Confissão é um momento privilegiado de vivência do Mistério Pascal, pois o penitente passa da morte, do pecado para a vida nova em Nosso Senhor Jesus Cristo, e sob a ação do Espírito Santo, da glória a Deus Santo e Misericordioso. O ritual da penitência apresenta três formas para celebrar o sacramento da Reconciliação: confissão e absolvição individual; celebração comunitária com confissão e absolvição individual e celebração comunitária, com confissão genérica e absolvição coletiva.

 

A primeira forma é a que normalmente mais é usada. A pessoa faz o seu exame de consciência, arrepende-se de seus pecados, procura um sacerdote e ali, depois de confessar os seus pecados, recebe a absolvição e a penitência, e agradece a Deus o perdão recebido. A segunda forma celebrativa é a mais indicada para a celebração de reconciliação porque ela expressa melhor a eclesialidade desse sacramento onde a comunidade reunida, ouve a Palavra de Deus e se dispõe para a reconciliação. Depois, cada um faz a confissão individual ao sacerdote, recebe a penitência e, novamente em comunidade, louva e bendiz a Deus pela sua misericórdia. A terceira forma somente poderá ser usada em certos casos, como forma extraordinária quando, por exemplo, houver iminente perigo de morte e não houver tempo para que o sacerdote ouça a confissão de cada um dos penitentes. Poderá ser usada, ainda, quando por causa do número de penitentes não houver número suficiente de padres confessores para ouvirem as confissões de cada um, dentro de um espaço de tempo razoável, de tal modo que os penitentes, sem culpa própria, sejam forçados a ficar muito tempo sem a graça sacramental ou sem a sagrada comunhão. Além destas três formas sacramentais da reconciliação, o Ritual da Penitência nos traz também as Celebrações Penitenciais que, mesmo não sendo sacramentais, são de grande proveito, tanto para a vida de cada cristão católico como da comunidade cristã. Eles servem para alimentar o espírito e a virtude da penitência, e preparar uma celebração mais proveitosa do sacramento. As celebrações penitenciais são reuniões do povo de Deus para ouvir sua Palavra, que convida à conversão e à reconciliação da vida, proclamando também nossa libertação do pecado pela morte e ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. O Catecismo da Igreja Católica apresenta ainda múltiplas formas de penitência na vida do cristão católico como o jejum, a oração, a esmola, os esforços empreendidos para reconciliarem-se com o próximo, as lágrimas de penitência, a preocupação com a salvação do próximo, a intercessão dos santos, a prática da caridade (que cobre uma multidão de pecados). “A conversão se realiza na vida cotidiana através dos gestos de reconciliação, do cuidado dos pobres, do exercício e da defesa da justiça e do direito, pela confissão da falta aos irmãos, pela correção fraterna, pela revisão de vida, pelo exame de consciência, pela direção espiritual, pela aceitação dos sofrimentos, pela firmeza na perseguição por causa da justiça. Tomar sua cruz, cada dia, e seguir a Nosso Senhor Jesus Cristo é o caminho mais seguro da penitência”. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

 

- - -
06/12/2017 – Quarta Feira

 

MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TRÍDUO PASCAL DA PAIXÃO E RESSURREIÇÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Os Sacramentos medicinais: Penitência ou Reconciliação e Unção dos Enfermos. Os sacramentos da Penitência e da Unção dos Enfermos são chamados “sacramentos medicinais” ou de cura. A Penitência é também chamada sacramento da Reconciliação, Perdão, Confissão ou da Conversão. Deus, em seu infinito amor, nunca abandona a obra iniciada. Nosso Senhor Jesus Cristo, nosso Redentor e Salvador, instituiu estes sacramentos para resgatar a vida da graça, perdida ou enfraquecida pelo pecado. Ao longo da vida e até nos momentos de fraqueza e doença, ouvimos em nosso íntimo o apelo de Nosso Senhor Jesus Cristo à conversão, o convite à vida plena. A conversão é uma necessidade contínua para nós e para a Igreja Católica, que é santa e pecadora, porque é formada de pessoas. As celebrações destes sacramentos são verdadeiros encontros com Nosso Senhor Jesus Cristo Redentor porque, através da Igreja Católica, Nosso Senhor Jesus Cristo acolhe e perdoa os que se encontram em estado de pecado, de fraqueza ou de doença. Nestes encontros de oração, a Palavra de Deus é proclamada e o Espírito Santo age. Por isso, estes sacramentos são verdadeiros remédios que realizam a cura interior. Na Unção dos Enfermos, além do perdão dos pecados, é possível a cura da enfermidade que o católico deve suplicar com fé dócil à vontade de Deus. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
05/12/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TRÍDUO PASCAL DA PAIXÃO E RESSURREIÇÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. O Sacramento da Eucaristia. A Eucaristia é a celebração da Ceia do Senhor e a renovação da Nova Aliança de Deus com seu Povo. É o memorial do sacrifício de Nosso Senhor Jesus Cristo em favor da humanidade. É a fonte e o centro da vida cristã. Ela reúne e faz da Igreja Católica o Corpo de Nosso Senhor Jesus Cristo. É sinal de unidade e alimento para a caminhada dos cristãos. Os Católicos, sobretudo aos domingos, se reúnem para celebrar a ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. Deus Pai Javé os convoca em sua casa para celebrar esta festa. Desde o tempo dos apóstolos, os cristãos sabem que não podem viver sem a Eucaristia no domingo, dia do Senhor Jesus. A palavra Eucaristia significa “ação de graças”. Com fé e alegria, reunimo-nos em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, escutamos sua Palavra, damos graças ao Pai Celestial, oferecemo-nos a Ele com Nosso Senhor Jesus Cristo, alimentamo-nos do Pão da Vida e somos enviados à missão. Durante a Missa, através daquele que preside a celebração, a Igreja Católica suplica ao Pai do Céu que envie o Espírito Santo sobre o Pão e o Vinho, para que os transforme no Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo; e também sobre a comunidade reunida, para que, recebendo o Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo, seja por ele renovada e reunida num só corpo: o corpo de Nosso Senhor Jesus Cristo. Comungar é unir-se a Nosso Senhor Jesus Cristo e formar com Ele um só corpo. Como disse São Leão Magno: “A nossa participação no Corpo e Sangue de Cristo age de tal modo que nos transformamos naquele que recebemos”. Portanto, é dispor-se a viver, em comunhão com a Igreja Católica, a missão de evangelizar, através da escuta e do anúncio da Palavra, da comunhão fraterna, do serviço ao próximo e do compromisso com a justiça. Terminada a celebração, as pessoas reunidas na celebração são enviadas a viver e a testemunhar a fé no seu dia a dia e a colaborar no crescimento do Reino de Deus nos vários ambientes em que vivem. Este é um grande privilégio e uma grande missão: ser sinal da presença de Nosso Senhor Jesus Cristo. Também quando os fiéis de nossas comunidades se reúnem sem a presença do padre para a celebração dominical, alimentando-se com o Pão da Palavra, eles estão unidos à celebração da Eucaristia na Paróquia. Essa união é estabelecida através de ministros não-ordenados, autorizados a presidir a celebração da Palavra e a distribuir a Sagrada Comunhão. O Católico reconhece com gratidão que tem o compromisso de participar da Eucaristia dominical, por ser celebrada no dia em que Nosso Senhor Jesus Cristo venceu a morte e nos fez participantes de sua vida imortal. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II. 

 

- - -
04/12/2017 – Segunda Feira

 

MINI SERMÃO

 

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ
TRIDUO PASCAL DA PAIXÃO E RESSURREIÇÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. O Sacramento da Confirmação. É o sacramento que confirma e consolida a graça batismal, e concede o dom especial do Espírito Santo, unindo o cristão a Nosso Senhor Jesus Cristo e à sua Igreja Católica Apostólica Romana. Existe, assim, uma íntima relação entre os sacramentos do Batismo e da Confirmação, mesmo que haja uma distância de anos entre estas celebrações. O gesto de estender as mãos sobre o confirmando e a unção com óleo da Crisma são os sinais do dom do Espírito Santo. Ele comunica uma força especial para viver e testemunhar a fé cristã. Este sacramento também se chama Crisma, porque a unção é realizada com o sagrado óleo da Crisma. Por esta unção, o cristão católico participa das unções do Espírito sobre Nosso Senhor Jesus Cristo, em seu Batismo e sobre os apóstolos e Maria Santíssima, em Pentecostes. Considerando-se a prática comum do Batismo de crianças, a confirmação passa a marcar a maturidade da fé e a personalização do compromisso batismal. Por esta razão, é necessário que seja precedida de cuidadosa catequese. Somente assim, o sacramento da Crisma será uma experiência especial e marcante na vida dos jovens, suscitando a continuidade na participação consciente e ativa nas celebrações e na vida da Igreja Católica Apostólica Romana. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II. 

- - -
01/12/2017 – Sexta Feira 

MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TRÍDUO PASCAL DA PAIXÃO E RESSURREIÇÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. O Sacramento do Batismo. O Batismo é o fundamento de toda a vida cristã e o nascimento para a vida nova em Nosso Senhor Jesus Cristo. Libertos do pecado e regenerados como filhos de Deus nas águas do Batismo, tornando-nos membros de Nosso Senhor Jesus Cristo, somos incorporados à Igreja Católica e feitos participantes de sua missão. O Batismo não pode ser compreendido apenas como uma bênção concedida às crianças. Supõe mudança de vida, conversão e adesão a Nosso Senhor Jesus Cristo, uma resposta de fé, que se manifesta em um estilo de vida coerente com os valores do Reino dos Céus. Apesar de purificar de todos os pecados, o Batismo não é um ato mágico, que arranca de vez todo o mal que existe em nós e no mundo. É um dom, que precisa ser acolhido, exercitado e vivido todos os dias. A vida do cristão é uma luta permanente contra o mal. O cristão é alimentado pela Igreja Católica, com a Palavra de Deus e a Eucaristia que nos fazem crescer na fé, chegando a uma forma de vida semelhante à de Nosso Senhor Jesus Cristo. Pelo Batismo, o cristão católico participa da missão sacerdotal, profética e real de Nosso Senhor Jesus Cristo. Enquanto sacerdote é chamado a santificar a própria vida, dialogando com Deus em favor da humanidade e consagrando o dia a dia da vida no serviço a Deus e na transformação do mundo. Enquanto profeta é chamado a ouvir a Deus, acolhendo e vivendo sua santa Palavra, anunciando o Evangelho aos irmãos e denunciando tudo o que se opõe ao Reino de Deus. Somos chamados a agir no mundo, a exemplo de Nosso Senhor Jesus Cristo, bom pastor, servindo os irmãos na caridade. Desde os tempos apostólicos, a Igreja Católica batiza as crianças e confia a educação cristã dos filhos aos pais, padrinhos e à comunidade. Pelo matrimônio, os pais cristãos católicos assumem o compromisso não somente de batizar seus filhos, mas de educá-los na fé. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
30/11/2017 – Quinta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TRÍDUO PASCAL DA PAIXÃO E RESSURREIÇÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.
Os Sacramentos da iniciação cristã: Batismo, Confirmação e Eucaristia. A vida litúrgica começa pelos sacramentos da iniciação cristã. Eles nos unem ao Mistério Pascal de Nosso Senhor Jesus Cristo. O cristão é um iniciado, alguém que foi introduzido no Mistério de Nosso Senhor Jesus Cristo. No processo de iniciação, são revelados ao cristão os divinos Mistérios sobre a verdade da fé e da vida cristã, conservados e transmitidos pela Igreja Católica. A adesão afetiva e efetiva a Nosso Senhor Jesus Cristo é o caminho da conversão. Acolhido na Igreja Católica, comunidade de fé e comunhão, o início cresce na configuração com Nosso Senhor Jesus Cristo pelo caminho da fé e da celebração, e assume como própria a missão eclesial. Neste sentido, o evangelizado passa a ser um evangelizador. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

 

- - -
29/11/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TRÍDUO PASCAL DA PAIXÃO E RESSURREIÇÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. A ação santificadora do Espírito Santo. O Espírito Santo está ativamente presente em todos os sacramentos. É pela ação do Espírito Santo que o Mistério Pascal de Nosso Senhor Jesus Cristo transforma a vida dos cristãos e da comunidade eclesial. Os sacramentos são sempre:
a) Sacramento de Nosso Senhor Jesus Cristo, pois foram instituídos por Ele, como obras-primas de Deus, realizando assim a Nova e Eterna Aliança;

 

b) Sacramentos da Igreja Católica, uma vez que existem através dela e para ela, edificam a Igreja Católica e dependem dela;

 

c) Sacramentos da fé, pois eles comunicam e sustentam a fé, que é necessária para a reta e eficaz celebrações;

 

d) Sacramentos da salvação: eles comunicam a graça de Deus da qual são sinais;

 

e) Sacramentos da vida eterna: celebram o Mistério do Senhor, até que ele venha e comunicam a vida de Deus ao ser humano.

 

Os sacramentos não eliminam na Igreja Católica ou nos fiéis e sua condição humana. Antes, eles purificam e integram toda a riqueza das palavras, dos sinais e dos símbolos do mundo e da história, fazendo acontecer, em todos os tempos e lugares, a salvação realizada por Nosso Senhor Jesus Cristo. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo I

 

- - -
28/11/2017 – Terça Feira

 

MINI SERMÃO

 

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TRÍDUO PASCAL DA PAIXÃO E RESSURREIÇÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Os sacramentos de Nosso Senhor Jesus Cristo e da Santa Igreja Católica Apostólica Romana. Os sacramentos são encontros pessoais com Nosso Senhor Jesus Cristo e sinais de salvação. Estes encontros se realizam através de sinais sensíveis e visíveis que Nosso Senhor Jesus Cristo nos deixou. Nos sacramentos, é saciado nosso anseio por vida plena. O próprio Nosso Senhor Jesus Cristo nos comunica a vida divina e sua plena comunhão com o Pai. Toda a vida cristã se desenvolve em torno dos sacramentos, especialmente o da Eucaristia. Ao longo de sua história bi-milenar, a Igreja Católica foi discernindo que, dentre suas celebrações litúrgicas, existem sete que são, no sentido próprio da palavra, sacramentos, instituídos por Nosso Senhor Jesus Cristo: o Batismo, a Confissão ou Crisma, a Eucaristia, a Penitência ou Reconciliação, a Unção dos Enfermos, a Ordem e o Matrimônio. Nosso Senhor Jesus Cristo não é apenas o autor dos sacramentos, mas também o seu Ministro. É Nosso Senhor Jesus Cristo quem, através dos ministros da Igreja Católica, batiza, consagra, perdoa, cura... Além dos sacramentos, também os “Sacramentais” fazem parte da Liturgia da Igreja Católica. São instituídos pela Igreja Católica em vista da santificação dos fiéis, da consagração de certos estados de vida, da invocação da proteção de Deus em circunstâncias muito variadas da vida cristã. Entre os Sacramentais figuram em primeiro lugar as bênçãos (de pessoas, da mesa, de objetos e lugares). Além dos sacramentos e dos Sacramentais, existem muitas outras manifestações da piedade dos fiéis e da religiosidade popular, que circundam a vida sacramental da Igreja Católica, como a veneração de relíquias, visitas a santuários, peregrinações, procissões, via-sacra, danças religiosas, o rosário e as medalhas. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

 

- - -
27/11/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TRÍDUO PASCAL DA PAIXÃO E RESSURREIÇÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Os sacramentos: Vida de Nosso Senhor Jesus Cristo para sua Igreja Católica Apostólica Romana. Os sacramentos da Igreja Católica são realidade viva e que entusiasmam motivo de continuação de graças para os cristãos católicos. Nos sacramentos, a promessa divina de estar presente em nós, revelada por Nosso Senhor Jesus Cristo, torna-se mais próxima, faz-se quase visível e palpável. Ela penetra em nosso coração e suscita uma resposta ativa, que nos liberta e nos faz testemunhas do amor de Deus e membros vivos da Igreja Católica. A celebração dos sacramentos abrange as principais etapas de nossa existência como cristãos. O nascimento e a entrada na Igreja Católica (Batismo), a passagem da infância para a maturidade da fé (Crisma), a alimentação e a bebida, força e sustento na caminhada (Eucaristia) o retorno à casa paterna quando a abandonamos (Reconciliação – confissão), o compromisso com a construção da família e da comunidade eclesial (Matrimônio), a enfermidade e a velhice (Unção dos Enfermos). Todos esses acontecimentos importantes da vida são santificados pela graça de Deus, através da celebração dos sacramentos que Nosso Senhor Jesus Cristo nos deixou. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
26/11/2017 – Domingo
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TRÍDUO PASCAL DA PAIXÃO E RESSURREIÇÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.
Os Lecionários: As leituras indicadas nos Lecionários foram dispostas da seguinte maneira: para os domingos e algumas festas temos um ciclo de três anos (está no Lecionário Dominical: A) Mateus; B) Marcos; C) Lucas. O Evangelho de João é proclamado em algumas solenidades e também durante alguns domingos do ano B. Para os dias da semana, o Evangelho tem um ciclo anual e as leituras um ciclo bienal, um para os anos pares e outro para os anos impares (está no Lecionário Semanal). Para as festas e algumas memórias dos santos, temos leituras próprias, indicadas no Lecionário Santoral.
Dias Santos de guarda: “Dias de festa”, “dias de preceito”, “festas de preceito” ou, como se diz, “dias santos de guarda”, são dias em que “os fiéis têm obrigações de participar da Missa e devem abster-se das atividades e negócios que impeçam o culto a ser prestado a Deus, a alegria própria do Dia do Senhor e o devido descanso do corpo e da alma”. O domingo é o dia de festa por excelência, em toda a Igreja Católica, além do domingo, as festas de preceitos são as seguintes: Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo (25 de dezembro); Santíssimo Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo (quinta feira após o domingo da Santíssima Trindade); Santa Maria Mãe de Deus (1º de janeiro); Imaculada Conceição de Nossa Senhora (8 de dezembro). As celebrações da Epifania, da Ascensão, da Assunção de Nossa Senhora, dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo e a de Todos os Santos ficam transferidas para o domingo, de acordo com as normas litúrgicas.
Jejum e abstinência: Estão obrigados à lei da abstinência aqueles que tiverem completado catorze anos de idade; estão obrigados à lei do jejum todos os maiores de idade, até os sessenta anos. Todavia, os pastores de almas e pais cuidem para que sejam formados para o genuíno sentido da penitência também os que não estão obrigados à lei do jejum e da abstinência, em razão da pouca idade. A Legislação complementar da CNBB – (Conselho Nacional dos Bispos do Brasil) quanto aos cânones 1251 e 1253 do Código de Direito Canônico, nos recorda que no “Brasil”, toda sexta-feira do ano é dia de penitência, a não ser que coincida com alguma solenidade do calendário litúrgico. Os fiéis nesse dia se abstenham de carne ou outro alimento, ou pratiquem alguma forma de penitência, principalmente obras de caridade ou exercícios de piedade. “A Quarta - feira de Cinzas e a Sexta – feira Santa, memória da Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo, são dias de jejum e abstinências. A abstinência pode ser substituída pelos próprios fiéis por outra prática de penitência, caridade ou piedade, particularmente pela participação nesses dias na Sagrada Liturgia”. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

25/11/2017 – Sábado
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TRÍDUO PASCAL DA PAIXÃO E RESSURREIÇÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Os Lecionários: As leituras indicadas nos Lecionários foram dispostas da seguinte maneira: para os domingos e algumas festas temos um ciclo de três anos (está no Lecionário Dominical: A) Mateus; B) Marcos; C) Lucas. O Evangelho de João é proclamado em algumas solenidades e também durante alguns domingos do ano B. Para os dias da semana, o Evangelho tem um ciclo anual e as leituras um ciclo bienal, um para os anos pares e outro para os anos impares (está no Lecionário Semanal). Para as festas e algumas memórias dos santos, temos leituras próprias, indicadas no Lecionário Santoral. Dias Santos de guarda: “Dias de festa”, “dias de preceito”, “festas de preceito” ou, como se diz, “dias santos de guarda”, são dias em que “os fiéis têm obrigações de participar da Missa e devem abster-se das atividades e negócios que impeçam o culto a ser prestado a Deus, a alegria própria do Dia do Senhor e o devido descanso do corpo e da alma”. O domingo é o dia de festa por excelência, em toda a Igreja Católica, além do domingo, as festas de preceitos são as seguintes: Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo (25 de dezembro); Santíssimo Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo (quinta feira após o domingo da Santíssima Trindade); Santa Maria Mãe de Deus (1º de janeiro); Imaculada Conceição de Nossa Senhora (8 de dezembro). As celebrações da Epifania, da Ascensão, da Assunção de Nossa Senhora, dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo e a de Todos os Santos ficam transferidas para o domingo seguinte, de acordo com as normas litúrgicas. Jejum e abstinência: Estão obrigados à lei da abstinência aqueles que tiverem completado catorze anos de idade; estão obrigados à lei do jejum todos os maiores de idade, até os sessenta anos. Todavia, os pastores de almas e pais cuidem para que sejam formados para o genuíno sentido da penitência também os que não estão obrigados à lei do jejum e da abstinência, em razão da pouca idade. A Legislação complementar da CNBB – (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) quanto aos cânones 1251 e 1253 do Código de Direito Canônico, nos recorda que no “Brasil”, toda sexta-feira do ano é dia de penitência, a não ser que coincida com alguma solenidade do calendário litúrgico. Os fiéis nesse dia se abstenham de carne ou outro alimento, ou pratiquem alguma forma de penitência, principalmente obras de caridade ou exercícios de piedade. “A Quarta - feira de Cinzas e a Sexta Feira Santa, memória da Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo, são dias de jejum e abstinências. A abstinência pode ser substituída pelos próprios fiéis por outra prática de penitência, caridade ou piedade, particularmente pela participação nesses dias na Sagrada Liturgia”. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -24/11/2017 – Sexta Feira

MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. TRÍDUO PASCAL DA PAIXÃO E RESSURREIÇÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Começa na quinta feira santa à noite com a Missa da Ceia do Senhor (depois do por do sol) e dura até à tarde do domingo da Páscoa da ressurreição, com as Vésperas. É o ápice do ano litúrgico porque celebra a Morte e a Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo, que realizou a obra da redenção humana e da perfeita glorificação de Deus pelo seu mistério pascal, quando morrendo destruiu a nossa morte e ressuscitando renovou a vida. Tempo Pascal: é o tempo entre os cinquenta dias entre o domingo da Ressurreição e o domingo de Pentecostes. É o tempo da alegria e da exultação, um só dia de festa, “um grande domingo”. São dias de Páscoa e não após a Páscoa. A festa da Ascensão é celebrada no Brasil no sétimo domingo da Páscoa. A semana seguinte, até Pentecostes, caracteriza-se pela preparação à celebração da vinda do Espírito Santo. É realizada nesta semana a “Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos”. Tempo de Quaresma: é o tempo de preparação para a Páscoa. Inicia-se com a quarta feira de Cinzas durando até a Missa da Ceia do Senhor, exclusive. “Tanto na Liturgia quando na Catequese litúrgica esclareça-se melhor a dupla índole do tempo quaresmal que principalmente pela lembrança ou preparação do Batismo e pela penitência, fazendo os fiéis ouvirem com mais frequência a Palavra de Deus e entregarem-se à oração, os dispõe à celebração do Mistério Pascal”. Tempo de Natal: é o tempo entre as primeiras vésperas do Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo até a festa do Batismo de Nosso Senhor Jesus Cristo. É a comemoração do nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo, em que celebramos a “troca de dons entre o céu e a terra”, pedindo que possamos “participar da divindade d’Aquele que uniu ao Pai a nossa humanidade” (Oração sobre as Oferendas, Missa de Noite de Natal). Na Epifania, celebramos a manifestação de Nosso Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus, “luz para iluminar todos os povos no caminho da salvação”. Tempo de Advento: São as quatro semanas de preparação ao Natal. Este tempo “possui dupla característica: sendo um tempo de preparação para as solenidades do Natal, em que se comemora a primeira vinda do Filho de Deus entre os homens, Nosso Senhor Jesus Cristo; é também um tempo em que, por meio desta lembrança voltam-se os corações para a expectativa da segunda vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo no fim dos tempos. Por este duplo motivo, o tempo do Advento se apresenta como um tempo de piedosa e alegre expectativa”. Tempo Comum: A tônica dos trinta e três ou trinta e quatro domingos é dada pela leitura continua do Evangelho. Cada texto do Evangelho proclamado nos coloca no seguimento de Nosso Senhor Jesus Cristo, desde o chamamento dos discípulos até os ensinamentos a respeito dos fins dos tempos. Neste tempo, temos também as festas do Senhor e a comemoração das testemunhas do mistério pascal (Virgem Maria, Apóstolos e Evangelistas, demais Santos e Santas). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -
23/11/2017 – Quinta Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. A LITURGIA NOS RITMOS DO TEMPO. O Ano Litúrgico não apenas recorda as ações de Nosso Senhor Jesus Cristo, nem somente renova a lembrança de ações passadas, mas, sua celebração tem força sacramental e especial eficácia para alimentar a vida cristã. Por isso, o Ano Litúrgico torna-se um caminho pedagógico-espiritual nos ritmos do tempo. Para fazer memória do mistério, a liturgia se utiliza de três ritmos diferentes: o ritmo diário, alternando manhã, e tarde, dia e noite, luz e trevas; o ritmo semanal, alternando trabalho e descanso, ação e celebração; o ritmo anual, alternando o ciclo das estações e a sucessão dos anos.
a) O ritmo diário. Acompanhando o movimento do dia, tendo como referência a presença do sol, que é símbolo de Nosso Senhor Jesus Cristo, o povo de Deus faz memória de Nosso Senhor Jesus Cristo, nas horas do dia, pela celebração do Ofício Divino. Daí decorre o nome “Liturgia das horas”. De tarde, o sol poente evoca o mistério da morte, na esperança da ressurreição. De manhã, o sol nascente evoca o mistério da ressurreição, novo dia para a humanidade. De noite, nas vigílias, principalmente na vigília de sábado à noite, que se inicia o domingo, dia da ressurreição, celebramos em espera vigilante o mistério da volta do Senhor. Como oração do povo de Deus, verdadeira ação litúrgica, o Oficio Divino é excelente escola e referência fundamental para nossa oração individual. Os ministros ordenados e religiosos assumem publicamente o compromisso de celebrar a Liturgia das Horas nas principais horas do dia. Os fiéis leigos também são convidados a celebrá-la, individual ou comunitariamente. Podem fazê-lo seguindo o roteiro simples e adaptado proposto pelo Oficio Divino das comunidades, que conserva a teologia e a estrutura da Liturgia das Horas. b) O ritmo semanal. O ritmo semana l é marcado pelo domingo, o dia em que Nosso Senhor Jesus Cristo se manifestou ressuscitado (Marcos 16, 2; Lucas 24, 1; Mateus 28, 1; João 20, 1). “Por tradição apostólica que tem sua origem do dia mesmo da ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo, a Igreja Católica celebra cada oitavo dia o mistério pascal, naquele que se chama justamente dia do Senhor ou domingo. Neste dia, pois, devem os fiéis reunir-se em assembleia “Santa Missa” para ouvirem a Palavra de Deus e participarem da Santa Eucaristia, e assim recordarem a paixão, morte, ressurreição e a glória de Nosso Senhor Jesus Cristo e darem graças a Deus que os “gerou de novo pela ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo dentre os mortos para uma esperança viva” (1 Pedro 1, 3). O domingo é, pois, o principal dia de festa que deve ser lembrado e inculcado à piedade dos fiéis: seja também o dia da alegria e da abstenção do trabalho. As outras celebrações não sejam antepostas, a não  ser as de máxima importância, porque o domingo é o fundamento e o núcleo do ano litúrgico. O saudoso Papa João Paulo II, na Carta Apostólica sobre o domingo (Dies Domini), apresenta as cinco características deste dia: Dia do Senhor, Dia de Nosso Senhor Jesus Cristo, Dia da Igreja Católica, Dia do Homem e Dia dos Dias. O mesmo Papa nos pede, na Carta Apostólica Mane Nobiscum Domine, que demos “uma atenção ainda maior à Missa dominical, como celebração na qual a comunidade paroquial se reencontra em coro, vendo comumente participantes também os vários grupos, movimentos, associações nela presentes”. c) O ritmo anual. O Ano Litúrgico compreende dois tempos fortes: o Ciclo Pascal, tendo como centro o Tríduo Pascal, a Quaresma como preparação e o Tempo Pascal como prolongamento e o Ciclo do Natal, com sua preparação no Advento e o seu prolongamento até a festa do Batismo de Nosso Senhor Jesus Cristo. Além destes dois, temos o Tempo Comum. Paz e Bem!
R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -

22/11/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. QUANDO CELEBRAR NA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA? A liturgia é a celebração do Mistério Pascal de Nosso Senhor Jesus Cristo. Em volta deste núcleo fundamental da nossa fé, celebramos no Ano Litúrgico a memória do Ressuscitado na vida de cada pessoa e de cada comunidade. O ano litúrgico “revela todo o mistério de Nosso Senhor Jesus Cristo no decorrer do ano, desde a encarnação e nascimento até à ascensão, ao pentecostes e à expectativa da feliz esperança da vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo”. Por meio da celebração do ano litúrgico, a Igreja Católica propõe aos fiéis um caminho espiritual através da vivência da graça própria de cada aspecto do Mistério de Nosso Senhor Jesus Cristo, presente e operante nas diversas festas e nos diversos tempos litúrgicos. Deste modo, os fiéis fazem a experiência de se configurar ao seu Senhor, Nosso Senhor Jesus Cristo e dele aprenderem a viver “os seus sentimentos” (Filipenses 2, 5). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

21/11/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. COMO SÃO AS PALAVRAS, AÇÕES E OS CÂNTICOS NA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA. As palavras acompanham as ações sacramentais e expressam o seu sentido profundo. As ações são ações do próprio Nosso Senhor Jesus Cristo que, presente na comunidade celebrante, enquanto cabeça da Igreja Católica que é seu corpo santifica-a e anima-a na esperança. O Cântico e a música têm função própria na Liturgia. Devem estar estreitamente ligados com os momentos rituais da celebração. Sua finalidade principal é a glorificação de Deus e a santificação da assembleia, levando-a a mergulhar no Mistério que está sendo celebrado e a entregar-se ao amor do Pai, do Filho e do Espírito Santo. A Igreja Católica prescreve que as celebrações sejam realizadas com reverência e nobre simplicidade. Que seu sentido seja transparente e inteligível, e que o silêncio seja respeitado. A própria natureza da liturgia exige que a linguagem verbal, gestual e musical esteja em consonância com o clima orante, indispensável em toda celebração. “Quem canta, reza duas vezes”, disse Santo Agostinho. O cântico e a música litúrgica favorecem e aprofundam a comunhão com Deus e com a comunidade. Para que isso aconteça, há critérios que devem ser respeitados: a fundamentação bíblica; a conformidade dos textos com a doutrina católica; sua origem preferencial nas fontes litúrgicas; a qualidade da harmonia; a beleza e a profundidade da oração da Igreja Católica; a possibilidade de participação da assembleia; a riqueza da expressão cultural do Povo de Deus e o caráter sagrado e solene da celebração. Paz e Bem!
R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.

- - -

20/11/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. COMO CELEBRAR A LITURGIA NA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA. A celebração litúrgica se realiza através de sinais e símbolos que têm suas origens na cultura humana. Sinais e símbolos que foram adquirindo significado progressivo nos eventos da Antiga Aliança e que se revelaram plenamente na pessoa e na vida de Nosso Senhor Jesus Cristo. O encontro dos filhos de Deus com seu Pai, em Nosso Senhor Jesus Cristo e no Espírito Santo, é uma experiência de fé e de vida. As ações litúrgicas ou ritos significam e celebram esse encontro vital, através de palavras, de ações e do silêncio. Formam uma unidade ritual e significam o que a Palavra de Deus exprime: a iniciativa gratuita de Deus e, ao mesmo tempo, a resposta de fé do seu povo. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie este e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. para as pessoas que você conhece. Este também é um dos meios de evangelização, a pedido de nosso saudoso Papa João Paulo II.
- - -

17/11/2017 – Sexta Feira
MINI SERMÃO.
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. QUEM CELEBRA A SAGRADA LITURGIA NA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA? A Liturgia é uma ação: ação de Deus para com o seu povo e também ação do povo para com seu Deus. Deus realiza em nós a ação da santificação e redenção através de seu Filho Nosso Senhor Jesus Cristo, na força do Espírito Santo. A Liturgia é também ação do “Cristo todo”, isso é, cabeça e membros. Por isso “deve expressar o sentido mais profundo de sua oblação ao Pai: obedecer, fazendo de toda sua vida a revelação do amor do Pai pelos homens. O culto cristão deve, portanto, expressar a dupla vertente da obediência ao Pai (glorificação) e da caridade com os irmãos (redenção), pois a glória de Deus é que o homem viva. Com o qual, longe de alienar aos homens, liberta-os e os faz irmãos”. A celebração é uma ação eclesial na qual fazemos memória e participamos do mistério da morte e ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. “As celebrações litúrgicas não são ações privadas, mas celebrações da Igreja Católica, isto é, o povo santo, unido e ordenado sob a direção dos Bispos. Por isso, estas celebrações pertencem a todo o corpo da Igreja Católica, influem sobre ele e o manifestam; mas, atingem a cada um de seus membros de modo diferente, conforme a diversidade de ordens, ofícios e da participação atual efetiva”. 
O agente visível é a assembleia reunida em Nosso Senhor Jesus Cristo, com mistérios e serviços organizados. Nesse povo de batizados, agem o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Deus e a assembleia litúrgica atuam em conjunto. Antes de ser uma obra nossa, vale lembrar mais uma vez, a liturgia é obra da Santíssima Trindade. “A assembleia que celebra é a comunidade dos batizados, os quais, pela regeneração e unção do Espírito Santo, são consagrados como casa espiritual e sacerdócio santo para oferecer sacrifícios espirituais. Este sacerdócio comum é o de Nosso Senhor Jesus Cristo, único sacerdote, participado por todos os seus membros”. O sacerdócio ministerial dos padres e bispos está a serviço do sacerdócio do povo. Os dois brotam da mesma e única fonte, que é o sacerdócio de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ele é o único sacerdote, o único mediador entre Deus e o povo. “Dedicai-vos a um sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais aceitáveis a Deus, por Nosso Senhor Jesus Cristo. Vós sois uma raça eleita, um sacerdócio real, uma nação santa, o povo de sua particular propriedade, a fim de que proclameis as excelências daquele que vos chamou das trevas para a sua luz maravilhosa, vós que outrora não éreis povo, mas agora sois povo de Deus, que não tínheis alcançado misericórdia, mas, agora alcançastes misericórdia” (1 Pedro 2, 4-5, 9-10). A condição para que a ação litúrgica possa acontecer é a participação. Participar é “ter parte” no Ministério que está sendo celebrado. Com espírito orante, envolvendo toda a pessoa, a comunidade participa da celebração por meio de gestos, símbolos, palavras e ações, que significam e realizam a obra da salvação, conforme a natureza de cada um dos sacramentos e sacramentais. Cada gesto em cada ação litúrgica não pode ser feito automaticamente, mas, de forma consciente, com efeito, e com toda a verdade de fé. Da mesma forma ocorre com o silêncio litúrgico, condição necessária para a participação plena. A constituição conciliar sobre a liturgia (Sacrosanctum Concilium) usa vários adjetivos quando fala da participação do povo na liturgia: ativa, externa, interna, consciente, piedosa, fácil, plena, frutuosa. É bom lembrar que o Concílio aponta os pastores como sendo os responsáveis pela participação do povo; é um dos principais deveres dos pastores promoverem a ativa participação interna e externa dos fieis pela palavra e pelo exemplo, sobretudo promovendo a formação litúrgica em todos os níveis e para todos os fieis. Se todos nós temos a mesma dignidade e importância dentro da celebração, também é verdade que nem todos têm a mesma função (Romanos 12, 4). Temos os ministros ordenados, bispos, presbitérios e diáconos, que são “chamados por Deus, a um serviço especial da comunidade. Tais servidores são acolhidos e consagrados pelo sacramento da Ordem, através do qual o Espírito Santo os torna aptos a agir na pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo – Cabeça para o serviço de todos os membros da Igreja Católica”. O que preside, com suas palavras e gestos, feitos com autenticidade e amor, tem a principal tarefa de nos acolher e nos apresentar ao Pai Celeste, como Corpo de Nosso Senhor Jesus Cristo e templo do Espírito Santo. Sobre a importância e a responsabilidade do sacerdote que preside as ações litúrgicas, especialmente a Eucaristia, recordamos as palavras do Papa Bento XVI: “A ligação entre o sacramento da Ordem e o sacramento da Eucaristia é visível precisamente na Missa que o Bispo ou o Presbitério preside na pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo cabeça. A doutrina da Igreja Católica considera a ordenação sacerdotal condição indispensável para a celebração válida da Eucaristia. De fato, no serviço eclesial do ministério ordenado, é o próprio Nosso Senhor Jesus Cristo que está presente à sua Igreja Católica, como cabeça do seu corpo, pastor do seu rebanho, sumo sacerdote do sacrifício redentor. Certamente o ministro ordenado age também em nome de toda a Igreja Católica, quando apresenta a Deus a oração da mesma Igreja Católica e, sobretudo, quando oferece o sacrifício eucarístico”. A propósito do significado da presidência litúrgica, o Papa chama a atenção para a atitude que o sacerdote deve ter quando preside uma celebração litúrgica: “É necessário que os sacerdotes tenham consciência de que, em todo o seu ministério, nunca devem colocar em primeiro plano a sua pessoa nem as suas opiniões, mas, Nosso Senhor Jesus Cristo. Contradiz a identidade sacerdotal toda a tentativa de se colocarem a si mesmos como protagonistas da ação litúrgica. Aqui mais do que nunca, o sacerdote é servo e deve continuamente empenhar-se por ser sinal que, como dócil instrumento nas mãos de Nosso Senhor Jesus Cristo, aponta para Ele. Isto exprime-se de modo particular na humildade com que o sacerdote conduz a ação litúrgica, obedecendo ao rito, aderindo ao mesmo com o coração e a mente, evitando tudo o que possa dar a sensação de um seu inoportuno protagonismo. Recomendo, pois ao clero que não cesse de aprofundar a consciência do seu ministério eucarístico como um serviço humilde a Nosso Senhor Jesus Cristo e à sua Igreja Católica. O sacerdócio, como dizia Santo Agostinho, é um serviço de amor, é o serviço do bom pastor, que oferece a vida pelas ovelhas (João 10, 14-15). Na Igreja Católica, temos celebrações que podem ser presididas por leigos (as). Estes devem conhecer as orientações da Igreja Católica e usar os rituais e livros litúrgicos aprovados. Paz e Bem! R. Carlos. 

Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.
- - -

16/11/2017 – Quinta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. A LITURGIA FAZ A IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA. Como celebração do Mistério de Nosso Senhor Jesus Cristo, a Liturgia ocupa um lugar fundamental e insubstituível na vida da Igreja Católica. Ação sagrada por excelência, ela constitui o ponto mais alto para o qual tende a ação da Igreja Católica e ao mesmo tempo é a fonte de onde emana a sua força vital. Mediante a Liturgia, Nosso Senhor Jesus Cristo continua na sua Igreja Católica, com ela e por meio dela, a obra da nossa redenção. A Liturgia faz a Igreja Católica. Celebrando juntos, cresceremos como Igreja e teremos a possibilidade de viver com coerência e alegria a realidade de ser Corpo de Nosso Senhor Jesus Cristo. Cada assembleia litúrgica é Páscoa e Pentecostes. O mistério de Nosso Senhor Jesus Cristo é atualizado. O Ressuscitado vem ao encontro da comunidade de fé e com seu Espírito a ilumina e a transforma. Ele nos proporciona participar de sua vida de comunhão com o Pai e nos envia de volta ao mundo, renovados e santificados. Por esta razão, a liturgia não pode ser considerada como uma atividade em meio a outra. Ela é fonte de vida para a Igreja Católica e para cada discípulo. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.
- - -

14/11/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. O QUE É A LITURGIA E SUA IMPORTÂNCIA PARA A VIDA DA IGREJA CATÓLICA. A Liturgia é a celebração do Mistério de Nosso Senhor Jesus Cristo e, em particular, do seu Ministério Pascal, que é o centro da obra da salvação. Nosso Senhor Jesus Cristo, morrendo e ressuscitando, destruiu a morte e nos introduziu na vida nova.  Este é o grande Mistério da fé, que celebramos com reverência e alegria. Toda vez que fazemos memória de Nosso Senhor Jesus Cristo pela ação litúrgica, participamos de sua morte e ressurreição, participamos de sua Páscoa. Esse fato central de nossa fé é atualizado. Aquilo que é celebrado acontece para nós e em nós, hoje. Na liturgia acontece a nossa salvação, a comunhão de vida com a Santíssima Trindade e os irmãos. Deus realiza a sua parte na Aliança com a humanidade, imprimindo no coração humano o seu jeito de amar, servir e perdoar. Por isso, a Igreja Católica jamais deixou de reunir-se para celebrar o Mistério Pascal de Nosso Senhor Jesus Cristo. Nosso Senhor Jesus Cristo está presente na celebração dos sacramentos de tal forme que, quando alguém batiza, é Nosso Senhor Jesus Cristo mesmo que batiza; está presente pela sua Palavra, pois é Ele mesmo que fala quando se leem as Sagradas Escrituras; está presente, sacramentalmente, nas espécies de pão e vinho consagrados; está presente quando a Igreja Católica ora e canta os salmos. A conversão, nossa busca de conformação a Nosso Senhor Jesus Cristo, é o objetivo final do plano de salvação e a razão porque nós nos reunimos para celebrar a Liturgia. É bom celebrar que para ser frutuosa, a celebração ritual deve expressar uma realidade interior e espiritual, o culto “em espírito e verdade’ (João 4, 24), uma generosa vida de fé e amor e o estado de graça. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.
- - -

13/11/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. OBRA DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO E DA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA. A Igreja Católica, Povo de Deus que proclama e celebra a sua fé, é comunidade de culto e santificação. Com gratidão e alegria, viveremos e celebramos a fé recebida dos Apóstolos. A Liturgia supõe e alimenta a fé e a fé deve ser aprofundada pela catequese. Deus Pai, conforme a promessa de Nosso Senhor Jesus Cristo atende à oração da Igreja Católica feita em nome de se seu Filho Nosso Senhor Jesus Cristo e do Espírito Santo, na sua força, comunica a vida divina. As celebrações litúrgicas exprimem e desenvolvem a comunhão na Igreja Católica e são eficazes porque nela está presente e age pelo Espírito de Deus, o próprio Nosso Senhor Jesus Cristo. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

10/11/2017 – Sexta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. A FÉ CELEBRADA. OBRA DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO E DA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA. Quando orardes, não useis de muitas palavras... Vós, portanto, orai assim: Pai Nosso que estais nos céus... (Mateus 6, 7-9). A fé da Igreja Católica, transmitida ao longo dos séculos, é anunciada, vivida e testemunhada cumprindo o mandato de Nosso Senhor Jesus Cristo: “Ide, pois, fazei discípulos entre todas as nações, e batizai-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-os a observar tudo o que vos tenho ordenado” (Mateus 28, 19-20). A celebração do Mistério de Nosso Senhor Jesus Cristo, fonte e ápice da vida cristã, envolve o ser humano em todas as dimensões e circunstâncias; e a participação consciente e fervorosa nas celebrações da comunidade é um meio privilegiado de nos encontrarmos com Nosso Senhor Jesus Cristo para, assim, crescermos na santidade. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -
09/11/2017 – Quinta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. CELEBRAÇÃO DO MINISTÉRIO PASCAL DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Deus Eterno e todo poderoso, Pai querido, pela força do Espírito Santo, nós vos pedimos a graça de mergulhar no vosso Ministério de Amor, revelado em Nosso Senhor Jesus Cristo. Concedei-nos discernimento e consciência amorosa para celebrar nossa fé, reunidos em comunidade e fortalecidos pelos sacramentos, para buscar nossos caminhos para o bem comum da humanidade, enquanto caminhamos para a Páscoa definitiva. Amém. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -
08/11/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. O DESTINO ÚLTIMO DO SER HUMANO É A RESSURREIÇÃO E A PLENA COMUNHÃO COM DEUS. O Filho de Deus pela encarnação assumiu a condição humana, menos no pecado. Assim, ele assumiu também a morte. Venceu a morte passando por ela. Mesmo sabendo que estamos submetidos à morte física, cremos que pela força do Espírito Santo o ser humano é destinado para a vida eterna. O ser humano, em sua liberdade, pode até mesmo rejeitar este projeto de Deus. Morrendo nesta situação, permanecerá eternamente afastado de Deus. É o que a Igreja Católica Apostólica Romana chama de inferno, ou morte eterna. Esforçando-se por viver as exigências do Reino, após a morte passando pela purificação (purgatório) quando necessário, é confirmado no amor de Deus: é a bem-aventurança eterna. Nela o ser humano viverá plenamente sua vocação: chamado à comunhão definitiva com Deus. A história tem como horizonte esta esperança da união definitiva com Deus. A vitória de Nosso Senhor Jesus Cristo nos dá coragem e alento como peregrinos em busca do Reino definitivo. Em síntese: nossa fé Católica é um grande dom de Deus; nos fala do Ministério de Deus, revelando a nós, sobretudo por Nosso Senhor Jesus Cristo; da realidade da Igreja Católica fundada por Nosso Senhor Jesus Cristo; da realidade do homem e do mundo. O resumo da fé da Igreja Católica aparece no Creio em Deus Pai (Credo). Os ensinamentos da fé católica estão condensados e brevemente explicados no Catecismo da Igreja Católica, referência obrigatória para quem deseja conhecer de maneira mais profunda a fé da Igreja Católica. Ser Católico é crer com a Igreja Católica e crer como a Igreja Católica. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -
07/11/2017 – Terça Feira

MINI SERMÃO.
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. O HOMEM E A MULHER SÃO CHAMADOS À COMUNHÃO COM DEUS. O homem e a mulher são seres relacionais e recíprocos. Nascem e crescem a partir de um ato criador de amor, tanto de Deus quanto de seus pais. Cada ser humano, único, é fruto dessas relações e também necessita crescer no amor. Um amor marcado pela gratuidade, a misericórdia e a reciprocidade. A natureza humana possui em primeiro lugar, uma dimensão comunitária: “E o Senhor Deus disse: Não é bom que o homem esteja só. Vou fazer-lhe uma auxiliar que lhe corresponda” (Gênesis 2, 18). A corporeidade, marcada pela diferença sexual que se destina ao encontro com outra pessoa, é fonte de relação, caracterizada pelo dom recíproco de si. No casal, esta relação está aberta à procriação de novas vidas, a uma comunhão interpessoal. O corpo humano, com sua sexualidade, masculina ou feminina, quando visto no contexto do mistério da criação, não somente é fonte de fecundidade e de procriação, mas também é capacidade de exprimir o amor no qual homem e mulher tornam-se dons e realizam o sentido do seu ser e existir. Deus nos criou livres. A liberdade é um dom de Deus, que o próprio Deus respeita. Ser pessoa significa ter a capacidade de tomar decisões responsáveis e de doar a própria vida ao outro. Por meio de atos livres, a pessoa se forma como sujeito que existe em si e por si e, ao mesmo tempo, para os outros, fazendo-se dom de si mesma. A história da pessoa é a história de sua liberdade, isto é, da sua capacidade de amar, de fazer-se dom do outro. A pessoa nasce e afirma-se na sua singularidade no ato de amar, vivido como doação sincera de si para o bem e para a felicidade do outro. É a imitação de Nosso Senhor Jesus Cristo, que viveu o amor na sua forma mais radical, na entrega livre e total de sua vida pelo bem da humanidade. A pessoa é sempre um fim e nunca um meio. Ninguém tem direito de dispor dela e de usá-la como um objeto, um meio. Quando se transgrede esta regra e se usa um ser humano como meio, mesmo no estágio inicial de sua existência, quando ainda é embrião, o sentido de pessoa é desvirtuado, e ela passa a ser mais um objeto e uma mercadoria no grande mercado de “coisas” do mundo. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.
- - -
06/11/2017 – Segunda Feira

MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. O SER HUMANO É FRÁGIL. Como as demais criaturas, o ser humano também é criatura. Ele não é Deus, não deu origem a si mesmo, nem ao mundo com suas leis. De fato, a Bíblia explica que Deus criou o homem e a mulher por amor e para um desígnio de amor. E viu que isso “era muito bom” (Gênesis 1, 31). Já nas origens, porém, o homem e a mulher desobedeceram a Deus e não confiaram em sua bondade e na sabedoria do Criador. Deixaram-se enganar pelo tentador, experimentaram viver sem Deus, fazendo-se seus próprios “deuses”. Este foi o pecado original, que trouxe consequências à humanidade, marcando definitivamente sua existência. O pecado introduziu a desordem no mundo e também no coração do ser humano, que perdeu seu estado de santidade e tende a repetir a mesma experiência dos primeiros pais. O ser humano é frágil, sujeito ao sofrimento e às leis da natureza. É como um vaso de barro, que se quebra facilmente. Ele está sujeito ao pecado e ao mau uso da liberdade, opção geradora de sofrimento. O pecado original foi vencido. Sua consequência, porém, permanece a concupiscência enquanto a possibilidade e abertura ao pecado. A concupiscência não é em si mesmo pecado, mas tendência a ele. A condição frágil dos discípulos e discípulas não deve nos abater. Devemos na confiança em Deus e abertura à sua graça, reavivar a esperança e empenharmo-nos com a convicção de que nosso destino é o amor e a vida em Deus. Somos predestinados a esse amor e a essa vida plena. Só Deus garante esta conquista e realização. Sua graça que perdoa, converte e santifica supõe de cada ser humano abertura e esforço, fazendo-o capaz de organizar sua vida e de manter sua conduta em sintonia com os valores do Evangelho de modo a alcançar a herança eterna e os bens que não passam. É por isso que o ser humano, apesar de pecador, continua sendo capaz de fazer o bem, na medida em que colabora livremente com a graça de Deus. O Espírito Santo conforma o homem e a mulher a Nosso Senhor Jesus Cristo, homem novo, tornando-os verdadeiros seguidores de Nosso Senhor Jesus Cristo Ressuscitado e suas autênticas testemunhas. Deste modo, quem está em Nosso Senhor Jesus Cristo é uma nova criatura e consegue viver em comunhão com Deus; as relações consigo mesmo, com os outros e com o mundo se transformam à luz de sua relação com Deus, a ponto de poder afirmar como o apostolo Paulo: “Eu vivo, mas não eu: é Cristo que vive em mim” (Gálatas 2, 20). O encontro com o Senhor Jesus é o início contagiante desta vida nova. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.
- - -

01/11/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. HOMEM E MULHER, IMAGEM DE DEUS. O ser humano foi criado à imagem e semelhança de Deus. Na Bíblia, nós lemos: “Deus disse: Façamos o ser humano à nossa imagem e segundo nossa semelhança. Deus criou o ser humano à sua imagem, à imagem de Deus o criou. Homem e mulher ele os criou” (Gênesis 1, 26-27). O texto bíblico afirma que Deus criou todas as coisas através da Palavra. E tudo o que criou é bom. Por isso, homem e mulher, criados por essa Palavra, que é amor, são chamados a viver a partir desse mesmo amor. O amor supõe uma resposta a ser dada numa vida de comunhão, que se abre para múltiplas relações. As diversas relações existenciais do ser humano adquirem sentido e têm sua plenitude na relação com Deus. Homem e mulher, habitantes do mundo, são chamados a cultivar e perseverar na natureza. Esse mandato divino assume hoje, cada vez mais com mais força um caráter de urgência. O ser humano é chamado a viver uma justa relação com o mundo. A ecologia requer um relacionamento saudável com o mundo. A relação com a natureza deve ser consequência de uma boa relação com Deus e com as criaturas. Ser criado à imagem e semelhança de Deus significa que a pessoa é livre, racional e chamada a amar. O ser humano é diferente dos outros seres. Foi criado para a comunhão com os outros e com Deus. Ele realiza-se profundamente quando doa e compartilha sua vida com os outros seres humanos. Se esta experiência é bem feita nesta vida, ela torna-se uma antecipação daquilo que é a vida definitiva no céu: comunhão plena de amor com Deus e os irmãos. O ser humano, de fato, não está fechado sobre si mesmo, nem mesmo se encontra preso aos limites do mundo material. Nas relações com os outros e com a realidade que o cerca ele expressa suas capacidades e encontra a sua razão de viver neste mundo. É nas relações com Deus, porém, que ele contra razão última de sua existência, pois foi criado com a capacidade de encontrar Deus e de entrar em comunhão com ele. É o próprio Deus, antes de tudo, que oferece este convite à comunhão a trai o ser humano à verdade, ao  bem e ao amor. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

31/10/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. A IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA SE EMPENHA PELA CONSTRUÇÃO DA UNIDADE. A vontade de Deus é a unidade entre seus filhos. Por isso, seu Filho Amado, às vésperas do sacrifício da cruz, pediu ao Pai pela unidade dos seus, como uma das principais súplicas que Lhe dirigiu antes de sua morte (João 17, 21). Esta unidade é essencial para a Igreja Católica, cujas imagens do rebanho (João 10, 1-8) e da videira (João 15, 1-17) indicam a unidade dos membros com Nosso Senhor Jesus Cristo e dos membros entre si. A Igreja Católica, à luz dos ensinamentos do Concílio Vaticano II, empenha-se pela construção da unidade entre os seus membros e dos seus membros com os de outras religiões cristãs. Tal busca de unidade entre Igrejas Cristãs é chamada de ecumenismo. Já a busca de diálogo com as diversas crenças e religiões é chamada de diálogo inter-religioso. A Igreja Católica compreende que a tarefa de reconstruir a unidade da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo pertence a todos os fieis – pastores e rebanhos – convocados pelo Espírito de Deus a fazerem o possível para que se recomponham os laços de união entre todos os cristãos e cresça a colaboração entre os discípulos de Nosso Senhor Jesus Cristo. Paz e Bem!
R. Carlos.
- - -

30/10/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. MARIA SANTÍSSIMA, MÃE DA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA. A Igreja Católica Apostólica Romana tem uma Mãe: Maria Santíssima, mãe do Filho de Deus encarnado. Ao tornar-se mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo, Ela tornou-se mãe de todos os membros do seu Corpo, que é a Igreja Católica. O discípulo que estava ao pé da Cruz e recebeu Maria Santíssima como mãe representava todos os discípulos de Nosso Senhor Jesus Cristo (João 19, 25-27). Maria de Nazaré foi a mulher escolhida para ser mãe do Filho de Deus. Ela concebeu o Filho de Deus, Nosso Senhor Jesus Cristo, por obra e graça do Espírito Santo. Por isso podemos chamá-la Mãe de Deus, pois, Ela é mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo, homem e Deus. Ela foi escolhida para esta missão e em previsão dos méritos de Nosso Senhor Jesus Cristo, Deus a preservou do pecado desde sua concepção. Por isso, a Igreja Católica a proclama Imaculada e cheia de graça. Maria Santíssima é chamada Virgem – a sempre Virgem Maria, antes, durante e depois do parto. Isto significa que Nosso Senhor Jesus Cristo foi concebido em seu seio apenas pelo poder do Espírito Santo. Nosso Senhor Jesus Cristo é filho do Pai Eterno segundo a natureza divina; e filho de Maria Santíssima, segundo a natureza humana. Quando dizemos que Nosso Senhor Jesus Cristo nasceu da Virgem Maria, afirmamos que Nosso Senhor Jesus Cristo é o Filho de Deus e somente Deus é o Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo. É isso que ensinam os Evangelhos (Lucas 1, 26-35; Mateus 1, 18-21). A Igreja Católica Apostólica Romana afirma, na sua fé, que Maria Santíssima, terminada a sua vida na terra, foi elevada em corpo e alma ao céu, onde Ela já participa da plenitude da salvação, da qual nós participaremos no final dos tempos. Maria Santíssima é a figura maternal da Igreja Católica, discípula fiel e modelo de fé para nós. Nós a veneramos, por isso, como Mãe da Igreja Católica Apostólica Romana. Paz e Bem!
R. Carlos.

 

- - -
27/10/2017 – Sexta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. A IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA EXISTE PARA SER MISSIONÁRIA. Evangelizar constitui a missão da Igreja Católica, sua identidade e sua própria razão de ser. Nosso Senhor Jesus Cristo dá aos seus discípulos, a Igreja nascente, o mandato desta missão: “Ide, pois, fazei discípulos entre todas as nações, e batizai-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-as a observar tudo o que vos tenho ordenado. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos” (Mateus 28, 19-20). A Igreja Católica existe para anunciar e ensinar para ser testemunha da graça, reconciliar a humanidade com o Pai misericordioso e perpetuar o sacrifício de Nosso Senhor Jesus Cristo na Santa Missa, memorial de sua paixão, morte e gloriosa ressurreição. A origem da missão da Igreja Católica está na missão do Filho e do Espírito Santo, enviados pelo Pai ao mundo. A atividade missionária da Igreja Católica iniciou-se na madrugada do domingo de Páscoa, quando Maria Madalena e outras mulheres foram ao túmulo de Nosso Senhor Jesus Cristo e o encontraram vazio. Logo ouviram a alegre notícia: “Não vos assusteis! Procurais Jesus, o nazareno, aquele que foi crucificado? Ele ressuscitou! Não está aqui! Vede o lugar onde o puseram! Mas, ide, dizei a seus discípulos e a Pedro: Ele vai à vossa frente para a Galileia. Lá o vereis como Ele vos disse!” (Marcos 16, 6-7). Maria Madalena correu ao encontro dos discípulos e anunciou-lhes a notícia da ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. Em Pentecostes, começou a missão de anunciar o Reino de Deus a todos os povos da terra, missão que pertence até hoje. Após vinte séculos, existem ainda povos que não ouviram o anúncio de Nosso Senhor Jesus Cristo. Mesmo em nossas cidades existem pessoas, ambientes e culturas que não conhecem a Boa Nova. Através da ação da Igreja Católica, a Palavra de Deus se difunde no mundo. O livro dos Atos dos Apóstolos narra a história das primeiras comunidades e a ação dos Apóstolos, principalmente dos apóstolos Pedro e Paulo. Nos Atos dos Apóstolos, se lê que a Palavra crescia e se multiplicava. Desejava, assim, notar que cresciam e se multiplicavam os que ouviam a Palavra, acolhiam-na e se tornavam discípulos de Nosso Senhor Jesus Cristo. Jesus é o missionário do Pai. A missão que Ele confia aos seus discípulos é a sua mesma missão. É n’Ele, pois, que o discípulo missionário tem a fonte permanente do seu ardor missionário e a sabedoria profética para anunciar o Evangelho da vida. O encontro com Nosso Senhor Jesus Cristo Vivo, missionário do Pai, como experiência pessoal na comunidade de fé, alimenta o missionário e reaviva permanentemente o seu ardor. Foi o que aconteceu com a Samaritana (João 4, 1-26) e com os primeiros discípulos (João 1, 19-51). A experiência do encontro com Nosso Senhor Jesus Cristo muda radicalmente a vida, como aconteceu com Zaqueu (Lucas 19, 1-10) e Paulo (Atos dos Apóstolos 9, 1-22). É uma experiência única, muito bonita, que precisa ser comunicada, compartilhada. Na Eucaristia, nós nos encontramos com Nosso Senhor Jesus Cristo de modo muito especial. É na Eucaristia que a missão encontra sua razão de ser, sua identidade. É alimentada por ela que a missão se compreende como prolongamento da ação do próprio Nosso Senhor Jesus Cristo e nunca como proselitismo, propaganda ou coisa de mercado. A Eucaristia é também o objetivo profundo da missão: fazer com que todos se tornem discípulos de Nosso Senhor Jesus Cristo, realizando o encontro pessoal com Ele e vivendo unidos a Ele. A missão é, para a Igreja Católica Apostólica Romana, o primeiro e mais importante serviço que ela presta ao ser humano. Nenhum membro da Igreja Católica está dispensado da missão. Os pais, as famílias, os jovens, todos são missionários. As dioceses e as paróquias devem desenvolver uma ação planejada e preparar seus missionários com cuidado para atingir a todos. São necessárias comunidades de envio, de acolhida e de compromisso com a defesa da dignidade humana, com a preservação da vida e com a salvação de todos. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -
26/10/2017 – Quinta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. O QUE É, POIS, A IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA. A Igreja Católica Apostólica Romana é uma realidade tão rica que não cabe nos limites de uma definição. Por isso, dizemos que a Igreja Católica é um Mistério. O Mistério da Igreja Católica é sua relação com a Santíssima Trindade e sua união íntima com Nosso Senhor Jesus Cristo Ressuscitado. Dizer que a Igreja Católica é Mistério, não significa que seja um enigma complicado ou um problema indecifrável, mas, uma realidade que é maior do que a nossa compreensão, uma realidade que nos desafia e nos seduz. Nela nos mergulhamos cheios de respeito, alegria e encantamento. Usamos imagens para exprimir o ser e a missão da Igreja Católica, porque elas são mais expressivas do que as definições. Quando o Novo Testamento denomina a Igreja Templo de Deus ou Templo do Espírito Santo (2Cor 6, 16), esta expressão não designa o edifício, mas, a comunidade reunida. A Assembleia reunida é o Templo onde Deus habita. A Igreja Católica também é chamada de Esposa de Nosso Senhor Jesus Cristo, pois, ela forma com Ele uma totalidade – “uma só carne” – e está unida a Ele pelo amor e a fidelidade (2Cor 11, 2; Ef 5, 26, 31-32). A Igreja Católica é também designada nossa Mãe e Mestra, porque nos comunica a vida divina através dos sacramentos; ela nos ensina a Palavra de Nosso Senhor Jesus Cristo e nos educa como verdadeiros discípulos de Nosso Senhor Jesus Cristo. São Paulo usa três imagens complementares para falar da Igreja: Novo Israel (Rm 11, 17-18). Corpo de Cristo (1Cor 12, 13) e Templo do Espírito (2Cor 6, 16). Estas imagens mostram a dimensão trinitária da Igreja: a criação do Pai (Povo de Deus), através da obra redentora do Filho (Corpo de Cristo), na comunhão do Espírito Santo (Templo do Espírito Santo). O Concílio Vaticano II privilegiou a imagem da Igreja como Povo de Deus. A imagem de povo está ligada à igualdade fundamental entre os membros da Igreja. O Povo de Deus recorda que ela foi preparada desde a origem da história de Israel. É um povo sacerdotal, profético e real (1Pd 2, 9-10). A Igreja Católica Apostólica Romana é Corpo de Nosso Senhor Jesus Cristo (1Cor 12, 12-30). É uma realidade semelhante ao corpo humano, ou seja, tem uma cabeça e um conjunto organizado de membros; cada membro (órgão) desempenha sua atividade específica em vista do bem de todo o corpo. Entre os membros do corpo existe mútua dependência e todos são importantes. Vigora entre eles a comunhão: quando um membro passa bem, isso repercute em todos os membros. Quando outro passa mal, o sofrimento afeta todo o corpo. Em outras palavras, quando um membro da Igreja peca, a comunidade fica enfraquecida. Quando um membro se santifica, todo o conjunto fica revigorado. Os membros da Igreja Católica, Corpo de Cristo, são todos os batizados. É próprio de o corpo ter uma cabeça. Segundo São Paulo, a cabeça da Igreja é Cristo (Cl 1, 18). É d’Ele que provém a vida da graça para todos os membros da Igreja Católica. A Igreja Católica é Templo do Espírito Santo, que é a alma da Igreja Católica. Como a alma no corpo humano, o Espírito Santo está presente em toda a Igreja Católica e em cada um de seus membros. Como a alma confere vida e identidade ao corpo, assim o Espírito dá vida e identidade à Igreja Católica. A Igreja Católica é também uma organização. Ela se organiza para cumprir sua missão de evangelizar. Por ser uma organização, é uma instituição com visibilidade na sociedade, com leis próprias, ministérios não – ordenados, confiados aos cristãos leigos, a vida consagrada (religiosos e religiosas) e o laicato em geral. Cada membro assume sua função e desempenha um serviço, sempre visando ao bem de todos. A Igreja Católica é, assim, a comunidade dos que creem em Nosso Senhor Jesus Cristo; assistida pelo Espírito Santo, ela guarda a memória de Nosso Senhor Jesus Cristo, celebra-O e testemunha Sua presença ao mundo. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

25/10/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ.  A VERDADE SOBRE A IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA. “Ide, pois, fazei discípulos entre todas as nações, e batizai-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo” (Mateus 28, 19). A ORIGEM DA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA. Deus quis a Igreja desde toda a eternidade. Ela foi prefigurada e preparada pelas várias Alianças de Deus com a humanidade. Sua formação aconteceu progressivamente, como uma gestação. O Concílio Vaticano II fala de atos da fundação da Igreja que somos nós. Foram atos da fundação, por exemplo, a escolha dos Apóstolos e a instituição da Eucaristia. O povo de Israel era formado por doze tribos. Nosso Senhor Jesus Cristo ao escolher doze Apóstolos, mostrou sua intenção de funda a Igreja, o novo Israel, que fora anunciado pelos profetas. Na instituição da Eucaristia o cordeiro pascal foi substituído pelo sacrifício de Nosso Senhor Jesus Cristo. O cálice da Antiga Aliança foi substituído pelo cálice da Nova Aliança, sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo. Israel se tornou o Povo de Deus através da Antiga Aliança, celebrada no monte Sinai; Nosso Senhor Jesus Cristo, ao instituir a Nova Aliança, funda, assim, a Igreja – o Novo Israel. Quando se fala, porém, de atos da fundação da Igreja, pensa-se, sobretudo, na Páscoa da paixão, morte e ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo e no acontecimento de Pentecostes, quando a Igreja foi manifestada às nações pela efusão do Espírito Santo. Naquela manhã de Pentecostes, a Igreja recebeu sua configuração definitiva, assumindo a missão de evangelizar a todos os povos. Igreja é a comunidade onde Nosso Senhor Jesus Cristo ressuscitado está presente: “Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos” (Mateus 28, 20). A Igreja não foi fundada por iniciativa humana, mas, divina. A Igreja é dom de Deus à humanidade. Nosso Senhor Jesus Cristo está presente nela. Quando a Palavra de Nosso Senhor Jesus Cristo é anunciada na assembleia, é ele mesmo que nos fala. Os sacramentos que a Igreja celebra, comunicam a força espiritual que provém do seu Mistério Pascal. A Eucaristia forma o corpo da Igreja. Quem se alimenta do corpo de Nosso Senhor Jesus Cristo, torna-se um com ele. Quando a Igreja enviar missionários ao mundo, é Nosso Senhor Jesus Cristo que continua a enviar seus discípulos. Por isso, a Igreja é, ao mesmo tempo, divina e humana.  Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão

- - -
24/10/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. NOSSO SENHOR JESUS CRISTO REVELA QUE DEUS É TRINDADE. O Novo Testamento mostra abundantemente a presença de Deus-Trino na vida, na pregação, na morte e na ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ao enviar seus discípulos em missão, Nosso Senhor Jesus Cristo os exorta com as seguintes palavras: “Ide, pois, fazei discípulos entre todas as nações, e batizai-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-os a observar todo o que vos tenho ordenado” (Mateus 28, 19-20). As três Pessoas não são três deuses. Há um só Deus em três pessoas. São distintas entre si por suas relações de origem: o Pai gera o Filho; o Espírito Santo procede do Pai e do Filho como de um único princípio, uma única fonte de amor. As três Pessoas não dividem a divindade, mas, cada uma delas é Deus. A criação, a salvação e a santificação são obra das três pessoas divinas. O Pai é o Criador; o Filho, o Salvador e o Espírito Santo, o Santificador. Este é o Mistério da Santíssima Trindade, nosso Deus. Para nós, falar de Deus é falar da Santíssima Trindade. Ser cristão é estar em comunhão com as três pessoas divinas, deixando-se inserir no Ministério Trinitário. É viver na força do Espírito Santo, ter ao Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo como próprio Pai, vivendo com Ele a mesma intimidade de seu Filho amado. É ser discípulo de Nosso Senhor Jesus Cristo, nosso irmão e salvador. Fomos feitos à imagem e semelhança de Deus-Trindade, e nossa felicidade se realiza na experiência da comunhão, do amor e da doação de nossa vida aos outros. Ser católico é viver comprometido com o Reino de Deus já presente na história. Formamos, assim, a Igreja, que é o Povo de Deus reunido na unidade do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Por isso, podemos proclamar: creio em Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

23/10/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. O MINISTÉRIO PASCAL DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO: PAIXÃO – MORTE – RESSURREIÇÃO. A plena liberdade de Nosso Senhor Jesus Cristo diante de práticas sociais e religiosas que escravizam homens e mulheres deu origem a grandes tensões com os grupos dominantes da sociedade e da religião do seu tempo, que culminou no drama da cruz, no Calvário. Jerusalém era a cidade onde os profetas tinham sido martirizados e Nosso Senhor Jesus Cristo, o Profeta por excelência, também lá morreu. Cumpriu-se o que Ele mesmo anunciara aos apóstolos: sua prisão, julgamento, condenação, crucifixão, morte e ressurreição. Na véspera da condenação e morte de cruz Nosso Senhor Jesus Cristo quis celebrar a Páscoa com seus apóstolos. Antes da ceia, Ele lavou os pés dos discípulos, para dar-lhes o exemplo da humanidade e do serviço generoso aos irmãos. “Enquanto estavam comendo, Nosso Senhor Jesus Cristo tomou o pão e pronunciou a bênção, partiu-o deu-o aos discípulos e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo. Em seguida, pegou um cálice, deu graças e passou-o a eles, dizendo: Bebei dele todos, pois este é o meu sangue da nova aliança, que é derramado em favor de muitos, para remissão dos pecados” (Mateus 26, 26-28). Com este gesto, durante a ceia, Nosso Senhor Jesus Cristo institui a Eucaristia, memorial de sua oferta ao Pai pela salvação da humanidade, dom de seu corpo e sangue como alimento para seu novo Povo, a Santa Igreja Católica. “Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida por seus amigos” (João 15, 13). O Pai entregou o seu Filho por amor ao mundo. Nosso Senhor Jesus Cristo morreu numa cruz, mas não permaneceu sob o domínio da morte. Ressuscitou ao terceiro dia. Este foi um acontecimento extraordinário, com profundas consequências para a humanidade. A ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo é a certeza de nossa própria ressurreição. Ressuscitado, Nosso Senhor Jesus Cristo vive entre nós e pode ser encontrado quando dois ou mais estiverem reunidos em seu nome; na vida litúrgica e sacramental da Santa Igreja Católica, particularmente na celebração da Eucaristia. Cada ser humano é chamado a vivenciar sua própria experiência de encontro com Ele e de adesão a Ele. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

20 de outubro de 2017
O essencial é o que cabe no coração” (Mabel Cristina Dias, em vídeo da internet).

Quanto mais pesada estiver a mochila, mais difícil será a caminhada. O mesmo acontece com o que carregamos no “coração”. Coração é um órgão muscular responsável pela circulação sanguínea. Coração também é a parte mais íntima do ser, berço dos sentimentos. Tudo o que é central e essencial é dito como coração. Essencial é tudo que tem núcleo. É o sumo, o miolo de uma coisa, de onde tudo procede, cresce e se sustenta. É aquilo que, aconteça o que acontecer, estejamos onde estivermos, temos que ter em nós ou junto conosco. O que é importante, mas não essencial, a gente carrega também, mas chega o momento em que o importante pode ficar desnecessário. Em relação ao dinheiro, quando ficamos com medo, por exemplo, ele não nos compra a coragem. Quando ficamos deprimidos ele não nos compra a alegria de viver. Quando estamos doentes o dinheiro compra remédio, paga os médicos e os tratamentos necessários, mas, não nos dá a saúde. Quando estamos diante da morte eminente, o dinheiro não nos impede de morrer.  O essencial, por sua vez, ainda que tenhamos medo, nos liberta para a coragem para lidar com ele. Ainda que estejamos deprimidos, o essencial nos capacita a prosseguir diante de tudo o que nos oprime e deprime. Ainda que estejamos doentes, o essencial nos encaminha para a cura. E diante da morte, o essencial nos abre para o Mistério dela e nos liberta para o inesperado e desconhecido eterno. O essencial é  guardado no coração, pois, o coração sempre foi visto não propriamente como uma bomba de jorrar e receber sangue, mas como aquela instância onde tudo o que é de mais valioso e precioso é gerado, recebido, aprofundado e compartilhado. Em síntese, é o horizonte onde tudo de bom e melhor se dá e se distribui no ser  humano. Nele cabe apenas o que é essencial. Ou seja, o que é essencial está no coração. Tudo o mais, inclusive o que é necessário tem apenas passagem pelo coração, bem como o desnecessário. Se o que não é necessário insiste em permanecer no coração ele o danifica e produz acidentes (como o AVC). Uma preocupação, por exemplo, se habita por muito tempo no coração sem ser resolvida, logo, logo, o adoece. Todo o lixo emocional que quer se fixar no coração, com o tempo o destrói. Tudo o que fica preso ao coração sem data de despejo, põe em risco a saúde corporal, mental, e espiritual da pessoa. O coração não foi feito para coisas pesadas e “aprisionantes” (que levam a prisão) como a falta de perdão e o rancor, pois, isso e muito mais são ervas daninhas que o descuido humano deixa nascer, crescer e atormentar o coração, arrancando ou menosprezando nele tudo o que é essencial. O coração é uma instância onde cabem infinitas alegrias, a bondade sem fim, o amor sem medida, a amizade verdadeira, a gratuidade sem explicação, e todas aquelas coisas que são leves, profundas, vitais para o ser humano, isto é, essenciais. Por isso, levemos nele, então, apenas o essencial ou aquilo que não nos pesa no caminho e no caminhar. Pois, aquilo que pesa e pressiona o coração, somente  o desgasta, o enfraquece, o adoece e o consome. (Reflexão feita por Jose Irineu Neneve). Bom Dia! (21 anos)

- - -
19 de outubro de 2017
Assim como uma vírgula pode mudar uma frase, uma simples atitude pode mudar uma história” (frase da internet).
Com um simples sorriso muitas portas se abrem. Vírgula é um sinal gráfico de pontuação. O uso da vírgula em qualquer texto é um recurso que ajuda a encontrar o sentido do que se quer comunicar. Na sua etimologia tem a ver com um traço ou vara que era usado para separar frases para torná-las menos confusas e mais compreensíveis. Ao se separar a frase, estabelecia-se um corte que isolava as frases e proporcionava a quem estava lendo um texto ver com clareza e simplicidade as partes e fazer conexões com o todo. Servia para explicar, ligar e deslocar as frases. Quando se fala, por exemplo, a vírgula serve para estabelecer pausas e respirar. De qualquer forma, vírgula era uma espécie de exercício do escritor e do falante para gerar uma harmonia tipo “Um por todos e todos por um”.  Colocada ou isolada de forma inadequada no texto, perdia-se o contexto e ela estabelecia confusão ou uma grande diferença na compreensão do texto e da fala. A vírgula, portanto, é um simples sinal de pontuação que faz toda a diferença na comunicação escrita e oral. Da mesma forma, a atitude. Por simples que seja, estabelece diferença nas relações cotidianas. Um simples bom dia, um sorriso, um “olá”, um “tudo bem?!”, um “Que bom que você está aqui”, já muda o tom da relação. Ou, ainda, um simples “te amo”, ou “como você está melhor” já ajuda. Da mesma forma, faz toda a diferença um simples gesto de indiferença, um “não” dito com ar de superioridade ou menosprezo; um “não tô nem aí”, ou um “que se dane!”. São frases curtas que na atitude de quem fala ou faz dá o tom do dia, da noite, dos meses e até dos anos. Muitos chegam à velhice marcados negativa ou positivamente por pequenos gestos e palavras de trinta, quarenta ou cinquenta anos atrás. Atitude é, nesse sentido, os pequenos gestos e palavras que cultivamos no cotidiano que vão se somando até balizar ou fundamentar a existência. Atitudes simples possuem força de mudar a história das pessoas, não porque são feitas de uma vez por todas, mas pelo simples fato de que são construídas em pequenas doses diárias até alcançar o volume e a posição de serem quase que eternas na vida delas. Com outras palavras, é de uma atitude simples que o rumo de nossa existência e de nossa história pessoal e coletiva se faz. Pensemos, então, que se queremos a vida pessoal e coletiva melhor, elas dependem de atitudes simples que sejam boas e melhores em tudo. (Reflexão feita por Jose Irineu Neneve). Bom Dia! (21 anos)
- - -
18 de outubro de 2017
Por trás de cada coisa bonita, há algum tipo de dor” (Robert Allen Zimmerman, ou “Bob Dylan”, compositor, cantor, pintor, ator e escritor americano, *1941).
O belo ou bonito está também no coração bondoso de quem olha. “Bonito”  se refere àquela realidade que se mostra, ou melhor, que se externa como o melhor, o mais perfeito e essencial de uma coisa. Para vir à tona, para se mostrar ou se externar, aquilo que surge só surge porque passa por um processo lento, gradual e árduo de transformação. Esse processo lento, gradual e árduo de transformação em geral é doloroso, não vem de “mão beijada” e nem espontaneamente, entendendo o espontâneo aqui como o que se mostra sem esforço, sem luta e sem determinação. Nesse sentido, por trás de cada coisa bonita é que há algum tipo de dor. Por trás, por exemplo, de todo balé bonito e bem dançado estão muitos pés “arrebentados” e sofridos das bailarinas. Por trás das belas palavras e reflexões dos sábios existe o sofrimento de pensar o impensado de tudo o que é pensado. Por trás do profissionalismo de muitos homens e mulheres na área da saúde, da educação, da arte, da cultura, do mundo empresarial, estão as madrugadas, os dias, meses e anos curtidos no contato com livros, leituras, exames, entrevistas e verificações de todos os tipos. Também por trás da beleza de muitos corpos esculturais estão as dores e os suores de anos de academia e malhação. Por trás da serenidade e beleza translúcida do rosto de um enfermo, há a conquista e o aprendizado do sentido da dor e do sofrimento. Por trás da beleza e da alegria pura e inocente de um “bobo-alegre” está, muitas vezes, o sofrimento ocasionado pela perda da consciência ou do senso de realidade. Em síntese, o que é bonito mesmo sempre vem acompanhado de uma dor que o antecipa. Só que essa dor nada tem do prazer do masoquista que se delicia dos sofrimentos infligidos a si próprio. Tem a ver com a conquista que nasce de uma travessia sofrida, feita de altos e baixos no caminho de superação dos obstáculos e desafios que se apresentam no interior de sua alma ou no núcleo de sua vida. A dor, nesse sentido, pertence ao processo de aperfeiçoamento de tudo o que quer chegar a ser verdadeiramente belo e bonito na pessoa. Pode ser que pensando assim, toda pessoa que se mostra realmente bonita por fora é porque internamente foi bastante lapidada nos seus valores, nas suas buscas e nos seus sonhos. Desta forma, brilha por fora o que por dentro foi testado e amadurecido no tempo e no terreno do sofrimento. O bonito que nasce daí nem sempre é meramente estético, mas algo vigoroso, inquebrantável, polido, forte, precioso, e substancial. (Reflexão feita por Jose Irineu Neneve). Bom Dia! (21 anos)
- - -


17/10/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. A PESSOA DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO: FILHO AMADO DO PAI. Nosso Senhor Jesus Cristo, foi concebido por obra do Espírito Santo no seio da Virgem Maria. Nasceu em Belém, na Judéia. Aquele que estava eternamente com Deus Pai entrou em nossa história, revestiu-se de nossa humanidade. Nosso Senhor Jesus Cristo é verdadeiro Deus e verdadeiro homem. Uma única pessoa em duas naturezas, sem divisão. Nosso Senhor Jesus Cristo veio para nos salvar. Seu nome em hebraico Ieshua significa Deus salva. Salvação é a realização plena do ser humano que acolhe a vida divina. No início da sua vida pública, Nosso Senhor Jesus Cristo foi batizado por João Batista, no rio Jordão; foi ungido pelo Espírito Santo, e o Pai o proclamou seu Filho amado. Chegava à plenitude com Nosso Senhor Jesus Cristo o tempo da graça, e iniciava-se um novo relacionamento de Deus com a humanidade. Nosso Senhor Jesus Cristo viveu, em tudo voltado para o Pai. Como Filho realizou a vontade do Pai e proclamou seu Reino. Depois de batizado, Nosso Senhor Jesus Cristo foi conduzido pelo Espírito Santo ao deserto e ali foi tentado durante quarenta dias. Vencendo a luta interior, Nosso Senhor Jesus Cristo abriu para a humanidade a possibilidade de vencer o mal, reafirmando sua fidelidade a Deus. Como por um só homem o pecado entrou no mundo, também por um só homem, Nosso Senhor Jesus Cristo, a graça foi espalhada sobre toda a humanidade (Romanos 5, 12). O pecado original, através do qual a morte entrou no mundo destruindo a inocência do coração humano, deixando comprometida sua integridade, trouxe ao mundo a morte e a perda da amizade com Deus. O pecado original, presente desde a origem humana, retrato de sua condição frágil e estreita, embora aberta e convidada à santidade, continua a gerar muitas e variadas formas de males em nosso tempo, só a graça de Deus rompe com o domínio do pecado. Em Nosso Senhor Jesus Cristo, a vida é, novamente proposta, e seu desdobramento na vida dos cristãos os impele a se fortalecerem na oposição aos males e ao pecado. Nosso Senhor Jesus Cristo chamou alguns discípulos para segui-Lo e, dentre eles, escolheu doze, os quais chamou de apóstolos, para que ficassem com Ele e, no tempo oportuno, fossem enviados para pregar o Evangelho do Reino de Deus. O termo apóstolo significa enviado. Os escolhidos aceitaram formar com Nosso Senhor Jesus Cristo uma comunidade. Não foram chamados para aprender uma tradição religiosa ou uma filosofia, mas, para entrar em comunhão com a pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo e participar da missão e do destino de Nosso Senhor Jesus Cristo. O mesmo convite feito aos doze apóstolos se repete hoje a todos nós, através da Santa Igreja Católica Apostólica Romana. Paz e Bem! R. Carlos. 

Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.
- - -

16/10/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. A VERDADE SOBRE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. “Conhecereis a verdade, e a verdade vos tornará livres” (João 8, 32). Nosso Senhor Jesus Cristo, o Filho amado de Deus Pai, é a revelação plena de seu Ministério, é o caminho, a verdade e a vida. Sem Ele ninguém vai ao Pai (João 14, 6). Nosso desejo de seguir os seus passos baseia-se no fato de sabermos que, por Ele, o Reino de Deus foi proclamado e iniciado nesta Terra. Nosso Senhor Jesus Cristo em seu amor a Deus, Pai Criador, manifestou a compaixão de Deus por todas as criaturas. N’Ele, recebemos a adoção filial e podemos também ser chamados de filhos de Deus. Filho é somente Ele. Nós somos filhos, enquanto participamos da única filiação de Nosso Senhor Jesus Cristo por meio do Batismo. Somos filhos pela graça; Nosso Senhor Jesus Cristo o é por ter a mesma natureza divina do Deus Pai. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

11/10/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. NOSSA FÉ CATÓLICA. Pai Santo, nós queremos seguir os passos de vosso Filho amado, Nosso Senhor Jesus Cristo. Sinal vivo de vosso Reino de amor, já implantado entre nós. Ele nos deixou a missão de irradiá-lo eficazmente a todos os nossos irmãos e irmãs. Sustentai-nos, Pai Santo, unidos em comunhão, fraternos e ardentes na missão. Que a consciência de filhos criados à vossa imagem e semelhança nos ajude a superar conflitos e a viver a compaixão. Amém. Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

10/10/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. O MAGISTÉRIO DA SANTA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA. A tarefa da Santa Igreja Católica Apostólica Romana, de seus pastores e fieis – é evangelizar: viver e anunciar o Evangelho do Reino de Deus, expresso na Tradição e na Sagrada Escritura. Para cumprir sua missão, a Igreja Católica Apostólica Romana busca conservar sua identidade no serviço generoso e indiscriminado, no diálogo fraterno com o diferente, no anúncio destemido do Reino de Deus e no testemunho de vida em comunidade. Assim, ela permanece fiel ao que ela já era no desejo de seu fundador, Nosso Senhor Jesus Cristo. Embora tendo enviado sobre toda a Igreja o Espírito da Verdade, Nosso Senhor Jesus Cristo confiou especialmente aos apóstolos e seus sucessores, os bispos, a função de ensinar e dirigir o Povo de Deus na fidelidade à sua Palavra. A este serviço dos bispos, em colegiado com o sucessor de Pedro, bispo de Roma, chamamos Magistério. Em outras palavras, o Magistério é o ensinamento da Santa Igreja Católica em assuntos de doutrina ou de moral. A Santa Igreja Católica, por meio do Magistério, prega a verdade que não é sua, mas, lhe é confiada por Nosso Senhor Jesus Cristo. Este ensinamento requer obediência e acolhimento fiel, tanto dos que ensinam quanto dos que recebem o ensinamento, pois, a verdade é sustentada pela presença do Espírito Santo. O Magistério, conforme a sua atuação pode ser denominado ordinário ou extraordinário. É chamado Magistério ordinário quando é expressão do ensinamento cotidiano do Papa e dos Bispos unidos a ele, sucessor do apóstolo Pedro, Cabeça do Colégio Apostólico. É chamado Magistério Extraordinário quando é expressão de uma definição solene pronunciada pelo Papa ou pelos Bispos, reunidos em Concílios ecumênicos, sempre em comunhão com o Papa. Em síntese: a fé da Santa Igreja Católica tem suas fontes referenciais na Bíblia Sagrada; na Tradição da Santa Igreja Católica e no Magistério da Santa Igreja Católica. A fé é a resposta generosa do ser humano a Deus, que vem ao seu encontro com infinita bondade e com o desejo de dar sentido pleno e esperança à vida do ser humano. Ninguém cria por si o conteúdo da fé Católica; nós a acolhemos com alegria e gratidão, como um dom precioso, uma herança recebida dos apóstolos, por intermédio da Santa Igreja Católica. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

 

09/10/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. A SAGRADA ESCRITURA E TRADIÇÃO. UM ÚNICO TESOURO CONFIADO À SANTA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA. A Sagrada Escritura e a Tradição são realidades íntegras e complementares. Em conjunto, eles nos revelam o plano de amor que Deus nos tem preparado. Nossa vida tem sentido e alcança sua plenitude se acolhermos este plano de amor que Deus nos tem preparado e que foi revelado por Nosso Senhor Jesus Cristo. A Tradição indicou os textos sagrados que compõem a Bíblia e, ainda hoje, define os critérios para sua leitura e compreensão. Por seu lado, a Sagrada Escritura é a âncora que dá segurança para que a Tradição se mantenha fiel a Nosso Senhor Jesus Cristo. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

 

06/10/2017 – Sexta Feira
MINI SERMÃO. SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. A TRADIÇÃO. “Jesus fez ainda muitas outras coisas. Se todas fossem escritas uma por uma, creio que nem o mundo inteiro poderia conter os livros que se escreveriam” (João 21, 25). Os encontros com Nosso Senhor Jesus Cristo eram sempre experiências que transformavam a vida. Suas palavras, gestos e sinais ficavam gravados de forma inesquecível nos que com Ele conviviam. Como é natural, reunidas em pequenos núcleos da Igreja nascente, essas testemunhas transmitiam as suas memórias, que, de geração em geração, chegaram até nós. A Tradição da Santa Igreja Católica é o conteúdo desse rico processo de comunicação e interpretação da Escritura pela Santa Igreja Católica, iniciada pelos apóstolos e perpetuada até nossos dias. A Tradição compreende, num primeiro momento, os atos e palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo que as primeiras comunidades cristãs, assistidas pelo Espírito Santo, reconheceram como autênticos e fundamentais para definir a identidade cristã. Num segundo momento, a Tradição, que é viva, continua válida e necessária ainda nos dias de hoje. Ela revela-se viva por meio da interpretação revestida em novas linguagens e culturas da única e imutável Palavra de Nosso Senhor Jesus Cristo. É importante não confundir Tradição com tradicionalismo. A Tradição é a fé autêntica que recebemos dos que nos precederam; ela nos ajuda a preservar através dos tempos que mudam a fidelidade a Nosso Senhor Jesus Cristo, à sua pessoa e à sua doutrina. Já o tradicionalismo é o apego conservador a certos princípios, ritos e costumes em oposição a novas tendências surgidas na sociedade ou na Igreja. Paz e Bem! R. Carlos.

 

Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

05/10/2017 – Quinta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. A SAGRADA ESCRITURA. Sagrada Escritura é o conjunto dos escritos judaicos (Antigo Testamento = AT) e cristãos (Novo Testamento = NT). O termo Testamento significa “Aliança”.  Já a palavra Bíblia, é uma palavra de origem grega e significa “livros”. O Antigo Testamento é chamado de Antiga Aliança, pois narra a aliança feita por Deus com Abraão, Isaac, Jacó e José, os Patriarcas do Povo de Deus e, posteriormente, com Moisés e todo o Povo, liberto da escravidão do Egito. A aliança feita por Moisés estabelece a Lei por meio dos Dez Mandamentos. Esta Lei é chamada pelos Hebreus de Torá e suas bases se encontram nos cinco primeiros livros do Antigo Testamento (Pentateuco). Ela fundamenta e torna-se o ponto de referência dos demais livros do Antigo Testamento, também chamados de históricos, sapienciais e proféticos. Portanto, o Antigo Testamento é dividido em Pentateuco; Livros Históricos; Livros Sapienciais e Livros Proféticos. O Novo Testamento ou Nova Aliança, e assim chamado, pois a partir de Nosso Senhor Jesus Cristo, de sua vida, paixão, morte e ressurreição, Deus estabelece uma Nova Aliança com seu Povo. A plenitude dos tempos, “a Palavra se fez carne e veio morar entre nós” (João 1, 14). Deus toma a iniciativa de comunicar sua presença, entretanto na história dos homens por meio do seu Filho Nosso Senhor Jesus Cristo enviado ao mundo. Este é o instante decisivo para a vida e a história do mundo. Deus nasce em Belém, revela-se na história dos homens como o Messias esperado pelo Antigo Testamento, e com seus discípulos inaugura um novo tempo por suas palavras e ações. O ápice da vida de Nosso Senhor Jesus Cristo é seu Mistério Pascal ou em outras palavras o mistério de sua paixão, morte e ressurreição, por meio do qual ele leva a cumprimento a vontade do Pai de salvar a humanidade. O Novo Testamento narra, então, este processo primeiramente nos quatro evangelhos e, posteriormente, aprofundando dimensões do ensinamento de Nosso Senhor Jesus Cristo na vida das primeiras comunidades fundadas pelos apóstolos, nos livros que compõem o Novo Testamento. Estes livros são: Atos dos Apóstolos, Cartas Paulinas, Cartas Católicas, Hebreus, Cartas Joaninas e Apocalipse. Este novo conjunto, nascido à luz do mistério da ressurreição do Antigo Testamento, revelando-os à luz da revelação plena de Deus, em Nosso Senhor Jesus Cristo. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

 

04/10/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. A REVELAÇÃO DE DEUS. “Ninguém jamais viu a Deus; o Filho único, que é Deus e está na intimidade do Pai, foi quem o deu a conhecer” (João 1, 18). Deus, presença original na maravilhosa obra da criação do universo, na consciência e na história humana e nos sinais dos tempos, revela-se também de modo pleno nos acontecimentos da vida de Nosso Senhor Jesus Cristo, em sua morte e ressurreição e no dom do Espírito Santo, que deu origem à Santa Igreja Católica Apostólica Romana. Esta revelação está contida na Sagrada Escritura e na Tradição viva da Santa Igreja Católica, transmitida e esclarecida pelo Magistério. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

 

03/10/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. DEUS VEM AO NOSSO ENCONTRO. “E a Palavra se fez carne e veio morar entre nós” (João 1, 14). Deus não nos deixa sozinhos em nossos anseios e esperanças. Ele vem ao nosso encontro. Mostrando-se como a origem da vida, criador de todas as coisas, revelando-se na própria natureza, Ele oferece um permanente testemunho de si. Com efeito, Deus amou a vida plena, comunica-se a nós desde o princípio, através do universo que criou. A nós compete descobrir, na obra criada, a assinatura do Autor, presente na história da humanidade e nas circunstâncias concretas da vida humana. Ele manifesta-se próximo, amigo, disponível, terno e misericordioso, pois é Pai. Revela-se amorosamente a nós por meio do Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo. Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

02/10/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. EM BUSCA DO SENTIDO DA VIDA E DA FELICIDADE. “Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3, 16). Nosso desejo mais profundo é encontrar o sentido da vida e ser felizes. Não apenas por um momento, mas, para sempre e plenamente. Desejamos a realização total de nós mesmos, nas pequenas e nas grandes coisas. Nosso coração é feito para a beleza e a felicidade, para amar e ser amado, para buscar a verdade e fazer o bem. Somos movidos pelo desejo e pelo anseio de realização na grande aventura da vida, na construção do nosso futuro, por meio de encontros e da amizade. Ao mesmo tempo, somos limitados. Nossa experiência de vida inclui erros, injustiças e várias formas de sofrimento. Contudo, o desejo do coração é o de infinito. Este sonho, descrito por grandes santos, místicos e artistas, correspondem ao nosso anseio por Deus: “Fizeste-nos para ti, Senhor, e o nosso coração está inquieto até que repouse em ti” rezou Santo Agostinho (Confissões, I, 1). Este desejo de encontrar Deus e de busca do infinito manifesta-se, ao longo da história de várias formas, particularmente por meio das diferentes religiões. Na verdade, são muitos caminhos para entrar em comunhão com o Mistério do Amor. Na busca, o homem e a mulher se deparam com o desconhecido, percebem sua limitação e o grande desafio de descobrir o rosto de Deus em sua transcendência e no rosto dos irmãos e irmãs, particularmente, dos pobres e dos sofredores (Mateus 25, 35-36). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

29/09/2017 – Sexta Feira
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. A REVELAÇÃO DE DEUS. Ó Deus, Pai amoroso de todos os homens e mulheres, criados à vossa imagem e semelhança, sois a fonte inesgotável de nossa dignidade humana e a razão mais profunda do nosso desejo de ser felizes. Conscientes dos limites humanos enchemo-nos de confiança diante da entrega do vosso Filho. Nosso Senhor Jesus Cristo, que selou definitivamente a Aliança convosco. Concedei-nos conhecer a transmitir a Revelação plena do vosso amor, na escuta de vossa Palavra, na fidelidade à Tradição e na comunhão de vossa Santa Igreja Católica Apostólica Romana, para que o mundo conheça o Evangelho da vida. Amém. Paz e Bem! R. Carlos. 

Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

28/09/2017 – Quinta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. SER CATÓLICO É VIVER A FÉ COMO DOM DE DEUS E TUDO OFERTAR PARA O BEM DOS IRMÃOS E IRMÃS. Isso significa não cair na tentação de pensar que as conquistas e os resultados só dependem do próprio esforço e da própria capacidade de programar e agir. Deus, com sua graça, tudo pode realizar. A exemplo de Nosso Senhor Jesus Cristo, que viveu momentos fortes de oração a cada dia de sua vida, a oração pessoal e na comunidade, também, faz parte da vida diária do Católico Apostólico Romano. Nosso Senhor Jesus Cristo disse àqueles que n’Ele creem: “Sem mim, nada podeis fazer” (João 15, 5). Assim, na intimidade com o Senhor nos é garantida a força de nossa ação, a coragem de prosseguir no caminho e a alegria de promover a vida. Quando o Católico ora, ele toma sua vida toda e a coloca em sintonia com o coração de Deus. Do coração de Deus vem a graça, que gera e mantém a vida interior e faz o católico ser fiel à verdade, à vida, à paz e ao amor. O católico recebe, assim, a graça de Deus, sua presença transformadora e redentora, nos sete sacramentos (Batismo, Confirmação ou Crisma, Eucaristia, Reconciliação ou Penitência, Unção dos enfermos, Ordem e Matrimônio), canais desta graça e garantia de sua santificação. O católico procura e vivencia, em sua vida, os sacramentos, sinais eficazes da graça, instituídos por Nosso Senhor Jesus Cristo e confiados à Santa Igreja Católica Apostólica Romana. A graça que vem de Deus Pai, em Nosso Senhor Jesus Cristo pelo Espírito Santo, por meio dos sacramentos, nos santifica, tudo transforma e nos traz muitas bênçãos. É presença da vida de Deus em nós, fortalecendo nossa fraqueza humana. O católico professa sua fé não apenas por palavras, mas, também por meio do testemunho, da conduta cotidiana. Por conduta cotidiana, entende-se a busca de vivenciar as bases morais ensinadas por Nosso Senhor Jesus Cristo e por sua Santa Igreja Católica Apostólica Romana. O comportamento moral católico é, acima de tudo, consequência do seguimento de Nosso Senhor Jesus Cristo, caminho, verdade e vida. Tal seguimento é resposta fiel e generosa ao amor de Deus. É acolhida, anúncio e testemunho da vida nova que brota do Evangelho, vida no Espírito, sustentada pela graça de Deus. O seguimento é pleno, se vivido na Santa Igreja Católica Apostólica Romana. A moral católica é vida nova em Nosso Senhor Jesus Cristo, centrada no amor, conforme o mandamento novo: “Amai-vos uns aos outros. Como eu vos amei, assim também vós deveis amar-vos uns aos outros” (João 13, 34). É amar como Nosso Senhor Jesus Cristo nos ama, “rejeitando o que não convém ao cristão e abraçando tudo o que é digno deste nome”. As palavras e atitudes do católico devem testemunhar os valores do Reino de Deus nos vários campos da vida: familiar, comunitário, social, afetivo, sexual, matrimonial e profissional. Em todas essas dimensões da vida, o católico é chamado a viver a doação da própria vida, a misericórdia, o perdão, a solidariedade, a justiça, a paz, o diálogo, a reconciliação, a defesa e promoção da vida e da dignidade humana, a pureza de coração, a fidelidade conjugal, a fecundidade responsável, a convivência respeitosa com a natureza. O católico vive, portanto, um processo permanente de conversão rumo à sua plena realização humana e cristã na santidade; para isso, recebe preciosa e indispensável ajuda da Santa Igreja Católica Apostólica Romana, mãe e mestra, que orienta sua conduta moral, em meio aos inúmeros desafios e situações complexas do mundo, para que possa viver a vida nova em Nosso Senhor Jesus Cristo. Consciente de pertencer à comunidade eclesial e de que a conduta moral é parte essencial de sua identidade, o católico acolhe com gratidão e responsabilidade os valores e normas morais propostos pela Santa Igreja Católica, testemunhando-os nos diversos ambientes em que vive. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de
conversão.

 

- - -

27/09/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. SER CATÓLICO É VIVER COMO IGREJA A FÉ NA ADESÃO A NOSSO SENHOR JESUS CRISTO EM OBEDIÊNCIA À SUA PALAVRA. Não vivemos nossa fé sozinhos, mas, como membros da Santa Igreja Católica Apostólica Romana, que guarda a memória de Nosso Senhor Jesus Cristo, celebra sua presença de Ressuscitado e o anuncia a todos os seres humanos. Esta Igreja é nossa mãe. Ela nos transmite o dom da fé e nos reúne na comunidade do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Gera-nos, como novas criaturas, nas águas do Batismo. Alimenta-nos com a Eucaristia – o Pão da vida. Santifica-nos constantemente com os demais sacramentos. Anima-nos com a presença do Santo Papa, dos Bispos e dos Padres que continuam a missão dos Apóstolos, os primeiros pastores e missionários, designados pelo próprio Nosso Senhor Jesus Cristo. Conforta-nos com o auxílio de Maria Santíssima, mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo e nossa mãe, a primeira de seus discípulos e discípulas; com a presença dos santos e santas, grandes cristãos, modelo de santidade. A Santa Igreja Católica Apostólica Romana não é somente mãe, ela é também mestra. Ela nos ensina a Palavra de Deus e o caminho de Nosso Senhor Jesus Cristo. Tal ministério do ensinamento, a Santa Igreja Católica o realiza por meio da Palavra de Deus (Sagrada Escritura) e (tradição), por meio dos escritos de seus santos e pastores; por meio da celebração dos sacramentos; por meio de sua catequética e pastoral. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

26/09/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. SER CATÓLICO É ALIMENTAR A FÉ NA FONTE DA REVELAÇÃO DIVINA (SAGRADA ESCRITURA E TRADIÇÃO). A fé Católica tem sua origem na Revelação divina que se expressa por meio da Sagrada Escritura e a Tradição. Por Sagrada Escritura entendemos os 46 livros do Antigo Testamento e os 27 livros do Novo Testamento, compreendidos como sagrados e inspirados. Eles contêm a Palavra da revelação de Deus e é alimento para a nossa fé e conforto espiritual para nossa caminhada. Alimento e conforto, pois, a Palavra não somente nos auxilia quando dela necessitamos para a evangelização de outras pessoas. De fato, quando o lemos, nós somos os primeiros a sermos evangelizados. Por Tradição, palavra que significa transmissão, entendemos o processo e o conteúdo da transmissão da Verdade revelada, proveniente primeiramente do anúncio dos portadores originais da revelação cristã, Nosso Senhor Jesus Cristo e os apóstolos, continuada, posteriormente, na Santa Igreja Católica, por obra do Espírito Santo. Por Magistério da Santa Igreja Católica, a palavra magistério significa ensinamento, entendemos o ensinamento do colégio dos Bispos em comunhão com o Santo Papa, bispo de Roma e sucessor de São Pedro, que em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo tem a autoridade de interpretar autenticamente a Palavra de Deus, escrita (Sagrada Escritura) ou transmitida (Tradição). Além disso, o Magistério da Santa Igreja Católica, assistido pelo Espírito Santo, nos orienta de modo seguro, na vivência de nossa fé, na alegria da esperança e da caridade. Ajuda-nos a compreender que nossa fé não é simplesmente subjetiva e individual. Ela é comunitária, não só por ser partilhada com os outros e vivida em união com eles, mas também por ser dom do Espírito Santo, concedido a todos os que a professam e dão testemunho de Nosso Senhor Jesus Cristo. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

 

25/09/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. SER CATÓLICO É CRER EM DEUS PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO. Crer é uma resposta obediente, consciente e livre ao apelo de Deus que se revela por amor. Por ser resposta a um apelo, o ato de fé – crer – é base e, ao mesmo tempo, expressão da relação da pessoa, que crê, com Deus que a interpela por amor. É por este motivo que ao crer, a pessoa realiza o ato mais significativo de sua existência, alcançando a certeza da Verdade e decidindo viver nela, ainda que tal certeza não deva ser confundida com uma certeza calculada pela razão. A fé é adesão da vontade e da inteligência à Revelação feita por Nosso Senhor Jesus Cristo, não enquanto apreensão de uma ideia, mas, enquanto fruto de uma experiência e de uma existência vivida na revelação com o Senhor e na obediência à sua vontade. É por este motivo que bem sintetiza o autor da carta aos Hebreus: “A fé é a certeza daquilo que ainda se espera, a demonstração de realidades que não se veem” (Hebreus 11, 1); e, também, São Paulo: “Caminhamos por meio da fé e não por meio da visão” (Coríntios 5, 7). Por não se tratar da compreensão de algo que se vê, a fé deve ser compreendida, sobretudo, como adesão ao mistério de Nosso Senhor Jesus Cristo que, com toda a sua vida, revela o rosto do Pai, revelando seus segredos de amor. Penetrar com profundidade este mistério de amor significa permitir ser preenchido por esta graça que transforma e redime: “Eis que estou à porta e bato, se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele comigo” (Apocalipse 3, 20). Ser Católico Apostólico Romano é, portanto, crer. Crer em Deus Pai Filho e Espírito Santo a quem nos referimos como a Santíssima Trindade, o mesmo Deus revelado em três pessoas distintas. Ao Pai nos referimos como o Criador, pois, por meio de seu amor, criou tudo o que existe. Ao Filho nos referimos como o Redentor, pois por sua vida, morte e ressurreição fomos resgatados e redimidos do pecado e de todo o mal. Ao Espírito Santo nos referimos como o Santificador, pois Ele constrói, anima e santifica a Santa Igreja Católica Apostólica Romana. Com a sua efusão no dia de Pentecostes é revelada plenamente a Santíssima Trindade. Nosso Deus, que é Trindade, é família e nós somos chamados, como membros da Santa Igreja Católica, a fazer parte desta família, a partir do momento em que recebemos o Batismo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ao participarmos da comunidade eclesial, Nosso Senhor Jesus Cristo, Verbo feito homem, continua revelando-nos, hoje, como revelou aos seus apóstolos, o amor do Pai e a graça do Espírito Santo. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão. 

- - -

22/09/2017 – Sexta Feira 
MINI SERMÃO
SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. Queremos ver Jesus, caminho, verdade e vida (João 12, 12; 14,  6). Ver Nosso Senhor Jesus Cristo é o desejo mais profundo e central do coração do ser humano. Este desejo profundo é o mesmo presente no coração daqueles gregos que tinham subido a Jerusalém para adorar durante a festa da Páscoa: “Eles se aproximaram de Felipe, que era de Betsaida da Galileia, e disseram: Senhor, queremos ver Jesus” (João 12, 21). O desejo de ver Nosso Senhor Jesus Cristo, de ir até Ele, trata-se de uma imagem do Evangelho de João que indica o caminho da fé. Fé que é dom e tarefa como se pode bem perceber na afirmação da encíclica do saudoso Papa João Paulo II: “À plena contemplação do rosto do Senhor, não chegamos pelas nossas simples forças, mas deixando a graça conduzir-nos por sua mão” (NMI 20). Porque não podemos chegar a ver Nosso Senhor Jesus Cristo simplesmente com nossas forças; a fé é dom. por tratar-se de um processo dinâmico no qual somos chamados a deixarmo-nos conduzir pela graça, o que equivale a abrir-se docilmente à sua ação, a fé é tarefa. Enquanto dom, a fé é, portanto, fruto da graça que vem do Pai, como afirma o próprio Nosso Senhor Jesus Cristo ao acolher a confissão de Pedro em Cesaréia de Filipe: “Não foram a carne e o sangue que te revelaram, mas, meu Pai que está nos céus” (Mateus 16, 17). Enquanto tarefa, a fé constitui-se a busca de melhor conhecer Nosso Senhor Jesus Cristo, para melhor amá-lo e servi-Lo. Este conhecimento é uma experiência interna, afetuosa e mobilizadora, que nasce do encontro pessoal com Nosso Senhor Jesus Cristo e se solidifica na vivência eclesial. Por ser esta vivência dinâmica, ela constitui-se um verdadeiro caminho, em cujo processo o Católico é chamado a estar sempre pronto a dar razão de sua esperança, comprometendo-se com o serviço da caridade. O caminho da fé, ao mesmo tempo em que é um processo individual, pois depende de como cada pessoa corresponde livremente à graça, é também um ato comunitário, eclesial. Neste sentido, o católico ao participar da comunidade eclesial é auxiliado pela Santa Igreja Católica Apostólica Romana, sua mãe e mestra, que em sua missão evangelizadora anuncia o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, sua esposa, vida, morte e ressurreição e que, por meio deste anúncio, proporciona o encontro pessoal com Nosso Senhor Jesus Cristo na comunidade de fé. Deste modo, ela ajuda cada pessoa a viver, a construir e a cultivar sua adesão a Nosso Senhor Jesus Cristo, no compromisso de segui-Lo e na tarefa missionária de anunciá-lo. Paz e Bem! R. Carlos.

Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

21/09/2017 – Quinta Feira
MINI SERMÃO

SOU CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO – VIVO MINHA FÉ. O que significa a palavra crer? Quais os fundamentos de minha fé? Como celebro minha fé? Como vivo minha fé? Com tais questionamentos deparam-se muitos católicos sem saber, em maioria, onde encontrar resposta. A CNBB – Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil, faz uma proposta elaborada pela Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé, cujo objetivo é o de responder a esta necessidade e, portanto, ajudar os fiéis Católicos a conhecerem melhor sua fé, para melhor celebrá-la e testemunhá-la. Por ser um dom preciso de Deus, a fé enquanto virtude teologal, nos foi dada como presente no dia em que recebemos o Batismo. É preciso, então, conhecer e aprofundar este dom que Deus nos concedeu. Quanto mais o conhecermos, tanto mais por Ele nos encantaremos com o desejo sempre mais profundo de vivê-lo. Como conhecer e amadurecer o dom da fé? Por meio da leitura da Sagrada Escritura, por meio da oração, por meio da participação ativa e consciente na comunidade eclesial como lugar privilegiado não somente da celebração da fé, mas também de seu aprofundamento, maturação e manifestação. Onde viver este dom tão precioso e significativo? Em nossas famílias, em nossos trabalhos, em nosso convívio social na busca da compreensão sempre mais plena de que somos discípulos - missionários de Nosso Senhor Jesus Cristo, chamados a testemunhá-lo no que somos e fazemos. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

20/09/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO

VIVENDO O SACRAMENTO DO PERDÃO. AO CONFESSAR-SE: 1. Apresente-se diante de um Sacerdote com a fé de quem se apresenta diante do próprio Nosso Senhor Jesus Cristo, de quem o Sacerdote é ministro. 2. Apresente-se, dizendo: “Padre, dai-me vossa bênção porque pequei!” 3. Diga há quanto tempo foi sua última confissão. 4. Quando seu pecado envolve outras pessoas, seja discreto e procure limitar-se à sua responsabilidade pessoal. 5. Ouça os conselhos do sacerdote, espere que o sacerdote imponha as mãos sobre você e reze a oração da absolvição. 6. Preste atenção no ato de penitência ou de reparação que o sacerdote lhe pedir. A penitência não é para pagar os pecados, mas, para ensiná-lo a não pecar! Vá em paz! Nosso Senhor Jesus Cristo acompanhe e guarde você! Amém! Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

19/09/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO

VIVENDO O SACRAMENTO DO PERDÃO. ORAÇÃO DE AGRADECIMENTO. Senhor Jesus, agradeço-vos de todo o coração a graça de minha confissão e o perdão recebido. Obrigado pelo ministério da Santa Igreja Católica Apostólica Romana, que me dá a segurança desse perdão. Que vossa paz envolva todo o meu ser e me faça viver e conviver com alegria. Fazei que eu comunique a todos essa paz. Dai-me a força de perdoar de coração a todos os que me ofenderam. Fazei que eu possa repousar com amor e generosidade todo o mal que tenha causado a alguém. Maria Santíssima, obrigado porque me acolhestes em vossa casa e me conduzistes a vosso Filho Nosso Senhor Jesus Cristo. Prometo-vos, de todo o coração viver sempre na presença de Deus, participar melhor de minha comunidade e agir como cristão na sociedade. Dai-me vossa bênção maternal! Amém! Pai Nosso... / Ave Maria... / Glória ao Pai... Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

18/09/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO

VIVENDO O SACRAMENTO DO PERDÃO. SÚPLICA DE PERDÃO. Senhor meu Deus e meu Pai, eu me arrependo sinceramente dos pecados que cometi! Arrependo-me do mal que pratiquei e do bem que deixei de fazer! Reconheço que minhas atitudes, gestos e palavras ofenderam a vós quando ofendi a minha família, as pessoas que me cercam e a minha comunidade. Ajudado por vossa misericórdia, farei o possível para emendar minha vida, para ter atitudes nobres, justas e leais e viver mais fiel a vós! Senhor, Deus de misericórdia, tende piedade de mim e consolai-me com vosso perdão! Amém! Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

15/09/2017 – Sexta Feira
MINI SERMÃO

VIVENDO O SACRAMENTO DO PERDÃO À LUZ DA PALAVRA DO SENHOR, EXAMINE SUA VIDA
1. AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS: Deus ocupa o primeiro lugar em minha vida, em minhas decisões familiares, profissionais? Sua Palavra, seu Evangelho tem valor de decisão sobre a bondade ou maldade de meus atos?
2. NÃO TOMAR SEU SANTO NOME EM VÃO: Creio, confio em Deus e o amo acima de tudo e de todos? Qual é o lugar da oração como diálogo com Deus ao longo do dia? Culpo a Deus quando meus interesses são contraditórios?
3. GUARDAR OS DOMINGOS E DIAS SANTOS: Participo de minha Comunidade, principalmente das celebrações dominicais? Frequento a Santa Missa e recebo a Santa Comunhão?
4. HORAR PAI E MÃE: Tenho mantido presença e diálogo dentro de minha família? Tenho respeitado meu pai e minha mãe? Tenho ajudado meu pai e minha mãe? Tenho cuidado com carinho dos idosos e doentes, principalmente de meus familiares?
5. NÃO MATAR: Respeito a vida humana desde sua concepção? Deixo-me levar pelo ódio, pela agressividade? Tenho me deixado levar pelo instinto de dominação sobre os outros? Procuro reconciliar-me, pedindo e dando perdão das ofensas?
6. NÃO PECAR CONTRA CASTIDADE: Tenho vivido minha sexualidade com responsabilidade e amor? Deixo-me levar pelo erotismo e pelo instinto de posse do outro?
7. NÃO ROUBAR: Sou honesto e justo em meu trabalho? Apropriei-me de algo que pertence a outro? Respeito tudo o que pertence ao bem comum da comunidade? Pago os impostos? Tenho explorado o trabalho de outras pessoas? Devolvi o que tirei indevidamente?
8. NÃO LEVANTAR FALSO TESTEMUNHO: Falo e espalho facilmente os erros e as fraquezas dos outros? Difamei gravemente alguém, causando-lhe prejuízo social? Tenho enganado ou acusado pessoas com mentiras?
9. NÃO DESEJAR A MULHER/MARIDO DO PRÓXIMO: Tenho traído meu matrimônio com adultério e outras infidelidades? Tenho sido sincero no diálogo familiar e na partilha dos bens? Sei escutar as alegrias e as dificuldades de minha família?
10. NÃO COBIÇAR AS COISAS ALHEIAS: Sou grato a Deus por minha vida e por tudo o que tenho? Vivo reclamando e invejando os outros? Deixo-me levar pela arrogância de ter sempre mais, sem me importar com os outros?
Esses Mandamentos nos foram dados no Antigo Testamento. Quando Jesus veio até nós, Ele nos ensinou todos os 10 mandamentos, assim como todas as demais prescrições e tradições, estão contidos nestes dois: - “Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, com toda a tua alma e com todo o teu entendimento, e a teu próximo como a ti mesmo” (Mateus 22, 34-40).
Pare! Pense! Medite! Decida-se diante de Deus para o bem e para a paz! Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

 

14/09/2017 – Quinta Feira
MINI SERMÃO. VIVENDO O SACRAMENTO DO PERDÃO. A PALAVRA DO SENHOR É LUZ! Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 15, 1-7. Aproximavam-se de Jesus todos os publicanos e pecadores para ouvi-Lo. Os fariseus e os escribas o criticavam dizendo: “Este homem acolhe os pecadores e come com eles”. Jesus contou-lhes, então, esta parábola: “Quem de vós, se tiver cem ovelhas e perder uma delas, não deixa as noventa e nove no deserto, para ir procurar a ovelha perdida até encontrá-la? E, achando-a, coloca-a sobre os ombros, cheio de alegria, e, voltando para casa, convida os amigos e os vizinhos, dizendo-lhes: “Alegrai-vos comigo, porque encontrei minha ovelha que estava perdida”. Eu vos digo: assim também haverá maior alegria no céu por um só pecador que se converte do que por noventa e nove justos que não precisam de conversão”. Caríssimos: Reconheça sua culpa. Peça perdão. Encontrará assim o caminho do paraíso! Reconheça com humildade suas fraquezas, o Pai o abraçará e fará para você uma festa! Deixe que a salvação entre em seu coração hoje. Só assim você será feliz! Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

13/09/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO

VIVENDO O SACRAMENTO DO PERDÃO. PREPARE-SE BEM PARA FAZER UMA BOA CONFISSÃO! VOLTE PARA SUA CASA COM A PLENITUDE DA PAZ! O Senhor esteja em seu coração e o transforme! O Senhor esteja em seus pensamentos para que sejam nobres! O Senhor esteja em seus lábios para que anuncie sua bondade! Seja você um(a) digno(a) filho(a) de Deus e corresponda com seu amor! Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo! Amém! Coloque-se agora na presença do Deus de misericórdia! Deixe que Ele olhe bem dentro de você e o ajude a avaliar sua vida! Reze e medite com muita confiança! Senhor Jesus, ajudai-me a olhar sem medo para minha consciência. Dai-me sinceridade para assumir minhas fraquezas, meus erros e minhas omissões. Que vosso Espírito Santo me faça reconhecer minha falta de amor e meus atos egoístas. Mostrai-me claramente aquilo em que estou falhando no amor para convosco, no amor para com as pessoas de minha família, no amor para com as pessoas que me cercam e no amor para comigo mesmo. Dai-me humildade para me arrepender, para pedir perdão com sinceridade e para decidir-me a ser melhor. Maria Santíssima rogue por mim a vosso divino Filho! Amém! Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem.

- - -

12/09/2017 – Terça Feira
A todos irmãos em nosso Senhor Jesus Cristo, que acompanham os e-mails, Pequenos Missionários de Jesus, Mini Sermão. Comunicamos que concluímos a matéria que está em anexo: Livro: Ritos Comunitários do Sacramento da Penitência. Autor: Pe. Ferdinando Mancilio. Editora: Santuário. Paz e Bem!

- - -

11/09/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO

IX – A JUVENTUDE AMA O DEUS DA VIDA. SALMO DE MEDITAÇÃO. Estamos diante de vós, Senhor, do jeito que somos, sem máscaras. Nossas mãos abertas nada têm para oferecer-vos. Elas estão vazias. Mas, Senhor, nosso coração está atento e está aberto para acolher vossa vontade, nós até já sabemos: vós nos amais tanto e nos dais vossa misericórdia. Vós nos provastes isto, nos dando vosso Filho único, Jesus Cristo. – Jesus é a prova maior do amor de Deus por nós! Viemos de nossas casas, das ruas e das praças porque vós nos chamastes e escutamos vossa voz. Não é feliz quem não a escuta. Vosso amor é verdadeiro e sem fingimento, a brisa suave de vossa ternura também nos atinge. Quem pode dela escapar? Quem pode fugir de vosso amor? Quem pode nos afastar de vossa bondade? Ninguém! – Nada pode nos afastar do amor de Deus! Nem a morte, nem a dor, nem a riqueza e nem o pranto nos separam de vosso amor e de vossa misericórdia. Nada pode sucumbir diante de vossa presença, que tudo aplaca e consome. Nossos pecados são frágeis diante de vosso amor e somente uma palavra vossa já os destrói completamente. Vossa misericórdia é mais forte que a morte. – A misericórdia de Deus é mais forte que a morte! Agora estamos aqui, Senhor, e nesta hora temos muito que vos dizer, sobretudo para vos pedir perdão. Nós, às vezes, nos achamos muito donos da vida e que tudo podemos. E depois que experimentamos o mal, sabemos que ele não nos traz nenhuma paz e nenhuma felicidade. Queremos agora remarcar nosso encontro convosco e com vossa bondade infinita. – O encontro com Deus nos faz livres e felizes! Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - - 

06/09/2017 – Quarta Feira 
MINI SERMÃO
IX – A JUVENTUDE AMA O DEUS DA VIDA. APLICAÇÃO DO SIMBOLISMO. - Senhor, Senhor, Deus compassivo e misericordioso, lento para a cólera, rico em bondade e em felicidade... (Êxodo 34, 6). SALMO DE MEDITAÇÃO. Pai de todos os homens, Deus próximo e misericordioso, paternidade total, dom entregue sem retorno. Cantemos a ti, te louvamos, porque és grande e fizeste todas as coisas com sabedoria e amor. - Cantemos e louvemos tua aliança de amor conosco! Pai, que fazes o sol nascer para bons e maus. Dás cor às flores. Ensinas o pássaro a cantar. Desenhaste o sorriso da criança. Ajuda-nos a criar fraternidade, a viver neste mundo semeando gratuitamente teu próprio jeito de amar. – Cantemos e louvemos tua aliança de amor conosco! Pai faz-nos viver de tua vida, em tua própria família cantando sempre tuas misericórdias. Tu, Pai, rico em misericórdia íntima misericórdia. Graças por seres pai sempre pai conosco. Amém. – Cantemos e louvemos tua aliança de amor conosco! Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

05/09/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO

IX – A JUVENTUDE AMA O DEUS DA VIDA. ANÚNCIO DA PALAVRA. No Livro de Eclesiastes lemos (Eclesiastes 11, 7-10): Doce é a luz, e é agradável aos olhos ver o sol. Por mais anos que o homem viva e por mais que os desfrutes a todos, deve lembrar-se de que os anos sombrios serão muitos, e tudo que acontecer será ilusão. Jovem, regozija-te na mocidade e sê feliz nos dias da juventude! Segue os impulsos do coração e os atrativos dos olhos, mas fica sabendo que Deus te pedirá contas de tudo isso! Rechaça as penas do coração e afugenta as dores do corpo, pois juventude e adolescência são efêmeras. – Palavra do Senhor. MEDITAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS. Nosso coração não pode viver sem amor: ou ama a Deus ou ama as criaturas. O único bem e a única felicidade de uma alma consiste em amar seu Criador e no cumprimento de sua vontade... Nesta e na outra vida não existe felicidade maior do que te amar e cumprir tua vontade (Santo Afonso Maria de Ligório). Ser feliz e amar a Deus são a mesma coisa. Por isso, o amor é inevitavelmente sua felicidade. É nosso indispensável bem. O primeiro mandamento da Lei de Deus é “amá-lo acima de qualquer outra coisa”. Ame! E diga não ao pecado! Seja diferente! Mas sempre no amor e na misericórdia de Deus. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

04/09/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO

IX – A JUVENTUDE AMA O DEUS DA VIDA. INICIANDO A CELEBRAÇÃO. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. – Amém. Pai Santo, nós vos amamos muito. Reconhecemos vosso amor tão grande que fez o céu, a terra, o mar, e a nós, jovens, destes a vida em abundância. É vosso amor, ó Pai do céu, que nos faz viver. – Pai do céu, no vosso amor queremos viver! Senhor Jesus Cristo, vós viestes ao mundo e nos destes a Palavra da Salvação. Vós vivestes a nossa vida e nos ensinastes o jeito novo de viver e amar. Não desamparais, Senhor, a nós que temos nossas fraquezas, mas queremos estar muito perto de vós, nosso Senhor e Salvador. – Jesus Cristo, jovem de Nazaré, vosso Evangelho nos transforme! Vinde, Espírito Santo, e transformai no amor nosso coração de jovens, para que nossa vida seja continuamente um sinal de Deus, da Vida e da Esperança. Dai-nos a força de vosso amor. – Espírito Santo, invadi nossa existência com vossa santidade! Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

01/09/2017 – Sexta Feira
MINI SERMÃO

IX – A JUVENTUDE AMA O DEUS DA VIDA. O mar da misericórdia de Deus só pode nos atingir se abrimos nosso coração ao perdão e perdoarmos os outros, aqueles que por alguma imaturidade acabaram nos ofendendo. O amor não é coisa parcial. O amor é completo. Como é indivisível o Corpo de Cristo. Numa palavra bem fácil: não dá para amar a Deus se eu não amo o meu irmão. Coração que não perdoa é impermeável, não deixa o amor penetrar nele, não se transforma. Por isso, é tão importante fazer a experiência do Deus que nos ama e nunca deixa de nos perdoar; mas espera um coração aberto para que a água bendita da misericórdia o penetre e o transforme. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

31/08/2017 – Quinta Feira
MINI SERMÃO

IX – JUVENTUDE RECONCILIADA, ESPERANÇA RENOVADA. ATO PENITENCIAL. Jovens façam presença em suas comunidades e se esforcem para amar a Deus com sinceridade de coração e para que sejam um sinal de Deus junto de seus colegas. BÊNÇÃO FINAL. Sacerdote: Deus Pai vos abençoe e vos dê a paz! – Amém! Sacerdote: Deus Filho vos conceda a alegria da salvação! – Amém! Sacerdote: Deus Espírito Santo vos santifique e vos inspire! – Amém! Sacerdote: E a bênção de Deus-poderoso, Pai, Filho e o Espírito Santo, desça sobre todos e com todos permaneça para sempre! – Amém!  Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

30/08/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO

IX – JUVENTUDE RECONCILIADA, ESPERANÇA RENOVADA. EXAME DE CONSCIÊNCIA. O pecado amarga a vida, ensoberbece o autossuficiente, endurece o coração e se fecha para o amor. É a misericórdia de Deus que liberta salva e dá vida. ABSOLVIÇÃO GERAL: Sacerdote: Deus Pai, que não quer a morte do pecador, mas que se converta e viva, que nos amou primeiro e enviou seu Filho Nosso Senhor Jesus Cristo ao mundo, para que o mundo seja salvo por Ele, vos manifeste sua misericórdia e vos dê sua paz. – Amém! Sacerdote: O Senhor Jesus Cristo, que foi entregue a morte por causa das nossas faltas e ressuscitou para nossa justificação, e que enviou o Espírito Santo sobre os seus apóstolos para receberem o poder de perdoar os pecados, Ele, pelo nosso ministério, vos livre do mal e vos encha do mesmo Espírito Santo.  Amém! Sacerdote: O Espírito Santo Consolador que nos foi dado para remissão dos pecados e no qual temos o poder de chegar ao Pai, purifique vossos corações e os ilumine para que anuncieis o poder do Senhor que vos chamou das trevas a sua luz admirável. – Amém! Sacerdote: E eu vos absolvo dos vossos pecados, em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. – Amém! Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

29/08/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO

IX – JUVENTUDE RECONCILIADA, ESPERANÇA RENOVADA. APLICAÇÃO DO SIMBOLISMO. “Quem beber da água que eu lhe darei, nunca mais terá sede!” (João 4, 14). SALMO DE MEDITAÇÃO. Senhor, vós sois o Deus da juventude que vem ao vosso encontro para vos louvar com gratidão e esperança e pedir vossa misericórdia. É verdade, Senhor, nós reconhecemos vosso infinito amor que nos toca a cada momento em que invocamos vosso nome bendito. – Viemos vos louvar com gratidão e pedir vossa misericórdia! A juventude espera permanecer ancorada em vosso amor, para que seja capaz de superar os ventos e as marés que sopram sem piedade em nosso mundo. Suportar as tormentas não é nada fácil, se vós não estais conosco, que caminhamos nesta vida, como aquele dia em que os discípulos pediram socorro ao vosso Filho, no mar da Galileia. – Senhor venha caminhar com a juventude! Nós queremos manter nossos passos bem firmes e os olhos bem abertos para a esperança. Vós nos pedistes para nos mantermos perseverantes até o fim, e quando nos faltarem a coragem e o alento, devemos pedir a força que vem de vosso Espírito Consolador. – Senhor, dai-nos vosso Espírito Consolador! A juventude fixa o olhar em vossa misericórdia, para superar as dificuldades e limitações de suas vidas, não prestando atenção naquilo que o impede de ir em frente. Ela quer escutar vossa voz libertadora e amiga, porque a juventude vos ama Senhor. – A juventude vos ama Senhor! Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

28/08/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO

IX – JUVENTUDE RECONCILIADA, ESPERANÇA RENOVADA. ANÚNCIO DA PALAVRA DE DEUS. No Livro de Lucas lemos (Lucas 18, 18-24): Certo homem de posição perguntou-lhe, dizendo: Bom mestre, o que devo fazer para alcançar a vida eterna? Jesus respondeu: Por que me chama de bom? Ninguém é bom senão Deus. Conheces os mandamentos: Não cometerás adultério, não matarás, não furtarás, não levantarás falso testemunho, honra pai e mãe. Disse-lhe ele: Todos estes mandamentos os tenho guardado desde a juventude. Ouvindo isso, Jesus lhe disse: Ainda te falta uma coisa: vende tudo que tens e distribui aos pobres e terás um tesouro no céu; depois vem e segue-me. Ao ouvi-Lo, ficou triste, porque era muito rico. Vendo-o assim, disse Jesus: Como é difícil entrarem no Reino de Deus os que têm riquezas! - Palavra da Salvação! MEDITAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS. A juventude tem uma vida bonita porque ela é dom de Deus. Muitas vezes esse dom é bem cuidado e torna-se uma bênção para todos os que estão perto. Quantas vezes, infelizmente, esse dom não é amado e por isso a pessoa faz coisas que não agradam nem aos outros e nem a si mesma. Deus, que tem uma infinita paciência conosco, sempre espera que voltemos para Ele e recomecemos nossa vida com mais coragem e gratidão. Não podemos fugir das exigências em estar perto de Deus. Não podemos querê-lo e continuar fazendo sempre as mesmas coisas. Ele muda nossa vida para nosso bem e para nossa liberdade. Deus não tira a liberdade de ser feliz e viver em paz. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

25/08/2017 – Quinta Feira
MINI SERMÃO
IX – JUVENTUDE RECONCILIADA, ESPERANÇA RENOVADA. INICIANDO A CELEBRAÇÃO. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo – Amém! Senhor, nós viemos ao vosso encontro porque sem vós nada somos e nada podemos fazer. Estamos aqui porque queremos renovar nossa vida em vossa misericórdia infinita. Venha, Senhor, perdoai-nos. – Senhor, a juventude espera de vós a misericórdia! Envie Senhor, vosso Espírito de amor para que nosso coração seja enternecido. Olhai para nós como a mãe que olha seu filho e seu coração se comove. Transformai nosso coração e deixai-o enternecido em vosso amor. – Senhor, a juventude espera de vós a misericórdia! Envie-nos, Senhor, vossa ternura, para que possamos saborear vossa presença afável, amiga e certa. Vosso amor vem ao encontro de nossa fragilidade e isto nos enche de ternura. Lavai nosso coração com as águas das fontes de vossa bondade. – Senhor, a juventude espera de vós a misericórdia! Deus de vida, que se deixastes seduzir por nós, vossos filhos e filhas cheios de ingratidão para com vosso amor, fortaleça-nos com vossa misericórdia para que sejamos a juventude nova, cheia de alegria, mas com muito amor para conosco. – Senhor, a juventude espera de vós a misericórdia! Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

24/08/2017 – Quinta Feira 
MINI SERMÃO
IX – JUVENTUDE RECONCILIADA, ESPERANÇA RENOVADA. A juventude é sempre esperança, porque mesmo diante dos desequilíbrios que sofre o mundo atual, mesmo que haja desequilíbrio profundo no coração do homem e da mulher; mesmo que por uma parte como criaturas experimentamos nossas limitações e interiormente nossos desejos ilimitados que nos convidam para uma vida, atitudes e gestos superiores sabemos que existe um Deus que é Pai e nos ama. A juventude reconhece o Deus que nunca deixou de amá-la e por isso também encontramos nela um coração aberto que sempre acolhe, porque sabe distinguir entre o passageiro e o eterno, entre o superficial e o profundo. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

23/08/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO
VII – É PRECISO FAZER UMA JORNADA AO NOSSO INTERIOR

EXAME DE CONSCIÊNCIA. O pecado amarga a vida, ensoberbece o auto – suficiente, endurece o coração e se fecha para o amor. É a misericórdia que liberta salva e dá a vida. ABSOLVIÇÃO GERAL. Sacerdote: O Senhor esteja convosco. – Ele está no meio de nós! Sacerdote: Deus Pai que reconciliou o mundo consigo por meio de seu Filho Jesus Cristo e enviou o Espírito Santo para a remissão dos pecados, vos conceda o perdão e a paz. – Amém! E eu vos absolvo dos vossos pecados, em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo – Amém! - Pai nosso, que estais nos céus... APLICAÇÃO PENITENCIAL Fazer algum ato de penitência, principalmente o da caridade: fazer um bem para alguém, praticar um ato de misericórdia, ler um trecho do evangelho e meditá-lo, ajudar alguém em algum serviço necessário, dar de beber a quem tem sede, de comer a quem tem fome... BÊNÇÃO FINAL Sacerdote: Abençoe- vos o Pai que vos gerou para a vida eterna! – Amém! Sacerdote: Ajude-vos o Filho que vos recebeu como irmãos e irmãs! – Amém! Sacerdote: Assista-vos o Espírito Santo que fez de vós seu templo! – Amém! Sacerdote: E a bênção de Deus todo – poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo, desça sobre todos e com todos permaneça para sempre! – Amém Paz e Bem! R. Carlos.  Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

22/08/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO
VII – É PRECISO FAZER UMA JORNADA AO NOSSO INTERIOR. APLICAÇÃO DO SIMBOLISMO. “Em nome de Cristo vos pedimos: reconciliai com Deus!” (Coríntios 5, 20). SALMO DE MEDITAÇÃO. Senhor, teu Filho Jesus Cristo nos falou tantas coisas boas e bonitas gosto de tudo aquilo que Ele nos falou, mas na minha cabeça é tão pequena que me esqueço de quase tudo. Mas existem aquelas coisas que ficam em meu coração, como o mandamento do amor: “Amem-se uns aos outros como eu amei vocês! – No Senhor é abundante a redenção! Lembro-me daquela história contada com tanto ardor: a do samaritano que acudiu o homem caído à beira da estrada. Interessante: ele acudiu o homem ferido, mas não lhe deu do que era supérfluo; deu-lhe daquilo que lhe pertencia: a montaria do cavalo, o dinheiro para que se cuidassem dele, e ainda a prontidão para pagar o que faltasse quando ele voltasse da viagem. – No Senhor é abundante a redenção! Hoje são muitos os que estão caídos à beira da estrada, feridos pelos mísseis dos prepotentes, pelas armas daqueles que perderam o sentido da vida, pelas vítimas da fome e da injustiça. Muitos estão caídos à beira do caminho, mas já sem vida, porque a ganância e a ambição dos outros, os matam. Quando virá, Senhor, o dia da tua justiça? – No Senhor é abundante a redenção! Senhor, quero ter de hoje em diante as atitudes do samaritano. Quero ajudar os outros não com aquilo que me sobra, mas, com aquilo que consegui com o suor do meu rosto. Quero ter sentimentos iguais aos do samaritano, e não ficar fazendo rodeios ou buscando justificativas para ajudar os outros. Quero curar minhas enfermidades e as dos outros também. Amém! – No Senhor é abundante a redenção! Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

 

21/08/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO
VII – É PRECISO FAZER UMA JORNADA AO NOSSO INTERIOR. ANÚNCIO DA PALAVRA DE DEUS.  No Livro 2Coríntios 5, 17-21 lemos: Quem está em Cristo, é criatura nova. O velho passou e um mundo novo se fez. Tudo isso vem de Deus, que nos reconciliou por Cristo e nos confiou o mistério desta reconciliação. Pois, é Deus que em Cristo reconciliou o mundo, já não levando em conta os pecados dos homens. É Ele que pôs em nossos lábios a mensagem da reconciliação. Portanto, desempenhamos o encargo de embaixadores em nome de Cristo e é Deus mesmo quem exorta por nosso intermédio. Em nome de Cristo vos pedimos: reconciliai-vos com Deus! Quem não conhece o pecado, Deus o fez pecado por nós, para que nele fôssemos justiça de Deus. – Palavra do Senhor. MEDITAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS. A água estancada é morta e não demora em corromper-se. É o que se passa com a alma que se entrega ao ócio, perde o temor de Deus e cuida bem pouco de encomendar-se a Deus e não trabalha para alcançar a salvação eterna. Mas, quando começa a ficar agitada nas tentações e se vê no perigo de precipitar-se no abismo do pecado, então recorre a Deus, recorre a Virgem Maria à Mãe divina, renova o propósito de morrer se pecar, se humilha e se abandona nos braços da Divina Misericórdia, e aí encontra maior fortaleza e se une mais estreitamente a Deus (Santo Afonso Maria de Ligório). Devemos sim, nos lançar nos braços do Redentor e nos abandonar sem medo e sem reservas na sua misericórdia. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

18/08/2017 – Sexta Feira
MINI SERMÃO
VII – É PRECISO FAZER UMA JORNADA AO NOSSO INTERIOR. SALMO DE MEDITAÇÃO. Neste mundo em que vivemos, algumas vezes tão complicados, não leves em conta, Senhor, minhas travessuras e minhas ignorâncias. Quero me encontrar com teu amor e tua misericórdia. Só assim posso viver de novo, e como criança no colo da mãe, quero sentir em ti a minha segurança de paz. – Como a criança no colo da mãe, ampara-me, Senhor! EXAME DE CONSCIÊNCIA. O Pecado amarga a vida, ensoberbece o autossuficiente, endurece o coração e se fecha para o amor. É a misericórdia que liberta salva e dá a vida. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

17/08/2017 – Quinta Feira
MINI SERMÃO
VII – É PRECISO FAZER UMA JORNADA AO NOSSO INTERIOR. ANÚNCIO DA PALAVRA DE DEUS. No Livro Efésios lemos: (Efésios 3, 14-19) Por isso, dobro os joelhos em presença do Pai, a quem toda a família no céu e na terra deve a existência, para que vos conceda, segundo seu glorioso tesouro, que sejais poderosamente robustecidos por seu Espírito, com vistas ao crescimento de vosso homem interior. Que Cristo habite pela fé em vossos corações, arraigados e consolidados no amor, a fim de que possais com todos os santos compreender-lhe a largura, o comprimento, a altura e a profundidade, e conhecer a caridade de Cristo, que supera todo conhecimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus. – Palavra do Senhor. MEDITAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS.  O abade Rancé, se detinha a contemplar as colinas, as fontes, as flores, as plantas, os céus, sentia que todas essas criaturas o inflamavam de amor a Deus, que por seu amor as havia criado... e Santa Teresa do Menino Jesus dizia que, olhando as árvores, fontes, riachos, rios e campos, eles recordavam sua gratidão em amar tão pouco o Criador, que as havia criado por amor... não há maior dor do que a dor da ingratidão para com Deus! APLICAÇÃO DO SIMBOLISMO. Que Cristo habite pela fé em vossos corações... para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus (Efésios 3, 17-19). Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

16/08/2017 – Quarta Feira 
MINI SERMÃO
VII – É PRECISO FAZER UMA JORNADA AO NOSSO INTERIOR. Nosso mundo está marcado pelo individualismo, infelizmente vamos respirando esse ar poluído de muitas maldades e desencontros. Assim, cá bem dentro de nós, pode nascer àquela ideia de que não vale à pena lutar em favor do bem nem em favor da vida. Ficamos divididos interiormente e o coração fica partido. Nós sofremos e até fazemos sofrer os outros também. Por isso, é importante mergulhar em nosso interior e examinar bem o que há dentro dele. Nosso Senhor Jesus Cristo conhece nossos sentimentos e sabe profundamente o que está ocorrendo conosco. De nossa parte é preciso nos lançar em seus braços, porque ai nós nos encontramos como pessoas reais, verdadeiras. Não tenhamos medo de nossas fraquezas e tenhamos a coragem de ir ao encontro de Nosso Senhor Jesus Cristo. INICIANDO A CELEBRAÇÃO. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. – Amém! Venha Espírito de Deus e inundai-nos com vossa luz, para que sejamos transformados interiormente. Venha Senhor Jesus, habitar em nosso coração. – Livre-nos, Senhor Jesus, do abismo de nossas misérias! Vós estais presente e eu quero contemplar-vos. Nosso coração reza e agradece, mas também vos suplica: Iluminai com vossa luz misericordiosa nossas trevas e misérias e fortalecei nossa esperança. – Senhor Jesus, invadi nosso ser com vossa misericórdia! Fazei de todos nós tudo aquilo que vós desejais. Supri nossa absoluta pobreza com vossa riqueza infinita. Só em vós encontramos alento, força, esperança e paz. – Ajude-nos a descobrir qual a vossa vontade sobre nós! Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

 

31/07/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. RITOS COMUNITÁRIOS DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA. VI – NÃO ROMPER A ALIANÇA DE DEUS CONOSCO. APLICAÇÃO DO SIMBOLISMO. - “Senhor, Senhor, Deus compassivo e misericordioso, lento para a cólera, rico em bondade e em fidelidade...”  (Êxodo 34, 6) SALMO DE MEDITAÇÃO. - Pai de todos os homens, Deus próximo e misericordioso, paternidade total, dom entregue sem retorno. Cantemos a ti, te louvamos, porque és grande e fizeste todas as coisas com sabedoria e amor. – Cantemos e louvemos tua aliança de amor conosco! – Pai, que fazeis o sol nascer para bons e maus. Dás cor às flores. Ensinas o pássaro a cantar. Desenhaste o sorriso da criança. Ajuda-nos a criar fraternidade, a viver neste mundo semeando gratuitamente teu próprio jeito de amar. – Cantemos e louvemos tua aliança de amor conosco! – Pai, faz-nos viver de tua vida, em tua própria família cantando sempre tuas misericórdias. Tu, Pai, rico em misericórdia, íntima misericórdia. Graças por seres Pai sempre Pai conosco. Amém. – Cantemos e louvemos tua aliança de amor conosco! Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

26/07/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. RITOS COMUNITÁRIOS DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA. VI – NÃO ROMPER A ALIANÇA DE DEUS CONOSCO. ANÚNCIO DA PALAVRA DE DEUS. Êxodo 19, 2-6: Partindo de Rafidim, chegaram ao deserto do Sinai, onde acamparam. Israel acampou bem em frente à montanha, enquanto Moisés subiu até Deus. O Senhor o chamou do alto da montanha, dizendo: Assim deverás falar à casa de Jacó e dizer aos israelitas: Vistes o que fiz aos egípcios, e como vos levei sobra asas de águia e vos trouxe a mim. Agora, se realmente ouvirdes minha voz e guardardes a minha aliança, sereis minha propriedade exclusiva dentre todos os povos. De fato, é minha toda a terra, mas vós sereis para mim um reino de sacerdotes e uma nação santa. São estas as palavras que deverás dizer aos israelitas. – Palavra do Senhor. MEDITAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS. A iniciativa de Deus foi sempre a do amor. Outra palavra do amor é Aliança. A iniciativa do amor fez com que Deus viesse ao nosso encontro, nos mandasse Jesus e pudéssemos assim descobrir sempre o caminho da vida. Deus fez aliança conosco, mas a dificuldade é sempre a nossa aliança com Ele. Nem sempre vivemos com empenho e alegria o amor. Fizemos nosso próprio caminho, nos damos mal, porque o fizemos por nós mesmo e sem Deus. Mas Ele não desiste nunca: mesmo que rompamos a Aliança d’Ele conosco, está sempre disposto a nos abraçar de novo. Fica, porém, a nossa responsabilidade de crescer no seu amor, abandonando de vez nossas incoerências. Paz e Bem! R. Carlos
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

25/07/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. RITOS COMUNITÁRIOS DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA. VI – NÃO ROMPER A ALIANÇA DE DEUS CONOSCO. O sacramento do perdão é sacramento do amor absoluto de Deus para conosco. O Deus de amor que não se cansa de amar, também não se cansa de perdoar. Perdão é amor por excelência. Nossas atitudes, mesquinhas e frágeis, nos dão a ilusão de que somos fortes, absolutos, extremamente capazes de tudo. Mas, quando a dor do rompimento da Aliança com Deus nos atinge, descobrimos o imenso amor de Deus que nos acolhe de novo, nos faz pessoas novas e capazes de amar. Por isso, infeliz é quem rejeita o amor de Deus e sua eterna iniciativa de sempre nos amar de novo. Deus é bom e misericordioso e isso nos conforta! INICIANDO A CELEBRAÇÃO - Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém! – Senhor, nós estamos aqui porque confiamos em vós, e precisamos de vossa misericórdia. Queremos que vossos sentimentos sejam os nossos, que vossa vida seja a nossa vida. – Senhor, Deus de amor, vinde ao nosso encontro! – Senhor Jesus Cristo que em vosso amor para conosco nos doastes vossa vida. Vós nos trouxestes a misericórdia do Pai, e vos fizestes um conosco, bem junto dos pobres, dos sofredores, dos esquecidos e injustiçados neste mundo. – Jesus Cristo, Filho de Deus vivo, tende piedade de nós! – Espírito Santo de Deus, que iluminais os corações dos vossos fiéis, inspirai-nos nessa hora, para que sejamos mais autênticos em nosso viver cristão. Concedei-nos vosso perdão. – Venha Espírito Santo e libertai-nos! Paz e Bem! R. Carlos
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

24/07/2017 – Segunda Feira

MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. RITOS COMUNITÁRIOS DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA. V – ELE É O REDENTOR QUE POR NÓS DEU A VIDA! ABSOLVIÇÃO GERAL Sacerdote: Deus Pai, que não quer a morte do pecador, mas, que se converta e viva, que nos amou primeiro e enviou seu Filho ao mundo, para que o mundo seja salvo por Ele, vos manifeste sua misericórdia e vos dê a paz. Amém! – Sacerdote: O Senhor Jesus Cristo, que foi entregue à morte por causa de nossas faltas e ressuscitou para nossa justificação; e que enviou o Espírito Santo sobre seus Apóstolos para receberem o poder de perdoar os pecados, Ele, pelo nosso ministério, vos livre do mal e vos encha do mesmo Espírito Santo. Amém! – Sacerdote: O Espírito consolador que nos foi dado para remissão dos pecados e no qual temos o poder de chegar ao Pai, purifique vossos corações e os ilumine para que anuncieis o poder do Senhor que vos chamou das trevas à sua luz admirável. Amém! – Sacerdote: E eu vos absolvo de vossos pecados, em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Amém! - Pai Nosso, que estais nos céus... APLICAÇÃO PENITENCIAL. Fazer um bem para alguém, praticar um ato de misericórdia, ler um trecho do evangelho e meditá-lo, ajudar alguém em algum serviço necessário, dar de beber a quem tem sede, de comer a quem tem fome... BÊNÇÃO FINAL: Sacerdote: Deus Pai vos abençoe e vos dê a paz! Amém! – Sacerdote: Deus Filho vos conceda a alegria da salvação! Amém! – Sacerdote: Deus Espírito Santo vos santifique e vos inspire! – Amém! – Sacerdote: E a bênção de Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo, desçam sobre todos e com todos permaneça para sempre! Amém! Paz e Bem! R. Carlos
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

 21/07/2017 – Sexta Feira

MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter.  RITOS COMUNITÁRIOS DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA V – ELE É O REDENTOR QUE POR NÓS DEU A VIDA! SALMO DE MEDITAÇÃO - Quando o Senhor de nós se aproximou no caminho da vida, ele se fez cada um de nós e suas feridas nos curaram. – Cure nossas feridas, Senhor! – Veio como Messias a dizer-nos que Deus nos ama, que não anda distante. Ensinou-nos o caminho da doação, a verdade do amor, a vida verdadeira. – Queremos Senhor, a verdade de vosso amor! – Ele nos demonstrou que se deve continuar amando até o extremo limite. Falou-nos de sua morte para a vida do mundo, nos disse que o amor vence todas as dificuldades. – O amor vence todas as dificuldades! – quando a hora chegou se entregou ao Pai, aceitando estar nas mãos dos homens. Sua ferida de amor Foi amar até o fim. Amém. – Ele nos amou até o fim! EXAME DE CONSCIÊNCIA. O pecado amarga a vida, ensoberbece o auto-suficiente, endurece o coração e se fecha para o amor. É a misericórdia que nos liberta nos salva e dá a vida. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

 

20/07/2017 – Quinta Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. RITOS COMUNITÁRIOS DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA. V – ELE É O REDENTOR QUE POR NÓS DEU A VIDA! ANÚNCIO DA PALAVRA DE DEUS. Gálatas 4, 4 - 7: Quando veio a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, que nasceu de uma mulher e nasceu submetido a uma lei, a fim de remir os que estavam sob a lei, para que recebêssemos a sua adoção. A prova de que são filhos é que Deus enviou aos vossos corações o Espírito de seu Filho que clama: “Abba, Pai!” Portanto já não é escravo, mas, filho. E, se és filho, então também herdeiro por Deus. – Palavra do Senhor. MEDITAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS. “O homem criado, para Deus, para amar a Deus e unir-se com Ele, só pode ser saciado por Deus e não pelo mundo, ainda que o mundo o enriquecesse com tudo que possui” (Santo Afonso Maria de Ligório). Deus não hesitou em vir ao nosso encontro por meio de seu Filho Nosso Senhor Jesus Cristo. Como cristãos só podemos nos relacionar com Ele do jeito que Ele se relaciona conosco. Ele quer que sejamos verdadeiramente seus filhos e filhas. APLICAÇÃO DO SIMBOLISMO. “Bendito o Senhor, Deus de Israel, porque visitou e resgatou seu povo, e suscitou em nosso favor um Salvador poderoso, na casa de Davi, seu servo” (Lucas 1, 68-69). Somos convidados todos os dias a passar diante de uma Cruz, tocá-lo, beijá-lo e fazer gesto de reverência. Paz e Bem! R. Carlos
Obs. Envie um e-mail para
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

19/07/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. RITOS COMUNITÁRIOS DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA. V – ELE É O REDENTOR QUE POR NÓS DEU A VIDA! Quem ama Nosso Senhor Jesus Cristo com puro amor e no amor aplica todas as suas forças, combatendo os apetites do amor próprio, experimentará a vida. O desamor para com o Redentor deve nos deixar inquietos. Quando nossa alma desfruta a presença amorosa de Deus, todos os sofrimentos, incertezas e maus tratamentos dos homens entre si, em vez de nos afligirem, consolam, porque temos aí a grande oportunidade de oferecer ao Redentor nosso amor; e as contrariedades são como lenha no fogo: queimam! Jesus Cristo, nosso Redentor, resgata para a vida aqueles que o amam de coração. INICIEMOS A CELEBRAÇÃO. - Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. - Amém! – Senhor, vós nos reconciliais convosco, por meio de vossa Palavra feita em carne, Jesus Cristo, vosso Filho. Pedimos vossa presença misericordiosa. – Vinde cristãos, vivei no seu amor! – Senhor, nosso Deus, vós concedeis a aqueles que vos amam o prêmio da paz, e aos pecadores arrependidos, concedeis o perdão de seus pecados. – Vinde cristãos, vivei no seu amor! – Tende piedade de nós, Senhor, e dai-nos vossa misericórdia porque nos arrependemos sinceramente de nossos erros e de nossos pecados. – Vinde cristãos, vivei no seu amor! – Vinde a nós, Senhor, com o vosso Espírito Santo, para que na sua luz encontremos de novo a vida, o perdão e a paz. – Vinde cristãos, vivei no seu amor! Paz e Bem! R. Carlos Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

18/07/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. RITOS COMUNITÁRIOS DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA. IV – O PECADO NOS FAZ AUSENTE DO AMOR E FERE NOSSA EXISTÊNCIA. ABSOLVIÇÃO GERAL. Sacerdote: O Senhor esteja convosco. Ele está no meio de nós! – Sacerdote: Deus Pai, que reconciliou o mundo consigo por meio de seu Filho Nosso Senhor Jesus Cristo e enviou o Espírito Santo para a remissão dos pecados, vos conceda  o perdão e a paz. Amém! - Sacerdote: E eu vos absolvo de vossos pecados, em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. – Amem! - Pai Nosso, que estais nos céus... APLICAÇÃO PENITÊNCIA. Vamos fazer um ato de penitência, principalmente o da caridade. Fazer um bem para alguém, praticar um ato de misericórdia, ler um trecho do Evangelho, e meditá-lo, ajudar alguém em algum serviço necessário, dar de beber a quem tem sede, de comer a quem tem fome... BÊNÇÃO FINAL:  Sacerdote: Ajude-vos o Pai, que vos gerou para a vida eterna! – Amém! – Sacerdote: Ajude-vos o Filho, que vos recebeu como irmãos e irmãs! – Amém! – Sacerdote: Assista-vos o Espírito Santo, que fez de vós seu templo! – Amém! – Sacerdote: E a bênção de Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo, desçam sobre todos e com todos permaneça para sempre! Amém! Paz e Bem! R. Carlos
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

17/07/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. RITOS COMUNITÁRIOS DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA. IV – O PECADO NOS FAZ AUSENTE DO AMOR E FERE NOSSA EXISTÊNCIA. APLICAÇÃO DO SIMBOLISMO. Animai-vos mutuamente cada dia durante todo o tempo, a fim de que nenhum de vós se endureça com o engano do pecado (Hebreus 3, 13). SALMO DE MEDITAÇÃO. - Senhor nossa alma anseia por vós. Nosso coração endurecido pela falta de amor não pode sobreviver. Precisamos de vossa misericórdia que faz nosso sangue correr de novo, nas veias de nosso corpo. Vosso perdão nos faz recomeçar com muito mais força. – Penetre Senhor, nossa alma, com vossa ternura e vosso amor! – São tantos, Senhor, os que vivem jogados à beira do caminho porque quiseram viver em vossa presença. Escolheram o caminho por si mesmo, esqueceram-se de que vós sois o Deus da história, do mundo e o Senhor da vida. Vosso Filho é nosso caminho, nossa verdade e nossa vida. – Penetre Senhor, nossa alma, com vossa ternura e vosso amor! – Às vezes não compreendo por que tantos homens e mulheres preferem o jugo do peso, o peso da morte. Preferem a opressão e o coração desiludido em vez da liberdade, da dignidade, do sonho e da paz. Direcione Senhor, o coração deles e o nosso também para vossa verdade plena. – Penetre Senhor, nossa alma, com vossa ternura e vosso amor! – Senhor, os injustos pensam conquistar a vida; mas, nós que cremos, sabemos que vós amoleceis os sulcos ressequidos de nossa alma e vossa verdade liberta. Vós nos amais sem complicação alguma. Vossa eternidade e ternura são o que precisamos Senhor Deus da vida. – Penetre Senhor, nossa alma, com vossa ternura e vosso amor! EXAME DE CONSCIÊNCIA. O pecado amarga a vida, ensoberbece o autossuficiente, endurece o coração e se fecha para o amor. É a misericórdia que liberta e salva e dá a vida. Paz e Bem! R. Carlos Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

14/07/2017 – Sexta Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. RITOS COMUNITÁRIOS DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA. IV – O PECADO NOS FAZ AUSENTE DO AMOR E FERE NOSSA EXISTÊNCIA. ANÚNCIO DA PALAVRA DE DEUS. Marcos 3, 1-7: “Entrou Jesus na sinagoga e achava-se ali um homem que tinha a mão seca. Ora, estavam-no observando se o curaria no dia de sábado, para o acusarem. Ele diz ao homem da mão seca: Vem para o meio. Então lhes pergunta: É permitido fazer o bem ou o mal no sábado? Salvar uma vida ou matar? Mas, eles se calavam. Então, relanceando um olhar indignado sobre eles, e contristado com a dureza de seus corações, diz ao homem: Estende tua mão! Ele estendeu-a e a mão foi curada. Saindo os fariseus dali, deliberaram logo com os herodianos como o haviam de prender. Jesus retirou-se com os seus discípulos para o mar, e seguia-o uma grande multidão, vinda da Galileia. – Palavra da Salvação. MEDITAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS. O amor não é qualquer coisa, é um sacramento e devemos recebê-lo de joelhos. O exercício da presença de Deus é justamente chamado pelos mestres da vida espiritual o fundamento da vida espiritual, a qual consiste em três coisas: na fuga do pecado, na prática da virtude e na união com Deus. É exatamente estes três frutos são produzidos pelo (exercício) da presença divina: liberta a alma do pecado, a induz à virtude e a move a unir-se com Deus por meio do santo amor (Santo Afonso Maria de Ligório). Numa palavra o que vale a pena é viver no amor de Deus. O amor faz a integração das pessoas consigo mesmas, com os outros e com o mundo. Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 - - -

 13/07/2017 – Quinta Feira

MINI SERMÃO Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. RITOS COMUNITÁRIOS DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA. IV – O PECADO NOS FAZ AUSENTE DO AMOR E FERE NOSSA EXISTÊNCIA. Diz o profeta Ageu que quem trabalha, mas, não para contemplar a Deus, põe sua ganância em vasilhas frágeis que, quando se abrem nada guardam. Quem age assim, depois de muito trabalho não alcançando nenhum resultado, desanima. Quando não queremos a glória de Deus, buscamos a nós mesmos, e não nos encontrando, ficamos perturbados. O pecado é puro egoísmo. O amor, porém, nos faz buscar os outros e a Deus, onde nós encontramos a nossa realização plena e feliz. O que prova e nos aprova em nossas atitudes é o amor. E somente ele nos basta. INICIANDO A CELEBRAÇÃO. - Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. – Amém! – Nós estamos reunidos por causa da misericórdia de Deus. Ela nos perdoa. A misericórdia é Deus colocando em nosso peito seu coração inflamado de amor. Assim, perdoados nossos pecados, podemos viver de novo. – O amor de Deus nos faz viver de novo! – Senhor, dai-nos vosso Espírito Santo porque Ele é o vosso amor que nos santifica e perdoa nossos pecados. Nós nos arrependemos de vos ter ofendido. – Perdoai Senhor, nossas faltas e dai-nos vosso Espírito Santo! – Fazei Senhor, nosso coração transbordar de alegria porque vós vindes ao nosso encontro. Vossa presença nos deixa sereno como o orvalho da manhã – Purificai-nos, Senhor, com vosso perdão! – É nessa confiança que nos dirigimos a vós, Deus de ternura e bondade. Direciona nosso coração para a verdade mais plena e para a vida mais abundante. – É no Senhor que está a nossa vida e a nossa salvação! Paz e Bem! R. Carlos Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

 

PEQUENOS MISSIONÁRIOS DE JESUS
12/07/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO

Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. RITOS COMUNITÁRIOS DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA
III O PECADO NOS FAZ ESCRAVO DELE! EXAME DE CONSCIÊNCIA Enfoquemos as situações de morte que assolam o povo: decisões políticas opressoras, mal relacionamento entre as pessoas, falta de ética nas decisões pessoais e sociais, descompromisso com Deus e com os irmãos... ABSOLVIÇÃO GERAL - Sacerdote: Deus Pai, que não quer a morte do pecador, mas que se converta e viva, que nos amou primeiro e enviou seu Filho ao mundo, para que o mundo seja salvo por Ele, vos manifeste sua misericórdia e vos dê sua paz. Amém! - Sacerdote: O Senhor Jesus Cristo, que foi entregue à morte por causa de nossas faltas e ressuscitou para nossa justificação, que enviou o Espírito Santo sobre os seus Apóstolos para receberam o poder de perdoar os pecados, Ele. Pelo nosso ministério, vos livre do mal e vos encha do mesmo Espírito Santo. Amém! – Sacerdote: O Espírito consolador que nos foi dado para remissão dos pecados e no qual temos o poder de chegar ao Pai, purifique os vossos corações e os ilumine para que anuncieis o poder do Senhor que vos chamou das trevas à sua luz admirável. – Amém! – Sacerdote: E eu vos absolvo dos vossos pecados, em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Amém! - Pai nosso, que estais nos céus... APLICAÇÃO PENITENCIAL. Fazer um ato de penitência, principalmente o da caridade: fazer o bem para alguém, praticar um ato de misericórdia, ler um trecho do Evangelho e meditá-lo, ajudar alguém em algum serviço necessário, dar de beber a quem tem sede, de comer a quem tem fome... BENÇÃO FINAL Sacerdote: Deus Pai vos abençoe e vos dê a paz! – Amém! - Sacerdote: Deus Filho vos conceda a alegria da salvação! – Amém!  - Sacerdote: Deus Espírito Santo vos santifique e vos inspire! – Amém! – Sacerdote: E a benção de Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo, desça sobre todos e com todos permaneça para sempre! – Amém! Paz e Bem! R. Carlos
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversa.

 

- - -

11/07/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO

Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. RITOS COMUNITÁRIOS DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA III. O PECADO NOS FAZ ESCRAVO DELE! APLICAÇÃO DO SIMBOLISMO. “É para que sejamos homens livres que Nosso Senhor Jesus Cristo nos libertou. Ficai, portanto, firmes e não vos submetais outra vez ao jugo da escravidão” (Gálatas 5, 1). SALMO DE MEDITAÇÃO - Senhor, vosso povo parece cansando de tanta luta. Vossos filhos estão semelhantes ao galho seco desligado da árvore: sem vida e sem esperança. Mas, vós não nos abandoais e junto de vós tudo ganha vida de novo. – É o Senhor nosso alento! – Sabemos Senhor, por experiência que vós não nos abandonais. Mas, no entanto, as atitudes dos homens nos espantam: são violências, decisões dos governantes que oprimem vosso povo, agressividade dentro e fora de casa. Estamos acorrentados, Senhor, e somente a vossa graça pode nos libertar. – É o Senhor quem nos conduz por estradas bem planas! – Senhor, sabemos que o pecado nos anula nesta vida e nos tira o gosto maior de viver. Caminhamos de mãos vazias como pedintes à beira da estrada, ou amarrados em nossas ilusões e opressões. Venha, Senhor, vinde logo nos salvar e nos tirar das amarras da opressão. – O Senhor nos faz viver de novo! – Senhor, queremos viver o advento da esperança e ver brilhar o sol da manhã que volta a brilhar em nossas vidas por causa do vosso amor. Se nós custamos a crer em vosso amor, vós correis ao nosso encontro com a vossa misericórdia. – O Senhor nos ama e nos liberta! Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

10/07/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. RITOS COMUNITÁRIOS DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA III. O PECADO NOS FAZ ESCRAVO DELE! ANÚNCIO DA PALAVRA DE DEUS Efésios 4, 17-24 – “Eis o que digo e conjuro no Senhor não persistais em viver como os pagãos, que andam a mercê de suas ideias frívolas. Têm o entendimento obscurecido. Sua ignorância e o endurecimento de seu coração mantêm-nos afastados da vida de Deus. Indolentes, entrega-se à dissolução, a prática apaixonada de toda espécie de impureza. Vós, porém, não foi para isto que vos tornastes discípulos de Cristo, se é que o ouvistes e dele aprendestes como convém à verdade em Jesus. Renunciai à vida passada, despojai-vos do homem velho, corrompido pelas concupiscências enganadoras. Renovai sem cessar o sentimento da vossa alma, e revesti-vos do homem novo, criado à imagem de Deus, em verdadeira justiça e santidade” – Palavra do Senhor. MEDITAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS: Agradamos muito a Nosso Senhor Jesus Cristo pensando no sofrimento e no desprezo pelos quais passou por nós. É impossível que alguém, pensando sempre em suas dores e em sua Paixão, não comece a amar Nosso Senhor Jesus Cristo (Santo Afonso Maria de Ligório). Eis o desafio para se tornar uma criatura nova: amar intensamente a Nosso Senhor Jesus Cristo. Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

07/07/2017 – Sexta Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. RITOS COMUNITÁRIOS DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA. III O PECADO NOS FAZ ESCRAVO DELE! Não existe algo tão preocupante neste mundo como a escravidão. Ninguém tem o direito de oprimir seu irmão e fazer dele um objeto. Algo tão caro para o Pai é a liberdade. Deus preferiu correr o risco da liberdade só para não nos fazer escravos. Quem aceita o pecado, aceita a escravidão, nega o que é muito caro para Deus, a liberdade, e rejeita a dignidade humana e divina na qual fomos criados. São muitas as escravidões de nosso mundo, o cristão tem a grande chance de ser um sinal profético, mostrando com seus atos e atitudes o que Deus realmente espera e deseja de cada um de nós. INICIANDO A CELEBRAÇÃO - Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém! – Senhor, que vosso Espírito Santo venha sobre nós com vosso amor e vossa misericórdia e nos faça nascer de novo. Inundai-nos, Senhor, com a luz de vosso amor! – Que vossa luz ilumine nossos olhos para que eles nos façam enxergar a vida que vivemos, e recomeçá-la na fonte eterna de vossa misericórdia. Senhor, dai-nos olhos para ver nossas fraquezas! – Venha Espírito Santo e fazei nos reconhecer sinceramente nossas faltas contra nossos irmãos e irmãs. Venha, Senhor, libertai-nos! – Venha Espírito Santo, para que na vossa luz possamos contemplar a bondade, o amor, a presença e a misericórdia de Deus. Acenda Senhor, em nossos corações o fogo de vosso amor! Paz e Bem! R. Carlos
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

06/07/2017 – Quinta Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. RITOS COMUNITÁRIOS DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA II – CONTEMPLAR O DEUS DA VIDA QUE NOS LAVA COM SUA MISERICÓRDIA! SALMO DE MEDITAÇÃO. Corremos para vós, Senhor, que vindes ao nosso encontro com vossa força amorosa. Vosso amor nos toma e nos refaz de novo, como a terra seca que recebe a água benfazeja. Vós nos dais vosso abraço de Pai, nos acolheis como o imenso amor de vosso coração. – Nele é que se encontram toda graça e salvação! Vós vos assentais bem junto a nós e entabulas conosco uma conversa que nos agrada, nos encanta e nos envolve. Vossas palavras são doces como o mel, e tão envolventes como o calor do dia. – Nele é que se encontram toda graça e salvação! Vós nos falais do dom da vida como presente de vosso amor e da vossa misericórdia que nos lava por inteiro, como a lavadeira que impregna a roupa de água e sabão para deixá-la limpa. Vosso advento é sempre de amor e ele nos faz novos como cada dia que nasce. – Nele é que se encontram toda graça e salvação! Vosso amor e a vida renascem em nós como a planta na terra depois da chuva. Vosso amor tem mais sabor que o vinho mais velho, vossa vida em nossa vida mais alegria que os dias de festa. Com cantos e com júbilos caminhamos para vós, senhor, Deus de amor e de misericórdia. – Nele é que se encontram toda graça e salvação! Nós vos contemplamos em cada dia, porque em cada dia podemos experimentar vossa presença misericordiosa. Nossos fardos e nossas farsas são aliviados pela história que vós fazeis conosco. Podemos contemplar o sol durante o dia, a lua e as estrelas durante a noite e vosso amor e vossa misericórdia durante o dia todo. – Nele é que se encontram toda graça e salvação! EXAME DE CONSCIÊNCIA. A vida é um dom, como presente de Deus e aquelas constantes ameaças a esse dom gratuito do Pai para conosco: Aborto, violência, injustiças, misérias, falta de amor para consigo mesmo. A falta de respeito para com a natureza é também uma ameaça à vida. ABSOLVIÇÃO GERAL. Sacerdote: O Senhor esteja convosco. Ele está no meio de nós! Sacerdote: Deus Pai que reconciliou o mundo consigo por meio de seu Filho Nosso Senhor Jesus Cristo e enviou o Espírito Santo para a remissão dos pecados, vos conceda o perdão e a paz. Amém! Sacerdote: E eu vos absolvo dos vossos pecados, em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Amém! APLICAÇÃO PENITENCIAL. Os penitentes devem fazer algumas penitências como gratidão para com Deus do perdão recebido: Visitar um doente, visitar um asilo, ajudar alguma criança, ajudar em algum serviço na comunidade ou alguma pessoa que esteja precisando... BENÇÃO FINAL Sacerdote: Deus Pai vos abençoe e vos dê a paz! Amém! Sacerdote: Deus Filho vos conceda a alegria da salvação! Amém! Sacerdote: Deus Espírito Santo vos santifique e vos inspire! Amém! Sacerdote: E a bênção de Deus todo – poderoso: Pai, Filho e Espírito Santo, desça sobre todos e permaneça  para sempre! Amém! Paz e Bem! R. Carlos Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

05/07/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. RITOS COMUNITÁRIOS DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA. II – CONTEMPLAR O DEUS DA VIDA QUE NOS LAVA COM SUA MISERICÓRDIA! O sol inclemente seca a terra e a planta morre. A água colocada com carinho em sua raiz, a faz viver de novo. Ela volta a viver. Assim somos nós, quando o Senhor vem ao nosso encontro com seu amor e sua misericórdia. Ele nos faz viver de novo. Quem faz a experiência de sua misericórdia sabe o quanto vale lançar-se em seus braços e deixar que Ele nos lave por dentro e por fora com sua misericórdia. O Senhor nos ama e nos perdoa, e isto nos basta. Somos todos filhos e filhas de sua misericórdia. Deixemos, pois, que a misericórdia invada nossa existência. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém. Venha Espírito Santo, e transforme minha vida, meu coração, todo o meu ser que suplica vossa presença. Senhor, Deus da vida, fazei-nos viver! Venha Espírito Santo e fazei-me abrir os olhos da esperança e ancorar minha vida em vosso amor. Senhor, Deus da vida, fazei-nos viver! Sabemos, Senhor, que vós nos amais infinitamente e nos destes de presente a vida, dom precioso de vosso amor. Senhor, Deus da vida, fazei-nos viver! Venha Espírito de Deus, fortalecei com vossa misericórdia minhas mãos enfraquecidas e meus pés vacilantes para que eu recomece com ardor minha vida. Senhor, Deus da vida, fazei-nos viver! Paz e Bem! R. Carlos
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

04/07/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. RITOS COMUNITÁRIOS DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA. RITOS DE ABSOLVIÇÃO GERAL. Sacerdote: Deus Pai, que não quer a morte do pecador, mas, que se converta e viva, que nos amou primeiro e enviou seu Filho Nosso Senhor Jesus Cristo ao mundo, para que o mundo seja salvo por Ele, vos manifeste sua misericórdia e vos dê a paz. Amém! Sacerdote: O Senhor Jesus Cristo, que foi entregue à morte por causa de nossas faltas e ressuscitou para nossa justificação, e que enviou o Espírito Santo sobre seus Apóstolos para receberem o poder de perdoar os pecados. Ele, pelo nosso ministério, vos livre do mal e vos encha do mesmo Espírito Santo. Amém! Sacerdote: O Espírito Consolador que nos foi dado para remissão dos pecados e no qual termos o poder de chegar ao Pai Eterno Javé, purifique vossos corações e os ilumine para que anuncieis o poder do Senhor Jesus que vos chamou das trevas à sua luz admirável. Amém. Sacerdote: E eu vos absolvo dos vossos pecados, em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Amém. APLICAÇÃO PENITENCIAL. (O Sacerdote solicita aos penitentes alguma penitência como gratidão para com Deus e para com sua misericórdia, não se esquecendo que a melhor penitência é a prática da caridade). BÊNÇÃO FINAL. Sacerdote: Abençoe-vos o Pai, que vos gerou para a vida eterna! Amém. Sacerdote: Ajude-vos o Filho, que vos recebeu como irmãos e irmãs! Amém! Sacerdote: Assista-vos o Espírito Santo, que fez de vós seu templo! Amém! Sacerdote: E a bênção de Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo, desça sobre todos e com todos permaneça para sempre! Amém! Paz e Bem! R. Carlos. Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

03/07/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. RITOS COMUNITÁRIOS DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA, ANÚNCIO DA PALAVRA DE DEUS. No livro de Ezequiel 36, 23-28 lemos: “Quero manifestar a santidade do meu augusto nome que aviltastes, profanando-o entre as nações pagãs, a fim de que conheça que eu sou o Senhor – oráculo do Senhor Javé – quando sob seus olhares eu houver manifestado a minha santidade por meu proceder em relação a vós. Eu vos retirarei do meio das nações, eu vos reunirei de todos os lugares, e vos conduzirei ao vosso solo. Derramarei sobre vós águas puras, que vos purificarão de todas as vossas imundices e de todas as vossas abominações. Dar-vos-ei um coração novo e em vós porei um espírito novo; tirar-vos-ei do peito o coração de pedra. Dentro de vós colocarei meu espírito, fazendo com que obedeçais às minhas leis e sigais e observeis os meus preceitos. Habitareis a terra de que fiz presente a vossos pais; será meu povo, eu serei vosso Deus”. MEDITAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS. “Porque Deus criou-nos para amá-lo, concluímos que existe no homem um impulso indestrutível para amar: Nosso coração não pode viver sem amor, ou ama a Deus ou ama as criaturas. Mas, é certo, e a experiência nos prova claramente que só as criaturas não podem satisfazer o impulso para amar. Se quisermos ser felizes, então devemos amar a Deus. O único bem e a única felicidade de uma alma consiste em amar seu Criador e no cumprimento de sua vontade. Nesta e na outra vida não existe felicidade maior do que te amar e cumprir tua vontade” (Santo Afonso Maria de Ligório). O mandamento que nos realiza como filhos de Deus é: amar a Deus, amar ao próximo, amar a mim mesmo, e também que, ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida em favor de seu irmão. Coração de pedra é coração que não ama. Coração de carne é aquele que coloca acima de tudo o amor para com Deus, para com os irmãos, para consigo mesmo, para com a natureza... APLICAÇÃO DO SIMBOLISMO: “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância” (João 10, 10). Vida e morte, luz e trevas, libertação e opressão, comunhão e desunião, os pecados do mundo, da sociedade, das pessoas... Deus nos dá uma vida límpida e nós a sujamos com nossas opções erradas. Qual é a nossa preferência! Uma vida em pecados ou uma vida em santidade. Louvai o Senhor, porque eterna é sua misericórdia. Louvai-o os que vão ao trabalho, os que ficam em casa por conta da árdua peleja pelo pão que falta, porque Deus é bom. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

29/06/2017 – Quinta Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. RITOS COMUNITÁRIOS DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA. ORIENTAÇÃO SOBRE CONFISSÃO E A ABSOLVIÇÃO: 1 Para os fieis que fizeram a Primeira Comunhão e têm pecados graves o único meio ordinário para receber o perdão de Deus e a reconciliação com a Santa Igreja Católica Apostólica Romana é a confissão individual de todos os pecados com um sacerdote, com arrependimento e o propósito de se corrigir, seguida pela absolvição do confessor em nome de Deus Pai Javé. 2. Somente em perigo de morte ou em caso de grave necessidade, quando não é possível confessar individualmente por falta de sacerdote para atender a todos, pode ser dada a absolvição comunitária, a fim de que os fiéis não fiquem muito tempo sem a graça do perdão sacramental ou sem a Sagrada Comunhão. 3 No caso em que seja necessário dar a absolvição comunitária, o penitente deve ter o propósito de se confessar individualmente com um sacerdote em tempo oportuno e não pode receber outra absolvição comunitária antes de se confessar individualmente, a não ser que haja uma causa grave que impeça. Nesse caso de necessidade faça-se, se possível, a celebração comunitária da Penitência antes de se dar absolvição dos pecados. 4. Compete ao Bispo Diocesano julgar se e quando há mesmo esse caso de necessidade para se dar a absolvição comunitária. Ele dará as determinações oportunas. (A matéria continua próximo e-mail). Paz e Bem! R. Carlos
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

28/06/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. RITOS COMUNITÁRIOS DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA. Iniciemos nossa matéria sobre: Ritos Comunitários do Sacramento da Penitência - O Sacramento de Penitência é uma necessidade para o povo de Deus. Nosso Senhor Jesus Cristo nos convida à conversão; por isso, suas Palavras são fundamentalmente importantes: “Cumpriu-se o tempo e o Reino de Deus está próximo. Arrependei-vos e crede no Evangelho” (Marcos 1, 15). É o Sacramento da Conversão porque nos convida a fazer o caminho de volta para Deus; é Sacramento de Penitência porque consagra nosso esforço pessoal no caminho de conversão, de arrependimento. É Sacramento de Confissão porque a declaração dos pecados diante de um sacerdote é um elemento essencial; é ainda reconhecimento e louvor da Santidade de Deus e de sua misericórdia para com o pecador. É ainda Sacramento de Reconciliação porque dá ao pecador o amor de Deus que reconcilia: “Reconciliai-vos com Deus” (Catecismo da Igreja Católica nn. 1423-1425). Queremos ajudar você a compreender o imenso amor de Deus por cada um de nós. É desejo que este pequeno instrumento ajude a todos; a se aproximarem deste amor misericordioso e infinito de Deus para conosco! Misericórdia, Senhor, misericórdia vos pedimos! Amém! (Continua próximo e-mail). Paz e Bem! R. Carlos
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

 27/06/2017 – Terça Feira

MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. Hoje celebramos 12ª Semana do Tempo Comum * O critério cristão para todas as formas de relacionamento é fazer aos outros, o que gostaríamos de receber deles. Esse é o segredo de uma convivência pautada na fraternidade e no amor. O Senhor é à força de seu povo, fortaleza e salvação do seu ungido. Salve, Senhor, vosso povo abençoe vossa herança e governai para sempre os vossos (Salmo 27, 8s). É nossa tarefa eliminar do mundo a discórdia, pois, somos irmãos e irmãs e, como tais, chamados a preocuparmo-nos uns com os outros e trilhar juntos o caminho que leva à vida. No livro do Gênesis lemos: Abraão era muito rico em rebanhos, prata e ouro. Ló, que acompanhava Abraão, também tinha ovelhas, gado e tendas. Surgiram discórdias entre os pastores que cuidavam da criação de Abraão e os pastores de Ló. Abrão disse a Ló: “Não deve haver discórdia entre nós e entre os nossos pastores, pois, somos irmãos. Peço-te, separa-te de mim. Se fores para esquerda, eu irei para direita; se fores para a direita, eu irei para a esquerda”. Abraão habitou na terra de Canaã, enquanto Ló se estabeleceu nas cidades próximas do Jordão e armou suas tendas até Sodoma. Ora, os habitantes de Sodoma eram péssimos e grandes pecadores diante do Senhor. Abraão foi morar junto ao Carvalho de Mambré, que está em Hebron, e ali construiu um altar ao Senhor (Gênesis 13, 2. 5-18). No livro dos Salmos lemos: Senhor, quem morará em vosso monte santo? Senhor, quem morará em vossa casa? É aquele que caminha sem pecado e pratica a justiça fielmente; que pensa a verdade no seu íntimo e não solta em calúnia sua língua. Que em nada prejudica o seu irmão nem cobre de insultos seu vizinho; que não dá valor algum ao homem ímpio, mas, honra os que respeitam o Senhor. Não empresta seu dinheiro com usura nem se deixa subornar contra o inocente. Jamais vacilará quem vive assim! Disse Nosso Senhor Jesus Cristo: Eu sou a luz do mundo; aquele que me segue não caminha entre as trevas, mas terá a luz da vida (João 8, 12). No livro de Mateus Jesus disse a seus discípulos: “Não deis aos cães as coisas santas nem atireis vossas pérolas aos porcos, para que eles não as pisem com os pés e, voltando-se contra vós, vos despedacem. Tudo quanto quereis que os outros vos façam, fazei também a eles. Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta e espaçoso é o caminho que leva à perdição, e muitos são os que entram por ele! Como é estreita a porta e apertado o caminho que leva à vida! E são poucos os que o encontram!” (Mateus 7, 6. 12-14). Fazemos a nossas preces: Pela vossa misericórdia, ouvi-nos e salvai-nos, Senhor! Proteja Senhor, a Santa Igreja Católica Apostólica Romana missionária espalhada por todos os continentes do mundo. Livrai-nos da tentação de banalizar a verdade do Evangelho ou acolhê-la apenas parcialmente. Ajudai-nos a superar as discórdias e falta de amor na comunidade e nas famílias. Meta para hoje: A partir de hoje vou fazer um propósito de ser mais trabalhador/estudioso. Paz e Bem! R. Carlos
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

 

26/06/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. Celebramos 12ª Semana do Tempo Comum* A obediência ao Senhor é o centro da vida do cristão, que precisa estar sempre atento às próprias fraquezas e ser avesso a julgamentos intolerantes e preconceituosos. O Senhor é a força de seu povo, fortaleza e salvação do seu ungido. Salvai, Senhor, vosso povo, abençoai vossa herança e governai para sempre os vossos servos (Salmo 27, 8s). Sair de si mesmo em direção ao novo que vem de Deus envolve também reconhecer as próprias limitações e prevenir-se contra o espírito de condenação. No livro de Gênesis lemos que Abraão por seguir o Senhor foi abençoado pelo Senhor. Lemos também que Abraão levantou um altar ao Senhor, que lhe tinha aparecido e invocou seu nome (Gn 12, 1-9) * Esta é uma resposta a todos aqueles que dizem por quê ir à Igreja, eu rezo em casa mesmo. No livro dos Salmos lemos – Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herança! – Feliz o povo cujo Deus é o Senhor e a nação que escolheu por sua herança! Dos altos céus o Senhor olha e observa; Ele se inclina para olhar todos os homens. Mas, o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem e que confiam, esperando em seu amor, para da morte libertar as suas vidas e alimentá-los quando é tempo de penúria. No Senhor nós esperamos confiantes, porque Ele é nosso auxílio e proteção! Sobre nós venha Senhor, a vossa graça, da mesma forma que em vós nós esperamos! A Palavra do Senhor é viva e eficaz: Ela julga os pensamentos e as intenções do coração (Hebreus 4, 12). No Evangelho de Mateus lemos que Jesus disse a seus discípulos, não julgueis para não serdes julgados. Por que observas o erro do teu irmão e não observas o teu próprio erro? (Mt 7, 1-5). Ouvi-nos e atendei-nos, Senhor. Dai-nos conhecer nossas próprias fraquezas e ser misericordiosos diante das limitações alheias. Vós que olhais pelos que vos temem, socorrei aqueles que sofrem perseguições por causa de vossa Palavra. Meta para hoje: A partir de hoje vou fazer um propósito de fazer obras de caridade. Paz e Bem! R. Carlos
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão. 

 

- - -

23/06/2017 – Sexta Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. Celebramos dia do Sagrado Coração de Jesus – 11ª Semana do Tempo Comum * Com alegria nos reunimos para a solenidade do Sagrado Coração de Jesus, celebração que nos leva ao centro do cristianismo: Jesus Cristo, Filho de Deus e Salvador da humanidade. Unidos pelo amor, elevemos nosso hino de louvor ao Pai por sua fidelidade e misericórdia. Somos povo consagrado ao Senhor, que nos amou desde sempre e nos convida a nos amarmos uns aos outros a exemplo de Jesus, manso e humilde de coração. No livro de Deuteronômio Moisés falou ao povo, dizendo: “Tu és um povo consagrado ao Senhor teu Deus. O Senhor teu Deus te escolheu dentre todos os povos da terra para seres o seu povo preferido, porque o Senhor vos amou e quis cumprir o juramento que fez a vossos pais. Saberás, pois, que o Senhor teu Deus é o único Deus, um Deus fiel, que guarda a aliança e a misericórdia até mil gerações para aqueles que o amam e observam seus mandamentos; mas, castiga diretamente aquele que o odeia, fazendo-o perecer; e não o deixa esperar, mas dá-lhe imediatamente o castigo merecido. Guarda, pois, os mandamentos, as Leis e os Decretos que hoje te prescrevo, pondo-os em prática! (Deuteronômio 7, 6-11). No livro dos Salmos lemos – O amor do Senhor Deus por quem o teme é de sempre e perdura para sempre. Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e todo o meu ser, seu santo nome! Bendize, ó minha alma, ao Senhor, não te esqueças de nenhum de seus favores! Na leitura da primeira carta de São João lemos – Caríssimos, amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus e todo aquele que ama nasceu de Deus e conhece Deus. Quem não ama não chegou a conhecer Deus, pois Deus é amor. Foi assim que o amor de Deus se manifestou entre nós: Deus enviou o seu Filho único ao mundo, para que tenhamos vida por meio dele. Nisto consiste o amor; não fomos nós que amamos a Deus, mas foi ele que nos amou e enviou o seu Filho como vítima de reparação pelos nossos pecados. Caríssimos, se Deus nos amou assim, nós também devemos amar-nos uns aos outros. Se nos amarmos uns aos outros, Deus permanece conosco e seu amor é plenamente realizado entre nós. A prova de que permanecemos com ele, e ele conosco, é que ele nos deu o seu Espírito. Todo aquele que proclama que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece com ele e ele com Deus (1 João 4, 7-16). Disse Nosso Senhor Jesus Cristo: “Vinde a mim todos vós que estais cansados e fatigados sob o peso dos vossos fardos, e eu vos darei descanso. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração, e vós encontrareis descanso. “Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve” (Mateus 11, 25-30). Obs. Jugo – é uma peça feita de madeira que é utilizada para unir dois bois. No sentido religioso, jugo é a opressão que uma pessoa carrega quando está dominada por seus próprios problemas, como enfermidades, vícios, dívidas etc. Meta para hoje: A partir de hoje vou fazer um propósito de ler a Bíblia Sagrada todos os dias. Paz e Bem! R. Carlos
Obs.. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 - - -

 22/06/2017 – Quarta Feira

MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. Celebramos 11ª Semana do Tempo Comum * A vida cristã se baseia no compromisso com o próximo e na busca da vontade de Deus. Ele sabe do que necessitamos; cabe-nos, pois, dirigirmo-nos a Ele pela oração que brota de um coração filial. Ouvi, Senhor, a voz do meu apelo, tende compaixão de mim e atendei-me; vós sois meu protetor, não me deixeis; não me abandoneis, ó Deus, meu salvador! (Salmo 26, 7-9). O autêntico evangelizador zela pela situação e caminhada de fé da comunidade, fortalece-se com a oração e é portador do perdão de Deus. São Paulo fala aos Coríntios – Irmãos, fui eu que vos desposei a um único esposo, apresentando-vos a Cristo como virgem pura. Porém receio que, como Eva foi enganada pela esperteza da serpente, também vossos pensamentos se corrompam, afastando-se da simplicidade e pureza devidas a Cristo. De fato, se aparece alguém pregando outro Jesus, que nós não pregamos, ou prometendo outro Espírito, que não recebestes, ou anunciando outro evangelho, que não acolhestes, vós o suportais de bom grado. E quando, estamos entre vós, tive alguma necessidade, não fui pesado a ninguém, pois os irmãos suprimiam as minhas necessidades. Em todas as circunstâncias, cuidei e cuidarei ainda – de não ser pesado a vós (2 Coríntios 11, 1-11). Vossas obras, ó Senhor, são verdade, são justiça. Suas obras. Suas obras são verdade e são justos, seus preceitos, todos eles, são estáveis, confirmados para sempre e pelos séculos, realizados na verdade e retidão (Salmo 110/111). Recebestes um espírito de doação, no qual clamamos Aba! Pai! (Romanos 8, 15). Nosso Senhor Jesus Cristo disse a seus discípulos – “Quando orardes, não useis muitas palavras, pois, o vosso Pai sabe do que precisais muito antes que vós o peçais. Vós deveis rezar assim: Pai nosso que estais nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como nos céus. O pão nosso de cada dia dá-nos hoje. Perdoa as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. E não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. De fato, se vós perdoardes aos homens as faltas que eles cometeram vosso Pai que está nos céus também vos perdoará. Mas, se vós - não perdoardes aos homens, vosso Pai também não perdoará as faltas que vós cometestes” (Mateus 6, 7-15). Atendei, Senhor, Nosso Pedido. Para que os evangelizadores desempenhem a missão com fidelidade e perseverança. Para que nas redes sociais não nos deixemos persuadir pelas mensagens que não são conciliáveis com o espírito do Evangelho. Para que as famílias se esforcem em conhecer e viver os ensinamentos de Jesus. Meta para hoje: A partir de hoje vou fazer um propósito de participar de um grupo de oração/grupo de jovens. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

21/06/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. 21/06/2017 – Luis Gonzaga (Itália, 1568 – 1591), nascido da nobreza e favorecido por uma educação esmerada, optou pela vida religiosa na Companhia de Jesus. Dedicou-se intensamente ao estado, à oração e à caridade. É o padroeiro da juventude. O homem de coração puro e mãos inocentes é digno de subir à montanha do Senhor e de permanecer em seu santuário (Salmo 23, 4-3). Deus ama e recompensa quem dá com alegria, sem buscar reconhecimento humano para as obras de justiça que realiza. São Paulo fala aos Coríntios - “Irmãos, quem semeia pouco colherá também pouco, e quem semeia com largueza colherá também com largueza”. De cada um conforme tiver decidido em seu coração, sem pesar, nem constrangimento; pois Deus “ama quem dá com alegria”. Deus é poderoso para vos cumular de toda sorte de graças, para que, em tudo, tenham sempre o necessário e ainda tenhais de sobra para toda a obra boa, como está escrito: “Distribuiu generosamente, deu aos pobres; a sua justiça permanece para sempre”. Assim, ficareis enriquecidos em tudo e podereis praticar toda espécie de liberdade que através de nós, resultará em ação de graças a Deus – Palavra do Senhor (2 Coríntios 9, 6-11). Feliz aquele que respeita o Senhor! Feliz o homem que respeita o Senhor e que ama com carinho a sua Lei! Sua descendência será forte sobre a terra, abençoada a geração dos homens retos! (Salmo 111/112). Nosso Senhor Jesus Cristo disse a seus discípulos: “Ficai atentos para não praticar a vossa justiça na frente dos homens só para serem vistos por eles. Caso contrário, não recebereis a recompensa do vosso Pai que está no céu. Quando deres esmolas, não comente com ninguém, de modo que a tua esmola fique oculta. E o teu Pai, que vê o que está oculto, te dará a recompensa. Quando orares, entra em teu quarto, fecha a porta e reza ao teu Pai que está oculto. E o teu Pai, que vê o que está escondido, te dará recompensa. Quando jejuares, não fiques triste, lava o rosto, viva alegre, para que os homens não vejam que tu estás jejuando, mas somente teu Pai, que está oculto. E o Pai que vê o que está escondido te dará a recompensa” (Mateus 6, 1-6. 16-18). Senhor, escute a nossa prece! Pela Igreja para que siga firme na missão de conduzir o povo a Deus. Pelas autoridades, para que sempre busquem pautar suas ações na verdade, na justiça e na honestidade. Pelas pessoas de boa vontade, para que sejam generosas com o próximo e atentas às suas necessidades. Pelas famílias, para que reconheçam e agradeçam cada dia os benefícios recebidos por Deus. Meta para hoje: A partir de hoje vou fazer um exame de consciência de minhas atitudes e fazer uma boa confissão. Paz e Bem! R. Carlos
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

20/06/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. Celebramos 11ª Semana do Tempo Comum * Somos convidados a viver o amor gratuito e generoso com todos, também com os que nos tornam alvo de ódio e injustiça e com os que necessitam de solidariedade. São Paulo aos Coríntios – Irmãos queremos levar ao vosso conhecimento a graça de Deus que foi concedida às Igrejas. Com efeito, em meio a grandes tribulações que as provocam, a sua extraordinária alegria e extrema pobreza transbordam em tesouros de liberdade. E com muita insistência, nos pediram a graça de participar da coleta em favor dos santos de Jerusalém. E, indo além de nossas expectativas colocaram-se logo à disposição do Senhor e também à nossa, pela vontade de Deus. Por isso, solicitamos a Tito que leve a bom termo entre vós essa obra de generosidade. Na verdade, conheceis a generosidade de nosso Senhor Jesus Cristo: de rico que era, tornou-se pobre por causa de vós, para que vos torneis ricos por sua pobreza (2Coríntios 8, 1-9). Disse Jesus: “Eu vos dou novo preceito: que uns aos outros vos ameis, como eu vos tenho amado” (João 13, 34). Jesus disse a seus discípulos: “Vós ouvistes o que foi dito: Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo! Eu, porém, vos digo, amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem! Assim vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o sol sobre os maus e os bons e faz cair chuva sobre os justos e injustos” (Mateus 5, 43-45). Portanto, sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito” (Mateus 5, 48). Atendei, Senhor, a nossa oração! A fim de que a solidariedade e o amor sincero envolvam as comunidades cristãs. A fim de que o egoísmo e as inimizades sejam superados nas relações pessoais e entre as nações. A fim de que em nossas orações, incluamos as pessoas injustas e as que nos fazem o mal. Meta para hoje: A partir de hoje vou fazer um propósito de participar da Santa Missa. Paz e Bem! R. Carlos
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.
 

- - -

19/06/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. Celebramos 11ª Semana do Tempo Comum * Acolhamos a graça que nos é oferecida na Liturgia. Ela nos ajuda a discernir os ensinamentos de Jesus, que nos convidam a superar a regra do “olho por olho e dente por dente”. Aproveitamos os momentos favoráveis que a graça de Deus nos propicia para caminharmos rumo à salvação e quebramos o círculo da violência e do mal. Carta de São Paulo aos Coríntios: – Irmãos, como colaboradores de Cristo, nós vos exortamos a não receberdes em vão a graça de Deus, pois ele diz: “No momento favorável, eu te ouvi, no dia da salvação, eu te socorri”. É agora o momento favorável, é agora o dia da salvação. Não damos a ninguém nenhum motivo de escândalo, para que o nosso ministério não seja desacreditado. Mas, em tudo nós recomendamos como ministros de Deus, com muita paciência, em tribulações, em necessidades, em angústias, em açoites, em prisões, em tumultos, em fadigas, em insônias, em jejuns, em castidade, em compreensão, em longanimidade, em bondade, no Espírito Santo, em amor sincero, em palavras verdadeiras, no poder de Deus, em armas de justiça, ofensivas e defensivas, em honra e desonra, em má ou boa fama; considerados sedutores, sendo, porém, verazes, como desconhecidos, sendo, porém, bem conhecidos; como moribundos, embora vivamos; como castigados, mas não mortos; como aflitos, mas, sempre alegres; como pobres, mas, enriquecidos muitos; como quem nada possui, mas tendo tudo (2 Coríntios 6, 1-10). Evangelho de Mateus – Disse Jesus a seus discípulos: “Não enfrenteis quem é malvado!” “Dá a quem te pedir e não vires às costas a quem te pede emprestado” (Mateus 3, 38-42). Lembrai-vos, Senhor! Dos ministros ordenados, da Palavra e da Eucaristia. Dos que resistem às investidas do ódio e da violência. Das famílias e casais que passam por dificuldades. Dos que promovem a paz e a harmonia na comunidade. Meta para hoje: A partir de hoje vou fazer um propósito de começar a seguir Nosso Senhor Jesus Cristo. Paz e Bem!

- - -

14/06/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. Ore, não até Deus ouvir, mas, até você ouvir Deus! Há santos que só Deus sabe o nome. Não fomos chamados para construir muros para proteger, mas para construir pontes para alcançar os perdidos. Eucaristia, remédio contra as tentações e o desânimo da caminhada. A pior ambição do ser humano é desejar colher os frutos, daquilo que nunca plantou. Hoje celebramos a 10ª Semana Comum * O sentido profundo das leis é ser inspiração para a justiça e a misericórdia. Quando interpretadas de maneira generosa, a luz da nova aliança firmada por Jesus, elas comunicam a vida ao povo. Em Jesus, intérprete maior da Lei de Deus somos capacitados a exercer o ministério da nova aliança, fundamentada no Espírito. Na leitura (2 Coríntios 3, 4-11) lemos: Segunda carta de São Paulo aos Coríntios, é por Cristo que temos tal confiança perante Deus. Essa nossa capacidade vem de Deus. Ele é que nos tornou capazes de exercer o ministério de uma aliança nova. Esta não é uma aliança da letra, mas, do Espírito. Pois a letra mata, mas o Espírito comunica a vida. Se o ministério da morte gravado em pedras com letras, foi cercado de tanta glória, quanto mais glorioso não será o ministério do Espírito? Pois, se o ministério da condenação foi glorioso, muito mais glorioso há de ser o ministério a serviço da justificação (2 Coríntios 3, 4-11).  Salmo responsorial (98/99): Santo é o Senhor nosso Deus! Exaltai o Senhor nosso Deus e prostrai-vos perante seus pés, pois é Santo o Senhor nosso Deus! Fazei-me conhecer vossa estrada, vossa verdade me oriente e me conduza! (Salmo 24, 4s). No Evangelho de (Mateus 5, 17-19) lemos: Jesus disse a seus discípulos: “Não penseis que vim abolir a lei e os profetas. Não vim para abolir, mas, para dar-lhes pleno cumprimento. Antes que o Céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da lei sem que tudo se cumpra. Portanto, quem desobedecer a um só desses mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo será considerado o menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus”. Paz e Bem! R. Carlos
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

13/06/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. Quando Deus abriu a porta do Céu e me viu, perguntou-me: “Qual é o teu desejo?” Eu respondi: “Senhor, abençoa de forma sobrenatural a pessoa que está lendo esta mensagem, faça o impossível acontecer na vida dela! Em nome de Jesus! Amém.” Vamos fazer assim, eu cuido de você e você cuida de mim. Um dia feliz começa com um sorriso no rosto! Deus marcou o tempo certo para cada coisa, confia. Que coisas boas da vida abram seu dia e lhe traga toda a felicidade e sucesso que você merece. Hoje celebramos Santo Antônio de Pádua - Presbítero e doutor – Antônio (Portugal 1195 – 1231) abraçou a vida de pobreza na Ordem Franciscana. De notável inteligência e formação. Foi um dos maiores pregadores da Igreja. Após abandonar as missões por problemas de saúde, pôs seus dons a serviço da ordem, a pedido do próprio São Francisco, e viveu em Pádua (Itália) os últimos anos. É santo de grande devoção popular. Estes são os santos que receberam a bênção do Senhor e a misericórdia de Deus, seu salvador. É a geração dos que buscam a Deus (Salmo 23, 5s). Hoje celebramos a 10ª Semana Comum * A Palavra de Deus nos dá força para sustentar nosso sim a Ele e nos revela o brilho de sua face, a qual nos inspira a ser sal e luz em meio à sociedade. Leitura 2 Coríntios lemos: Leitura da segunda carta de São Paulo aos coríntios – “Irmãos com efeito, é nele que todas as promessas de Deus têm o seu “sim” garantido. Por isso, também, é por Ele que dizemos “amém” a Deus, para a sua glória. É Deus que nos confirma, a nós e a vós, em nossa adesão a Cristo, como também foi Deus que nos ungiu. “Foi Ele que nos marcou com o seu selo e nos adiantou como sinal, o espírito derramado em nossos corações” (2 Coríntios 1, 18-22). No Evangelho de Mateus lemos: Jesus disse a seus discípulos: “Vos sois o sal da terra. Ora, se o sal se tornar insosso, com que salgaremos? Ele não servirá para mais nada, senão para ser jogado fora e ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo. Não pode ficar escondida uma cidade construída sobre um monte. Ninguém acende uma lâmpada e a coloca debaixo de uma vasilha, mas sim num candeeiro, onde ela brilha para todos os que estão em casa. Assim também brilhe a vossa luz diante dos homens, para que vejam as nossas boas obras e louvem o vosso Pai que está nos Céus” (Mateus 5, 13-16). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

12/06/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. Hoje celebramos a 10ª Semana Comum * As bem-aventuranças questionam nossas ideias a respeito da felicidade. Elas são anúncio de alegria e de consolo diante das aflições e sofrimentos que envolvem o ser cristão. Ouvindo a Palavra, provemos quão suave é o Senhor. Ele nos consola em nossas aflições para que participemos da consolação dos que também têm direito à felicidade. Na leitura de 2 Coríntios lemos: Para vós, graça e paz da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo. Bendito seja o Deus e Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e Deus de toda consolação. Ele nos consola em todas as nossas aflições, para que, com a consolação que nós mesmos recebemos de Deus, possamos consolar os que se acham em toda e qualquer aflições. Se estivermos em aflições, é para a vossa consolação e salvação. E a nossa esperança a vosso respeito é firme, pois sabemos que, assim como participais dos nossos sofrimentos, participais também da nossa consolação (2 Coríntios 1, 1-7). No livro dos Salmos lemos: Provai e vede quão suave é o Senhor! Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo, seu louvor estará sempre em minha boca. Minha alma se gloria no Senhor; que ouçam os humildes e se alegrem! Comigo engrandecei ao Senhor Deus, exultemos todos juntos o seu nome! Todas as vezes que o busquei, Ele me ouviu e de todos os temores me livrou (Salmo 33/34). No Evangelho de Mateus lemos: Jesus começou a ensinar os discípulos: “Bem aventurados os pobres em espírito, porque deles é o Reino dos Céus. Bem Aventurados os aflitos, porque serão consolados. Bem aventurados os mansos, porque possuirão a terra. Bem aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados. Bem aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia. Bem aventurados os puros de coração, porque verão a Deus. Bem aventurados os que promovem a paz porque serão chamados filhos de Deus. Bem aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus. Bem aventurados sois vós quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo tipo de mal contra vós por causa de mim. Alegrai-vos e exultai-vos, porque será grande a vossa recompensa nos Céus. Felizes somos nós que temos nosso refúgio no Senhor. Ele nos reúne em torno da mesma mesa para nos alimentar do pão eucarístico. É minha rocha, é o rochedo que me abriga! (Salmo 17, 3). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

08/06/2017 – Quinta Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. Hoje celebramos a 9ª Semana Comum * Para trilhar o caminho da felicidade é preciso suplicar não só a misericórdia de Deus, mas também a força para viver o amor a Ele e ao próximo. Na base de toda vivência religiosa e de qualquer decisão, deve estar o amor a Deus e ao próximo – dois amores inseparáveis. No livro de Tobias lemos: O Anjo Rafael e Tobias foram à casa de Raquel. Foram recebidos por Raquel: “Sejam bem-vindos e tenham saúde!” E os fez entrar em casa, fez-lhes calorosa recepção. Depois de tomarem banho e se terem purificado, puseram-se à mesa. Tobias queria casar-se com Sara, Raquel disse: “Eu não tenho direito de dá-la a ninguém senão a ti, porque és o meu parente mais próximo. Vou, no entanto, dizer-te toda a verdade, meu filho. Dei-a a sete homens dentre nossos irmãos, e todos morreram. Que do céu vos faça felizes esta noite, meu filho, e vos conceda misericórdia e paz!”. Raquel tomou Sara pela mão e entregou-a a Tobias, dizendo: “Receba-a de acordo com a lei e de acordo com o preceito escrito no livro de Moisés, pelo qual ela te deve ser dada como esposa. Que Deus do céu vos conduza em paz!” Chamou a mãe da moça e disse-lhe que trouxesse uma folha de papiro para escrever o contrato de casamento, declarando que a entregava a Tobias como esposa segundo a sentença da lei de Moisés. E a mãe trouxe a folha de papiro e ele escreveu e assinou. Depois disso, começaram então a comer e a beber. A mãe de Sara disse: “Coragem, minha filha! O Senhor do céu mude em alegria a tua tristeza. Coragem, filha!” Tobias levantou-se do leito e disse a Sara: “Levanta-te, irmã! Oremos e imploremos a nosso Senhor que nos conceda misericórdia e salvação”. Ela levantou-se e ambos se puseram a orar e a suplicar que lhes fosse concedida a salvação. Tobias começou dizendo: “Tu és bendito, ó Deus de nossos pais, e bendito é o teu nome por todos os séculos e gerações! Agora não é por desejo impuro que eu recebo como esposa, esta minha irmã, mas faço-o de coração sincero. Sê misericordioso comigo e com ela e concede-nos que cheguemos juntos a uma idade avançada” (Tobias 6, 10-11; 7, 1.9-17; 8, 4-9). No livro do Salmo lemos: Felizes todos os que respeitam o Senhor! Feliz és tu se temes o Senhor e trilhas seus caminhos! Do trabalho de tuas mãos hás de viver, serás feliz, tudo irá bem! Será abençoado todo homem que teme o Senhor. O Senhor te abençoe de Sião cada dia de tua vida (Salmo 127/128). No Evangelho de Marcos lemos: Um mestre da lei aproximou-se de Jesus e perguntou-lhe: “Qual é o primeiro de todos os mandamentos?” Jesus respondeu: “O Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e com toda a tua força! O segundo mandamento é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo! Não existe outro mandamento maior do que estes”. (Marcos 12, 28-34). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

 

07/06/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. Hoje celebramos a 9ª Semana Comum * A prece dos justos e dos sofredores é sempre acolhida por Deus que a todos deseja vida, liberta dos males, enquanto vivos, e a plena felicidade na morada eterna. O Senhor não é Deus dos mortos, mas de vivos, e não deixa sem socorro aqueles que lhe dirigem súplicas confiando em sua misericórdia. No livro de Tobias lemos: Tomado de grande tristeza, pus-me a suspirar e a chorar. E, depois, comecei a rezar, entre gemidos: “Senhor, tu és justo, e justas são todas as tuas obras. Todos os seus caminhos são misericórdia e verdade e és tu quem julga o mundo. Agora, Senhor, lembra-te de mim, olha para mim e não me castigues por causa de meus pecados, de minhas transgressões ou de meus pais, que pecaram diante de ti. Porque não obedecemos aos teus preceitos. Vejo que são verdadeiros os teus numerosos julgamentos, quando me tratas segundo os meus pecados e os pecados de meus pais, pois não cumprimos teus mandamentos nem caminhamos na verdade diante de ti”. “Senhor, ordena que eu seja libertado desta angústia. Deixa-me ir para a morada eterna e não afastes Senhor, de mim a tua face”. Sara filha de Raquel, fora dada em casamento a setes homens, mas o perverso demônio Asmodeu havia-os matado antes de estarem com ela como esposa. Sara ficou com a alma cheia de tristeza e pôs-se a chorar. Sara teve a intenção de se enforcar. Mas, pensando melhor, disse consigo mesma: “Não quero que venham injuriar o meu pai e dizer-lhes: Tinhas uma filha muito querida e ela enforcou-se por causa de suas desgraças. É melhor para mim, em vez de me enforcar, pedir ao Senhor que me faça morrer, para não mais ouvir injúrias em minha vida”. Sara fez esta oração: “Tu és bendito, Deus de misericórdia, e é bendito eternamente o teu nome!” Na mesma hora, a prece dos dois foi ouvida perante a glória de Deus. E Rafael foi enviado para curar a ambos (Tobias 3, 1-11. 16-17). Em Salmo lemos: “Eu vos chamo, ó meu Deus porque me ouvis; inclinai o vosso ouvido e escutai-me!” (Salmo 16, 6). No Evangelho de Marcos lemos: “Vieram ter com Jesus alguns saduceus, os quais afirmaram que não existe ressurreição. Propuseram este caso: Mestre, Moisés deu-nos esta prescrição: se morrer o irmão de alguém e deixar a esposa sem filhos, o irmão desse homem deve casar-se com a viúva, a fim de garantir a descendência de seu irmão. Ora, a mulher casou com os setes irmãos. E nenhum dos sete deixou descendência. Por último, morreu também a mulher. Na ressurreição, quando eles ressuscitarem, de quem será ela mulher?” Jesus respondeu: “Com efeito, quando os mortos ressuscitarem, os homens e as mulheres não se casarão, pois serão como anjos do céu. Ora, ele não é Deus de mortos, mas de vivos! “Vós estais muitos enganados” (Marcos 12, 18-27). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

 

06/06/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. Hoje celebramos a 9ª Semana Comum * As obras de justiça e caridade não são garantia contra as contrariedades, mas, nos ajudam a discernir a vontade de Deus, o qual quer vida e dignidade para o povo que lhe pertence. A retidão do justo é alvo de críticas e até de armadilhas; mas, o discípulo fiel tem seu refúgio em Deus e consegue com sabedoria superar a hipocrisia dos oponentes. Na leitura do Livro de Tobias lemos hoje que Tobit fica cego e sua família se afligiu pelo fato ocorrido. Cuidaram de Tobit; seu irmão ficou um tempo cuidando dele e sua esposa Ana, dedicou-se a trabalhos femininos, tecendo lã, vendia para ajudar a família. Ana recebe um cabrito juntamente com o salário da venda de lãs, mas, Tobit acreditando que o cabrito foi roubado pede para devolver o cabrito dizendo: “Não temos direito de comer coisas roubadas”. Eu, Tobit, na noite de Pentecostes, deitei-me junto à parede do pátio, deixando o rosto descoberto por causa do calor. Não sabia que havia pardais aninhados. Seu excremento quente caiu nos meus olhos e provocou manchas brancas. Fui procurar os médicos para me tratarem. Quanto mais remédios me aplicavam mais meus olhos se obscureciam com as manchas, até que fiquei completamente cego. Durante quatro anos estive privado da vista. Todos os meus irmãos se afligiram por minha causa. Aicar cuidou do meu sustento durante dois anos. Ana, minha mulher, dedicou-se a trabalhos femininos, tecendo lã. Entregava o produto aos patrões e estes lhe pagavam o salário. Um dia seus patrões pagaram o salário e ainda deram lhe um cabrito. Tobit disse à mulher: “Devolve-o a seus donos, pois, não temos o direito de comer coisa alguma roubada”. (Tobias 2, 9,14). Salmo 111 (112) lemos: O coração do justo é firme e confiante a Deus -  Feliz o homem que respeita o Senhor e que ama com carinho a sua Lei! Sua descendência será forte sobre a terra, abençoada a geração dos homens retos! – Ele não teme receber notícias más: confiando em Deus, seu coração está tranquilo e nada teme e confusos há de ver seus inimigos. – Ele reparte com os pobres os seus bens, permanece para sempre o bem que fez, e crescerão a sua glória e seu poder. Na leitura de São Marcos que lemos no dia de hoje as autoridades mandaram alguns fariseus e alguns partidários de Herodes para apanharem Jesus em alguma palavra. Eles falam da qualidade de Jesus, depois tentam colocar Nosso Senhor Jesus Cristo à prova, mas Jesus conheceu a hipocrisia deles e respondeu com sabedoria, e eles ficaram admirados com Jesus. Quando chegaram, disseram a Jesus: “Mestre, sabemos que tu és verdadeiro e não dás preferência a ninguém. Com efeito, tu não olhas as aparências do homem, mas ensinas com verdade, o caminho de Deus. Dize-nos: é licito ou não pagar o imposto a César? Devemos pagar ou não?” Jesus percebeu a hipocrisia deles e respondeu: “Por que me tentais? Trazei-me uma moeda, para que eu a veja”. Eles levaram a moeda a Jesus perguntou: “De quem é a figura e a inscrição que estão nessa moeda?” Eles responderam: “De César”. Então Jesus disse: ”Dai, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”. E eles ficaram admirados com Jesus (Marcos 12, 13-17). Obs. Perguntemo-nos a nos mesmos: Vivemos como Tobit na lei do Senhor, cuidando de sua vinha, ou vivemos como os agricultores na ganância, praticando o mal. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

05/06/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. Hoje celebramos São Bonifácio, Bispo e Mártir – Bonifácio (Inglaterra 673-754), “o que realiza boas ações”, foi um monge beneditino e bispo, reconhecido como apóstolo dos povos germânicos. Também promoveu a reforma da Igreja na França, dedicando-se à edificação de mosteiros, dioceses e Igrejas. Foi martirizado pelos frisões, a quem buscava evangelizar. Hoje celebramos a 9ª Semana Comum * Edificar a vida sobre Cristo, trilhando os caminhos da verdade e da justiça, significa produzir frutos de vida para o povo, em que pesem as hostilidades, incompreensões e exclusões. Na leitura do Livro de Tobias lemos que Tobit, andou pelos caminhos da verdade e da justiça todos os dias de sua vida: Eu, Tobit, andei nos caminhos da verdade e da justiça todos os dias da minha vida. Dei muitas vezes esmolas aos meus irmãos. No dia de nossa festa de Pentecostes, que é a festa das Sete Semanas, prepararam-me um excelente almoço. Quando puseram a mesa com numerosas iguarias, disse ao meu filho Tobias: “Vai, filho, vai procurar entre nossos irmãos algum que de todo o seu coração se lembre do Senhor e traze-o aqui para comer comigo. Tobias disse a seu pai: “Um homem de nosso povo foi morto e lançado à praça pública”. Tobit tirou o cadáver do meio da praça e depositou numa de suas dependências da casa, esperando o pôr do sol para enterrá-lo. Depois que o sol se escondeu, Tobit foi cavar uma sepultura e enterrar o cadáver. (Tobias 1, 3; 2, 1-8). Na leitura de São Marcos, que lemos no dia de hoje, Nosso Senhor Jesus Cristo falou em parábolas aos sumos sacerdotes, mestre da lei e anciões: “Um homem plantou uma vinha. Depois arrendou a vinha a alguns agricultores. Na época da colheita, ele mandou um empregado aos agricultores para receber a sua parte dos frutos da vinha. Mas, os agricultores pegaram o empregado, bateram nele. Então o dono da vinha mandou de novo mais um empregado. Os agricultores bateram nele. Então, o dono mandou ainda mais outro, e eles o mataram. Trataram da mesma da mesma maneira muitos outros, batendo em uns e matando outros. Então, o dono da vinha mandou seu filho querido até os agricultores, pensando: “Eles respeitarão meu filho”. Mas, os agricultores disseram: “Esse é o herdeiro. Vamos matá-lo e a herança será nossa”. Então agarraram o filho o mataram. Que fará o dono da vinha? Ele virá, destruirá os agricultores e entregará vinha a outros.” (Marcos 12, 1-12). Quem quiser ser meu discípulo renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me, diz o Senhor (Mateus 16, 24). Obs. Perguntemo-nos a nós mesmos: Vivemos como Tobit na lei do Senhor, cuidando de sua vinha, ou vivemos como os agricultores na ganância, praticando o mal. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

02/06/2017 – Sexta Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. Hoje celebramos a 7ª Semana da Páscoa * Nosso Senhor Jesus Cristo nos convida a segui-Lo, mas, quer saber se lhe temos amor, condição necessária para podermos nos dedicar ao cuidado do povo de Deus e enfrentar os reveses da caminhada. Quem tem amor a Nosso Senhor Jesus Cristo se dispõe a dar testemunho d’Ele até o fim e usa de todos os recursos para ser fiel à missão. Na leitura dos Atos dos Apóstolos de hoje lemos que Paulo está sendo acusado não por crimes, mas, por crer em Nosso Senhor Jesus Cristo: Os sumos sacerdotes e os anciãos dos judeus apresentaram acusações contra Paulo e pediram que fosse condenado. Os romanos não costumam entregar um homem antes que o acusado tenha sido confrontado com os acusadores e possa defender-se da acusação. Seus acusadores compareceram diante de Paulo, mas, não trouxeram nenhuma acusação de crimes de que pudesse suspeitar. Tinham somente certas questões sobre a sua própria religião e a respeito de Nosso Senhor Jesus Cristo que já morreu, mas que Paulo afirma estar vivo (Atos dos Apóstolos 25, 13-21). Na leitura de João no dia de hoje lemos que Nosso Senhor Jesus Cristo constituiu Pedro como o primeiro Papa de sua Igreja - Santa Igreja Católica Apostólica Romana. Jesus manifestou-se aos seus discípulos, perguntou a Simão Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas mais do que estes?” Pedro respondeu: “Sim, Senhor, Tu sabes que eu Te amo”. Jesus disse: ”Apascenta os meus cordeiros”. Simão Pedro ficou triste, porque Jesus perguntou três vezes se ele o amava. Pedro respondeu: “Senhor, Tu sabes tudo; Tu sabes que eu Te amo”. Jesus disse: ”Apascenta as minhas ovelhas” (João 21, 15-19).

DOM DA CIÊNCIA: O dom da ciência ou do conhecimento nos ajuda a aplicar, em favor da vida e do bem-estar dos menos favorecidos, as luzes obtidas por meio do estudo e da experiência. A ciência nos leva a buscar justiça e igualmente para todos. Capacita-nos a descobrir, inventar e criar alternativas para salvar o ser humano e a natureza. Suscita atitudes de participação, de empenho e de ousadia perante a cultura da morte. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

01/06/2017 – Quinta Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chance de podermos nos converter. Hoje celebramos São Justino, Mártir. – Justino (Palestina, 110 – 165), depois de percorrer diferentes correntes filosóficas, encontrou respostas aos seus questionamentos na Escritura Sagrada e na fé em Nosso Senhor Jesus Cristo. Convertido, criou uma escola de filosofia em Roma, onde iniciava os alunos na nova religião, e compôs preciosos escritos. Denunciado como cristão, foi martirizado sob mandado de Marco Aurélio. Hoje celebramos a 7ª Semana da Páscoa * Testemunhando Jesus e suas Palavras em qualquer tempo e lugar, colaboramos para que haja mais unidade na comunidade e na sociedade. Na leitura dos Atos dos Apóstolos de hoje lemos que Paulo o Apóstolo, tinha confiança em Nosso Senhor Jesus Cristo, e sem temor era testemunha e pregador da boa Nova de Nosso Senhor Jesus Cristo: O tribuno reuniu os chefes dos sacerdotes e todo o conselho dos anciões. Depois fez trazer Paulo e colocou-o diante deles. Paulo exclamou no conselho dos anciões: “Irmãos, eu sou fariseu e filho de fariseu. Estou sendo julgado por causa da nossa esperança na ressurreição dos mortos”. Com efeito, os saduceus dizem que não há ressurreição, nem anjos, nem espírito, enquanto os fariseus sustentam uma coisa e outra. Então alguns doutores da lei, do partido dos fariseus, levantaram-se e começaram a protestar, dizendo: “Não encontramos nenhum mal neste homem”. Na noite seguinte, o Senhor aproximou-se de Paulo e lhe disse: “Tem confiança. Assim como tu deste testemunho de mim em Jerusalém, é preciso que seja também minha testemunha em Roma” (Atos dos Apóstolos 22, 30; 23, 6-11). Na leitura de João no dia de hoje lemos a oração de Nosso Senhor Jesus Cristo pela unidade pelos povos: Nosso Senhor Jesus Cristo ergueu os olhos ao céu e rezou, dizendo: “Pai Santo, Eu não te rogo somente por eles, mas, também por aqueles que vão crer em mim pela sua Palavra; para que todos sejam um, como Tu, Pai está em mim e Eu em Ti, e para que eles estejam em nós, a fim de que o mundo creia que Tu me enviaste. O mundo reconheça que Tu me enviaste e os amaste como me amaste a mim. Pai, aqueles que me deste, quero que estejam comigo onde Eu estiver, para que eles contemplem a minha glória que Tu me deste porque me amaste antes da fundação do universo. Eu lhes fiz conhecer o teu nome e o tornarei conhecido ainda mais, para que o amor com que me amaste esteja neles e Eu mesmo esteja neles”.

DOM DA FORTALEZA: Com este dom, o Espírito Santo nos ajuda a superar as dificuldades e as propostas enganadoras. Fortaleza nos lembra resistência e luta. É preciso ser fortes para resistir ao mal e tornar as pessoas fortes e corajosas para enfrentar as dificuldades da vida; animar os jovens a ter esperança no futuro, os pais a assumir com otimismo os próprios deveres e todos a buscar uma sociedade fraterna. Paz e Bem! R. Carlos.Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

31/05/2017 – Quarta Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chances de podermos nos converter. Hoje celebramos a 7ª Semana da Páscoa * A Santa Igreja Católica Apostólica Romana encerra o mês de maio dedicado a Maria Santíssima, com a festa da Visitação de Maria Santíssima. Mostrando confiança nos desígnios do Senhor, Maria Santíssima partilha com Isabel sua ajuda e sua alegria. Vinde e escutai, todos os que temeis a Deus, e eu vos direi tudo o que o Senhor fez por mim, aleluia (Salmo 65, 16). Alegremo-nos, no Senhor, pois Ele está no meio de nós. E, a exemplo de Maria Santíssima, reconhecemos a força de suas Palavras e as maravilhas que realiza em favor de seu povo. A leitura de Sofonias nos incentiva: Canta com alegria; rejubila; alegra-te e exulta de todo o coração, o Senhor revogou a sentença contra ti, afastou teus inimigos; o Senhor, Ele está no meio de ti, nunca mais temerás o mal. Não temas, não te deixes levar pelo desânimo! O Senhor, teu Deus, está no meio de ti, o valente guerreiro que te salva; Ele exultará por ti, movido por amor; exultará por ti, entre louvores. Afaste de ti a desgraça, para que nunca mais te cause humilhação (Sofonias 3, 14-18). És feliz porque creste Maria, pois em ti a Palavra de Deus vai cumprir-se, conforme Ele disse (Lucas 1, 45). Em Lucas lemos a total entrega de Maria Santíssima a Deus e ao próximo – E a exclamação sob ação do Espírito Santo: Maria partiu para a região montanhosa. Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. Com um grande grito, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”. Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor e o meu espírito se alegra em Deus, meu salvador, porque olhou para a humildade de sua serva, doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada, porque o Todo – Poderoso fez grandes coisas em meu favor. O seu nome é Santo e sua misericórdia se estende, de geração em geração, a todos os que o temem. Ele mostrou a força de seus braços: dispersou os soberbos de coração. Derrubou do trono os poderosos e elevou os humildes. Encheu de bens os famintos e despediu os ricos de mãos vazias. Socorreu Israel, seu servo, lembrando-se de sua misericórdia, conforme prometera aos nossos pais, em favor de Abraão e de sua descendência para sempre”. Oremos: Senhor, Vós que fizestes parte da família humana, derramai vossa bênção sobre nossas famílias. Senhor, ajudai-nos a perseverar na oração e na prática da solidariedade a exemplo de vossa mãe e nossa.

DOM DO CONSELHO: Este dom nos ensina a estar abertos à graça e à ação de Deus, que nos orienta no caminho da vida. À medida que nos abrimos à graça divina, mais sábios nos tornaremos e melhores conselheiros seremos. É o dom de orientar e ajudar a quem precisa. Ele nos ensina a dialogar fraternamente, em família e em comunidade, acolhendo o diferente que vive ao nosso lado. Capacita-nos a animar os desanimados e a fazer sorrir os que sofrem. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

30/05/2017 – Terça Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chances de podermos nos converter. Hoje celebramos a 7ª Semana da Páscoa * Ser fiel ao Evangelho e comprometido com o povo é meta de todo cristão autêntico. A Palavra de Deus nos ajude a levar a termo essa obra, que é a mesma de Jesus. Em Atos dos Apóstolos, Paulo mandou um recado à cidade de Éfeso, convocando os anciões. Paulo disse: “Servi ao Senhor com toda a humildade, com lágrimas e no meio das provações que sofri por causa das ciladas dos judeus. Nunca deixei de anunciar aquilo que pudesse ser de proveito para vós nem de vos ensinar publicamente e também de casa em casa. Insisti com judeus e gregos para que se convertessem a Deus e acreditassem em Jesus, nosso Senhor. E agora, prisioneiro do Espírito, eu vou para Jerusalém sem saber o que aí me acontecerá. Sei apenas que, de cidade em cidade, o Espírito Santo me adverte, dizendo que me aguardam cadeias e tribulações. Mas, de modo nenhum considero a minha vida preciosa para mim mesmo, contanto que eu leve a bom termo a minha carreira e realize o serviço que recebi do Senhor Jesus, ou seja, testemunhar o Evangelho da graça de Deus” (Atos dos Apóstolos 20, 17-24). Paulo disse: “Portanto, hoje dou testemunho diante de todos vós: eu não sou responsável se algum de vós se perder, pois, não deixei de vos anunciar todo o projeto de Deus a vosso respeito” (Atos dos Apóstolos 20, 26-27). Nosso Senhor Jesus Cristo disse: “Pai, chegou a hora. Glorifica o teu Filho, para que o teu Filho te glorifique a ti e, porque lhe deste poder sobre todo o homem, Ele dê a vida eterna a todos aqueles que lhe confiaste. Ora, a vida eterna é esta: que eles te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e aquele que tu enviaste, Jesus Cristo” (João 17, 1-3). Jesus ainda disse: “Manifestei o teu nome aos homens que tu me deste do meio do mundo. Eram teus e tu os confiaste a mim, e eles guardaram a tua Palavra” (João 17, 6). Senhor, conceda que a vossa Palavra habite plenamente em nós, para que sempre vos louvemos e agradeçamos. Senhor, ajude-nos a manifestar e testemunhar vosso nome em meio à sociedade descrente. Senhor eduque nossa comunidade no espírito ecumênico e no diálogo inter-religioso.

DOM DA INTELIGÊNCIA: Inteligente é a pessoa que está com os pés no chão e sabe discernir o que acontece à sua volta. O dom da inteligência nos ajuda a perceber o que é a favor da vida ou contra a vida. Este dom nos leva a compreender as verdades da salvação, reveladas na Bíblia e nos ensinamentos da Igreja. Leva-nos a ver, conhecer e entender os sentimentos e as atitudes do coração das outras pessoas. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

29/05/2017 – Segunda Feira
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chances de podermos nos converter. Hoje celebramos a 7ª Semana da Páscoa * Com o batismo recebemos o Espírito Santo, que nos confirma como filhos e filhas de Deus e nos dá coragem para vencer as tribulações e as propostas enganadoras que muitos nos apresentam. Recebereis a força do Espírito Santo, que descerá em vós, e dará testemunho de mim até os confins da terra, aleluia! (Atos dos Apóstolos 1, 8). A pregação dos Apóstolos suscita em muitos o desejo do batismo e a abertura ao dom do Espírito, para que se mantenham firmes na paz e na adesão a Jesus. Em Atos dos Apóstolos lemos que Paulo encontrou alguns discípulos e perguntou-lhes: “Vós recebestes o Espírito Santo quando abraçastes a fé?” Eles responderam: “Nem sequer ouvimos dizer que existe o Espírito Santo!” Então Paulo perguntou: “Que batismo vós recebestes?” Eles responderam: “O batismo de João”. Paulo disse-lhes: “João administrava um batismo de conversão, dizendo ao povo que acreditasse naquele que viria depois d’Ele, isto é, Jesus”. Tendo ouvido isso, eles foram batizados no nome do Senhor Jesus. Paulo impôs-lhes as mãos, e sobre eles desceu o Espírito Santo. Começaram então a falar em línguas e a profetizar (Atos dos Apóstolos 19, 1-7). Paulo foi então à sinagoga e, durante três meses, falava com toda convicção, discutindo e procurando convencer os ouvintes sobre o Reino de Deus (Atos dos Apóstolos 19, 1-8). Se com Cristo ressurgistes, procurai o que é do alto, onde Cristo está sentado, à direita de Deus (Colossenses 3, 1). Os discípulos disseram a Jesus: “Agora sabemos que conheces tudo e que não precisas que alguém te interrogue. Por isso cremos que vieste da parte de Deus”. Jesus respondeu: “Eis que vem a hora – e já chegou – em que vos dispersareis, cada um para seu lado, e me deixareis só. Mas, eu não estou só, porque o Pai está comigo” (João 16, 30-32). Disse Jesus: “No mundo tereis tribulações. Mas, tende coragem! Eu venci o mundo!” (João 16, 33). Senhor, conceda-nos os dons do Espírito Santo Criador, para que vivamos sempre como membros vivos de vossa Igreja missionária. Senhor, livre-nos de julgar nossos irmãos e irmãs, para que nos apresentemos confiantes na vossa presença quando nos visitardes. DOM DA SABEDORIA: Este dom nos ensina a ser sábios diante da vida. Sabedoria é ver a história e os acontecimentos com os olhos de Deus. Ela desperta o gosto pelas coisas de Deus e ilumina nosso caminho. A sabedoria nos leva ao verdadeiro conhecimento de Deus e à busca dos valores da vida. Sábia é a pessoa que pratica a justiça, tem coração misericordioso e ama intensamente a vida, porque este é dom de Deus. Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão
.

- - -

26/05/2017
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chances de podermos nos converter. Hoje celebramos São Felipe Néri, (Itália, 1515 – 1595), espírito caridoso e abnegado; possuía o segredo da simpatia e da amizade, que ele exerceu especialmente junto aos rejeitados pela sociedade. Conhecido como o santo da alegria, fundou a Confederação do Oratório, dedicado à educação da juventude, da qual é protetor. Hoje celebramos a 6ª Semana da Páscoa * Repousa sobre mim o Espírito do Senhor; Ele me ungiu para levar a boa nova aos pobres e curar os corações contritos, aleluia! (Lucas 4, 18). A Palavra de Deus anima os missionários em meio aos riscos da missão e traz profunda alegria a todos os que fecundam o amor e a vida no mundo. Estando Paulo em Corinto, uma noite o Senhor disse-lhe em visão: “Não tenhas medo; continua a falar e não te cales, porque Eu estou contigo. Ninguém te porá a mão para te fazer mal. Nesta cidade há um povo numeroso que me pertence”. Assim, Paulo ficou um ano e meio entre eles, ensinando-lhes a Palavra de Deus. (Atos dos Apóstolos 18, 9-11). Em Cencreia, Paulo raspou a cabeça, pois tinha feito uma promessa (Atos dos Apóstolos 18, 18). Era preciso que Cristo sofresse e ressuscitasse dos mortos para entrar em sua glória (Lucas 24, 46-26). Disse Jesus: “Também vós agora sentis tristeza, mas Eu hei de ver-vos novamente e o vosso coração se alegrará, e ninguém vos poderá tirar a vossa alegria” (João 16, 22). Senhor, conceda-nos a alegria e a fortaleza do Espírito, para que sempre testemunhemos quão sublime é vosso nome. Senhor, proteja a sociedade das leis injustas que produzem sofrimentos, angústias e desânimo nas pessoas. “Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos, diz o Senhor, aleluia! (Mateus 28, 20). Paz e Bem!
R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

25/05/2017
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chances de podermos nos converter. O calendário pascal nos faz contemplar o Cristo da fé, o Jesus ressuscitado. A Páscoa é a maior festa cristã. A Páscoa sucede ao Calvário, onde se consumou o sacrifício pascal da Nova Aliança e o inocente cordeiro resgatou da tirania do pecado a humanidade. Os cristãos mais conscientes que evitam desvios e exageros se nutrem com o Pão da Palavra ao saborear o “fermento pascal”: expressão da vida nova gerada por Cristo (1 Coríntios 5, 7-8). Acreditamos que sua ressurreição já é nossa em meio às alegrias e sofrimentos do mundo. A Igreja existe porque é sustentada pela fé no ressuscitado desde o “túmulo vazio” que acolhera seu corpo crucificado. Há o testemunho perene desde que é o anúncio maior (querigma) da fé cristã. Mais de dois mil anos, a Páscoa celebra na ressurreição do Senhor. Somos herdeiros e promotores do tempo novo que irrompeu do túmulo fecundo de Jesus. Ele ressuscitou como “primogênito dentre os mortos” (Colossenses 1, 18). A vida nova de Jesus restaura nosso modo de viver. Ela gera o dinamismo infinito que vem transformando a história em todos os tempos. Preserva valores éticos e orienta o sentido da história até que Cristo seja tudo em todos, mas, exige de nós compromissos concretos de justiça, fraternidade e respeito à dignidade humana em todos. Acreditamos no mistério daquele que vencendo o pecado e a morte, destrona o egoísmo do coração humano, o materialismo das leis do mercado e é antídoto contra a corrupção política e moral. Testemunhar Jesus ressuscitado é plantar semente de ressurreição: construir a paz, tentar superar as forças do mal, afirmar o direito à vida para todos. O Jesus de Nazaré foi inserido no íntimo do mistério de Deus. A Palavra – o Verbo – que viera na Encarnação voltou à glória num corpo igual ao nosso. Contribuamos para o bem, a verdade, a justiça e lutemos por uma sociedade digna. Hoje celebramos a 6ª Semana da Páscoa * Embora entristeça os discípulos, a morte de Jesus será fecunda e princípio de uma presença nova e alegre: a de Cristo ressuscitado, poder e salvação de Deus são fundamentais da nossa fé. Lemos em Atos dos Apóstolos que Paulo deixou Atenas e foi para Corinto. Aí encontrou um judeu chamado Áquila, esposo de Priscila. E como tinham a mesma profissão – eram fabricantes de redes – Paulo passou a morar com eles e trabalhavam juntos. Todos os sábados, Paulo discutia na sinagoga, procurando convencer judeus e gregos. Quando Silas e Timóteo chegaram a Macedônia, Paulo dedicou-se inteiramente à Palavra, testemunhando diante dos judeus que Jesus era o Messias. Crispo, o chefe da sinagoga, acreditou no Senhor com toda a sua família; e muitos coríntios que escutavam Paulo acreditaram e recebiam o batismo (Atos dos Apóstolos 18, 1-8). Disse Jesus: “Eu não vos deixarei órfãos: Eu irei, mas voltarei, e o vosso coração muito há de se alegrar” (João 14, 18). Jesus Disse: “Em verdade, em verdade vos digo, vós chorareis e vos lamentareis, mas, o mundo se alegrará. Vós ficareis tristes, mas, a vossa tristeza se transformará em alegria” (João 16, 16-20). Senhor transforme o coração daqueles que não fazem de vossos ensinamentos um projeto de vida! Senhor, lembre-se dos que vivem longe da família e da pátria e vele pelos exilados e pelos migrantes! Senhor, dá saúde aos doentes, consolo aos tristes e desanimados e a vida eterna aos nossos falecidos. Disse Jesus: “Eis que estou convosco todos os dias até o fim dos tempos, aleluia! (Mateus 28, 20). Paz e Bem! R. Carlos. 
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

24/05/2017
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chances de podermos nos converter. Os animais em geral se associam em bandos ou colônias, para a defesa e mútua ajuda. As aldeias e cidades desde antigamente são um jeito humano de seguir essa tendência comum aos animais. Os relacionamentos são importantes até mesmo para nos potencializar. A fé nos dá o sentido mais profundo: a vida é um dom, energia ou sopro de Deus para todo ser criado. Hoje celebramos 6ª Semana da Páscoa * A vida e a mensagem de Jesus, iluminadas pelo Espírito Santo, revelam Deus ao mundo. Ao cristão cabe tomar manifesto o projeto do Pai que culmina com a ressurreição de Jesus. Senhor, eu vos louvarei entre os povos, anunciarei vosso nome aos meus irmãos, aleluia! (Salmo 17, 50; 21, 23). A Palavra de Deus convida a passar da idolatria para a vida no Espírito, o qual conduz a comunidade à verdade plena, cuja fonte é Cristo ressuscitado. Paulo disse: “Homens atenienses, em tudo eu vejo que sois extremamente religiosos” (Atos dos Apóstolos 17, 22). “Passando e observando os vossos lugares de culto, encontrei também um altar com esta inscrição: Ao Deus desconhecido. Pois bem, esse Deus que vós adorais sem conhecer é exatamente aquele que eu vos anuncio” (Atos dos Apóstolos 17, 23). “Pois é Ele que dá a todos vida, respiração e tudo o  mais” (Atos dos Apóstolos 17, 25). “Assim, fez, para que buscassem a Deus e para ver se o descobririam, ainda que às apalpadelas” (Atos dos Apóstolos 17, 27). “Somos da raça do próprio Deus” (Atos dos Apóstolos 17, 28). Mas, Deus, sem levar em conta os tempos da ignorância, agora anuncia aos homens que todos e em todo lugar se arrependam, pois Ele estabeleceu um dia que irá julgar o mundo com justiça (Atos dos Apóstolos 17, 30-31). Alguns se uniram a Paulo e abraçaram a fé (Atos dos Apóstolos 17, 34). Disse Jesus: “Rogarei ao meu Pai e Ele há de enviar-vos outro paráclito, que há de permanecer eternamente convosco” (João 14, 16). Jesus disse aos seus discípulos: “Tenho ainda muitas coisas a dizer-vos, mas não sois capazes de compreendê-las agora. Quando, porém, vier o Espírito da verdade, Ele vos conduzirá à plena verdade” (João 16, 12-13). Conceda-nos, Senhor, caminhar na vida iluminados pelo Espírito Santo e pelos ensinamentos do Evangelho! Livrai-nos de toda forma de idolatria e escravidão e fortalecei em nós um espírito amigo e fraterno! Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

23/05/2017
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chances de podermos nos converter. O que Maria Santíssima foi fazer na casa de Isabel? Aconteceu em um curso de formação sobre Maria Santíssima. O coordenador perguntou ao grupo: O que Maria foi fazer na casa de Isabel? Por que ela saiu às pressas, depois que recebeu o anúncio do Anjo? Vieram várias respostas. Ana Maria disse: “Ela estava tão cheia de graça que sentiu necessidade de dividir com alguém. Pois, quando a gente está assim, precisa dividir, para multiplicar a luz de Deus”. Dona Luiza pensou diferente: “Maria foi lá para confirmar no coração aquilo que o Anjo falou para ela. A novidade era grande demais”. Joana tomou a palavra: “Olha, eu sou mãe. Tenho três filhos. Quando a gente está grávida, sente necessidade de conversar com outras mulheres sobre o que está passando no nosso corpo, os medos e as esperanças que temos em relação ao filho que vai nascer. Então, o que Maria fez é algo normal, que acontece com toda mulher. O que eu acho especial é que, neste encontro tão comum de duas mulheres, o Espírito Santo estava presente e se manifestou nelas”. O coordenador pensava: “Há alguns mistérios de Deus que somente as mulheres dão conta de entender”. Falou a coordenadora da catequese: “A visita de Maria e Isabel nos ensina que somos discípulas e missionárias. Maria foi lá para anunciar a Boa Nova. Mas, quando chegou, Isabel foi a primeira a falar. E Maria escutou. E ficou tão emocionada com suas palavras, que entoou um cântico de louvor: Minha alma engrandece o Senhor, exulta de alegria meu espírito em Deus meu Salvador. Quando a gente evangeliza, também aprende”. Dona Margarida, com seus 75 anos, disse: “Maria foi ajudar Isabel: lavar roupa, fazer comida, prosear, tecer as roupinhas do bebê. Tem exemplo maior de missionária do que essa?” O coordenador concluiu então: “Maria teve vários motivos para visitar Isabel. E vocês apontaram bem: confirmar sua própria fé, partilhar a graça de Deus com ela, ensinar e aprender, preparar-se para ser mãe, servir no dia a dia com tarefas simples. Não foi somente uma visita, e sim um encontro que deixou raízes na vida das duas. E este encontro deve ter influenciado na educação de João Batista e de Jesus. O amor tem pressa. Não pode esperar. Por isso Maria saiu às pressas para a região montanhosa, ao encontro de Isabel. 6ª Semana da Páscoa * Graças à ação Igreja e ao Espírito Santo que a conduz, o Evangelho continua iluminando a humanidade e libertando-a das prisões. Participemos, pelo batismo, da vida nova no Espírito, o qual põe às claras o pecado do mundo e o julgamento justo de Deus sobre o mal. Na leitura dos Atos dos apóstolos lemos que as multidões dos filipenses levantaram-se contra Paulo e Silas; e os magistrados, depois de lhes rasgarem as vestes, mandaram açoitar os dois com varas. Depois de açoitá-los bastante, lançaram-nos na prisão. À meia-noite, Paulo e Silas estavam rezando e cantando hinos a Deus. Os outros prisioneiros os escutavam. De repente, houve um terremoto tão violento, que sacudiu os alicerces da prisão. Todas as portas se abriram e as correntes de todos se soltaram. O carcereiro pensando que os prisioneiros tinham fugido puxou da espada para suicidar-se. Mas, Paulo gritou com voz forte: “Não te faças mal algum, nós estamos aqui”. Então o carcereiro perguntou: “Senhores, que devo fazer para ser salvo?” Paulo e Silas responderam: “Crê no Senhor Jesus e sereis salvos tu e todos de tua família”. Então, Paulo e Silas anunciaram a Palavra do Senhor ao carcereiro e a todos de sua família. E, imediatamente, foi batizado junto  com todos os seus familiares. Paulo e Silas alegraram-se com todos os seus familiares por te acreditado em Deus (Atos dos Apóstolos 16, 22-34) Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

22/05/2017
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chances de podermos nos converter. As leituras religiosas nos fortalecem cada vez mais em nossa caminhada de fé e nos ajudam a entender as Palavras de Deus. Devemos sempre incentivas as pessoas a fazer leituras espirituais, tais como: Santa Bíblia, Novo Catecismo da Igreja Católica, Compêndio do Vaticano II, Histórias de Santos, entre outros. Hoje celebramos a 6ª Semana da Páscoa * Iluminada e fortalecida pelo Espírito Santo, a Santa Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo saberá superar as adversidades e dar testemunho fiel do Reino de Deus. Cristo, ressuscitado dos mortos, já não morre; a morte não tem mais poder sobre Ele, aleluia! (Romanos 6, 9). O Espírito da verdade abre mentes e corações a fim de que acolham o anúncio e o testemunho dos evangelizadores. “Lídia acreditava em Deus e escutava com atenção. O senhor abriu o seu coração para que aceitasse as Palavras ditas Por Paulo. Após ter sido batizada, assim como toda a sua família” (Atos dos Apóstolos 16, 14-15). O Espírito Santo, a verdade, dará testemunho de mim; depois também vós, neste mundo, de mim ireis testemunhar (João 15, 26s). Nosso Senhor Jesus Cristo disse aos discípulos: “Quando vier o defensor que Eu vos mandarei da parte de meu Pai, o Espírito da verdade, que procede do Pai, Ele dará testemunho de mim. E vós também dareis testemunho, porque estais comigo desde o começo (João 15, 26 - 27). Pela Igreja, chamada a estar aberta à ação do Espírito Santo e ir em missão pelo mundo, rezemos. Senhor, atendei nossa prece. Pelos missionários que encontram resistência ao anúncio do Evangelho, rezemos. Senhor, atendei nossa prece! Pelas pessoas e comunidades que acolham com amor e generosidade os evangelizadores, rezemos. Senhor, atendei nossa prece. Jesus se pôs entre os discípulos e lhes disse: A paz esteja convosco, aleluia! (João 20, 19). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

19/05/2017
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chances de podermos nos converter. Uma criança estendeu-me sua mão e me pediu: “Dá-me um pedaço de pão para eu matar minha fome”. Uma criança não tem nem pedaço de pão. Ainda estamos longe do Evangelho, longe do Reino, do desejo de Jesus. “Quero um pedaço de pão” é o grito dos que estão sem direito à vida, não são chamados para trilhar à mesa para tomar uma refeição. De que adiantam discursos emocionantes, se eu não experimento a dor de sentir fome ou de ver restrito o direito dos pobres? Falsos são os líderes que sabem apontar, mas não querem resolver; sabem acusar, mas não apontam outro caminho, sejam estes cristãos ou não. Nazaré onde havia uma mulher esquecida e no silêncio: “Alegra-te, ó cheia de graça, o Senhor é contigo”, e desde então o Deus dos pobres e dos abandonados se encarnou entre nós. Faltam sonhos para os cristãos, e há medo de estender as mãos. Sobram egoísmos e violência. Falta Deus na sociedade e, talvez, até em nosso coração, se nossas atitudes não são conforme a vontade e ensinamento de Nosso Senhor Jesus Cristo. Os humildes podem se alegrar, pois continua a ser parceiro e companheiro de Nosso Senhor Jesus Cristo. Nada há que temer, pois são os fracos que confundem os fortes, são os humildes que derrubam os orgulhosos de seus tronos. Certamente, se tivermos a verdadeira coragem dos que são de Deus, poderemos matar a fome daquela criança e, segurando a mão dela, ajudá-la a alcançar a dignidade filial, direito inalienável dado pelo próprio Deus. Pensemos! Hoje celebramos a 5ª Semana da Páscoa * Iluminados pelo Espírito de Deus, sabemos conduzir nossas famílias e as comunidades à alegria do Reino, livres de fundamentalismos retrógrados. Nossa missão é amar as pessoas e não rotulá-las. O Cordeiro que foi imolado é digno de receber o poder, a divindade, a sabedoria, a força e a honra, aleluia! (Apocalipse 5, 12). Discernindo a vontade de Deus, a comunidade cristã supera os limites humanos e cresce na amizade com Jesus e no amor incondicional a todos. Paulo e Barnabé escreveram: Ficamos sabendo que alguns dos nossos causaram perturbações com palavras que transtornaram vosso espírito. Eles não foram enviados por nós (Atos dos Apóstolos 15, 24). Paulo e Barnabé foram homens que arriscaram suas vidas pelo nome de Nosso Senhor Jesus Cristo (Atos dos Apóstolos 15, 26). Porque decidimos, o Espírito Santo e nós, não vos impor nenhum fardo, além destas coisas indispensáveis: ... das uniões ilegítimas (Atos dos Apóstolos 15, 28). Vós fareis bem se evitardes essas coisas. Saudações! (Atos dos Apóstolos 15, 29). Jesus disse aos discípulos: “Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei. Ninguém tem amor maior do que aquele que dá sua vida pelos amigos. Vós sois meus amigos se fizerdes o que Eu vos mando. Já não vos chamo servos, pois, o servo não sabe o que faz o seu senhor. Eu chamo-vos amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvistes de meu Pai. Não fostes vós que me escolhestes, mas fui Eu que vos escolhi e vos designei para irdes e para que produzais fruto, e o vosso fruto permaneça. O que, então, pedirdes ao Pai em meu nome, Ele vos concederá. Isto é o que vos ordeno: amai-vos uns aos outros. (João 15, 12-17). Paz e Bem!
R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.
- - -

 

18/05/2017
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chances de podermos nos converter. A Igreja Católica Apostólica Romana, fazendo missão no Brasil tem uma grande dificuldade, pois, aqui o número de Padres sempre foi insuficiente para a árdua missão de evangelizar. Hoje, existem aproximadamente 12 mil paróquias e um pouco mais de 22 mil Padres no Brasil. Se a distribuição fosse igualitária, e não o é, significaria mais ou menos um Padre para cada 20 mil pessoas. Esta realidade é desafiadora! Os Padres têm a missão de explicar as verdades da Santa Igreja e do Evangelho. O dia da dona de casa e a vida do trabalhador serão muito mais felizes porque o Evangelho chegou até eles revestido de alegria, conforto espiritual e esperança. Viver a fé e receber o Evangelho da alegria. Nossa Senhora nos ajude neste Ano Mariano, a vivermos a fé como compromisso, pois, mais do que nunca “agora é tempo de Ser Igreja, caminhar juntos e participar”. Hoje celebramos a 5ª Semana da Páscoa * O Evangelho é proposta de vida e salvação a todas as pessoas e culturas, sem discriminação. Permanecendo no amor, base dessa boa-nova, nossa alegria será plena. Se permanecermos no amor de Cristo, podemos realizar as maravilhas de Palavra de Deus, evitando afligir os irmãos com fardos desnecessários. Pedro falou aos apóstolos e anciões: “Irmãos, vós sabeis que desde os primeiros dias, Deus me escolheu do vosso meio para que os pagãos ouvissem de minha boca a Palavra do Evangelho e acreditassem. Ora, Deus, que conhece os corações, testemunhou a favor deles, dando-lhes o Espírito Santo como o deu a nós. E não fez nenhuma distinção entre nós e eles, purificando o coração deles mediante a fé” (Atos dos Apóstolos 15, 7-9).” Ao contrário, é pela graça do Senhor Jesus que acreditamos ser salvos, exatamente como eles” (Atos dos Apóstolos 15, 11). Depois disso, ouviram Barnabé e Paulo contar os sinais e prodígios que Deus havia realizado, por meio deles, entre os pagãos (Atos dos Apóstolos 15, 7-9). Tiago tomou a palavra e disse: “Irmãos, ouve-me: Simão acaba de nos lembrar como desde o começo Deus se dignou tomar homens das nações pagãs para formar um povo dedicado ao seu nome” (Atos dos Apóstolos 15, 13-14). “O resto dos homens procurem o Senhor com todas as nações que foram consagradas ao seu nome” (Atos dos Apóstolos 15, 17). “Por isso, sou do parecer que devemos parar de importunar os pagãos que se converteram a Deus” (Atos dos Apóstolos 15, 19). Disse Jesus: “Minhas ovelhas escutam minha voz, minha voz então estão elas a escutar; Eu conheço então minhas ovelhas, que me seguem, comigo a caminhar (João 10, 27). Disse Jesus: “Como o Pai me amou, assim também Eu vos amei. Permanecei no meu amor. Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, “assim como Eu guardei os mandamentos do meu Pai e permaneço no seu amor” (João 15, 9-10). Senhor, ilumine os que ensinam e estudam, para que cresçam em sabedoria e no compromisso com os valores do Reino. Senhor, ampare os jovens que buscam a realização de seus sonhos, para que trilhem o caminho da verdadeira alegria e do amor ao próximo. Cristo morreu por todos, para os que vivem já não vivam para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou, aleluia! (2 Coríntios 5, 15). Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - - 

17/05/2017
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia Deus Pai nos concede para darmos chances de podermos nos converter. Temos a alegria de comemorar este importante meio de Evangelização enviado quase todos os dias, com o objetivo de comunicar a Boa Nova, apoiar a missão evangelizadora. Nossos sinceros agradecimentos a todos vocês que fazem parte da família “Pequenos Missionários de Jesus”. O amor e a fé nos motivam a seguirem em frente, sempre firmes, a serviço do Evangelho. A Páscoa, tempo de vida e plenitude! “A esperança que brotou do túmulo vazio se espalhou mundo a fora. É tempo da vida em plenitude que o condenado, crucificado, morto e ressuscitado trouxe para toda a humanidade, o fato que marcou a história do mundo e que marca a história de cada um de nós”, darão o seu testemunho de fé e o desejo de caminhar juntos, espalhando a Boa Notícia. Hoje celebramos a 5ª Semana da Páscoa * A comunidade – Igreja representa a participação ativa na vida e no projeto de Jesus. Unidos a Ele, somos chamados a testemunhá-lo com frutos de amor e solidariedade. Que o vosso louvor transborde de minha boca; meus lábios exultarão, cantando de alegria, aleluia! (Salmo 70, 8.23). O caminho para a comunidade resolver seus conflitos é sempre buscar ser fiel às palavras de Jesus e permanecer em união com Ele, a videira verdadeira. Que alegria quando ouvi que me disseram: “Vamos à casa do Senhor!” (Salmo 121). Paulo e Barnabé contaram sobre a conversão dos pagãos, causando grande alegria entre os irmãos. Chegando a Jerusalém, foram recebidos pelos apóstolos e os anciões e narraram às maravilhas que Deus tinha realizado por meio deles (Atos dos Apóstolos 15, 3-4). Disse Jesus a seus discípulos: “Eu sou a videira verdadeira e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que em mim não dá frutos, Ele o corta; e todo ramo que dá fruto, Ele o limpa, para que dê mais fruto ainda. Vós já estais limpos por causa da Palavra que Eu vos falei. Permanecei em mim e Eu permanecerei em vós. Como o ramo não pode dar fruto por si mesmo se não permanecer na videira, assim também vós não podereis dar fruto se não permanecerdes em mim. Eu sou a videira e vós os ramos. Aquele que permanece em mim, e Eu nele, esse produz muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. Quem não permanece em mim será lançado fora como um ramo e secará. Tais ramos são recolhidos, lançados no fogo e queimados. Se permanecerdes em mim e minhas Palavras permanecerem em vós, pedi o que quiserdes e vos será dado. Nisto meu Pai é glorificado: que deis fruto e vos torneis meus discípulos” (João 15, 1-8). Senhor, ajude-nos a escolher e a preservar na vida os valores que nos tornam felizes e solidários. Senhor ensine as comunidades a discernir vossa vontade em meio aos acontecimentos cotidianos. Ressuscitou e manifestou-se a nós o Senhor que nos redimiu com seu sangue, aleluia! Paz e Bem! R. Carlos.
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

16/05/2017
MINI SERMÃO
Bom dia. O Evangelizador transforma vidas, faz companhia e ajuda a rezar. Comunica, evangeliza e informa. Os leigos sempre encontram o evangelizador para agradecer o seu “sim” ao entrar em suas famílias para evangelizar. A amizade entre o evangelizador e os leigos estreita amizades, fazendo ter por palavras e gestos a união entre as famílias. É fazer ressoar a Boa Nova, atendendo ao pedido de Nosso Senhor Jesus Cristo quando Ele nos diz: “Ide e Evangelizai”. Seja você também um evangelizador. Hoje celebramos a 5ª Semana da Páscoa * Jesus nos deixa sua paz e nos fala de alegria. Embora uma e outra nem sempre estejam presentes na vida pessoal e comunitária, podem se tornar realidade pela perseverança na fé. Os anunciadores da Palavra de Deus podem encontrar obstáculos e até sofrimento, mas, Jesus lhes garante sua presença de paz que anima a caminhada. Em Atos dos Apóstolos lemos que os judeus convenceram as multidões a apedrejar Pedro e o arrastaram-no para fora da cidade, pensando que ele estivesse morto (Atos dos Apóstolos 14, 19). No dia seguinte, Paulo partiu para Derbe com Barnabé. Depois de terem pregado o Evangelho naquela cidade e fizeram muitos discípulos de Jesus (Atos dos Apóstolos 14, 20-21). Paulo e Barnabé encorajavam os discípulos; eles os exortavam a permanecerem firmes na fé, dizendo-lhes: “É preciso que passemos por muitos sofrimentos para entrar no Reino de Deus” (Atos dos Apóstolos 14, 22). Com orações e jejuns, eles os confiavam ao Senhor, em quem haviam acreditado (Atos dos Apóstolos 14, 23). Entregues à graça de Deus, para o trabalho que haviam realizado. (Atos dos Apóstolos 14, 26). Contaram-lhe tudo o que Deus fizera por meio deles e como havia aberto a porta da fé aos pagãos (Atos dos Apóstolos 14, 27). Era preciso que Cristo sofresse e ressuscitasse dos mortos, para entrar em sua glória (Lucas 24, 46.26). Disse Jesus a seus discípulos: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; mas, não a dou como o mundo. Não se perturbe nem se intimide o vosso coração” (João 14, 27). Disse Jesus: “Já não falarei muito convosco, pois o chefe deste mundo vem. Ele não tem poder sobre mim (João 14, 30). Ajudai-nos Senhor a construir a paz! Pelos discípulos e discípulas de Jesus, para que não desanimem diante das dificuldades, rezemos! Se morremos com Cristo, cremos que também viveremos com Cristo, aleluia! (Romanos 6, 8). Paz e Bem! R. Carlos
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

15/05/2017
MINI SERMÃO
Bom dia. Hoje celebramos a 5ª Semana da Páscoa * A boa nova da salvação abre caminhos de vida em meio às incompreensões humana. Quando acolhida, produz fraternidade com Jesus e relação filial com Deus. A Palavra de Deus sempre convida à conversão, ao abandono dos falsos ídolos. Amar Jesus significa guardar a sua Palavra, com o auxílio do Espírito Santo. Paulo e Barnabé foram às cidades da Licaônia, e seus arredores. Aí começaram a anunciar o Evangelho. Em Listra havia um homem paralítico das pernas que era coxo de nascença e nunca fora capaz de andar. Paulo disse em alta voz: “Levanta-te direito sobre os teus pés”. O homem deu um salto e começou a caminhar (Atos dos Apóstolos 14, 6-10). Paulo disse: “Estamos anunciando que precisais deixar esses ídolos inúteis para vos converterdes ao Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que neles existe. Nas gerações passadas, Deus permitiu que todas as nações seguissem o próprio caminho. No entanto, Ele não deixou de dar testemunho de si mesmo através de seus benefícios, mandando doo céu chuvas e colheitas, dando alimento e alegrando vossos corações” (Atos dos Apóstolos 14, 15-17). Não a nós, ó Senhor, não a nós, ao vosso nome, porém, seja glória (Salmo 113). Disse Jesus: “Quem acolheu os meus mandamentos e os observa, esse me ama (João 14, 21). Disse Jesus: “Se alguém me ama, guardará a minha Palavra e o meu Pai o amará, e nós viremos e faremos nele a nossa morada” (João 14, 23). Disse Jesus: Mas, o defensor, o Espírito Santo que o Pai enviará em meu nome, Ele vos ensinará tudo e vos recordará tudo o que Eu vos tenho dito” (João 14, 26). Senhor, fazei-nos abertos e disponíveis para os apelos do vosso Espírito, para que vossa Palavra se torne vida em nós. “Eu vos deixo a paz, Eu vos dou a mina paz; Eu vo-la dou, mas não como o dá o mundo diz o Senhor, aleluia! (João14, 27). Paz e Bem! R. Carlos

Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

13/05/2017
MINI SERMÃO
Bom dia. Na primeira página da Bíblia Sagrada lemos: “A terra estava informe e vazia, as trevas cobriam o abismo e o Espírito de Deus pairava sobre as águas (Gênesis 1, 2). Se olharmos na Sagrada Escritura, veremos que a água sempre teve um papel fundamental desde a criação do mundo; ela está presente no batismo de Jesus Cristo, na cura do cego, quando Cristo pede água à mulher samaritana, entre outros. Vemos sua presença em muitos e importantes fatos narrados pelos autores bíblicos. O primeiro milagre do Senhor está relacionado com esse elemento, quando Ele a transformou em vinho. Jesus Misericordioso explicou a Santa Faustina, autora do Diário, o significado dos dois raios em destaque na imagem de Jesus Misericordioso: “Os dois raios representam o Sangue e a Água. “O raio pálido representa a água, que justifica as almas; o raio vermelho representa o Sangue, que é a vida das almas”. Hoje celebramos a 4ª Semana da Páscoa * Morto pela maldade humana e ressuscitado pelo amor de Deus, Jesus se apresenta como o caminho, a verdade e a vida. Seguindo-o no caminho, vivemos na verdade e defendemos a vida. Vós nos resgatastes Senhor, pelo vosso Sangue, de todas as raças, línguas, povos e nações e fizestes de nós um reino e sacerdotes para o nosso Deus, aleluia! (Apocalipse 5, 9s). A Palavra de Deus nos convoca à fé e ao anúncio do Evangelho, a fim de vivermos com Jesus na constante presença e companhia do Pai. Paulo disse: “Irmãos, descendentes de Abraão, e todos vós que temeis a Deus, a nós foi enviada esta mensagem de salvação. Os habitantes de Jerusalém e seus chefes não reconheceram a Jesus e, ao condená-lo, cumpriram as profecias que se leem todos os sábados. Embora não encontrassem nenhum motivo para sua condenação, pediram a Pilatos que fosse morto” (Atos dos Apóstolos 13, 26-28). Paulo disse: “Mas, Deus o ressuscitou dos mortos e durante muitos dias, Ele foi visto por aqueles que o acompanhavam desde a Galileia até Jerusalém. Agora eles são testemunhas de Jesus diante do povo” (Atos dos Apóstolos 13, 30-31). Disse Jesus: “Sou o caminho a verdade e a vida; ninguém vai ao Pai, senão por mim (João 14, 6). Disse Jesus a seus discípulos: “Não se perturbe o vosso coração. Tendes fé em Deus, tendes fé em mim também. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fosse, Eu vos teria dito. Vou preparar um lugar para vós e, quando eu tiver ido preparar-vos um lugar, voltarei e vos levarei comigo; a fim de que, onde Eu estiver, estejais também vós (João 14, 1-3). O Cristo Senhor foi entregue por nossos pecados e ressuscitado para nossa justificação, aleluia! (Romanos 4, 25). Paz e Bem! R. Carlos
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

11/05/2017
MINI SERMÃO
Bom dia. Na primeira leitura da Bíblia Sagrada lemos: “A terra estava informe e vazia, as trevas cobriam o abismo e o Espírito de Deus pairava sobre as águas (Gênesis 1, 2). Todo pecado, toda blasfêmia será perdoada aos homens, mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada” (Mateus 12, 31). Pelo contrário, quem a profere é culpado de um pecado eterno. A misericórdia de Deus não tem limites, mas quem se recusa deliberadamente a acolher a misericórdia de Deus pelo arrependimento rejeita o perdão de seus pecados e a salvação oferecida pelo Espírito Santo. Semelhante endurecimento pode levar à impenitência final e à perdição eterna. Hoje celebramos a 4ª Semana da Páscoa * Somos chamados a discernir o projeto de Deus nos acontecimentos da história e ser fiéis ao espírito de serviço que o Senhor propôs como atitude de vida. A Palavra de Deus revela a história da salvação, o plano divino para a humanidade cujo ápice é a vinda de Jesus, o enviado do Pai. Paulo e seus companheiros embarcaram em Pafos (Atos dos Apóstolos 13, 13). Eles, porém, partindo de Perge, chegaram a Antioquia da Pisídia. E, entrando na sinagoga em dia de sábado, sentaram-se. Depois da leitura da Lei e dos profetas, os chefes da sinagoga mandaram dizer-lhes: “Irmãos, se vós tendes alguma palavra para encorajar o povo, podeis falar”. Paulo levantou-se fez um sinal com a mão e disse: “Israelitas e vós que temeis a Deus, escutai! (Atos dos Apóstolos 13, 14-16). Deus fez surgir Davi como rei e assim testemunhou a seu respeito: Encontrei Davi, filho de Jessé, homem segundo o meu coração, que vai fazer em tudo a minha vontade. Conforme prometera, da descendência de Davi Deus fez surgir para Israel um salvador, que é Jesus. Antes que Ele chegasse, João pregou um batismo de conversão para todo o povo de Israel (Atos dos Apóstolos 13, 22-24). Em verdade, em verdade vos digo o servo não está acima do seu senhor e o mensageiro não é maior que aquele que o enviou. Se sabeis isso e o puserdes em prática, sereis felizes (João 13, 16-17). Em verdade, em verdade vos digo, quem recebe aquele que Eu enviar me recebe a mim; e quem me recebe, recebe aquele que me enviou (João 13, 20). O Pão e o Vinho consagrados são sinal de uma especial presença de Cristo morto e ressuscitado, que se oferece como nosso alimento. Disse Jesus: “Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos, aleluia! (Mateus 28, 20). Paz e Bem! R. Carlos
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

 

- - -

10/05/2017
MINI SERMÃO
Bom dia. Na primeira leitura da Bíblia Sagrada lemos: “A terra estava informe e vazia, as trevas cobriam o abismo e o Espírito de Deus pairava sobre as águas (Gênesis 1, 2). O primeiro mandamento da Lei de Deus ordena-nos que alimentemos e guardemos com prudência e vigilância a nossa fé, rejeitando tudo quanto a ela se opõe. Pode-se pecar contra a fé de vários modos: a dúvida voluntária em relação à fé negligencia ou recusa ter por verdadeiro o que Deus revelou e a Igreja nos propõe para crer. A dúvida involuntária é a hesitação em crer, a dificuldade em superar as objeções relacionadas com a fé, ou ainda a angústia suscitada pela sua obscuridade. Quando deliberadamente cultivada, a dúvida pode levar à cegueira do espírito. Hoje celebramos a 4ª Semana da Páscoa * Escolhidos e enviados por Jesus, nós O apresentamos como a luz capaz de expulsar as trevas dos corações e da sociedade e gerar um dinamismo de libertação e vida para todos. Senhor, eu vos louvarei entre os povos, anunciarei vosso nome aos meus irmãos, aleluia (Salmo 17, 50, 21, 23). A Palavra do Senhor crescia e se espalhava cada vez mais (Atos dos Apóstolos 12, 24). Um dia, enquanto celebrava a Liturgia em honra do Senhor e jejuavam, o Espírito Santo disse: “Separai para mim Barnabé e Saulo, a fim de fazerem o trabalho para qual eu os chamei” Então eles jejuaram e rezaram, impuseram as mãos sobre Barnabé e Saulo e deixaram-nos partir. Enviados pelo Espírito Santo, Barnabé e Saulo chegaram a Salamina, começaram a anunciar a Palavra de Deus nas Sinagogas dos judeus. Eles tinham João como ajudante (Atos dos Apóstolos 13, 2-5). Disse Jesus: “Eu sou a luz do mundo; aquele que me segue não caminha entre as trevas, mas terá a luz da vida (João 8, 12). Jesus exclamou em alta voz: “Quem crê em mim não é em mim que crê, mas naquele que me enviou (João 12, 44). Eu vim ao mundo como luz, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas. Se alguém ouvir as minhas palavras e não as observar, eu não o julgo, porque Eu não vim para julgar o mundo, mas, para salvá-lo. Quem rejeita e não aceita as minhas palavras já tem o seu juiz; a palavra que Eu falei o julgará no último dia (João 12, 46-58). Jesus nos escolhe do meio do mundo e nos convida ao banquete que sustenta nossa caminhada rumo à vida sem fim. Paz e Bem! R. Carlos
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

09/05/2017
MINI SERMÃO
Bom dia. Hoje celebramos a 4ª Semana da Páscoa * Em épocas de perseguições e crises, a Igreja fortalece seu espírito missionário e assim se torna mais viva e comprometida com o projeto de Jesus. A Palavra de Deus forma comunhão entre as pessoas e povos que se abrem a ela, assim como Jesus forma unidade de amor e vida com o Pai. Aqueles que se haviam espalhado por causa da perseguição que se seguiu à morte de Estevão (Atos dos Apóstolos 11, 19). Chegaram a Antioquia e começaram a pregar também aos gregos, anunciando-lhes a boa-nova do Senhor Jesus. E a mão do senhor estava com eles. Muitas pessoas acreditaram no Evangelho e se converteram ao Senhor (Atos dos Apóstolos 11, 20-21). Então enviaram Barnabé. Quando Barnabé chegou e viu a graça que Deus havia concedido, ficou muito alegre e exortou a todos para que permanecessem fieis ao Senhor, com firmeza de coração (Atos dos Apóstolos 11, 22-23). E uma grande multidão aderiu ao Senhor. Então Barnabé partiu à procura de Saulo. Passaram um ano inteiro trabalhando juntos naquela Igreja e instruíram uma numerosa multidão. Em Antioquia os discípulos foram, pela primeira vez, chamados com o nome de Cristãos (Atos dos Apóstolos 11, 24-26). Celebrava-se, em Jerusalém, a festa da Dedicação do Templo. Era inverno (João 10, 22). Jesus disse: “As obras que faço em nome do meu Pai dão testemunho de mim; vós, porém, não acreditais, porque não sois das minhas ovelhas. As minhas ovelhas escutam a minha voz, eu as conheço e elas me seguem. Eu dou-lhes a vida Eterna e elas jamais se perderão. E ninguém vai arrancá-las de minhas mãos (João 10, 25-28). Paz e Bem! R. Carlos

Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão. 

- - -

08/05/2017
MINI SERMÃO
Bom dia! Na primeira leitura da Bíblia Sagrada lemos: “No princípio, Deus criou os céus e a terra” (Gênesis 1, 1). Hoje vamos falar sobre a terra: Já que Deus cria com sabedoria, a criação é ordenada: “Tu dispuseste tudo com medida, número e peso” (Sabedoria 11, 20). Feita no e por meio do Verbo Eterno, “imagem do Deus visível” (Colossenses 1, 15), a criação está destinada, dirigida ao homem, imagem de Deus, chamado a uma relação pessoal com Ele. Nossa inteligência, que participa da luz do intelecto divino, pode entender o que Deus nos diz por sua criação, sem dúvida não sem grande esforço e num espírito de humildade e de respeito diante do Criador e de sua obra. Originada da bondade divina, a criação participa desta bondade: E Deus viu que isto era bom... muito bom” (Gênesis 1, 4.10.12.18.21.31). Pois, a criação é querida por Deus como um dom dirigido ao homem, como uma herança que lhe é destinada e confiada. Referidas vezes, a Santa Igreja Católica teve de defender a bondade da criação. Hoje celebramos a 4ª Semana da Páscoa * Jesus, o bom pastor, doador da vida, acolhe a todos os que d’Ele se aproximam e o buscam. Sua proposta é universal, não conhece barreiras étnicas nem geográficas. A boa-nova da Palavra de Deus não é exclusiva a um grupo, mas, quer alcançar a todas as pessoas, pois a vontade de Deus é que haja um só rebanho e um só pastor. Os apóstolos e os irmãos que viviam na Judeia souberam que também os pagãos haviam acolhido a Palavra de Deus (Atos dos Apóstolos 11, 1). Quando Pedro subiu a Jerusalém, os fieis de origem judaica começaram a discutir com ele, dizendo: “Tu entraste na casa de pagãos e comeste com eles!” (Atos dos Apóstolos 11, 2-3). Pedro disse: “Três homens se apresentaram na casa em que nos encontrávamos. “Tinham sido enviados de Cesareia, à minha procura”. O Espírito me disse que eu fosse com eles sem hesitar. “Seis irmãos me acompanharam e nós entramos na casa daquele homem” (Atos dos Apóstolos 11, 11-12). Então, ele nos contou que tinha visto um anjo apresentar-se em sua casa e dizer: Manda alguém a Jope para chamar Simão, conhecido como Pedro. Ele te falará de acontecimentos que trazem a salvação para ti e para toda a tua família (Atos dos Apóstolos 11, 13-14). Logo comecei a falar. O Espírito Santo desceu sobre eles, da mesma forma que desceu sobre nós no princípio. Então, eu me lembrei do que o Senhor havia dito: João batizou com água, mas, vós sereis batizados no Espírito Santo. Deus concedeu a eles o mesmo dom que deu a nós que acreditamos no Senhor Jesus Cristo (Atos dos Apóstolos 11, 15-17). “Também aos pagãos, Deus concedeu a conversão que leva para a vida!” (Atos dos Apóstolos 11, 18). Jesus disse: “Eu sou bom pastor. O bom pastor dá a vida por suas ovelhas. O  mercenário, que não é pastor e não é dono das ovelhas, vê o lobo chegar, abandona as ovelhas e foge, e o lobo as ataca e dispersa. Pois, ele é apenas um mercenário e não se importa com as ovelhas. Eu sou o bom pastor. Conheço as minhas ovelhas,  e elas me conhecem” (João 10, 11-14). Tenho ainda outras ovelhas que não são deste redil: também a elas devo conduzir; escutarão a minha voz, e haverá um só rebanho e um só pastor (João 10, 16). Paz e Bem! R. Carlos
Obs. Envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e receba em seu e-mail mensagem e apostilas para enriquecer seu conhecimento na caminhada de conversão.

- - -

04/05/2017
MINI SERMÃO
Bom dia! Na primeira página da Bíblia Sagrada lemos: “No princípio, Deus criou os céus e a terra” (Gênesis 1, 1). O fato da existência de Deus é tão visível na criação quanto através da consciência do homem, que a Bíblia chama o ateu de “tolo” (Salmo 14, 1). Assim, a Bíblia nunca tenta provar a existência de Deus; antes, ela supõe a Sua existência desde o início (Gênesis 1, 1). O que a Bíblia faz é revelar a natureza, o caráter e a obra de Deus. Hoje celebramos a 3ª Semana da Páscoa * Em Jesus, ovelha levada ao matadouro, Deus assume a natureza humana e se mostra solidário às pessoas, que podem conhecê-Lo, amá-Lo e participar de Sua vida. Cantemos ao Senhor, Ele se cobriu de glória. O Senhor é a minha força e o meu cântico: foi para mim a salvação, aleluia! (Êxodo 15, 1s). Para suscitar a fé, a Palavra de Deus às vezes necessita de alguém que a interprete. Mestre da Palavra e Pão descido do Céu, Jesus quer que todos sejamos seus discípulos. Um Anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: “Prepara-te e vai para o sul, no caminho que desce de Jerusalém a Gaza. O caminho é deserto. Nisso apareceu um eunuco etíope (Atos dos Apóstolos 8, 26-27). O eunuco tinha ido à peregrinação a Jerusalém. Ele estava voltando para casa, lendo o profeta Isaías. Então o Espírito Santo disse a Filipe: “Aproxima-te desse carro e acompanha-o” (Atos dos Apóstolos 8, 27-29). Filipe perguntou: “Tu compreendes o que estás lendo?” O eunuco respondeu: “Como posso, se ninguém me explica?” A Passagem que o eunuco estava lendo era esta: “Ele foi levado como ovelha ao matadouro; e qual um cordeiro diante do seu tosquiador, ele emudeceu e não abria a boca. Eles o humilharam e lhe negaram justiça; e seus descendentes, quem os poderá enumerar? “Pois, sua vida foi arrancada da terra” (Atos dos Apóstolos 8, 30-33). Então Filipe começou a falar e, partindo dessa passagem da Escritura, anunciou Jesus ao eunuco (Atos dos Apóstolos 8, 35). Chegaram a um lugar onde havia água. Então o eunuco disse a Filipe: “Aqui temos água. O que impede que eu seja batizado?” Os dois desceram para a água e Filipe batizou o eunuco. Quando saíram da água, o Espírito do Senhor arrebatou Filipe (Atos dos Apóstolos 8, 36-39). Filipe foi parar em Azoto. E, passando adiante, evangelizava todas as cidades até chegar a Cesareia (Atos dos Apóstolos 8, 40). Disse Jesus: “Ninguém pode vir a mim se o Pai que me enviou não o atrai. E eu o ressuscitarei no último dia. Está escrito nos profetas: Todos serão discípulos de Deus. Ora, todo aquele que escutou o Pai e por Ele foi instruído vem a mim” (João 6, 44-45). Jesus disse: “Em verdade vos digo, quem crê possui a vida eterna. Eu sou o pão da vida” (João 6, 47-48). Jesus disse: “Eu sou o pão vivo descido do Céu. Quem comer desde pão viverá eternamente. E o pão que eu darei é a minha carne dada para a vida do mundo” (João 6, 50-51). Cristo morreu por todos, para que os que vivem já não vivam para si mesmos, mas para aquele que por Eles morreu e ressuscitou aleluia! (2 Coríntios 5, 15).

- - -

03/05/2017
MINI SERMÃO
Bom dia. Mais um dia que se inicia, mais uma chance que Deus Pai está nos concedendo, motivo de alegria e de comprometermo-nos a sermos melhores do que ontem. Gostaria de saber se você têm lido a Palavra de Deus, a Santa Bíblia. A Bíblia é a Sagrada Escritura, conjunto de livros do Antigo e do Novo Testamento, que contém as Doutrinas que orientam o comportamento dos cristãos. Do grego “biblion” que significa “livro”, “rolo”. A palavra Testamento (em hebraico “berith”) significa aliança, contrato, pacto. Para vivermos bem a nossa vida, temos que ter regras, disciplinas, e nada melhor do que a Sagrada Escritura para nos orientar, nos aconselhar. Faça a experiência de ter o contato diário com a Palavra de Deus, para você ver como irá mudar a sua vida. Hoje celebramos na 3ª Semana da Páscoa a Festa dos Santos Felipe e Tiago, Apóstolos e Mártires. Felipe e Tiago (século I) foram apóstolos de Jesus. A princípio discípulos de João Batista; Filipe foi um dos primeiros seguidores do Mestre. Tiago, chamado menor, é conhecido como “o irmão do Senhor”. Ambos selaram com o martírio seu amor e adesão ao Evangelho de Cristo. Estes são os santos que Deus escolheu no seu amor. Deu-lhes uma glória eterna, Aleluia! São Paulo fala aos Coríntios: irmãos, quero lembrar-vos o Evangelho que vos preguei e que recebestes, e no qual estais firmes. Por ele sois salvos, se o estais guardando tal qual ele vos foi pregado por mim. De outro modo, tereis abraçado a fé em vão (1Coríntios 15, 1-2). Nosso Senhor Jesus Cristo disse a Tomé: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim” (João 14, 6). Nosso Senhor Jesus Cristo falou a Filipe: “Há tanto tempo estou convosco e não me conheces, Filipe?” (João 14, 8). Nosso Senhor Jesus Cristo disse: “Em verdade, em verdade vos digo, quem acredita em mim fará as obras que Eu faço e fará ainda maiores do que estas, pois eu vou para o Pai. E o que pedirdes em meu nome, eu o realizarei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes algo em meu nome, eu o realizarei (João 14, 12-14). Jesus, caminho, verdade e vida, demonstrou seu grande amor ao se doar como alimento para sustentar nossa vida cristã. Amem! Paz e Bem! R. Carlos

 

- - -

 

02/05/2017
MINI SERMÃO
3ª Semana da Páscoa * Buscar Jesus é atitude que deve transcender interesses imediatos. O esforço pelo “alimento duradouro” forma pessoas de fé e cheias do Espírito Santo. Ressuscitou o bom Pastor, que deu a vida por suas ovelhas e quis morrer pelo rebanho, Aleluia! É feliz quem acolhendo a Palavra de Deus, busca nela forças para realizar as obras de Deus e resistir aos poderes que se opõem ao testemunho cristão. Estevão, cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo (Atos dos Apóstolos 6, 8). Mas alguns começaram a discutir com Estevão. Porém não conseguiram resistir à sabedoria e ao Espírito com que ele falava (Atos dos Apóstolos 6, 9-10). Então, subornaram alguns indivíduos que disseram: “Ouvimos este homem dizendo blasfêmias contra Moisés e contra Deus” (Atos dos Apóstolos 6, 11). Apresentaram falsas testemunhas, que diziam: “Este homem não cessa de falar contra este lugar santo e contra a lei” (Atos dos Apóstolos 6, 13). Todos os que estavam sentados no sinédrio tinham os olhos fixos sobre Estevão e viram seu rosto como o rosto de um anjo (Atos dos Apóstolos 6, 15). Afastai-me do caminho da mentira e dai-me a vossa Lei como um presente! Escolhi seguir a trilha da verdade. Diante de mim eu coloquei vossos preceitos (Salmo 118, 3). O homem não vive somente de pão, mas de toda Palavra da boca de Deus (Mateus 4, 4). A multidão constatou que Jesus não tinha subido na barca com os discípulos, mas que eles tinham partido sozinhos (João 6, 22). Quando a multidão viu que Jesus não estava ali nem os seus discípulos, subiram às barcas e foram à procura de Jesus (João 6, 24). Jesus disse: “Esforçai-vos não pelo alimento que se perde, mas pelo alimento que permanece até a vida eterna e que o Filho do homem vos dará. Pois, este é quem o Pai marcou com seu selo” (João 6, 27). Então perguntaram: “Que devemos fazer para realizar as obras de Deus?” Jesus respondeu: “A obra de Deus é que acrediteis n’Aquele que Ele enviou” (João 6, 28-29). Alimentos perenes, a Palavra de Deus e a Eucaristia proporcionam força na fragilidade e alegria no seguimento d’Aquele a quem damos nossa adesão: Nosso Senhor Jesus Cristo. “Eu vos deixo a paz, Eu vos dou a minha paz; Eu vos dou, mas, não como a dá o mundo, diz o Senhor, Aleluia! (João 14, 17). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

28/04/2017
MINI SERMÃO
2ª Semana da Páscoa * Reconhecer o direito dos pobres de receber o pão de que necessitam significa escolher as exigências do amor e pôr-se em sintonia com a obra empreendida por Jesus. Vós nos resgatastes Senhor, pelo vosso sangue, de todas as raças, línguas, povos e nações e fez de nós um reino e sacerdotes para o nosso Deus, aleluia (Apocalipse 5, 9s). Concedei, ó Deus, aos nossos servos e servas a graça da ressurreição, pois quisestes que o vosso Filho sofresse por nós o sacrifício da cruz para nos libertar do poder do inimigo. Assegurar o pão de cada dia a todos é princípio fundamental do projeto de Deus. Ainda que sofra contrariedades, tal compromisso não pode ser anulado. Um fariseu, chamado Gamaliel, levantou-se no sinédrio. Era mestre da Lei e todo o povo o estimava (Atos dos Apóstolos 5, 34). Depois disse: “Homens de Israel, vede bem o que estais para fazer contra esses homens. Algum tempo atrás apareceu Teúdas, que se fazia passar por uma pessoa importante. Depois, ele foi morto e todos os que o seguiam debandaram, e nada restou (Atos dos Apóstolos 5, 35-36). Apareceu Judas, o Galileu, que arrastou o povo atrás de si. Contudo, também ele morreu e todos os seus seguidores se dispersaram (Atos dos Apóstolos 5, 37). Dou-vos um conselho: “Não vos preocupeis com esses homens e deixai-os ir embora. Porque, se esse projeto ou essa atividade é de origem humana, será destruído. Mas, se vem de Deus, vós não conseguireis eliminá-los. Cuidado para não vos pordes em luta contra Deus!” (Atos dos Apóstolos 5, 38-39). Os membros do sinédrio aceitaram o parecer de Gamaliel. Chamaram então os apóstolos, mandaram açoitá-los, proibiram que eles falassem em nome de Jesus, e depois os soltaram  (Atos dos Apóstolos 5, 39-40). Os apóstolos saíram do conselho muito contentes por terem sido considerados dignos de injúrias por causa do nome de Jesus. E cada dia, no Templo, e pelas casas, não cessavam de ensinar e anunciar o Evangelho de Jesus Cristo (Atos dos Apóstolos 5, 41-42). O homem não vive somente de pão, mas, de toda Palavra da boca de Deus (Mateus 4, 4). Jesus foi para outro lado do mar da Galileia, também chamado de Tiberíades. Uma grande multidão o seguia, porque via os sinais que Ele operava a favor dos doentes (João 6, 1-2). Jesus tomou os pães, deu graças e distribuiu-os aos que estavam sentados, tanto quanto queriam. E fez o mesmo com os peixes. Quando todos ficaram satisfeitos, Jesus disse aos discípulos: “Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca!” (João 6, 11-12). Aqueles homens exclamavam: “Este é verdadeiramente o profeta, aquele que deve vir ao mundo”. Mas, quando notou que estavam querendo levá-lo para proclamá-lo Rei, Jesus retirou-se de novo, sozinho, para o monte (João 6, 14-15). “Dos Evangelizadores e profetas de hoje. Dos perseguidos por causa do compromisso com vosso Reino. Dos que repartem o pão com os famintos e lhes devolvem a dignidade. Lembrai-vos Senhor. Demos graças a Cristo, que alimentou os famintos e hoje nos convida a aproximarmo-nos do seu Altar, onde Ele se oferece como alimento. O Cristo Senhor foi entregue por nossos pecados e ressuscitou para nossa justificação, Aleluia!” (Romanos 4, 25)  Paz e Bem! R. Carlos

 

- - -

27/04/2017
MINI SERMÃO
2ª Semana da Páscoa * Juntos com o Espírito Santo testemunhamos que o Pai amou seu Filho e ama a todos os seus filhos e filhas. Descobrindo o amor de Deus, tornamo-nos fortes para enfrentar as tribulações. A obediência a Deus está acima das determinações humanas. Por meio dela, daremos testemunho da verdade e da vida que procedem daquele que foi enviado pelo Pai. O sumo sacerdote começou a interrogá-los, dizendo: “Nós tínhamos proibido expressamente que vós ensinásseis em nome de Jesus. Apesar disso, enchestes a cidade de Jerusalém com a vossa doutrina (Atos dos Apóstolos 5, 27-28). Então Pedro e os outros apóstolos responderam: “É preciso obedecer a Deus antes que aos homens” (Atos dos Apóstolos 5, 29). O Deus de nossos pais ressuscitou Jesus, a quem vós matastes, pregando-o numa cruz. Deus, por seu poder, o exaltou, tornando-o guia supremo e salvador, para dar ao povo de Israel a conversão e o perdão dos seus pecados. E disso somos testemunhas, nós e o Espírito Santo, que Deus concedeu àqueles que lhe obedecem (Atos dos Apóstolos 5, 30-32). Acreditaste, Tomé, porque me viste. Felizes os que creem sem ter visto (João 20, 29). Aquele que vem do Céu está acima de todos (João 3, 31). Quem aceita o seu testemunho atesta que Deus é verdadeiro (João 3, 32). De fato, aquele que Deus enviou fala as Palavras de Deus, porque Deus lhe dá o Espírito Santo sem medida (João 3, 34) Aquele que acredita no Filho possui a vida Eterna. Aquele, porém, que rejeita o Filho não verá a vida, pois, a ira de Deus permanece sobre ele (João 3, 36). É preciso obedecer antes a Deus que os homens; ajudai os fieis a estar sempre atentos e disponíveis para os vossos apelos. Ouvi, Senhor, nossa súplica. Disse Jesus: “Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos, aleluia! (Mateus 28, 20).  Paz e Bem! R. Carlos

- - -

26/04/2017
MINI SERMÃO
2ª Semana da Páscoa * Jesus veio para salvar a humanidade e libertar das trevas os infelizes que gritam a Deus. A boa noticia da ressurreição é anunciada e proclamada com amor e insistência. Senhor, eu vos louvarei entre os povos, anunciarei vosso nome aos meus irmãos, aleluia! (Salmo 17, 50; 21, 23). Os anunciadores do Evangelho não temem os obstáculos da missão, mas confiam naquele que foi enviado para nos iluminar e socorrer. O sumo sacerdote e todos os do seu partido – isto é, o partido dos saduceus – mandaram prender os apóstolos e lançá-los na cadeia pública. Porém, durante a noite, o anjo do Senhor abriu as portas da prisão e os fez sair, dizendo: “Ide falar ao povo, no templo, sobre todo o que se refere a este modo de viver” (Atos dos Apóstolos 5, 17-20). Eles obedeceram e ao amanhecer, entraram no Templo e começaram a ensinar (Atos dos Apóstolos 5, 17-21). Chegou alguém que disse ao sumo sacerdote e todos os do seu partido – isto é, o partido dos saduceus: “Os homens que vós colocastes na prisão estão no Templo ensinando o povo!” (Atos dos Apóstolos 5, 17-26). Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo, seu louvor estará sempre em minha boca. Minha alma se gloria no Senhor; que ouçam os humildes e se alegrem! (Salmo 33, 1). Deus amou tanto o mundo que lhe deu seu próprio Filho, para que todo o que nele crer encontre vida eterna (João 3, 16). De fato, Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por Ele. Quem n’Ele crê não é condenado, mas, quem não crê já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho unigênito (João 3, 16-18). Ora, o julgamento é este: a luz veio ao mundo, mas, os homens preferiram as trevas à luz, porque suas ações eram más (João 3, 19). Quem pratica o mal odeia a luz e não se aproxima da luz, para que suas ações não sejam denunciadas (João 3, 20). Mas, quem age conforme a verdade aproxima-se da luz, para que se manifeste que as suas ações são realizadas em Deus (João 3, 21). Diz o Senhor: “Fui eu que vos escolhi do mundo e enviei para que produzirdes fruto, e o vosso fruto permaneça, aleluia! (João 15, 16-19).  Paz e Bem! R. Carlos

- - -

25/04/2017
MINI SERMÃO
2ª Semana da Páscoa – São Marcos Evangelista * A Igreja Católica Apostólica Romana celebra no dia de hoje o Apostolo São Marcos. Marcos (Líbia, século I) é o autor do primeiro Evangelho a ser escrito, fruto do apanhado da pregação dos Apóstolos sobre os ensinamentos e as ações de Jesus. Seu anúncio tem o objetivo de mostrar que Jesus é o Filho de Deus, iniciando-se e terminando com essa profissão de fé. Ide por todo o mundo e anunciai o Evangelho a todas as criaturas, aleluia! (Marcos 16, 15). Humildade, sobriedade, espírito vigilante e fé são atributos de quem vive conforme os ensinamentos do Evangelho e assume a missão de anunciá-lo. Caríssimos, revesti-vos todos de humildade no relacionamento mútuo, porque Deus resiste aos soberbos, mas, dá a sua graça aos humildes (1 Pedro 5, 5). Lançai sobre Ele toda a vossa preocupação, pois é Ele que cuida de vós (1 Pedro 5, 7). Sede sóbrios e vigilantes (1 Pedro 5, 8). O vosso adversário, o diabo, rodeia como um leão a rugir, procurando a quem devorar. (1 Pedro 5, 8) Resisti-lhe, firmes na fé, certos de que iguais sofrimentos atingem também os vossos irmãos pelo mundo a fora (1 Pedro 5, 9). Deus de toda a graça, que vos chamou para a sua glória eterna em Cristo, vos restabelecerá e vos tornará firmes, fortes e seguros (1 Pedro 5, 10). Saudai-vos uns aos outros com o abraço do amor fraterno. A paz esteja com todos vós que estais em Cristo (1 Pedro 5, 14). É Cristo que anunciamos, Jesus Cristo, o crucificado, poder e sabedoria de Deus (1 Coríntios 1, 23s). Jesus se manifestou aos onze discípulos e disse-lhes: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura! Quem crer e for batizado será salvo. Quem não crer será condenado. Os sinais que acompanharão aqueles que crerem serão estes: expulsarão demônios em meu nome, falarão novas línguas, se pegarem sem serpentes ou beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal algum; quando impuserem as mãos sobre os doentes, eles ficarão curados” (Marcos 16, 15-18). Jesus foi levado ao Céu e sentou-se à direita de Deus (Marcos 16, 19). Os discípulos então saíram e pregaram por toda parte. O Senhor os ajudava e confirmava sua Palavra por meio dos sinais que os acompanhavam (Marcos 16, 20). Cantemos as maravilhas que o Senhor fez à Igreja mediante os Apóstolos e Evangelistas; que saibamos nos alimentar da Eucaristia e dos seus ensinamentos. Paz e Bem! R. Carlos.

- - -

24/04/2017
MINI SERMÃO
2ª Semana da Páscoa * A Liturgia nos convida a renascer diariamente para a vida nova, iluminada e fortalecida pelo Espírito Santo. Somos felizes porque pomos nossa esperança no Senhor. Cristo, ressuscitado dos mortos, já não morre; a morte não tem mais poder sobre Ele, aleluia! (Romanos 6, 9). A oração nos prepara para acolher o Espírito de Deus, que nos torna testemunhas corajosas de Jesus e novas criaturas, capacitadas para participar do Reino dos Céus. Os reis da terra se insurgem e os príncipes conspiram unidos contra o Senhor e contra o seu Messias (Atos dos Apóstolos 4, 26). Agora, Senhor, olha as ameaças que fazem e concede que os teus servos anunciem corajosamente a tua Palavra. Estende a mão para que se realizem curas, sinais e prodígios por meio do nome do teu servo Jesus. (Atos dos Apóstolos 4, 29-30). Todos, então, ficaram cheios do Espírito Santo e anunciavam corajosamente a Palavra de Deus (Atos dos Apóstolos 4, 31). Se com Cristo ressurgistes, procurai o que é do alto, onde Cristo está sentado à direita de Deus Pai (Colossenses 3, 1). Em verdade, em verdade te digo, se alguém não nasce da água e do Espírito, não pode entrar no Reino de Deus (João 3, 5). O vento sopra onde quer e tu podes ouvir o seu ruído, mas não sabes de onde vem nem para onde vai. Assim acontece a todo aquele que nasceu do Espírito (João 3, 8). Felizes os que participam da Eucaristia e buscam alimento no Corpo e Sangue do Senhor. Paz e Bem! R. Carlos

- - -

20/04/2017
MINI SERMÃO
Oitava da Páscoa * Qualquer ação humana que traga mais vida aos oprimidos e sofredores é, além de obra de misericórdia, sinal concreto do acontecimento central da fé cristã: a ressurreição de Jesus. Somos convidados à conversão ao Evangelho e à mudança no pensar e no agir. Com o coração purificado e disposto, reconhecemos o Ressuscitado que age em nosso meio. Vós matastes o autor da vida, mas Deus o ressuscitou dos mortos, e disso nós somos testemunhas (Atos dos Apóstolos 3, 15). Deus, porém, cumpriu desse modo o que havia anunciado pela boca de todos os profetas: que o seu Cristo haveria de sofrer. Arrependei-vos, portanto, e convertei-vos, para que vossos pecados sejam perdoados (Atos dos Apóstolos 3, 18-19). Quem não der ouvido a esse profeta será eliminado do meio do povo (Atos dos Apóstolos 3, 2). Este é o dia que o Senhor fez para nós, alegremo-nos e nele exaltemos! (salmo 117, 24). Jesus apareceu no meio deles e lhes disse: “A paz esteja convosco!” (Lucas 24, 36) Jesus disse: “Por que estais preocupados e por que tendes dúvidas no coração?” (Lucas 24, 38). Depois lhes disse: “São estas as coisas que vos falei quando ainda estava convosco: era preciso que se cumprisse tudo o que está escrito sobre mim na Lei de Moisés, nos profetas e nos salmos” (Lucas 24, 44). Jesus lhes disse: “Assim está escrito: O Cristo sofrerá e ressuscitará dos mortos ao terceiro dia e, no seu nome, serão anunciados a conversão e o perdão dos pecados a toda as nações, começando por Jerusalém. Vós sereis testemunhas de tudo isso” Paz e Bem! R. Carlos

 

- - -

19/04/2017
MINI SERMÃO
Oitava da Páscoa * A convivência, a solidariedade e a partilha são caminhos para reconhecer o Ressuscitado. Ele se faz caminhante com a humanidade desorientada e se identifica com o necessitado. Vinde, benditos de meu Pai: tomai posse do Reino preparado para vós desde o princípio do mundo, aleluia (Mateus 25, 34). Jesus ressuscitado continua falando à comunidade. Ele age por meio dela, fazendo-se presente sempre que se partilha o pão e a vida e se estende a mão aos que sofrem. Naqueles dias, Pedro e João subiram ao Templo para a oração das três horas da tarde (Atos dos Apóstolos 3, 1). Trouxeram um homem, coxo de nascença, na porta do Templo, chamada Formosa, a fim de que pedisse esmolas aos que entravam (Atos dos Apóstolos 3, 2). Quando viu Pedro e João entrando no Templo, o homem pediu esmola. Pedro disse: “Olha para nós!” Pedro então disse: “Não tenho ouro e nem prata, mas, o que tenho eu te dou: em nome de Jesus Cristo, o nazareno, levanta-te e anda!” E pegando-lhe a mão direita, Pedro o levantou. Na mesma gora, os pés e os cotovelos do homem ficaram firmes. Então, ele deu um pulo, ficou de pé e começou a andar. E entrou no Templo junto com Pedro e João, andando, pulando e louvando a Deus. O povo todo viu o homem andando e louvando a Deus (Atos dos Apóstolos 3, 3-9). Glorificai-vos em seu nome que é santo, exulte o coração que busca a Deus! Procurai o Senhor Deus e seu poder, buscai constantemente a sua Face! (Salmo 104, 2). Dois discípulos de Jesus iam para o povoado chamado Emaús (Lucas 34, 13): enquanto conversavam e discutiam, o próprio Jesus se aproximou e começou a caminhar com eles. Os discípulos, porém, estavam como que cegos e não o reconheceram. Então Jesus perguntou: “O que ides conversando pelo caminho?” Eles pararam, com o rosto triste, e um deles, chamado Cléofas, lhe disse: “Tu és o único peregrino em Jerusalém que não sabe o que lá aconteceu nestes últimos dias?” Jesus perguntou: “O que foi?” Os discípulos responderam: “O que aconteceu com Jesus, o nazareno, que foi um profeta poderoso, em obras e palavras, diante de Deus e diante de todo o povo. Nossos sumos sacerdotes e nossos chefes o entregaram para ser condenado à morte e o crucificaram” (Lucas 24, 15-20). Já faz três dias que todas essas coisas aconteceram! (Lucas 24, 21). Então Jesus lhes disse: “Como sois sem inteligência e lentos para crer em tudo o que os profetas falaram! Será que Cristo não devia sofrer tudo isso para entrar na sua glória?” (Lucas 24, 25-26). Quando chegaram perto do povoado para onde iam, Jesus fez de conta que ia mais adiante. Eles, porém, insistiram com Jesus, dizendo: “Fica conosco, pois já é tarde e a noite vem chegando!” Jesus entrou para ficar com eles. Quando se sentou à mesa com eles, tomou o pão, abençoou-o, partiu-o e lhes distribuía. Nisso os olhos dos discípulos se abriram e eles reconheceram Jesus. Jesus, porém, desapareceu da frente deles. Então um disse ao outro: “Não estava ardendo o nosso coração quando ele nos falava pelo caminho e nos explicava as Escrituras?” (Lucas 24, 28-32). Estes confirmaram: “Realmente, o Senhor ressuscitou e apareceu a Simão!” (Lucas 34, 34). A Eucaristia é o memorial da morte e ressurreição de Jesus sob o sinal do pão e do vinho, dados em refeição, em ação de graças e súplica. Os discípulos reconheceram o Senhor Jesus ao partir o pão, aleluia! (Lucas 24, 35). Paz e Bem! R. Carlos

 

- - -

13/04/2017
MINI SERMÃO
Ceia do Senhor * Estamos reunidos para a Ceia que o Senhor celebrou pela última vez com seus discípulos. Nesta Liturgia, que inicia o Tríduo Pascal, lembramos os gestos de amor de Nosso Senhor Jesus Cristo ao instituir a Eucaristia – como nosso alimento e Sua presença permanente entre nós – e o lava-pés, exemplo de serviço e doação que nos deixou. Somos convidados a celebrar a Páscoa de Jesus e cear em sua companhia, permitindo-nos ser amados por Ele até o fim. “A Cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo deve ser a nossa glória: n’Ele está nossa vida e ressurreição; foi Ele que nos salvou e libertou”  (Gálatas 6, 14). Acolhamos a Palavra que nos apresenta a Páscoa dos hebreus, a mais antiga narrativa da última Ceia e o exemplo de Jesus ao lavar os pés dos discípulos. “O Senhor disse a Moisés e a Aarão no Egito: No décimo dia deste mês, cada um tome um cordeiro por família. Se a família não for bastante numerosa para comer um cordeiro, convidará também o vizinho mais próximo, de acordo com o número de pessoas (Êxodo 12, 4). E comereis às pressas, pois é a Páscoa, isto é, a passagem do Senhor! (Êxodo 12, 11) Este dia será para vós uma festa memorável em honra do Senhor, que haveis de celebrar por todas as gerações, como instituição perpétua” (Êxodo 12, 14). O Cálice por nós abençoado é a nossa comunhão com o sangue do Senhor. Que poderei retribuir ao Senhor Deus, por tudo aquilo que Ele fez em meu favor? Elevo o Cálice da minha salvação, invocando o nome Santo do Senhor (Salmo 115). São Paulo aos Coríntios – Irmãos, o que eu recebi do Senhor, foi isso que eu vos transmiti: na noite em que foi entregue, o Senhor Jesus tomou o pão e, depois de dar graças, partiu-o e disse: “Isto é o meu Corpo que é dado por vós. Fazei isto em minha memória”. Do mesmo modo, depois da Ceia, tomou também o cálice e disse: “Este cálice é a nova aliança, em meu Sangue. Todas as vezes que dele beberdes, fazei isto em minha memória. Todas as vezes, de fato, que comerdes deste pão e beberdes deste cálice, estareis proclamando a morte do Senhor, até que Ele venha (1 Coríntios 11,  23-26). Eu vos dou este novo mandamento, nova ordem agora vos dou, que também vos ameis uns aos outros, como Eu vos amei, diz o Senhor (João 13, 34). Era antes da festa da Páscoa. Jesus sabia que tinha chegado a sua hora de passar deste mundo para o Pai; tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim (João 13, 1). Jesus, sabendo que o Pai tinha colocado tudo em suas mãos e que de Deus tinha saído e para Deus voltara (João 13, 3). Pegou uma toalha e amarrou-a na cintura. Derramou água numa bacia e começou a lavar os pés dos discípulos, enxugando-os com a toalha com que estava cingido (João 13, 4-5). Jesus sabia quem o ia entregar; por isso disse: “Nem todos estais limpos” (João 13, 11). E disse aos discípulos: “Compreendeis o que acabo de fazer? Vós me chamais mestre e Senhor e dizeis bem, pois eu o sou. Portanto, se eu, o Senhor e mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros. “Dei-vos o exemplo, para que façais a mesma coisa que Eu fiz” (João 13, 12-15). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

12/04/2017
MII SERMÃO
Semana Santa * O terceiro canto do servo apresenta-o como alguém obediente a Deus e com os traços de profeta: Escuta e anuncia a Palavra. Hoje somos convidados a avaliar nosso relacionamento com o Senhor sob a ótica da traição. Usar da liberdade para promover o bem e a dignidade das pessoas é a melhor forma de estar em sintonia constante com o projeto de Deus, que não tolera a traição. Ao nome de Nosso Senhor Jesus Cristo todo joelho se dobre no Céu, na terra e na mansão dos mortos, pois o Senhor se fez obediente até a morte e morte de Cruz. E por isso Jesus Cristo é Senhor na glória de Deus Pai (Filipenses 2, 10; 8, 11). O Servo fiel não foge ao sofrimento nem desanima diante da perseguição e das decepções, mas se mantém confiante em Deus e firme na missão assumida. O Senhor Deus deu-me língua adestrada, para que eu saiba dizer palavras de conforto à pessoa abatida; Ele me desperta cada manhã e me excita o ouvido, para prestar atenção como um discípulo. O Senhor abriu-me os ouvidos; não lhe resisti nem voltei atrás. Ofereci as costas para me baterem e a face para me arrancarem a barba; não desviei o rosto de bofetões e cusparadas.  Mas, o Senhor Deus é meu auxiliador, por isso não deixei abater o ânimo. Quem é meu adversário? Aproxime-se. Sim, o Senhor Deus é meu auxiliador; quem é que me vai condenar? (Isaias 50, 4.9). Judas Iscariotes foi ter com os sumos sacerdotes e disse: “O que me dareis se vos entregar Jesus?” (Mateus 26, 14.15). O Mestre manda dizer: “O meu tempo está próximo, vou celebrar a Páscoa em tua casa, junto com meus discípulos”. (Mateus 26, 18). Jesus disse: “Em verdade eu vos digo, um de vós vai me trair” (Mateus 26, 21). “Senhor, será que sou eu?” (Mateus 26, 22). Contudo, ai daquele que trair o Filho do homem! Seria melhor que nunca tivesse nascido! (Mateus 26, 24). O Filho do homem veio não para ser servido, mas para servir e dar sua vida para salvação de todos (Mateus 18, 28). Paz e Bem! R. Carlos

 

- - -

11/04/2017
MINI SERMÃO
Semana Santa * O servo apresentado pela leitura de hoje é conhecido de Deus e foi escolhido e chamado antes de nascer. A vocação do servo, portanto, remonta ao início da sua existência. Chamados, desde o ventre materno, a uma missão que se prolonga por toda a vida, vigiemos para não trair a confiança de Deus em nós nem negar nossa condição de discípulos: Missionários de Jesus. Chamados a ser luz no caminho das pessoas, podemos nos tornar trevas quando traímos ou negamos o amor de Deus, que nos chama à vida e à convivência. Porque sois, ó Senhor Deus, minha esperança, em vós confio desde a minha juventude! Sois meu apoio desde antes que eu nascesse, desde o seio maternal, o meu amparo (Salmo 70, 3). Deus não quis poupar seu próprio Filho, mas o entregou por todos nós (Romanos 8, 32). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

10/04/2017
MINI SERMÃO
5ª Semana da Quaresma * Os três primeiros dias da Semana Santa são marcados pela leitura dos cânticos do “Servo do Senhor”. Hoje nos é proposta pelo profeta a figura do servo ungido por Deus para servir. No Evangelho, é a mulher que unge Jesus. Esta semana constitui momento especial de vivência do clima de amor e penitência na comunidade. Contemplemos e sigamos, nestes dias, os últimos passos de Jesus. Compassivo e manso, o servo de Deus não esmorece nem se deixa abater pelos obstáculos, pois, foi ungido para resistir a qualquer dificuldade. “Eis o meu servo – Eu o recebo; eis o meu Eleito – nele se compraz minha alma; pus meu Espírito sobre Ele, Ele promoverá o julgamento das nações” (Isaias 42, 1). “Não esmorecerá nem se deixará abater, enquanto não estabelecer a justiça na terra” (Isaias 42, 4). “Eu o Senhor, te chamei para a justiça e te tomei pela mão” (Isaías 42, 6). “Para abrires os olhos dos cegos, tirar os cativos da prisão, livrar do cárcere os que vivem nas trevas” (Isaías 42, 7). Seis dias antes da Páscoa, Jesus Foi a Betânia, onde morava Lázaro, que Ele havia ressuscitado dos mortos. Ali ofereceram a Jesus um jantar (João 12, 1-2). Maria irmã de Lázaro, tomando quase meio litro de perfume de nardo puro e muito caro, ungiu os pés de Jesus e enxugou-os com seus cabelos (João 12, 3). Judas Iscariotes, um dos discípulos de Jesus, aquele que o havia de entregar, disse: “Porque não se vendeu este perfume por trezentas moedas de prata, para dá-las aos pobres?” Judas falou assim não porque se preocupasse com os pobres, mas porque era ladrão; ele tomava conta da bolsa comum e roubava o que se depositava nela. Jesus, porém disse: Deixa-a; ela faz isto em vista do dia de minha sepultura. “Pobres, sempre os tereis convosco, quanto a mim, nem sempre me tereis” (João 12, 4, 8). Santifique Senhor, vosso povo. Vós que libertais os que vivem nas trevas, livrai vosso povo da ganância e do descaso ao Evangelho, nós vos pedimos. Vós que dais a vida ao mundo, ensinai-nos a respeitar e valorizar a vida, nas suas manifestações, e todas as vossas obras, nós vos pedimos. Vós que passastes pela Cruz, dai ânimo e coragem aos que carregam fardos pesados, aos doentes e todos os que sofrem, nós vos pedimos. Aproxima-se o grande momento da entrega de Jesus. Ele é o ungido de Deus que se doa por amor à humanidade e por fidelidade ao Pai. Não oculteis de mim a vossa face, na hora em que a angústia me invadir; inclinai para mim o vosso ouvido; no dia em que vos chamar, respondei-me (Salmo 101, 3). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

07/04/2017
MINI SERMÃO
5ª Semana da Quaresma * Os ímpios procuram pôr em dificuldades os justos, porque estes o incomodam. Somente em união com Deus os perseguidos conseguem manter suas convicções e seu empenho por um mundo melhor. Tende piedade de mim, Senhor, a angústia me oprime. Libertai-me das mãos dos inimigos e livrai-me daqueles que me perseguem. Não serei confundido, Senhor, porque vos chamo (Salmo 30, 10.16.18). O justo sabe que Deus está ao seu lado e lhe dá forças para resistir às incompreensões e para realizar obras que deem testemunho de fidelidade ao Pai. “Eu ouvi as injúrias de tantos homens e os vi espalhando o medo em redor. Todos os inimigos observam minhas falhas. Mas, o Senhor está ao meu lado como forte guerreiro. Cantai ao Senhor, louvai o Senhor, pois Ele salvou a vida de um pobre homem das mãos dos maus” (Jeremias 20, 10-13). “Ó meu Deus, sois o rochedo que me abriga minha força e poderosa salvação, sois meu escudo e proteção; em vós espero! Invocarei o meu Senhor: a Ele a glória! E dos meus perseguidores serei salvo!” (Salmo 17). Senhor, tuas palavras são espírito, são vida, só tu tens Palavra de vida eterna! (João 6, 63.68). Os judeus pegaram pedras para apedrejar Jesus. E ele lhes disse: “Por ordem do Pai, mostrei-vos muitas obras boas. Por qual delas me quereis apedrejar?” (João 10, 31-32). Então me acusais de blasfêmia quando Eu digo que sou Filho de Deus, Eu a quem o Pai Consagrou e enviou ao mundo? (João 10, 36). Muitos foram ter com Ele e diziam: “João não realizou nenhum sinal, mas tudo o que ele disse a respeito deste homem é verdade”. Muitos ali acreditaram n’Ele (João 10, 41-42). Jesus carregou nossos pecados, em seu corpo, sobre a cruz, a fim de que, mortos para nossas faltas, vivamos para a justiça; fomos curados pelas suas chagas (1 Pedro 2, 24). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

06/04/2017
MINI SERMÃO
5ª Semana da Quaresma * A promessa de Deus começa com Abraão o pai da fé, e culmina com a vinda de Jesus, a suprema manifestação do Pai e o cumpridor perfeito do projeto Divino. Jesus Cristo é o mediador de uma nova aliança, para que, por meio de sua morte, receba os eleitos a herança eterna que lhes foi prometida (Hebreus 9, 15).  Assisti, ó Deus, aqueles que vos suplicam e guardai com solicitude os que esperam em vossa misericórdia, para que, libertos dos nossos pecados, levemos uma vida santa e sejamos herdeiros das vossas promessas. A aliança que Deus fez com Abraão continua nos confirmando na fé. Guardemos no coração a Palavra do Senhor, a qual nos garante a vida sem fim. Procurai o Senhor Deus e seu poder, buscai constantemente a sua face! Lembrai as maravilhas que Ele fez, seus prodígios e as Palavras de seus lábios! (Salmo 104, 1). Naquele tempo Jesus disse aos judeus: “Em verdade, em verdade, eu vos digo, se alguém guardar minhas Palavras, jamais verá a morte” (João 8, 51). Quem me glorifica é o meu Pai, aquele que vós dizeis ser o vosso Deus. No entanto, não o conheceis (João 8, 54-55). Mas eu o conheço e guardo a sua Palavra (João 8, 55). Deus não quis poupar seu próprio Filho, mas o entregou  por todos nós e deu-nos, com Ele, todas as coisas (Romanos 8, 32). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

05/04/2017
MINI SERMÃO
5ª Semana da Quaresma * A proteção de Deus nem sempre é maravilhosa como na história dos três jovens, mas, é sempre real. Somos filhos chamados a realizar obras agradáveis ao Pai. O rei Nabucodonosor tomou a palavra e disse: “É verdade, Sidrac, Misac e Abdênago, que não prestais culto aos meus deuses e não adorais a estátua de ouro que mandei erguer? (Daniel 3, 14). Não há necessidade de te respondermos sobre isso, se o nosso Deus a quem rendemos culto, pode livrar-nos da fornalha de fogo ardente, Ele também poderá libertar-nos de tuas mãos, ó rei (Daniel 3, 16-17). Os soldados mais fortes do exercito foram encarregados de amarrarem Sidrac, Misac e Abdênago e os lançaram na fornalha de fogo ardente. Os três jovens andavam de cá para lá no meio das chamas, entoando hinos a Deus e bendizendo ao Senhor. Mas, o anjo do Senhor tinha descido simultaneamente na fornalha para junto de Sidrac e seus companheiros. O rei Nabucodonosor, tomado de pasmo, perguntou a seus ministros: “Porventura, não lançamos três homens bem amarrados no meio do fogo?” Responderam ao rei: “É verdade, ó rei”. Disse este: “Mas, eu estou vendo quatro homens andando livremente no meio do fogo, sem sofrerem nenhum mal, e o aspecto do quarto homem é semelhante ao de um filho de Deus.” Exclamou Nabucodonosor: “Bendito seja o Deus de Sidrac, Misac e Abdênago, que enviou seu anjo e libertou seus servos, que puseram nele sua confiança e transgrediram o decreto do rei, preferindo entregar suas vidas a servir e adorar qualquer outro deus que não fosse o seu Deus – Palavra do Senhor (Daniel 3, 20. 24.49.91-92.95). Felizes os que observam a Palavra do Senhor de reto coração e que produzem muitos frutos, até o fim perseverante! (Lucas 8, 15). Jesus disse aos judeus que n’Ele tinham acreditado: “Se permanecerdes na minha Palavra, sereis verdadeiramente meus discípulos, conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (João 8, 31-32). Jesus disse: “Em verdade, em verdade vos digo, todo aquele que comete pecado é escravo do pecado (João 8, 34). Disse Jesus: “Se Deus fosse vosso Pai, vós certamente me amaríeis, porque de Deus é que eu saí e vim. “Não vim por mim mesmo, mas foi Ele que me enviou” (João 8, 42). Paz e Bem! R. Carlos 

 

- - -

04/04/2017
MINI SERMÃO 
5ª Semana da Quaresma * Um olhar de fé pode trazer a salvação. Olhando com fé Jesus na Cruz, descobrimos quem Ele é. Não esqueçamos os que, de muitas formas, continuam sendo “crucificados” em nosso tempo. Espera no Senhor e sê corajoso! Fortifique-se teu coração; espera no Senhor! (Salmo 26, 14). Concedei-nos, ó Senhor, perseverar no vosso serviço para que, em nossos dias, cresça em número e santidade o povo que vos serve. Já não é a serpente de bronze, mas, é o Crucificado que dá vida a todos os que buscam com fé. As verdades da terra e do Céu encontram-se na Cruz. Naqueles dias, os filhos de Israel partiram do Monte Hor (Números 21, 4). Durante a viagem, o povo começou a impacientar-se e se pôs a falar contra Deus e contra Moisés (Números 21, 4-5). Então o Senhor mandou contra o povo serpentes venenosas, que os mordiam; e morreu muita gente em Israel. O povo foi ter com Moisés e disse: “Pecamos, falando contra o Senhor e contra ti. Roga ao Senhor que afaste de nós as serpentes”. Moisés intercedeu pelo povo, e o Senhor respondeu: “Faze uma serpente abrasadora e coloca-a como sinal sobre uma haste; aquele que for mordido e olhar para ela viverá. Moisés fez uma serpente de bronze e colocou-a como sinal sobre uma haste. Quando alguém era mordido por uma serpente e olhava para a serpente de bronze, ficava curado (Números 21, 6-90). Ouvi, Senhor, e escuta minha oração, e chegue até vós o meu clamor! De mim não oculteis a vossa face no dia em que estou angustiado! Inclinai o vosso ouvido para mim; ao invocar-vos, atendei-me sem demora! (Salmo 101, 1). Naquele tempo disse Jesus aos fariseus: Morrereis no vosso pecado (João 8, 21). Vós sois deste mundo, eu não sou deste mundo. Disse-vos que morrereis nos vossos pecados, porque, se não acreditais que eu sou, morrereis nos vossos pecados (João 8, 23-24). Aquele que me enviou está comigo. Ele não me deixou sozinho, porque sempre faço o que é do seu agrado (João 8, 29). Paz e Bem! R. Carlos

 

- - -

 

03/04/2017

 

MINI SERMÃO 

 

5ª Semana da Quaresma * Diante de erros reais ou presumidos, o primeiro impulso, normalmente, é a condenação. Jesus nos convida a olhar para as nossas próprias fraquezas antes de condenarmos os outros. “Tende piedade de mim, Senhor, pois me atormentam; todos os dias me oprimem os agressores” (Salmo 55, 2). Não raro os que deveriam zelar pela Justiça são os primeiros a desrespeitá-la. Em Jesus, nosso pastor, encontra segurança tanto o inocente injustiçado como o pecador oprimido. Na Babilônia vivia um homem chamado Joaquim, casado com uma mulher chamada Susana; os pais dela eram pessoas justas e tinham educado a filha de acordo com a Lei de Moisés (Daniel 13, 3). Dois anciões ficaram apaixonados por Susana, ficaram desnorteados, a ponto de desviarem os olhos para não olharem para o Céu, e se esqueceram dos seus justos julgamentos (Daniel 13, 9). Susana disse: “Mas é melhor para mim, não o fazendo, cair nas vossas mãos do que pecar diante do Senhor!” (Daniel 17, 23). Ela entre lágrimas, olhou para o Céu, pois seu coração tinha confiança no Senhor (Daniel 17, 35). Susana, porém, chorando disse em alta voz: “Ó Deus Eterno, que conheces as coisas escondidas e sabes tudo de antemão, antes que aconteça! Tu sabes que é falso o testemunho que levantaram contra mim! Estou condenada a morrer, quando nada fiz do que estes maldosamente inventaram a meu respeito! O Senhor escutou a sua voz. Enquanto a levavam para a execução, Deus excitou o Santo Espírito de um adolescente de nome Daniel. E ele clamou em alta voz: “Sou inocente do sangue dessa mulher!” (Daniel 17, 42-46). E assim mataram os dois anciões, enquanto, naquele dia, era salva uma vida inocente (Daniel 17, 62). Os mestres da Lei e os fariseus disseram a Jesus: “Mestre, esta mulher foi surpreendida em flagrante adultério. Moisés na Lei mandou apedrejar tais mulheres. Que dizes Tu?” Jesus disse: “Quem dentre vós não tiver pecado seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra”. Eles, ouvindo o que Jesus falou, foram saindo um a um; Jesus ficou sozinho com a mulher. Então Jesus se levantou e disse: ”Mulher, onde estão eles? Ninguém te condenou?” Ela respondeu: “Ninguém Senhor”. Então Jesus lhe disse: “Eu também não te condeno. “Podes ir e, de agora em diante, não peques mais” (João 8, 1-11). Paz e Bem! R. Carlos

 

- - -

 

02/04/2017

 

MINI SERMÃO 

 

5ª Semana da Quaresma * O Espírito de Deus mora em nós e nos conduziu a esta celebração, a fim de nos desvencilhar dos laços que nos prendem à descrença e ao egoísmo. Com Marta e Maria, professemos nossa fé em Cristo Jesus, Ressurreição e Vida plena para todos os que se deixam iluminar por sua Palavra e se alimentam com a Eucaristia. Acolhamos a Palavra de Deus, a qual liberta os que estão sob o jugo da morte, nos instrui sobre a presença do Espírito Santo em nós e nos faz contemplar Jesus como a Ressurreição e a Vida. Assim fala o Senhor Deus: Porei em vós o meu Espírito, para que vivais, e vos colocarei em vossa terra. Então sabereis que Eu, o Senhor, digo e faço – oráculo do Senhor (Ezequiel 37, 14). Assim fala São Paulo aos Romanos: Irmãos, os que vivem segundo a carne não podem agradar a Deus. Vós não viveis segundo a carne, mas, segundo o Espírito, se realmente o Espírito de Deus mora em vós. Se alguém não tem o Espírito de Cristo, não pertence a Cristo. Se, porém, Cristo está em vós, embora vosso corpo esteja ferido de morte por causa do pecado, vosso espírito está cheio de vida, graças à justiça. (Romanos 8, 8-10). Nosso Senhor Jesus Cristo diz: Eu sou a ressurreição, Eu sou a vida. Quem crê em mim não morrerá eternamente (João 11, 25s). “Senhor, aquele que amas está doente”. Ouvindo isso, Jesus disse: “Esta doença não leva à morte; ela serve para a glória de Deus, para que o Filho de Deus seja glorificado por ela” (João 11, 3-4). Se alguém caminha de dia, não tropeça, porque vê a luz deste mundo. Mas, se alguém caminha de noite, tropeça, porque lhe falta a luz (João 11, 9-10). Quando Marta soube que Jesus tinha chegado, foi ao encontro d’Ele.  “Senhor, se tivesses estado aqui, meu irmão não teria morrido. Mas, mesmo assim, eu sei que o que pedires a Deus, Ele te concederá.” Respondeu Jesus: “Teu irmão ressuscitará”. Disse Marta: “Eu sei que ele ressuscitará na ressurreição, no último dia”. Então, Jesus disse: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, mesmo que tenha morrido, viverá. E todo aquele que vive e crê em mim não morrerá jamais. Crê isto?” (João 11, 20-26). Marta disse a Maria: “O Mestre está aí e te chama”. Quando Maria ouviu isso, levantou-se depressa e foi ao encontro de Jesus (João 11, 29). Indo ao lugar onde estava Jesus, quando o viu, caiu de joelhos diante d’Ele e disse: “Senhor, se tivesses aqui meu irmão não teria morrido” (João 11, 32). E Jesus chorou (João 11, 35). “Vede como Ele o amava!” (João 11, 36). “Não te disse que, se creres, verás a glória de Deus?” (João 11, 40). Jesus levantou os olhos para o alto e disse: “Pai, eu te dou graças porque me ouviste. Eu sei que sempre me escutas. Mas, digo isso por causa do povo que me rodeia, para que creia que tu me enviaste” Tendo dito isso, exclamou com voz forte: “Lazaro, vem para fora!” O morto saiu (João 11, 41-44). Então muitos creram em Jesus (João 11, 45). Paz e Bem! R. Carlos

 

- - -

 

01/04/2017

 

MINI SERMÃO

 

4ª Semana da Quaresma * Embora tenham o reconhecimento de muitos, as testemunhas do Reino de Deus podem vir a sofrer oposições e julgamentos injustos, restando-lhes confiar na justiça Divina. Ninguém jamais nos falou como Jesus. Ouvindo as leituras, reconheçamos o Cristo que nos ensina a procurar em Deus nosso refúgio e proteção. Senhor avisaste-me e eu entendi; fizeste-me saber as intrigas deles. Eu era como manso cordeiro levado ao sacrifício e não sabia que tramavam contra mim (Jeremias 11, 18-19). E tu, Senhor dos exércitos, que julgas com justiça e perscrutas os afetos do coração, concede que eu veja a vingança que tomarás contra eles, pois eu te confiei a minha causa (Jeremias 11, 20). Senhor meu Deus, em vós procuro refúgio: vinde salvar-me do inimigo, libertai-me! (Salmo 7). Felizes os que observam a Palavra do Senhor de reto coração  e que produzem muitos frutos até o fim perseverantes! (Lucas 8, 5). Naquele tempo, ao ouvirem as Palavras de Jesus, algumas pessoas da multidão diziam: “Este é, verdadeiramente, o profeta” (João 7, 40). Não diz a Escritura que o Messias será da descendência de Davi e virá de Belém, povoado de onde era Davi? (João 7, 42). Os guardas responderam: “Ninguém jamais falou como este homem” (João 7, 46). Nicodemos, porém, um dos fariseus, aquele que se tinha encontrado com Jesus anteriormente, disse: “Será que a nossa lei julga alguém antes de ouvi-lo e saber o que ele fez? (João 7, 50-51). Senhor, dai-nos crescer na arte do diálogo sereno e respeitoso, que nos ajuda a conviver com as indiferenças. Senhor, abençoe as famílias que procuram viver em contínua conversão e harmonia. Senhor faça que a fé em Nosso Senhor Jesus Cristo seja fator de respeito e entendimento entre grupos religiosos. Senhor, fortaleça nossa fé e nosso compromisso com o vosso Reino no serviço à comunidade. Jesus é o nosso Cordeiro que foi levado ao matadouro e se ofereceu como nosso alimento na Eucaristia. Pelo sangue precioso de Cristo, Cordeiro sem mancha e sem defeito foi resgatado (1 Pedro 1, 19). Paz e Bem! R. Carlos

 

- - -

 

31/03/2017

 

MINI SERMÃO

 

4ª Semana da Quaresma * A oposição aos construtores do Reino de Deus é, por vezes, contínua e calculada. Isso, porém, não deve impedi-los de seguir firmes na missão de livrar a humanidade do mal. O Senhor está perto de todo aquele que sofre as consequências de conhecer a Ele e seu projeto de salvação e, por isso, testemunhar a justiça. Dizem entre si os ímpios, em seus falsos raciocínios: Armemos ciladas ao justo, porque sua presença nos incomoda: ele se opõe ao nosso modo de agir, repreende em nós as transgressões da Lei e nos reprovam as faltas contra a nossa disciplina (Sabedoria 2, 1.12). Foge de nossos caminhos como de impurezas; proclama feliz a sorte final dos justos e gloria-se de ter a Deus por Pai (Sabedoria 2, 16). Se, de fato, o justo é filho de Deus, Deus o defenderá e o livrará das mãos dos seus inimigos (Sabedoria 2, 18). Vamos pô-lo à prova com ofensas e torturas, para ver a sua serenidade e provar a sua paciência (Sabedoria 2, 19). Tais são os pensamentos dos ímpios, mas, enganam-se; pois a malícia os torna cegos, não conhecem os segredos de Deus, não esperam recompensa para a santidade e não dão valor ao prêmio reservado às vidas puras (Sabedoria 2, 21-22). O Senhor volta a sua face contra os maus, para da terra apagar sua lembrança. Clamam os justos, e o Senhor bondoso escuta e de todas as angústias os liberta (Salmo 33, 1). O homem não vive somente de pão, mas, de toda Palavra da boca de Deus (Mateus 4, 4). Jesus andava percorrendo a Galileia. Evitava andar pela Judeia, porque os judeus procuravam matá-lo (João 7, 1). Ele subiu para a festa, não publicamente, mas sim como que às escondidas (João 7, 10). Jesus, que veio do Pai e em tudo foi fiel a ele, alimentou-nos com sua Palavra e vai nos alimentar com seu Corpo e Sangue. Temos a redenção em Cristo pelo seu sangue e, pela riqueza de sua graça, o perdão dos pecados (Efésios 1, 7). Paz e Bem! R. Carlos

 

- - -

 

30/03/2017

 

MINI SERMÃO

 

4ª Semana da Quaresma * Figura de Cristo, Moisés é solidário com o povo e intercede a Deus em favor deles. Deus marca presença na história humana pela Escritura e pelo testemunho dos que agem em nome de Jesus. Diante de nossas fraquezas e infidelidades, resta-nos deixar a Palavra encontrar morada em nós e invocar: Lembrai-vos de nós, Senhor, segundo o amor para com vosso povo. O Senhor falou a Moisés: “Bem depressa se desviaram do caminho que lhe prescrevi” (Êxodo 32, 8). Vejo que este é um povo de cabeça dura (Êxodo 32, 9).  Deus amou tanto o mundo, que lhe deu seu próprio Filho, para que todo o que n’Ele crer encontre vida eterna (João 3, 6). Disse Jesus: “As obras que eu faço dão testemunho de mim, mostrando que o Pai me enviou. E também o Pai que me enviou dá testemunho a meu favor (João 5, 36-37). Mas, não quereis vir a mim para ter a vida eterna! (João 5, 40). Eu vim em nome do meu Pai, e vós não me recebeis (João 5, 43). Buscai a glória que vem do único Deus? (João 5, 44). Lembrai-vos de nós, ó Senhor, a fim de que os cristãos sempre mais se abram à verdade da Palavra de Deus e se desapeguem de maneiras de pensar e agir contrários ao Evangelho. Gravarei neles a minha Lei, hei de escrevê-la em seus corações. Eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo (Jeremias 31, 33). Paz e Bem! R. Carlos 

 

- - -

 

29/03/2017

 

MINI SERMÃO 

 

4ª Semana da Quaresma *Temos por missão fazer as pessoas sair das trevas que as rodeiam por meio da escuta da Palavra de Jesus, o qual compartilha com o Pai do amor e do cuidado pela vida de toda a criação. O amor de Deus supera o amor da mãe pelo filho. A obra fundamental de Jesus é revelar esse amor do Pai pela humanidade, transmitindo-lhe vida Divina. “Eu atendo teus pedidos com favores e te ajudo na obra de salvação; preservei-te para seres elo de aliança entre os povos (Isaías 49, 8). Para dizer aos que estão presos: “Saí!” e aos que estão nas trevas: “Mostrai-vos” (Isaías 49, 9). Louvai, ó Céus, alegra-te, terra; montanha faça ressoar o louvor, porque o Senhor consola o seu povo e se compadece dos pobres (Isaías 49, 13). É justo o Senhor em seus caminhos, é Santo em toda obra que Ele faz. Ele está perto da pessoa que o invoca, de todo aquele que o invoca lealmente (Salmo 144, 3). Disse Jesus: “Eu sou a Ressurreição, eu sou a Vida; quem crê em mim, ainda que morra, viverá (João 11, 25s). “Meu Pai trabalha sempre, portanto também eu trabalho” (João 5, 17). O que o Pai faz, o Filho o faz também (João 5, 19). Assim como o Pai ressuscita os mortos e lhes dá a vida, o Filho também dá a vida a quem Ele quer (João 5, 21). Em verdade, em verdade vos digo: quem ouve a minha Palavra e crê n’Aquele que me enviou possui a vida eterna. Não será condenado, pois já passou da morte para a vida (João 5, 24). Aqueles que fizeram o bem ressuscitarão para a vida; e aqueles que praticaram o mal, para a condenação. Eu não posso fazer nada por mim mesmo. Eu julgo conforme o que escuto, e meu julgamento é justo, porque não procuro fazer a minha vontade, mas a vontade d’Aquele que me enviou (João 5, 29-30). Deus não enviou seu Filho para julgar o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por Ele (João 3, 17). Paz e Bem! R. Carlos

 

- - -

 

28/03/2017

 

MINI SERMÃO

 

4ª Semana da Quaresma *Símbolo do nosso batismo, a água sacia a sede, limpa e traz saúde. Ela é sinal de bênção e de vida, quando é preservada e valorizada e não se torna fonte de exploração. Conosco está o Senhor do universo! O nosso refúgio é o Deus de Jacó! Vinde ver, contemplai os prodígios de Deus e a obra estupenda que fez no universo (Salmo 45, 3). Crie em mim um coração que seja puro dai-me de novo a alegria de ser salvo (Salmo 50, 12-14). Houve uma festa dos Judeus, e Jesus foi a Jerusalém (João 5, 1). Aí se encontrava um homem que estava doente havia trinta e oito anos. Jesus viu o homem deitado e, sabendo que estava doente há tanto tempo, disse-lhe: “Queres ficar curado?” (Lucas 5, 5-6). Jesus disse: “Levanta-te, pega a tua cama e anda”. No mesmo instante, o homem ficou curado, pegou a sua cama e começou a andar (João 5, 9). Jesus encontrou o homem no Templo e lhe disse: “Eis que estás curado. Não voltes a pecar, para que não te aconteça coisa pior” (João 5, 14). O Senhor é nosso refúgio e vigor; na fome a na sede, sacia-nos com o seu Corpo e o seu Sangue. O Senhor é meu Pastor, nada me falta; em verdes pastagens me faz repousar. Ele me leva até águas tranquilas e refaz as minhas forças (Salmo 22, 1s). Paz e Bem! R. Carlos 

 

- - -

 

27/03/2017

 

MINI SERMÃO 

 

4ª Semana da Quaresma * Os novos Céus e a nova terra são uma realidade futura que requer o nosso compromisso no presente. A fé em Jesus nos leva a concretizar esse sonho de Deus, que deve ser também o nosso. Confio em Vós, ó Deus! Alegro-me e exulto em vosso amor, pois olhastes, Senhor, minha miséria (Salmo 30, 7). Acolhamos o anúncio do despontar de um tempo novo de esperança e alegria. A fé na Palavra de Deus torna-nos colaboradores das promessas Divinas. Assim fala o Senhor: “Eis que eu criei novos céus e nova terra, coisas passadas serão esquecidas, não voltarão mais à memória (Isaías 65, 17). Alegro-me com o meu povo; ali nunca mais se ouvirá a voz do pranto e o grito de dor (Isaías 65, 19). Eu vos exalto, ó Senhor, pois me livrastes e não deixastes rir de mim meus inimigos! Vós tirastes minha alma dos abismos e me salvastes quando estava já morrendo! (Salmo 29). Buscai o bem, não o mal, pois assim vivereis; então o Senhor, nosso Deus, convosco estará (Amós 5, 14). Quando então Jesus chegou a Galileia, os galileus receberam-no bem, porque tinham visto tudo o que Jesus havia feito em Jerusalém durante a festa (João 4, 45). Assim, Jesus voltou para Caná da Galileia, onde havia transformado a água em vinho (João 4, 46). Havia em Cafarnaum um funcionário do rei que tinha um filho doente. Ouviu dizer que Jesus tinha vindo da Judeia para a Galileia. Ele saiu ao seu encontro e pediu-lhe que fosse a Cafarnaum curar seu filho, que estava morrendo (João 4, 46-47). Jesus lhe disse: “Podes ir, teu filho está vivo”. O homem acreditou na palavra de Jesus e foi embora. Enquanto descia para Cafarnaum, seus empregados foram ao seu encontro, dizendo que o filho dele estava vivo. O funcionário perguntou a que horas o menino tinha melhorado. Eles responderam: “A febre desapareceu, ontem, pela uma da tarde”. O pai verificou que tinha sido exatamente na mesma hora em que Jesus lhe havia dito: “Teu filho está vivo”. Então, ele abraçou a fé juntamente com toda a sua família (João 4, 50-53). Jesus em Caná converteu água em vinho; mediante a ação litúrgica, o pão e o vinho serão convertidos no Corpo e Sangue de Cristo. Eu colocarei em vós o meu espírito e vos farei andar nos meus preceitos, obedecer à minha Palavra e pô-la em prática (Ezequiel 36, 27). Paz e Bem! R. Carlos

 

- - -

 

24/03/2017

 

MINI SERMÃO 

 

3ª Semana da Quaresma * Vida e culto não são duas realidades independentes ou opostas, mas, ambas se fundem no amor. Amar o Senhor: quem se volta para Ele com todo o ser e se importa com o bem do próximo. Senhor, não há entre os deuses nenhum que se vos compare, porque sois grande e fazeis maravilhas: só Vós, Senhor, sois Deus (Salmo 85, 8.10). A base da vida cristã é amar a Deus e aos irmãos. As práticas desses mandamentos demonstram que andamos nos caminhos de Deus e não dos ídolos. Assim fala o Senhor Deus: “Voltai, Israel, para o Senhor, teu Deus, porque estavas caído em teu pecado (Oseias 14, 2). Hei de curar sua perversidade e me será fácil amá-los (Oseias 14, 5). São retos os caminhos do Senhor e por eles andam os justos, enquanto os maus ali tropeçam e caem (Oseias 14, 10). Em teu meio não exista um deus estranho, nem adores a um deus desconhecido! Porque Eu sou Deus e teu Senhor, que da terra do Egito te arranquei (Salmo 80, 3). Convertei-vos, nos diz o Senhor, está próximo o Reino de Deus! (Mateus 4, 17). Um escriba aproximou-se de Jesus e perguntou: “Qual é o primeiro de todos os Mandamentos?” Jesus respondeu: “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e com toda a tua força!” O segundo Mandamento é: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo!" “Não existe outro mandamento maior do que estes” (Marcos 12, 28,34). Tendo escutado o apelo da Palavra de Deus para que amemos o Senhor, somos convidados ao banquete Eucarístico para sermos fiéis ao Amor. Amar a Deus de todo o coração e ao próximo como a si mesmo vale mais que todos os sacrifícios (Marcos 12, 33). Paz e Bem! R. Carlos

 

- - -

 

23/03/2017

 

MINI SERMÃO

 

3ª Semana da Quaresma * Não reconhecer Jesus como o portador de um prodígio de salvação significa recusar a voz e a correção de Deus. A Liturgia nos convida a acolher os apelos Divinos, fazendo opção por Jesus. Abramos os ouvidos e o coração à Palavra que será proclamada, a qual nos mostra os caminhos do Senhor e a presença do Reino entre nós. Assim fala o Senhor: “Ouvi a minha voz, assim serei o vosso Deus e vós sereis o meu povo; e segui adiante por todo o caminho que Eu vos indicar para serdes felizes”. “Mas eles não ouviram e não prestaram atenção; ao contrário, seguindo as más inclinações do coração, andaram para trás e não para frente” (Jeremias 7, 23-28). Vinde, adoremos e prostremos por terra, e ajoelhemos ante o Deus que nos criou! Porque Ele é nosso Deus, nosso Pastor, e nós somos o seu povo e seu rebanho, as ovelhas que conduz com sua mão (Salmo 94). Voltai ao vosso Deus; Ele é bom, compassivo e clemente (Joel 2, 12s). Jesus estava expulsando um demônio que era mudo. Quando o demônio saiu, o mudo começou a falar e as multidões ficaram admiradas (Lucas 11, 14). Jesus conhecendo seus pensamentos (Lucas 14, 17), disse: “Todo reino dividido contra si mesmo será destruído; e cairá uma casa por cima da outra” (Lucas 14, 17). “Quem não está comigo está contra mim. E quem não recolhe comigo dispensa” (Lucas 14, 23). Vós nos dais Senhor, os vossos preceitos para que sejam observados fielmente. Possam os meus passos orientar-se no cumprimento de vossa justiça (Salmo 118, 4s). Paz e Bem! R. Carlos

 

- - -

 

22/03/2017

 

MINI SERMÃO

 

3ª Semana da Quaresma * O conhecimento e a prática dos mandamentos nos proporcionam vida, sabedoria e a participação nas promessas Divinas. Eles apresentam todo o plano de salvação e são expressão de amor de Deus. Orientai meus passos, Senhor, segundo a vossa Palavra, e que o mal não domine sobre mim (Salmo 118, 133). Não deixemos escapar do coração nada do que nos é ensinado acerca da Lei de Deus, transmitida ao povo por Moisés e cumprida plenamente por Jesus. Ouve as Leis e os Decretos que eu vos ensino a cumprir, para que, fazendo-o, vivais e entreis na posse da terra prometida que o Senhor Deus de vossos pais vos vai dar. Eis que vos ensinei Leis e Decretos conforme o Senhor meu Deus me ordenou, para que os pratiqueis na terra. Vós os guardareis, pois, e os poreis em prática, porque neles está vossa sabedoria e inteligência perante os povos. Mas, toma cuidado! Procura com grande zelo não te esqueças de tudo o que viste com os próprios olhos e nada deixes escapar do teu coração por todos os dias de tua vida; antes, ensina-o a teus filhos e netos (Deuteronômio 4, 1.5-9). Senhor, tuas Palavras são espírito, são vida; só tu tens Palavras de vida eterna! (João 6, 63-68). Portanto, quem desobedecer a um só desses Mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo será considerado o menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus (Mateus 5, 17-19). Glorifiquemos o Senhor e cantemos louvores ao nosso Deus, pois preparou uma mesa aos quais todos são convidados. Paz e Bem! R. Carlos

 

- - -


21/03/2017
VMINI SERMÃO
3ª Semana da Quaresma * Sejamos acolhidos no Reino anunciado por Jesus, onde não há limites para o perdão. A compaixão, a misericórdia e a benevolência de Deus são o critério que deve orientar a vida na comunidade. As leituras nos inspiram a pedir que Deus seja clemente com seu povo e nos ensina a estender aos outros o perdão que d’Ele recebemos. E Tu faças que nós Te sigamos até o fim; não se sentirá frustrado quem põe em Ti sua confiança. De agora em diante, queremos de todo coração, seguir-te, temer-te, buscar tua face; não nos deixeis confundidos, mas tratai-nos segundo a tua imensa misericórdia; liberta-nos com o poder de tuas maravilhas e torna teu nome glorificado, Senhor (Daniel 3, 40-43). Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos e fazei-me conhecer a vossa estrada! Vossa verdade me oriente e me conduza, porque sois o Deus da minha salvação (Salmo 24, 1). Voltai ao Senhor, vosso Deus; Ele é bom, compassivo e clemente (Jl 2, 12s). Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: “Senhor, quantas vezes devo perdoar se meu irmão pecar contra mim?” Jesus lhe disse: “Deve perdoar setenta vezes sete” (Mateus 18, 25, 34-43). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

20/03/2017
MINI SERMÃO 
3ª Semana da Quaresma * Hoje nós Católicos celebramos o dia de São José, esposo de Maria Santíssima, e pai adotivo de Nosso Senhor Jesus Cristo. José – Palestina, século 1º - assumiu na fé a missão de acompanhar e proteger sua esposa, Maria, e o Filho de Deus, Jesus, do qual era pai adotivo. Foi o homem justo e fiel que Deus pôs como guarda de sua casa. É o padroeiro da Igreja Católica e o protetor das famílias. Eis o servo fiel e prudente a quem o Senhor confiou a sua casa (Lucas 12, 42). Os projetos de Deus são realizados por pessoas de fé compromissadas com sua vontade, a exemplo de Abraão, nosso pai na fé, e José, descendente de Davi e pai adotivo de Jesus. Felizes os que habitam vossa casa, para sempre eles hão vos louvar! (Salmo 83, 5). Maria Santíssima ficou grávida pela ação do Espírito Santo. José, seu marido, era justo e, não querendo denunciá-la, resolveu abandonar Maria em segredo. Eis que o Anjo do Senhor aparece em sonho e lhe disse: José, filho de Davi, não tenha medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho e tu lhe darás o nome de Jesus, pois Ele vai salvar o seu povo dos seus pecados. Quando acordou, José fez conforme o Anjo do Senhor havia mandado (Mateus 1, 18-24). Demos graças a Deus pela vida e missão de São José, pai adotivo de Jesus e servo prudente que aceitou Maria Santíssima por esposa. Servo bom e fiel entra na alegria do teu Senhor. (Mateus 25,21). Paz e Bem! R. Carlos

 

- - -

17/03/2017
MINI SERMÃO 
2ª Semana da Quaresma * Avesso ao espírito de competição, exploração e falta de fraternidade, o cristão colabora com o Reino de Deus, gerando frutos de vida e liberdade para o povo. Senhor, a Vós recorro, que eu não seja confundido para sempre. Vós me tirais do laço que me amarra, Vós sois meu protetor. Concedei-nos, ó Deus todo-poderoso, que, purificados pelo esforço da penitência, cheguemos de coração sincero às festas da Páscoa que se aproximam. A inveja e a cobiça têm o poder de prejudicar vidas inocentes, rebaixá-las à condição de objeto e até mesmo levá-las à morte. Vendo os irmãos de José que o pai o amava mais do que a todos eles, odiavam-no e já não lhes podiam falar pacificamente (Gênesis 37, 4). Tramaram a sua morte (Gênesis 37, 18). Rúben, um de seus irmãos, porém, ouvindo isso, disse-lhes: “Não lhe tiremos a vida!” (Gênesis 37, 21-22). Dizia isso porque queria livrá-lo das mãos deles e devolvê-lo ao pai (Gênesis 37, 22). Não devemos manchar nossas mãos, pois ele é nosso irmão (Gênesis 37,27). Deus tanto amou o mundo, que lhe deu seu próprio Filho, para que todo o que nele crer encontre a vida eterna (João 3, 16). Jesus disse: “Por isso eu vos digo, o Reino de Deus vos será tirado e será entregue a um povo que produzirá frutos” (Mateus 21, 43). Demos graças a Deus por todos aqueles que sonham e se comprometem com um mundo plenamente humano e fraterno. Deus nos amou e enviou seu Filho, redenção pelos nossos pecados (1 João 4, 10). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

16/03/2017
MINI SERMÃO 
2ª Semana da Quaresma: É feliz quem confia em Deus e produz frutos de vida em favor dos outros. A ânsia por riqueza e status inibe a compaixão pelos Lázaros de hoje e afasta o coração para longe da mensagem de Jesus. Provai-me, ó Deus, e conhecei meus pensamentos: vede se ando pela vereda do mal e conduzi-me no caminho da eternidade. Quem deposita a esperança em Deus é por Ele acolhido e salvo; quem confia tão só nas forças e bens pessoais se orienta para uma vida frustrada. Isto diz o Senhor: “Maldito o homem que confia no homem e faz consistir sua força na carne humana, enquanto o seu coração se afasta do Senhor (Jeremias 17, 5). Bendito o homem que confia no Senhor, cuja esperança é o Senhor (Jeremias 17, 7). Em tudo é enganador o coração, e isso é incurável; quem poderá conhecê-lo? “Eu sou o Senhor, que perscruto o coração e provo os sentimentos, que dou a cada qual conforme o seu proceder e conforme o fruto de suas obras” (Jeremias 17, 9-10). Feliz é todo aquele que não anda conforme os conselhos dos perversos; que não entra no caminho dos malvados, nem junto aos zombadores vai sentar-se; mas encontra seu prazer na Lei de Deus e a medita, dia e noite, sem cessar (Salmo 1,1) Pois Deus vigia o caminho dos eleitos, mas a estrada dos malvados leva à morte (Salmo 1, 3). Felizes os que observam a Palavra do Senhor de reto coração e que produzem muitos frutos, até o fim perseverante (Lucas 8,15). Manda preveni-los, para que não venham também eles para este lugar de tormento (Lucas 16, 28). Demos graças a Deus por todos os que sabem partilhar seus dons e bens em favor dos que pouco ou nada têm. Felizes aqueles cuja vida é pura, os que andam na Lei do Senhor! (Salmo 118, 1). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

15/03/2017
MINI SERMÃO
Assumir o serviço da profecia e da evangelização é sujeitar-se a incompreensões, perseguições e até mesmo à morte. Não é do espírito cristão usar o anúncio do Reino como acesso ao prestígio. Não me abandoneis jamais, Senhor, meu Deus não fiqueis longe de mim! Depressa, vinde em meu auxílio, ó Senhor, minha salvação (Salmo 37, 22s). Grande no Reino de Deus é quem, apesar dos sofrimentos e oposições, se põe a serviço dos outros, empenhando para isso a própria vida. Atendei-me, Senhor, ouvi o que dizem meus adversários. Acaso pode-se retribuir o bem com o mal? Pois, eles cavaram uma cova para mim. Lembra-te de que fui à Tua presença para interceder por eles e tentar afastar deles a tua ira (Jeremias 18, 19-20). Nosso Senhor Jesus Cristo diz: “Eu sou a luz do mundo; aquele que me segue não caminha nas trevas, mas terá a luz da vida” (João 8, 12). O Filho do homem será entregue aos sumos sacerdotes e aos mestres da Lei. Eles o condenarão à morte e o entregarão aos pagãos para zombarem d’Ele, para flagelá-lo e crucificá-lo. Mas, no terceiro dia ressuscitará (Mateus 20, 18-19). Quem quiser tornar-se grande, torne-se vosso servidor; quem quiser ser o primeiro seja vosso servo. Pois, o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida como resgate em favor de muitos (Mateus 20, 26-28). A Eucaristia é o alimento que fortalece nossa vida cristã em meio às incompreensões e nos impele ao serviço solidário para o bem dos irmãos e irmãs. Paz e Bem! R. Carlos

- - -

14/03/2017
MINI SERMÃO
A Liturgia nos convida a eliminar de nossas ações a maldade e praticar o bem, abandonando toda hipocrisia e abrindo espaço para a fraternidade e a solidariedade. Ilumine meus olhos, Senhor, guarde-me do sono da morte. Que meu inimigo não possa dizer: Triunfei sobre ele (Salmo 12, 4s). Deus deseja líderes justos que aliviem o fardo dos oprimidos e rejeitem a ostentação para viverem, na humildade, o espírito de serviço. Ouvi a Palavra do Senhor..., prestai ouvidos ao ensinamento de nosso Deus... Lavai-vos, purificai-vos. Tirai a maldade de vossas ações da minha frente. Deixai de fazer mal! Aprendei a fazer o bem! Procurai o direito (Isaías 1, 10-18). Lançai para longe toda a vossa iniquidade! Criai em vós um novo espírito e um novo coração (Ezequiel 18, 31). O maior entre vós deve ser aquele que vos serve. Quem se exalta será humilhado, e quem se humilha será exaltado (Mateus 23, 11-12). Narrarei, Senhor, as vossas maravilhas, em vós me alegro e exulto, cantarei o vosso nome, Deus altíssimo! (Salmo 9, 2s). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

13/03/2017
MINI SERMÃO 
Porque somos pecadores, temos necessidade de abrirmo-nos à reconciliação e ao perdão. Para nossa esperança e consolo. Deus não nos trata como exigem nossas faltas. Tende compaixão de mim, ó Deus, e libertai-me! (Salmo 25, 11s). A vida cristã consiste na imitação da misericórdia de Deus, a qual nos previne contra a pretensão de ser juízes dos outros e nos levar a conceder e buscar o perdão. Temos pecado, temos praticado injustiça e a impiedade, temos sido rebeldes, afastando-nos de teus mandamentos e de tua Lei (Daniel 9, 5). Mas, a ti, Senhor, nosso Deus, cabe misericórdia e perdão, pois nos temos rebelado contra ti e não ouvimos a voz do Senhor, nosso Deus, indicando-nos o caminho de sua Lei, que nos propôs mediante seus servos, os profetas (Daniel 9, 10). Ajudai-nos, nosso Deus e salvador! Por vosso nome e vossa glória, libertai-nos! Por vosso nome, perdoai nossos pecados (Salmo 78). Sede misericordiosos, como também o vosso Pai é misericordioso. Não julgueis e não sereis julgados; não condeneis e não sereis condenados; perdoai e sereis perdoados. Dai e vos será dado (Lucas 6, 36-38). A celebração da Eucaristia nos fortalece no caminho da reconciliação e da misericórdia e nos leva a viver a fraternidade e na alegria. Sede misericordiosos, diz o Senhor, como vosso Pai que está nos Céus (Lucas 6, 36). Paz e Bem! R. Carlos 

- - -

10/03/2017
MINI SERMÃO
Numa sociedade intolerante e inclinada ao mal, a tarefa do cristão é superar a cultura do ódio e da morte, evitando toda atitude de desamor aos irmãos e irmãs. Livrai-me, Senhor, das minhas aflições, vede minha miséria e minha dor; perdoai todos os meus pecados (Salmo 24, 17s). Deus não se alegra com condenação e morte, mas, com arrependimento e vida. Cultivar o espírito de reconciliação é viver a justiça do Reino. Assim fala o Senhor: “Se o ímpio se arrepender de todos os pecados cometidos, e guardar todas as minhas Leis, e praticar o direito e a justiça, viverá com certeza e não morrerá. Nenhum de seus pecados que cometeu será lembrado contra ele, viverá por causa da justiça que praticou (Ezequiel 18, 21-22). Quando o justo por causa da infidelidade e do pecado que cometeu, por causa disso morrerá (Ezequiel 18, 24). Quando um justo se desvia da justiça, pratica o mal e morre, é por causa do mal praticado que ele morre. Quando o ímpio se arrepende da maldade que praticou observa o direito e a justiça, conserva a própria vida. Arrependendo-se de todos os seus pecados, com certeza viverá; não morrerá (Ezequiel 18, 26-28). Lançai para bem longe todas as vossas iniquidades! Criai em vós um novo espírito e um novo coração! (Ezequiel 18, 31). Nosso Senhor Jesus Cristo diz: “Não matarás! Quem matar será condenado pelo Tribunal”. “Eu, porém, vos digo, todo aquele que se encoleriza com seu irmão será réu em juízo (Mateus 5, 21-22). Portanto, quando tu tiveres levando a tua oferta para o altar e ali te lembrares que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa a tua oferta diante do altar e vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão. Só então vai apresentar a tua oferta. Procura reconciliar-te com teu adversário, enquanto caminha contigo para o Tribunal. (Mateus 5, 23-25). Por minha vida, diz o Senhor Deus: não quero a morte do pecador, mas que se converta e viva! (Ezequiel 33, 11). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

09/03/2017
MINI SERMÃO 
O mundo secularizado nos estimula a confiar somente nas próprias forças e recursos. Mas, quem recorre a Deus sabe que Ele sempre inclina o ouvido ao clamor dos seus filhos e filhas. O Deus verdadeiro atende e defende o povo que o invoca. Ele é Pai e a fonte donde provém tudo o que é bom para a vida das pessoas. A rainha Ester, temendo o perigo de morte que se aproximava, buscou refúgio no Senhor (Ester 4, 17). Vem em meu socorro, pois estou só e não tenho outro defensor fora de Ti, Senhor, pois eu mesma me expus ao perigo (Ester 4, 17). Agora, pois, ajudai-me, a mim que estou sozinha e não tenho mais ninguém senão a Ti, Senhor meu Deus (Ester 4, 17). E livra-nos da mão de nossos inimigos (Ester 4, 17). A Eucaristia é o momento de reconhecer o amor e a bondade de nosso Pai, que enviou seu Filho para se tornar nosso alimento. Quem pede, recebe; quem procura, encontra; e ao que bate, abrir-se-á (Mateus 7, 8). Tudo quanto quereis que os outros vos façam, fazei também a eles. Nisto consiste a Lei e os profetas. (Mateus 7, 12). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

08/03/2017
MINI SERMÃO 
Apelo constante nesta época de quaresma, a conversão exige mudança de atitude. Cabe-nos estar sempre atentos a esse apelo, na confiança de que o Senhor não despreza um coração arrependido. Lembrai-vos de vossa misericórdia e de vosso amor, pois são eternos. Nossos inimigos não triunfem sobre nós; libertai-nos, ó Deus, de toda angústia! (Salmo 24, 6.3.22). A Palavra de Deus tem a força de nos pôr no caminho da conversão. A vida de Jesus é maior e melhor sinal do cumprimento da vontade de Deus. Os homens rezarão a Deus com força; cada um deve afastar-se do mau caminho e de suas práticas perversas. Deus talvez volte a atrás, para perdoar-nos e aplacar sua ira, e assim, não venhamos a perecer (Jonas 3, 8-9). Criai em mim um coração que seja puro, dai-me de novo um espírito decidido. Ó Senhor, não me afasteis de vossa face nem retireis de mim o vosso Santo Espírito (Salmo 50, 2)! Voltai ao Senhor, vosso Deus, Ele é bom, compassivo e clemente (Joel 2, 12s). O maior sinal de Jesus é seu sacrifício na Cruz, o qual se renova todas as vezes que a assembleia se reúne para a Ceia Eucarística. Paz e Bem! R. Carlos 

- - -

07/03/2017
MINI SERMÃO
A Palavra de Deus e a oração são armas poderosas na vida do cristão. São como a chuva que irriga os corações e ajuda as pessoas a reconhecer sua filiação Divina. Vós fostes, Senhor, o refúgio para nós de geração em geração: desde sempre e para sempre vós sois Deus (Salmo 89, 1s). A escuta atenta da Palavra de Deus, unida à oração agradável a Ele, produz frutos de perdão e amor. Assim diz o Senhor: A Palavra que sair de minha boca não voltará para mim vazia; antes realizará tudo que for de minha vontade e produzirá os efeitos que pretendi ao enviá-la (Isaías 55, 11). O homem não vive somente de pão, mas de toda Palavra que sai da boca de Deus (Mateus 4, 4). Quando orardes, não useis de muitas palavras, vosso Pai sabe do que precisais, muito antes que vós o peçais (Mateus 6, 7-8). Se vós perdoardes aos homens as faltas que eles cometeram, vosso Pai que está nos Céus também vos perdoará. Mas, se vós não perdoardes aos homens, vosso Pai também não perdoará as faltas que vós cometestes (Mateus 6, 14-15). O Senhor pousa seus olhos sobre os justos, e seu ouvido está atento ao seu chamado; mas, Ele volta sua face contra os maus, para da terra apagar sua lembrança. (Salmo (33) (34). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

06/03/2017
MINI SERMÃO
A busca da Santidade é motivada pela santidade de Deus, e o caminho para ela nos é apresentada por Jesus: tudo o que fizermos ao menor dos irmãos, a Ele o teremos feito. Deus manifesta o seu amor, revelando o seu desejo de que todos sejam santos e herdem o Reino pelo compromisso com os pobres e necessitados. Sede santos, porque Eu, o Senhor vosso Deus, sou santo. Não furteis, não digais mentiras, nem vos enganeis uns aos outros. Não jureis falso por meu nome, profanando o nome do Senhor teu Deus. Eu sou o Senhor. Não explores o teu próximo nem pratiques extorsão contra ele. Não retenhas contigo a diária do assalariado. Não amaldiçoes o surdo nem ponhas tropeço diante do cego, mas temerás o teu Deus. Eu sou o Senhor. Não cometerás injustiças no exercício da justiça; não favoreças o pobre nem prestigies o poderoso. Julga teu próximo conforme a justiça. Não sejais um maldizente entre o teu povo. Não conspires, caluniando-o, contra a vida do teu próximo. Eu sou o Senhor. Não tenhas no coração ódio contra teu irmão. Repreende o teu próximo, para não te tornares culpado de pecado por causa dele. Não procures vingança nem guardes rancor aos teus compatriotas. Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o Senhor (Levítico 19, 1-2.11-18). Eis o tempo de conversão; eis o dia da salvação (2Cor 6, 2). Quando o Filho do homem vier em sua Glória, acompanhado de todos os anjos, então se assentará em seu trono glorioso. Todos os povos da terra serão reunidos diante d’Ele, e Ele separará uns dos outros (Mateus 25, 31-32). Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: “Vinde, benditos de meu Pai! Recebei como herança o reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo! Porque estava com fome e me destes de comer; eu estava com sede e me destes de beber; eu era estrangeiro e me recebestes em casa; eu estava nu e me vestistes; eu estava doente e cuidastes de mim; eu estava na prisão e fostes me visitar”. (Mateus 25, 34-36). Então o Rei lhes responderá: “Em verdade eu vos digo que todas as vezes que fizerdes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes!” (Mateus 25, 40). Depois o Rei dirá aos que estiverem à sua esquerda: “Afastai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno, preparado para o diabo e para os seus anjos. (Mateus 25, 41) Portanto, estes irão para o castigo eterno, enquanto os justos irão para a vida eterna” (Mateus 25,46). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

03/03/2017
MINI SERMÃO 
Para os cristãos, o jejum é expressão do desejo de conversão, sinal de solidariedade e de partilha e proposta de justiça. Aprendemos do próprio Jesus o jeito e o momento certo de jejuar. O jejum cristão só tem sentido em conjunto com as obras de caridade e com a prática da justiça, sem as quais não se honra a Cristo. Buscam-me cada dia e desejam conhecer meus propósitos, como gente que pratica a justiça e não abandonou a lei de Deus (Isaías 58, 2). No dia de vosso jejum não oprimis os vossos empregados, não fazeis litígios e brigas e agressões impiedosas. Não façais jejum com esse espírito, se queres que vosso pedido seja ouvido no céu (Isaías 58, 3-4). Quebre as cadeias injustas, rompe todo tipo de sujeição, reparte o pão com o faminto, acolhe em casa os pobres e peregrinos, veste os que necessitam de roupas, à frente caminhará tua justiça e a glória do Senhor te seguirá. Então invocarás o Senhor e ele te atenderá, pedirás socorro e ele dirá: “Eis-me aqui”  (Isaías 58, 6-9). Buscai o bem, não o mal, pois assim vivereis; então o Senhor , nosso Deus , convosco estará! (Am 5, 14). Mostrai-me, Senhor vossos caminhos e ensinai-me vossas veredas (Sl 24, 4). Paz e Bem! R. Carlos 

- - -

02/03/2017
MINI SERMÃO

Para todas as pessoas há dois caminhos: o da vida e felicidade e o da perdição e ruína. É feliz quem escolhe o caminho de Jesus, mesmo que encontre oposições e perseguições. “Clamei pelo Senhor, e ele me ouviu: salvou-me daqueles que me atacam. Confia ao Senhor os teus cuidados, e ele mesmo te há de sustentar” (Sl 54, 17-20-23). A confiança em Deus nos leva a optar por sua proposta de salvação e apostar toda a nossa vida em Jesus, como seguidores d’Ele. “Moisés, falou ao povo, dizendo: Vê que eu hoje te proponho a vida e a felicidade, a morte e a desgraça. Se obedeceres aos preceitos do Senhor teu Deus, que eu hoje te ordeno, amando ao Senhor teu Deus, seguindo seus caminhos e guardando seus mandamentos, suas leis e seus decretos, viverás” (Dt 30, 15-16). “Se, porém, o teu coração se desviar e não quiseres escutar, e se, deixando-te levar pelo erro, adorares deuses estranhos e os servires, eu vos anuncio hoje que certamente perecereis. Não viverás muito tempo na terra” (Dt 30, 17-18). “Escolhe, pois a vida, para que vivas, tu e teus descendentes, amando ao Senhor teu Deus, obedecendo à sua voz e apegando-te a Ele - pois Ele é a tua vida e prolonga os teus dias.” (Dt 30, 19-20) “Feliz é todo aquele que não anda conforme os conselhos dos perversos; que não entra no caminho dos malvados nem junto aos zombadores vai sentar-se; mas encontra seu prazer na lei de Deus e a medita, dia e noite, sem cessar” (Sl 1, 1). “Convertei-vos, diz o Senhor, está próximo o Reino de Deus!” (Mt 4,17). “Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome sua cruz de cada dia e siga-me” (Lc 9, 23). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

01/03/2017
MINI SERMÃO 
Estamos reunidos para iniciar nossa caminhada rumo à Páscoa. Durante a Quaresma, procuremos trilhar o caminho da conversão proposto pelo Evangelho e pela Campanha da Fraternidade. Neste ano, a campanha mobiliza a consciência da sociedade e nosso agir cristão com o tema: “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida” e o lema “Cultivar e guardar a criação”. Neste início do tempo favorável para a conversão, a Palavra de Deus nos faz forte apelo à mudança de vida e nos convida a intensificar nossas práticas de caridade, orações e jejum. Agora, diz o Senhor, voltai para mim com todo o vosso coração, com jejuns, lágrimas e gemidos (Joel 2, 12). Voltai para o Senhor, vosso Deus; ele é benigno e compassivo, paciente e cheio de misericórdia, inclinado a perdoar o castigo (Joel 2, 13). Em nome de Cristo, nós vos suplicamos: deixai-vos reconciliar com Deus (2Cor 5, 20). Como colaboradores de Cristo, nós vos exortamos a não receber em vão a graça de Deus (2Cor 6, 1). É agora o momento favorável, é agora o dia da salvação (2Cor 6, 2). Ficai atentos para não praticar a vossa justiça na frente dos homens, só para serdes vistos por eles. Caso contrário, não recebereis a recompensa de vosso Pai que está nos Céus (Mt 6, 1). Quando deres esmola, que a tua esmola fique oculta. E o teu Pai, que vê o que está oculto, te dará a recompensa (Mt 6, 3-4). Quando tu orares, entra no teu quarto, fecha a porta e reza ao teu Pai que está oculto. E o teu Pai, que vê o que está escondido, te dará a recompensa (Mt 6, 6). Quando jejuardes, não fiqueis com o rosto triste como os hipócritas. Perfuma a cabeça e lava o rosto, para que os homens não vejam que tu estás jejuando, mas somente teu Pai, que está oculto. E o teu Pai, que vê o que está escondido, te dará a recompensa (Mt 6, 17-18). O que medita dia e noite na lei do Senhor dará seu fruto no devido tempo (Sl 1, 2). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

23/02/2017
O QUE É E COMO ORAR PELA CURA ENTRE GERAÇÕES
. Autor: Pe. Márlon Múcio. Editora: Sede Santos!

Na Inglaterra, em 1977, foi celebrada uma Missa por conta da crueldade para com os escravos mortos ali. Três bispos do norte da Inglaterra, presentes na celebração, divulgaram em larga escala o fato e pediram que se mandasse celebrar Missas pelos escravos. Após algumas semanas, os resultados já começavam a ser percebidos. Também o Bispo das Bermudas celebrou uma Missa em sua catedral e em pleno mar. Depois de terem sido oferecidas várias Missas por estes escravos, nunca mais aconteceu nenhum acidente ali! Isto desde 1978... O sacerdote norte-americano Padre Robert DeGrandis, um dos maiores ministros de cura da nossa Igreja Católica, narra em seu livro “Cura entre Gerações” que, nos Estados Unidos, foram sanados mais de 2.000 casos de esquizofrenia através do corte que sacerdotes fizeram das maldições hereditárias, dentro e fora da Missa pelos antepassados. E vale lembrar que a esquizofrenia não encontra cura na medicina. Tenho visto excelentes resultados na cura de doenças físicas e mentais, da dependência química, do homossexualismo e do fracasso material através da oração pela cura entre as gerações. (Continua). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

22/02/2017
O QUE É E COMO ORAR PELA CURA ENTRE GERAÇÕES. Autor: Pe. Márlon Múcio. Editora: Sede Santos!
A psicologia define o inconsciente como sendo: “todos os determinantes mentais de comportamento são diretamente acessíveis à consciência do indivíduo” (Enciclopédia Americana, Grolier, vol 27, p. 357). O ensino do psiquiatra suíço Carl Jung (1875-1961) distinguiu-se por sua investigação do inconsciente e cunhou termos como “inconsciente pessoal” e “inconsciente coletivo”. O inconsciente pessoal é feito de ocorrências há muito esquecidas e de lembranças infelizes reprimidas, e o inconsciente coletivo é feito de experiências raciais. Podemos, então, concluir que a maneira como uma pessoa responde a determinadas situações, poderá afetar a suas gerações sanguíneas, mas também grupos. Não são apenas famílias que podem trazer algum tipo de maldição. Lugares também podem estar amaldiçoados (o que não tem nada a ver com a necromancia a evocação dos espíritos dos mortos, e com a ideia de almas penadas, o que é próprio do espiritismo, nem com fenômenos paranormais). Você deve conhecer lugares tumultuados, onde acontecem muitos acidentes, mortes e assaltos (ruas, estradas, casas, escolas e fazendas, bairros e até cidades inteiras) e aonde nada vai pra frente (pontos comerciais), quarteirões de comércio vazios, conjuntos comerciais falidos). Já deve também ter ouvido falar no Triângulo das Bermudas. É um estiramento de quase quatro milhões de quilômetros quadrados no Oceano Atlântico, onde as profundezas do oceano superam os seis mil metros, delimitado por uma linha imaginaria entre a Florida, Porto Rico (passando por Cuba) e, logicamente, as Ilhas das Bermudas. O primeiro a utilizar esse nome para, designar essa região misteriosa, foi o jornalista e escritor Vicent H. Garddis, em 1964. Essa região também é conhecida como “Mar do Diabo”, “Triângulo Maldito”, “Triângulo da Morte”, “Mar dos Barcos Perdidos”, “Cemitério de Barcos”, “Triângulo do Diabo” e outros nomes que foram dados pelos raros sobreviventes e também por jornalistas de todo o mundo. Atualmente “Triângulo das Bermudas”. No “Triângulo das Bermudas” desapareciam navios e aviões sem deixar quaisquer vestígios. No século XVIII, as Bermudas eram a rota de navios negreiros. Quando se fazia o tráfico ilegal de escravos africanos e os traficantes eram descobertos pelos navios ingleses que patrulhavam aquele local, os negros eram despejados no mar. O mesmo se fazia quando o intuito era deixar o navio mais leve, a fim de que ganhasse mais velocidade. Declaravam, então, que os negros haviam morrido naturalmente e os capitães ainda ganhavam um seguro! (Continua). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

21/02/2017
O QUE É E COMO ORAR PELA CURA ENTRE GERAÇÕES. Autor: Pe. Márlon Múcio. Editora: Sede Santos!
Há vários trechos na Sagrada Escritura em que vemos toda uma família sendo abençoada, beneficiada, salva, com a adesão de um membro da família à fé em Deus, como At 10, 24, 44; 16, 15; 16, 31-34; 18, 8; 1Cor 1, 16; Lc 19, 1-10; Jo 4, 53. Quando uma pessoa crê em Jesus, está abrindo as portas para que a salvação entre na sua família toda. Uma pessoa abraçando a fé em Deus, toda família é abraçada pelo Senhor. Além dos traços de família, podemos, também, carregar traços de uma sociedade, costumes, crenças, tendências, virtudes e defeitos de um grupo. Veja o Brasil. Nosso amado e enorme País tem costumes tão variados e distintos que as pessoas de uma região têm um jeito de ser bem diverso do jeito de ser de outra região. (Continua). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

20/02/2017
O QUE É E COMO ORAR PELA CURA ENTRE GERAÇÕES. Autor: Pe. Márlon Múcio. Editora: Sede Santos!
A oração pelos antepassados, suplicando a Cura entre Gerações, é uma oportunidade que temos para pedir ao Senhor que Ele liberte nossa família de todo o mal e o extinga de nossas vidas e história. Pela Cura entre Gerações, cada um de nós levanta a bandeira da misericórdia divina para nossas famílias. Tornamo-nos porta de entrada para a libertação dos nossos familiares e, por conseguinte, da nossa própria libertação. Não existe lugar, na fé cristã, para a crença budista do “carma”; dívida que passa de geração em geração. É falsa a ideia de reencarnação. “Como está determinado que os homens morram uma só vez, e logo em seguida vem o juízo” (Hb 9, 27). Não estamos aqui para pagar dívida nenhuma, nunca estivemos antes neste mundo, nem retornaremos para cá outra vez. A obra da redenção realizada em Cristo Jesus é eficaz e suficiente para nos salvar e colocar um histórico novo em nossa vida e família. Mas, temos que aceitar a salvação que o Cristo nos trouxe. É preciso que nos abramos a ela! (Continua). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

17/02/2017
O QUE É E COMO ORAR PELA CURA ENTRE GERAÇÕES: Autor: Pe. Márlon Múcio. Editora: Sede Santos!
Podemos e devemos pedir perdão a Deus pelos pecados de nossos pais e antepassados. “Se voltardes para o Senhor, vossos irmãos e vossos filhos obterão misericórdia diante daqueles que os levaram para o cativeiro e voltarão à sua terra, pois o Senhor Deus é generoso e misericordioso e não desviará os olhos de vós, se voltardes para Ele” (2Cron 30, 9). A Sagrada Escritura está repleta de exemplos, não só da possibilidade, como também da necessidade de pedirmos perdão a Deus pelos nossos pecados e pelos pecados dos nossos antepassados. Alguns deles Lv 36, 29-40; Ne 9, 2-3; Tb 3, 3-4; Jd 7, 19; Sl 78, 8; Sl 105, 6; Jr 3, 25;14, 20; Lm 5, 7; Br 3, 1-8; Dn 9, 4b-20. Outro alvo importante na Cura entre Gerações é o envolvimento com o ocultismo. Pactos, consagrações, entregas, oferendas e compromissos firmados com o maligno, em troca de algum benefício pessoal: dinheiro, poder, sucesso, prestígio, casamento, emprego, ter um filho... Muitas pessoas fazem estas alianças com o maligno, consagrando-lhe sua família inteira. Isto sem falar nas maldições e pragas lançadas contra uma pessoa, um grupo, uma geração de pessoas ou toda uma família. Se estivermos falando de herança ou de bagagem física, espiritual ou de qualquer ordem, é porque se trata de algo que se repete (tem sido uma constante, uma presença notável) e, assim sendo, começou em algum lugar e com alguém. Tem também que terminar em algum lugar e com alguém... Não é porque sempre foi assim na nossa história familiar, que sempre terá que ser assim! Amém? (Continua). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

16/02/2017
Caríssimos. O QUE É E COMO ORAR PELA CURA ENTRE GERAÇÕES. Autor: Pe. Márlon Múcio. Editora: Sede Santos! O QUE É CURA ENTRE GERAÇÕES. Pecados não confessados ou não arrependidos acabam não sendo tratados na história familiar e clamam alguma solução. Eles deixam armazenados, na memória da nossa árvore genealógica, feridas abertas que sangram constantemente. Consequência: a família fica doente e enfraquecida. Na Cura entre Gerações, estes pecados encontram o seu lugar. Eles se tornam alvo da nossa atenção e dos cuidados divinos. A doença é uma das filhas do pecado (Gn 3; Rm 5, 12). Contudo, isso não significa que toda doença seja consequência direta de um pecado pessoal ou dos pais (Jo 9, 1-3). O Catecismo da Igreja Católica afirma que “o perdão de Deus inaugura a cura” (nº 1502). Isto é, o processo de cura é desencadeado a partir da reconciliação nossa e dos nossos com Deus. (Continua). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

15/02/2017
Caríssimos. O QUE É E COMO ORAR PELA CURA ENTRE GERAÇÕES
Autor: Pe. Márlon Múcio. Editora: Sede Santos! O QUE É CURA ENTRE GERAÇÕES.
Feridas velhas e não resolvidas podem ser ligadas aos descendentes. Há muitos clamores em linhas de famílias que ficam inatendidos, sem reconciliação... Daí, se entende que uma pessoa pode carregar feridas mais velhas de que ela mesma! Podemos herdar fraquezas de nossos ancestrais, fraquezas que podem e precisam ser curadas. São Paulo reconhecia: “Não faço o que quero, mas o que não quero” (Rm 7, 15). Há pessoas de uma família que não se entendem com os membros de outra família, sem saber o motivo dessa rivalidade. Lá atrás, seus ancestrais, por conta do modo de vida que levaram proclamaram a contenda em seus relacionamentos. Quantos casos injustificados – pelo menos no nível em que acontecem – de brigas de famílias. (Continua). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

14/02/2017
Caríssimos. O QUE É E COMO ORAR PELA CURA ENTRE GERAÇÕES
Autor: Pe. Márlon Múcio. Editora: Sede Santos! Coisas boas e ruins trazemos de nossos antepassados. Carregamos heranças físicas ou biológicas, espirituais, emocionais e psíquicas. Herdamos cor e tipo de cabelo, cor dos olhos, estatura, habilidades, jeito de ser... Podemos ser herdeiros, de nossos antepassados, de doenças como câncer, diabete, doenças do coração, pressão alta, maus dentes, ossos fracos; bem como de males espirituais, que podem ir desde a falta de oração até o ateísmo. O mesmo se diz dos males psíquicos: tendências suicidas, crimes, timidez, famílias inteiras com depressão ou com algum tipo de vício e dependência química. “Enterrados ou vivos”: pessoas podem herdar sentimentos, medos, situações mal resolvidas de seus antepassados. As pessoas tendem a querer se separar das experiências dolorosas e trancá-las no fundo do baú ou do armário das emoções. Geralmente as pessoas excluem ou escondem as lembranças de suicídios, insanidade e mortes violentas em sua família. Mas, o simples afastamento de uma dor, não cura a dor; pelo contrário, mantém-na “enterrada viva”!  Há quem deixe suas feridas para que o “tempo” as cure: “Nada como um dia depois do outro”. Mas, quem assim faz, vai perceber que, mais dia, menos dia, numa situação provocadora, toda situação mal resolvida vem à tona, e, às vezes, com intensidade não muito diferente do momento traumatizante. Isto pode ser transmitido para as gerações futuras! O tempo não é remédio... Jesus é o remédio eficaz e sem contraindicação! (Continua). Paz e Bem! R. Carlos

- - - 

13/02/2017
Caríssimos. O QUE É E COMO ORAR PELA CURA ENTRE GERAÇÕES
Autor: Pe. Márlon Múcio. Editora: Sede Santos! O QUE É CURA ENTRE GERAÇÕES. É certo: temos uma responsabilidade pessoal e decisiva em nossa história (Dt 7, 10; 24, 16; 2Rs 14, 5-6; Jr 31, 29-30; Ez 14, 12-20; 18, 4.10-20). Estes textos bíblicos deixam claro que cada um prestará conta dos seus pecados, mas, não estão negando as consequências dos pecados na nossa história de família.  Quando eu peco, todo o Corpo de Cristo é prejudicado. Da mesma maneira, quando faço algo de bom, todo o Corpo de Cristo é beneficiado. É o que encontramos, na teologia paulina, em 1 Cor 12, 26 e, também, em Rm 5, 12. “Uma alma que se eleva, eleva o mundo”, afirma Santa Teresa Benedita da Cruz (a filósofa alemã Edth Stein, que se fez carmelita). Quando me santifico, elevo o mundo! Isto também acontece nas famílias. A verdade é que estamos mais enraizados uns nos outros do que imaginamos. Mas, a cura entre Gerações não pode ser, da nossa parte, uma resposta fácil ou simplista: uma tentativa acomodada de querer responsabilizar nossos ancestrais por todas as nossas falhas, das quais não queremos ou não conseguimos nos desvencilhar. (Continua). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

10/02/2017
Caríssimos. O QUE É E COMO ORAR PELA CURA ENTRE GERAÇÕES
Autor: Pe. Márlon Múcio. Editora: Sede Santos!
O QUE É CURA ENTRE GERAÇÕES. Através da oração pela Cura entre as Gerações, Nosso Senhor Jesus Cristo rompe com as ligações negativas entre os nossos antepassados e nós. Sua graça vai até às raízes e fecha as brechas por onde o mal entrou ou continua entrando. Quando uma pessoa não vive uma vida em Deus, fica fraca, vulnerável a todo tipo de mal herdado e dá brecha para o mal herdado se manifestar, seja lá com qual intensidade e que forma for. Pessoas tementes a Deus não oferecem tanta oportunidade para as heranças negativas. Portanto, a manifestação das heranças negativas depende muito, também, das defesas físicas, morais e espirituais da pessoa. Pessoas que levam uma vida desregrada, afastadas de Deus, estão muito expostas a todo tipo de mal, inclusive às maldições. Por outro lado. Se uma pessoa reza, participa dos sacramentos (se confessa, comunga), se está comprometida com Deus numa busca sincera de santidade, sendo fiel ao Senhor e amando os irmãos, o próprio Deus muda as maldições em bênçãos (Dt 23, 5; Ne 13, 2; Js 24, 9-10). (Continua). Paz e Bem! R. Carlos
 

- - -

09/02/2017

Caríssimos. O QUE É E COMO ORAR PELA CURA ENTRE GERAÇÕES
Autor: Pe. Márlon Múcio. Editora: Sede Santos!
O QUE É CURA ENTRE GERAÇÕES. A oração pelas almas do Purgatório faz parte da doutrina da nossa Igreja Católica e nos ajuda muitíssimo na abordagem da cura das nossas gerações. No Catecismo da nossa Igreja Católica, a doutrina do Purgatório está nos números 1030, 1031 e 1032. Ali, vemos a importância de orarmos pelos mortos, da Santa Missa oferecida pelos falecidos, dos sacrifícios por intenção dos defuntos, da água benta e esmola por eles. Na Sagrada Escritura, basta conferir em: Jó 1, 5; 2Mc 12, 39-46; Mt 12, 31ss; 1Cor 3, 15; 1Pd 1, 7; 2Tm 1, 18. A Cura entre as Gerações mostra que as palavras, atos, os efeitos negativos dos nossos antepassados podem ter entrado em nosso “sangue”, em nossa vida, e estarem pesando sobre a nossa geração atual e sobre a nossa vida. E podem, ainda, vir a pesar sobre as gerações futuras! Na Cura entre Gerações, nós temos a oportunidade de transformar as ligações com estas raízes perturbadoras (raízes de pecado e enfermidade, de desgraça e fracasso, de insucesso, infelicidade e maldição) em fonte de bênçãos familiares. A Cura entre Gerações é uma possibilidade de cura dos vivos, através da oração pelos antepassados, vivos ou mortos. É claro que não se trata de colocar toda a culpa nos nossos antepassados. A Cura entre Gerações é apenas um dos muitos meios de qual Deus pode se utilizar para nos curar e libertar. Não nos cabe julgar os vivos e os mortos, mas, sim, mergulhá-los na misericórdia divina. E atenção: não importa o quanto os nossos antepassados possam ter errado, e estar nos influenciando. Há sempre oportunidades para escolhermos padrões sadios de comportamento, não importa sob que circunstâncias. (Continua). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

08/02/2017
Caríssimos. O QUE É E COMO ORAR PELA CURA ENTRE GERAÇÕES
Autor: Pe. Márlon Múcio. Editora: Sede Santos!
O QUE É CURA ENTRE GERAÇÕES. “Deus honra os pais nos filhos” (Eclo 3, 3), mas, também pede a responsabilidade deles nos seus filhos! Confira: “Porque eu, o Senhor teu Deus, sou um Deus zeloso, que vingo a iniquidade dos pais nos filhos, nos netos e nos bisnetos que me odeiam, mas uso de misericórdia até à milésima geração com aqueles que me amam e guardam meus mandamentos” ((Êx 20, 5b-6). “Deus compassivo e misericordioso, lento para a cólera, rico em bondade e em fidelidade, que conserva sua graça até mil gerações, que perdoa a iniquidade, a rebeldia e o pecado, mas não têm por inocente o culpado, porque castiga o pecado dos pais nos filhos e nos filhos de seus filhos, até à terceira e quarta geração” (Êx 34, 6b-7). “O Senhor é lento para a cólera e rico em bondade; ele perdoa a iniquidade e o pecado, mas, não tem por inocente o culpado, e castiga a iniquidade dos pais nos filhos até à terceira e a quarta geração” (Nm 14, 18-19). “Eu, o Senhor, teu Deus zeloso, que castiga a iniquidade dos pais nos filhos, até a terceira e à quarta geração daqueles que me odeiam, mas uso de misericórdia até a milésima geração com aqueles que me amam e guardam os meus mandamentos” (Dt 5, 9-10). “Nossos pais pecaram e não existem mais, e carregamos o seu castigo” (Lm 5, 7). “Os pais comeram uvas azedas, e os dentes dos filhos ficaram embotados” (Ez 18, 2). (Continua). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

07/02/2017
Caríssimos. O QUE É E COMO ORAR PELA CURA ENTRE GERAÇÕES
Autor: Pe. Márlon Múcio. Editora: Sede Santos!
O QUE É CURA ENTRE GERAÇÕES. Quem somos nós? Somos o que Deus fez de nós, o que os outros fizeram de nós, mas também o que nós fizemos de nós mesmos! Muitos fatos, situações, palavras e pessoas podem nos influenciar, mas não somos o mero resultado do que os outros fizeram ou tentaram fazer com que fôssemos. Somos um ser pessoal, dotado de liberdade, memória, vontade e inteligência, e somos agentes da nossa história pessoal. Podemos decidir agora o futuro de nossas vidas e de nossas famílias, aderindo a Jesus. Entenda: não importa tanto o que os outros fizeram ou deixaram de fazer conosco. Importa muito mais o que vamos fazer com o que fizeram ou deixaram de fazer conosco! Apesar de o assunto ser novo para muitos e até polêmico para alguns, quando falamos de Cura entre Gerações, temos o respaldo da Sagrada Escritura (várias passagens bíblicas eu apresentarei adiante para vocês), da Tradição e do Magistério da Igreja Católica (é costume antiquíssimo da Igreja Católica rezar pelos mortos) e da Ciência. O assunto da Cura entre Gerações está intimamente ligado à teologia da transmissão do pecado original e da comunhão dos santos (Catecismo, respectivamente, 388ss e 96ss). Santa Teresa d`Ávila, Santa Perpétua e Santo Tomás de Aquino falam de benefícios para os vivos, quando a Eucaristia e outras orações são oferecidas pelos mortos. Em sua Suma Teológica (1-2; 81.1), Santo Tomás diz que os filhos podem ser punidos – não responsabilizados, mas punidos – pelos erros dos pais. Ou seja, quando à responsabilidade pelos pecados, cada um prestará conta de si mesmo perante Deus. Contudo, quando às consequências dos pecados, todos sofrem (dentro de uma família e além daquela família), tanto inocentes como culpados. A Cura entre Gerações trata, de maneira especial, da consequência dos pecados (males, maldições, pragas, doenças, insucessos, fracassos, infidelidades...) na história da família. (Continua). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

03/02/2017
O QUE É E COMO ORAR PELA CURA ENTRE GERAÇÕES
Autor: Pe. Márlon Múcio. Editora: Sede Santos!
O QUE É CURA ENTRE GERAÇÕES
Em nosso Ministério e no contato constante com tantas famílias, deparamo-nos muitas vezes com histórias familiares de sofrimento que se repetem, o que nos tem levado a realizar muitos seminários, pregações e orações enfocadas na necessidade da Cura entre Gerações. Os frutos, graças a Deus, têm sido abundantes. São muitos e belíssimos os testemunhos! Em poucas palavras, podemos dizer que Cura entre Gerações é a cura dos males hereditários que estão presentes em nossa árvore genealógica. Antes do mais, é bom lembrar que “Deus é Amor” (1Jo 4, 8) e deseja nos curar muito mais do que nós queremos ser curados e muito mais do que nós tenhamos consciência da necessidade da cura. A cura entre as gerações é, para nós cristãos, uma oportunidade maravilhosa de nos libertarmos das heranças familiares negativas que podem estar repercutindo em nossa vida, influenciando, de alguma forma e de maneira negativa, o nosso presente, bem como podendo influenciar o nosso futuro. Um grande avanço do Ministério de Cura já havia sido a cura intra-uterina, isto é, rezar pela nossa cura desde o momento da concepção, passando por todo o tempo de gestação, até o nosso nascimento. Outro grande avanço foi a oração pela cura das etapas de nossa vida, pedindo para Jesus – que esteve presente em cada momento da nossa vida, seja de amor ou desamor, de alegria ou tristeza, visitar cada momento do nosso viver curando-nos nos momentos traumatizantes e a partir destes momentos. Mas, em certo momento, percebeu-se que era preciso buscar, além de nós, o nosso problema. Foi aí que surgiu a Cura entre Gerações. (Continua). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

02/02/2017
Caríssimos. Vamos começar no dia de hoje, nossa primeira matéria, a ler e entender com Pe. Márlon Múcio, sobre a Cura entre as Gerações.
O QUE É E COMO ORAR PELA CURA ENTRE GERAÇÕES
Autor: Pe. Márlon Múcio. Editora: Sede Santos!
O QUE É CURA ENTRE GERAÇÕES
Pergunto a você: por que será que, em algumas famílias há tantas pessoas que morrem de câncer ou sofrem de problemas no coração? Você conhece famílias em que os casamentos não vão pra frente? Em algumas famílias parece que o álcool corre nas veias! Já ouviu falar de famílias de gente que não gosta de trabalhar ou, então, de pessoas briguentas? Há famílias inteiras perdidas no ocultismo da linhagem que sofrem em decorrência de problemas mentais e com diversos casos de suicídio ou de crimes. Muitos desses problemas encontram respostas e podem ser sanados quando oramos para a Cura entre as Gerações da nossa família, uma das muitas áreas do Ministério de Cura. Dois casos com o mesmo problema, em uma família, já nos mostram a necessidade de oração de Cura entre Gerações naquela família. Quando histórias tristes se repetem, é preciso orar, com fé, a fim de romper com a transmissão de hereditariedade negativa na linha de família. Em seus consultórios, enquanto nos atendem, os médicos insistem que, se temos um ancestral com diabete ou depressão, temos uma probabilidade grande de vir a ter estas enfermidades. Com o aprofundamento da fé e o avanço da ciência, muitos irmãos têm sido agraciados com os benefícios deste poderoso Ministério da Cura entre Gerações. As pesquisas no campo de engenharia genética estão muito avançadas – com descobertas surpreendentes – e também nos têm ajudado muito neste trabalho de alívio do sofrimento de tantos irmãos, e de santificação e restauração de famílias inteiras. (Continua). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

01/02/2017

Caríssimos. Quando a última coisa que você tiver for Deus, você vai descobrir que Ele era a única coisa que você precisava ter. Ser inteligente é saber usar o silêncio para evitar brigas desnecessárias. Namore alguém que te conquiste todos os dias. Fale pouco de você e menos ainda dos outros. Tudo tem seu tempo. Alguns falam pra você ficar bem. Outros te fazem ficar bem. Você é único para Deus. Cativar é próprio de quem ama! Deus tanto amou o mundo, que lhe deu seu próprio Filho, para que todo o que n’Ele crer encontre vida eterna (Jo 3, 16). Mestre, estamos perecendo e tu não te importas? (Mc 4 ,38) Porque sois tão medrosos? Ainda não tendes fé? (Mc 4, 40) Paz e Bem! R. Carlos
- - -

 

31/01/2017
Caríssimos. Nem todo mundo vai gostar de você; então, aprenda a não se importar. Loucos são os que mantêm relacionamentos ruins por medo da solidão. Se as batalhas da vida exigem muito de você, sinta-se feliz, pois, Deus só exige muito daqueles que tem capacidade de vencer, Deus não escolhe os capacitados, Ele apenas capacita os escolhidos. Perseverantes na fé e na fidelidade a Jesus, nós conseguiremos nos libertar do pecado e de todos os males que nos acometem. Deixemos de lado o que nos pesa e o pecado que nos envolve. Empenhemo-nos com perseverança no combate que nos é proposto, com os olhos fixos em Jesus, que em nós começa e completa a obra da fé. (Hebreus 12, 1-2). Suportou a cruz, não se importando com a infâmia, e assentou-se à direita do trono de Deus (Hebreus 12, 2); não vos deixeis abater pelo desanimo. Vós ainda não resististes, até o sangue na vossa luta contra o pecado (Hebreus 12, 3-4). Paz e Bem! R. Carlos

- - -

30/01/2017
Caríssimos! Seja humilde para admitir seus erros, inteligente para aprender com eles e maduro para corrigi-los. Desabafa com Deus, Ele atende. Toda oração tem resposta, basta esperar e confiar. A fé é um modo de já possuir o que ainda se espera, a convicção acerca de realidades que não se veem (Hebreus 11, 1). Foi pela fé que Abraão obedeceu à ordem de partir para uma terra que devia receber como herança e, partiu, sem saber para onde ia (Hebreus 11, 8). Foi também pela fé que Sara, embora estéril e já de idade avançada, se tornou capaz de ter filhos (Hebreus 11, 11). É por isso também que de um só homem, já marcado pela morte, nasceu a multidão, comparável às estrelas do céu e inumerável como areia das praias (Hebreus 11,12). Mas, agora, eles desejam uma pátria melhor, isto é, a pátria celeste. Por isso, Deus não se envergonha deles ao ser chamado o seu Deus (Hebreus 11, 16). Deus tanto amou o mundo, que lhe deu seu próprio Filho, para que todo o que n’Ele crer encontre a vida eterna (Jo 3, 16). Paz e Bem!  R. Carlos.

- - -

27/01/2017

 

Caríssimos! Sorria! Deus acaba de te dar um novo dia e coisas extraordinárias podem acontecer se você crer! O importante não é vencer todos os dias, e, lutar sempre! Você tem três escolhas na vida: desistir, ceder, ou, dar o melhor de si. Enquanto vivemos, lutamos; se continuamos a lutar é sinal de que não nos rendemos e de que o Espírito bom habita em nós. E se a morte não te encontrar como vencedor, deve encontrar-te como lutador. A Igreja celebra o sacrifício de Cristo em solidariedade com a humanidade sofredora. Deixando a semente da Palavra de Deus penetrar no coração, cresce no compromisso com o Reino de Deus. A Palavra de Deus nos encoraja em meio às tribulações e nos provoca a espalhar a semente do Reino para que cresça e produza frutos na vida das pessoas. Não abandoneis, pois, a vossa coragem, que merece grande recompensa. De fato, precisais de perseverança para cumprir a vontade de Deus e alcançar o que ele prometeu (Hebreus 10, 35, 36). Nós não somos desertores, para a perdição. Somos homens da fé, para a salvação da alma (Hebreus 10, 39). Obstáculos e dificuldades podem frear nossa alegria no seguimento de Jesus, mas, o alimento sagrado fortalece nossa caminhada. Contemplai a sua face e alegrai-vos, e vosso rosto não se cubra de vergonha (Sl 33, 6). Paz e Bem!  R. Carlos.

 

- - -

 

26/01/2017

 

Caríssimos! A cada amanhecer Deus nos dá a chance de sermos melhores do que ontem! Estar sozinho é ruim, mas ter a pessoa errada do seu lado é mil vezes pior. O sofrimento pode mudar o comportamento de uma pessoa; mas, nunca o seu caráter. Não se engane! Às vezes, você acha que tem muitos amigos, mas na verdade, você só conhece muita gente. O entusiasmo missionário se origina na família, com a vivência da fé e da solidariedade. Assim se formam os evangelizadores conscientes e comprometidos com o projeto de Jesus. Dou graças a Deus a quem sirvo com a consciência pura, como aprendi dos meus antepassados (2 Timóteo 1, 3). Deus não nos deu um espírito de timidez, mas de fortaleza, de amor e sobriedade. Não envergonhes do testemunho de nosso Senhor..., mas sofre comigo pelo evangelho, fortificado pelo poder de Deus (2 Timóteo 1, 7-8). A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Por isso, pede ao dono da messe que mande trabalhadores para a colheita (Lc 10, 2). Eis que vos envio como cordeiros para o meio de lobos (Lc 10, 3). O reino de Deus está próximo de vós (Lc 10, 9). Paz e Bem! R. Carlos.

 

- - -

 

25/01/2017

 

Caríssimos! Toda oração tem resposta; basta esperar e confiar. Somente em Deus a gente encontra justiça para os dias injustos e somente Deus preenche o vazio dos dias vagos. Paulo de Tarso (Turquia séc 1º), de perseguidor da Igreja, passa a cristão e apóstolo dos gentios, sendo responsável pela formação de muitas das primeiras comunidades cristãs. Grande escritor do Novo Testamento é precursor da evangelização por meio de cartas. Sei em quem acreditei; e estou certo do que o justo juiz conservará a minha fé até o dia de sua vinda (2Tim 1, 12; 4, 8). O encontro com Jesus produz grande mudança na vida. Marcado por essa experiência, Paulo se põe a caminho do mundo inteiro para anunciar o evangelho. Fui instruído em todo o rigor da lei de nossos antepassados, tornando-me zeloso da causa de Deus (Atos 22, 3). Eu vos designei para que vades e deis frutos e o vosso fruto permaneça, assim disse o Senhor (Jo 15, 16). Paz e Bem! R. Carlos.

 

- - -

 

24/01/2017

 

Caríssimos! Que a alegria, a paz e o amor te acompanhem por todo este dia. E se por acaso, algo ficar difícil, feche os olhos e se ligue no Céu. Fale com quem ouve até o seu silêncio. Deus! Pra hoje, conserve o bem que você tem, esqueça o que dói, perdoe os que te feriram e desfrute dos que te amam. Uma pessoa feliz não tem tudo de melhor, ela torna tudo melhor. Não por meio de gestos rituais, nem somente por palavras, Jesus cumpre a vontade do Pai. Quem o segue em sua prática fará parte de sua família. A Lei possui apenas o esboço dos bens futuros e não o modelo real das coisas (Hebreus 10, 1). Eu vim, ó Deus, para fazer a tua vontade (Hebreus 10, 7). É graças a essa vontade que somos santificados pela oferenda do corpo de Jesus Cristo, realizada uma vez por todas. (Hebreus 10, 10). Paz e Bem! R. Carlos.

 

- - -

 

21/01/2017

 

Caríssimos! A comunidade unida em torno de Cristo, destruidor do pecado e reconciliador com Deus, alcança a vitória sobre o mal que intenta levá-lo à ruína. Cristo reparou os pecados da primeira aliança, transmitiu-nos uma promessa de eternidade e continua libertando as pessoas das alienações. O destino de todo homem é morrer uma só vez, depois vem o julgamento (Hebreus 9, 15.24-28). Jesus Cristo salvador destruiu o mal e a morte; fez brilhar pelo Evangelho a luz e a vida imperecíveis (2Tim 1, 10). Se uma família se divide contra si mesma, ela não poderá manter-se (Mc 3, 22-30). Paz e Bem! R. Carlos.

 

- - -

 

20/01/2017

 

Caríssimos! Mediador da nova e eterna aliança, Jesus nos convida a ficar com Ele e aprender de Sua Palavra o jeito da missão. Em Cristo, Deus reconciliou consigo mesmo a humanidade; e a nós Ele entregou essa reconciliação (2Cor 5, 19). Jesus designou doze, para que ficassem com Ele e para enviá-los a pregar, com autoridade para expulsar os demônios (Mc 3, 13-19). Com o pão e o vinho, ofertamos a vida de todo o povo de Deus, vocacionado a assumir algum ministério na Igreja. Paz e Bem! R. Carlos.

 

- - -

 

19/01/2017

 

Caríssimos! Intercedendo pelos que buscam se aproximar de Deus, Jesus é capaz de salvá-los para sempre. Por isso é que em torno d’Ele se reúnem multidões. Que toda a terra se prostre diante de Vós, ó Deus, e cante louvores ao vosso Nome, Deus altíssimo! (Sl 65, 4). Jesus, que se ofereceu uma vez por todas, está sentado à direita do Pai e liberta-nos dos males que atormentam a nossa vida. Jesus é capaz de salvar para sempre aqueles que, por seu intermédio, se aproximam de Deus (Hebreus 7, 25-8,6). Jesus Cristo salvador destruiu o mal e a morte; fez brilhar pelo Evangelho a luz e a vida imperecíveis (2Tm 1, 10). Paz e Bem! R. Carlos.

 

- - -

 

18/01/2017

 

Caríssimos, Sacerdote por excelência, Jesus nos ensina que todo tempo e todo lugar são propícios para a prática do bem. O Senhor é portador de uma força de vida imperecível, que procura sempre salvar e nunca morrer. Jesus pregava a Boa-Nova, o Reino anunciando, e curava toda espécie de doenças entre o povo (Mt 4, 23). Cristo nos convida a participar do seu banquete Eucarístico; Ele não quer ninguém excluído desse alimento salutar. Sabemos que Deus nos ama e cremos no seu amor (Jo 4, 16). Paz e Bem! R. Carlos.

 

- - -

 

Caríssimos, bom dia.

 

Nota de Falecimento

 

Muitos ficaram sabendo, e nos ajudaram em orações, pelo meu tio José que ficou um ano sofrendo com câncer, pelo mistério divino sabemos que seu sofrimento não foi em vão e de certa forma colaborou com Nosso Senhor Jesus Cristo na conversão de muitos. Agora ele se foi para a eternidade, acredito que foi na graça de Deus. Deus vos pague pelas orações. Paz e Bem! R. Carlos       

 

- - -

 

17/01/2017

 

Caríssimos! A Palavra de Deus nos ensina o valor da esperança cristã e nos mostra a atitude de Jesus diante das leis que não visam ao bem do povo. Deus não é injusto, para esquecer aquilo que estais fazendo e a caridade que demonstrastes em seu nome, servindo e continuando a servir os santos. Mas, desejamos que cada um de vós mostre até o fim este mesmo empenho pela plena realização da esperança, para não serdes lentos à compreensão, mas imitadores daqueles que, pela fé e perseverança, se tornam herdeiros das promessas (Hebreus 6, 10-20). Agradeçamos a Deus de todo o coração pelas grandes maravilhas que nos deixou em Jesus, o Cordeiro que se doa para que tenhamos vida em abundância. Paz e Bem! R. Carlos.

 

- - -

 

MINI SERMÃO

 

16/01/2017

 

Caríssimos, Jesus nos convida à alegria do banquete. Ele é o noivo e o sacerdote compassivo que se assenta ao nosso lado e nós e oferece o Pão e o Vinho que renovam a vida (Mc 2, 18-22). Que toda a terra se prostre diante de Vós, ó Deus, e cante louvores ao vosso nome, Deus altíssimo! (Sl 65, 4). Todo sumo sacerdote é tirado do meio dos homens e instituído em favor dos homens nas coisas que se oferecem a Deus, para oferecer dons e sacrifícios pelos pecados. Sabe ter compaixão dos que estão na ignorância e no erro, porque ele mesmo está cercado de fraqueza. Por isso, deve oferecer sacrifícios tanto pelos pecados do povo quanto pelos seus próprios. Cristo, nos dias de sua vida terrestre, dirigiu preces e súplicas, com fortes clamor e lágrimas, àquele que era capaz de salvá-lo da morte. E foi atendido, por causa de sua entrega a Deus. Mesmo sendo Filho, aprendeu o que significa a obediência a Deus por aquilo que ele sofreu. Mas, na consumação de sua vida, tornou-se causa de salvação eterna para todos os que lhe obedecem (Hebreus 5,1-10). Paz e Bem! R. Carlos.

 

- - -

 

13/01/2017

 

Caríssimos, frutos do pecado da não obediência à Palavra de Deus, a pobreza, a miséria, os vícios, a guerra e as doenças proliferam numa sociedade que não se esforça para viver a fé. Ergamos os nossos olhos para aquele que tem o Céu como trono; a multidão dos Anjos O adora, cantando a uma só voz: Eis Aquele cujo poder é eterno. A Palavra proclamada tenha a adesão de nossa fé, a fim de sermos agraciados pelo Senhor com uma vida plenamente reconciliada. Na leitura aos Hebreus 4, 1-5.11 está escrito: Irmãos tenham cuidado: enquanto nos é oferecida a oportunidade de entrar no repouso de Deus, não aconteça que alguém de vós fique para trás. Também nós, como eles, recebemos uma Boa-Nova. Mas a proclamação da Palavra de nada lhes adiantou, por não ter sido acompanhada da fé naqueles que a tinham ouvido, enquanto nós, que acreditamos, entramos no seu repouso. Esforcemo-nos, portanto, por entrar nesse repouso, para que ninguém repita o exemplo da desobediência. No Evangelho de Marcos 2, 1-12 Nosso Senhor Jesus Cristo entrou em Cafarnaum e logo se espalhou a notícia de que Ele estava em casa. Reuniram-se ali tantas pessoas, que já não havia lugar. E Nosso Senhor Jesus Cristo anunciava-lhes a Palavra. Vamos também nos encontrar com Nosso Senhor Jesus Cristo, para podermos ouvir a sua Palavra. A Santa Igreja e os irmãos de caminhada esperam por você, para ouvir a Palavra e para trabalhar na Messe, pois há muito o que se fazer. Paz e Bem! R. Carlos.

 

- - -

 

09/01/2017

 

MINI SERMÃO

 

Queridos irmãos e irmãs! II - A DOUTRINA VIVA DO DIVINO MESTRE

 

No Evangelho (Mc 1, 21-28) vamos contemplar um encontro entre essas duas bandeiras na sinagoga de Cafarnaum. De um lado vemos o Divino Mestre Nosso Senhor Jesus Cristo pregando a Boa Nova pela primeira vez; de outro o “espírito mau”, que tinha possuído um homem. O ENCARGO DE INTERPRETAR E ADAPTAR A LEI. “Na cidade de Cafarnaum, num dia de sábado, Nosso Senhor Jesus Cristo entrou na sinagoga e começou a ensinar”. Segundo a praxe do culto judaico, sendo “dia de sábado”, Nosso Senhor Jesus Cristo e seus primeiros discípulos deviam comparecer à sinagoga para ouvir as Escrituras. Entretanto, o Evangelho deixa claro não ter ido Nosso Senhor Jesus Cristo apenas para escutar, mas principalmente para ensinar. Pregar na sinagoga não era uma função que cabia a qualquer um. Era preciso ter sido formado em alguma das escolas rabínicas, e ter dado provas de capacidade para interpretar a Lei e os Profetas segundo os princípios por ela estabelecidos. Os doutores das sinagogas transmitiam aquilo que eles mesmos aprenderam de mestres conceituados, evitando critérios próprios que poderiam ocasionar o surgimento das mais variadas doutrinas. Nos tempos do Deuteronômio, correspondia aos sacerdotes ensinar e explicar a Lei, e assim se estendeu o costume durante muitos séculos. Contudo, após o exílio na Babilônia, constitui-se uma nova categoria de homens dedicados a essa tarefa: os escribas. O primeiro a receber esse nome no sentido de “mestre da Lei” foi Esdras, de estipe sacerdotal (Es 7, 1-6), mas muitos outros receberam o mesmo título, sem pertencer à linhagem de Aarão. PREGAÇÃO DOS MESTRES DA LEI. Na época de Nosso Senhor Jesus Cristo, os escribas formavam uma classe à parte. Tendo por encargo transmitir e interpretar a Lei de geração em geração, foram aos poucos adaptando certas prescrições da Sagrada Escritura até o extremo de criar normas estranhas ao espírito dos preceitos mosaicos. Mas, diante do povo eles apresentavam-se como os sábios, e se protegiam de qualquer crítica inculcando a ideia de que subestimar as palavras dos chefes religiosos era um pecado tão grave como desprezar a Palavra de Deus. A substância da sua pregação era a mesma do Divino Mestre, pois tinham por ministério transmitir e interpretar a Sagrada Escritura, cujo autor último é Ele próprio. Mas, deixando-se levar por suas más inclinações, haviam distorcido a doutrina revelada segundo suas próprias conveniências. “Graças a uma sutil casuística, eles acomodavam certas prescrições da Lei à necessidade dos tempos ou à fraqueza dos homens; outras vezes ainda, valendo-se de engenhosos artifícios ou de artimanhas exegéticas, criavam obrigações alheias à letra e ao espírito da Lei”. No decorrer dos tempos, os erros se solidificaram. A decadência dos escribas era tal que eles procuravam ocultar ao povo a verdadeira doutrina, para não serem desmascaradas as deturpações feitas ao capricho de seus vícios. Em consequência, sua pregação estava destituída de autoridade, porque a palavra de quem não vive o que ensina carece de qualquer força. NOSSO SENHOR JESUS CRISTO ENSINAVA “COMO QUEM TEM AUTORIDADE”. “Todos ficavam admirados com o seu ensinamento, pois Nosso Senhor Jesus Cristo ensinava como quem tem autoridade, não como os mestres da Lei”. Ao começar sua pregação, Nosso Senhor Jesus Cristo não Se apresentou como discípulo de nenhum rabino. Diante dos seus ouvintes aparecia como “o filho do carpinteiro” (Mt 13, 55). Entretanto, demonstrava conhecer as Letras Sagradas como ninguém e ensinava com autoridade própria uma doutrina nova. Diante dos desvios que imperavam na sociedade do tempo, alçava o estandarte da Verdade, cuja substância é Ele próprio, sabendo perfeitamente o que era necessário dizer ou fazer para atrair e elevar aquele povo. Estava ainda no início da vida pública, mas, sua presença e sua Palavra já contradiziam todos os padrões errados da época. Sendo o Criador de todas as coisas, explica São Jerônimo, não atuava como mestre, mas, sim, como o Senhor. “Não falava apoiando-se numa autoridade superior, mas com a autoridade que Lhe era própria. Agia assim porque sua própria essência dizia o que antes havia afirmado por meio dos profetas. “Eu, que por meio deles falava, eis que estou aqui presente”. Descabida seria a indagação sobre onde teria estudado a Sabedoria Eterna e Encarnada. Sendo a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade, possuía desde toda a eternidade a ciência divina. Conhecia absolutamente tudo: tanto o universo dos seres criados - passado, presente e futuro – como o mundo infinito das criaturas. Além do mais, tendo sua alma sido criada na visão beatifica, beneficiava-se do conhecimento próprio aos Anjos e às almas bem-aventuradas, que contemplam a Deus face a face. À ciência beatifica unia-se em Nosso Senhor Jesus Cristo a ciência infusa, privilégio concedido aos Anjos ao serem criados, a todas as almas que já abandonaram esta Terra, e, por um dom especial, a alguns eleitos ainda em vida, aos quais o Filho do Homem não podia ser inferior. Ela lhe dava um conhecimento riquíssimo, superior ao de qualquer outro homem, de todas as coisas criadas, das criadas, das verdades naturais e dos mistérios da graça. Por último, Nosso Senhor Jesus Cristo possuía também a ciência natural, adquirida progressivamente pela ação do entendimento agente no decorrer de sua vida terrena. E isto sem jamais necessitar de um mestre, pois, esse gênero de ciência apenas Lhe servia para conferir as noções adquiridas através de seu intelecto natural com aquilo que, como Deus, conhecia desde toda a eternidade.    

 

A MAIS BELA E PERFEITA CRIATURA. O Divino Mestre dirige-Se diretamente às almas visando, mais do que convencê-las, conquistá-las e introduzi-las na corrente profunda e transbordante de sua vida religiosa. Por isso, além de seu ensinamento, a própria presença de Nosso Senhor Jesus Cristo despertava admiração. Sua fisionomia não podia ser mais perfeita. Seu olhar percorria os circunstantes de forma suave, tranquila, firme, penetrante e atraente, causando enlevo naqueles sobre os quais recaia. Uma voz magnífica, comunicativa, dotada de um timbre e uma inflexão inteiramente fora do comum acompanhava os movimentos das mãos, os quais, por sua vez, eram proporcionadíssimos, comedidos, perfeitos, sem exageros nem timidez. E a postura dos ombros, o modo de sentar-Se ou de virar a cabeça, era inimaginável. Procurando exprimir algo da formosura inefável de Nosso Senhor Jesus Cristo, Santo Agostinho proclama: “Ele é belo no Céu, belo na Terra; belo no seio materno, belo nos braços dos pais, belo nos milagres, belo sendo flagelado, belo convidando para a vida, belo quando não teme a morte; belo ao entregar a alma, belo quando a retoma; belo na Cruz, belo no sepulcro, belo no Céu. Ouvi este cântico com o entendimento, e a fraqueza da carne não afaste vossos olhos do esplendor daquela beleza”. Paz e Bem! R. Carlos 


- - -

07/01/2017

 

MINI SERMÃO

 

Queridos irmãos e irmãs! DUAS BANDEIRAS UMA SÓ ESCOLHA! (Mc. 1, 21-28) Para ganharmos a batalha da nossa vida espiritual devemos procurar atingir uma união plena e perfeita com Deus Altíssimo, servindo-nos para isso de todos os elementos que Ele põe ao nosso alcance.

 

A BATALHA DA NOSSA VIDA ESPIRITUAL. Uma das mais cogentes meditações propostas por Santo Inácio nos seus famosos Exercícios Espirituais é a das “Duas Bandeiras”. Nela, o fundador da Campanha de Jesus nos apresenta a vida espiritual como um campo de batalha onde se defrontam dois exércitos: o de Nosso Senhor Jesus Cristo, supremo e Senhor, e o de Satanás, mortal inimigo da natureza humana. Diante desses comandantes antagônicos, com traços muito bem definidos, torna-se impossível assumir uma postura de neutralidade. “Cristo chama e quer todos os homens sob a sua bandeira; e Lúcifer, ao contrário, debaixo da dela”. Não há uma terceira opção; é preciso fazer uma escolha.

 

O PECULIAR GOVERNO DO DEMÔNIO. Quais são as características do chefe dos maus? No Evangelho de São João, Nosso Senhor Jesus Cristo o qualifica como “mentiroso e pai da mentira”. “Ele é homicida desde o princípio e não se manteve na verdade, porque a verdade não estava com ele. Quando fala da mentira, fala daquilo que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira” (Jo 8, 44). Incapaz de agir diretamente sobre a inteligência e a vontade do homem, o demônio procura governar as almas através de um influxo externo que visa obscurecer-lhes progressivamente o raciocínio até escurecer nelas o discernimento entre o bem e o mal. Por meio de recursos psicológicos, utiliza com maestria, busca encher seus corações de desejos que os levem a pecar cada vez mais. A cada falta cometida, a vontade do pecador se debilita, sua inteligência perde a lucidez e ele torna-se mais vulnerável ao demônio. Ora, esse arrogante caudilho não tem nenhum poder de penetrar na alma, nem sequer na alma de um possesso, pois, neste caso, seu domínio diz respeito apenas ao corpo. Sua ação é analógica à do assaltante que, ao roubar um carro, assume a direção deste, empurrando o dono para o banco do passageiro: tem o controle do veículo, mas, não da inteligência ou da vontade do proprietário.

 

NOSSO SENHOR JESUS CRISTO VIVE NAS ALMAS EM ESTADO DE GRAÇA.

 

No extremo oposto do campo de batalha está Nosso Senhor Jesus Cristo. Ao contrário do “pai da mentira” que almeja escravizar as criaturas racionais por toda a eternidade no inferno, Nosso Senhor Jesus Cristo deseja nossa salvação. Como o chefe dos maus, o Supremo Comandante dos bons serve-Se muitas vezes de influxos externos para conduzir os que Lhe pertencem. Mas, ao invés do demônio. Ele pode agir no interior das almas através de uma graça eficaz, diante da qual a vontade e a inteligência se submetem sem opor qualquer obstáculo. Porque “como a argila está nas mãos do oleiro, para que a molde e dela disponha a seu bel prazer, assim o ser humano está nas mãos de Quem o faz” (Eclo 33, 13-14). A presença do demônio é sempre exterior à alma. E ainda que, e em caso de possessão, a vida consciente desta se encontre suspensa, ele jamais poderá invadi-la, porque “só Deus tem o privilégio de penetrar na própria essência da alma, por sua virtude criadora, e ali estabelecer sua morada”. Santificada pela graça, a alma é habitada pela Santíssima Trindade, que nela infunde sua própria vida através do Verbo Encarnado. Por isso, São Paulo afirma, com toda propriedade: “Eu vivo, mas já não sou eu; é Cristo que vive em mim. A minha vida presente, na carne, eu vivo na fé no Filho de Deus, que me amou e Se entregou por mim” (Gl 2, 20).

 

LUTA INFINITAMENTE DESIGUAL. A luta descrita por Santo Inácio apresenta-se infinitamente desigual: o caudilho dos maus só obtém poder sobre a inteligência e a vontade das criaturas à medida que elas lhe abram as portas da alma; Nosso Senhor Jesus Cristo, pelo contrário, produz “tanto o querer como o fazer, conforme o seu agrado” (Fl 12, 13). Com efeito, Nosso Senhor Jesus Cristo pode atuar com nosso interior “de modo tão eficaz que produz infalivelmente o desígnio de Deus sem, entretanto, comprometer a liberdade da alma que adere à graça de forma libérrima e ao mesmo tempo infalível”. Foi o que aconteceu com São Paulo a caminho de Damasco (At 9, 1-6): uma graça criada por Deus, por iniciativa d`Ele, converteu-o de modo imediato. Portanto, para ganharmos a batalha da nossa vida espiritual, devemos procurar atingir uma uni