Artigo 9

COMO CONSTRUIR UMA IGREJA

- Na igreja, são importantes: visualização, sonorização, iluminação, ventilação, decoração, comunicação, dicção, apresentação..., e até, oração!

- Ao pensar em construir uma nova igreja, deve-se primeiramente elaborar o projeto acústico, o projeto arquitetônico, o projeto de iluminação, o projeto de climatização, o projeto de decoração; e não como às vezes se faz, em que um grupo de voluntários, em mutirão, começa a erguer paredes, sem a menor noção de como deveria ser uma igreja católica (e até levam multa do CREA). Algumas igrejas evangélicas incorporam plenamente a tecnologia eletrônica da boa comunicação. Com a disseminação da prática da cremação dos mortos em vez de enterro no cemitério, surgiram as “Funeral Homes”, ou seja, casarões de até 30 cômodos para os velórios.

- Na teologia litúrgica, não se usa o termo “templo” para as igrejas, porque templo era a designação dos templos dos cultos pagãos e do AT. O templo era o local onde Deus habita; este templo Jesus destrói e faz do Corpo d’Ele o Templo Novo. Além do mais, na teologia paulina, o povo de Deus é o Templo onde habita Deus e cada batizado é templo vivo do Espírito Santo. Por isso, podemos dizer que o templo vivo de Deus (assembleia reunida) reúne-se numa igreja. Quando se trata da Igreja Universal, usar letra maiúscula no início (Igreja); quando se trata de templo, letra minúscula (igreja).

- Visualização:

            A arquitetura das igrejas medievais valorizava a luz e o som naturais. Quando o padre ‘gritava’ no ambão, sempre localizado numa lateral da nave maior, o grito ecoava nas altas ogivas. A torre era alta para ser vista de longe e para que os badalos do sino se propagassem na maior distância possível. As estátuas, as pinturas e os vitrais formavam um visual artístico formidável... o que lamentavelmente se perdeu hoje.

            A arquitetura das igrejas de hoje tem que ser adaptada para a acústica (áudio) e visualização (imagem) favorecidos pela tecnologia. A igreja não precisa ser alta e nem precisa das ogivas geradoras do eco, hoje nocivo para a sonorização. A igreja pode ser esférica, orbital, piramidal, oval, em forma de meia-lua... Numa arquitetura ovalada parece que fica mais fácil de situar cada detalhe, deixando a capela do Santíssimo do lado de fora do plano ovalar. A Mesa da Palavra e a Mesa da Eucaristia devem ficar de 7 a 10 degraus acima dos fiéis, numa espécie de tablado, de acordo com as dimensões da igreja. Importante que o padre e a equipe litúrgica sejam vistos e ouvidos; pois olho e ouvido se complementam. O altar e o ambão não podem ser muito altos; o padre e o leitor têm que ser vistos da cintura para cima, como nos telejornais. Os gestos dos braços e o Lecionário têm que ser vistos. Levar em consideração que há pessoas, deficientes auditivas ou não, que usufruem da leitura labial ou da linguagem das libras. Segurar o microfone na mão na altura do peito. Os músicos podem ficar num tablado.

Nos desafios da Pastoral Urbana, não se pense mais numa estrutura arquitetônica parecida com a Basílica de São Pedro em Roma ou uma Catedral da Sé de São Paulo; pense-se num prédio de 20 a 50 andares. No subsolo, pode ter uns três andares para o estacionamento de automóveis. O piso térreo pode servir para recepções, com cozinha e lanchonete. O 1º andar será a igreja. A partir do 2º andar, auditórios maiores e menores, salas-de-catequese... equipados com projetor-multimídia, salas informatizadas para reuniões pastorais, secretarias... Disponibilizar internet wireless para aulas de teologia, pastoral da comunicação... Os últimos andares podem ser reservados para a residência do padre, síndico...

Projetor-Multimídia: as folhas de cânticos e os folhetos litúrgicos podem ser substituídos pelo datashow, projetando a partir do computador, ou do videocassete ou da câmera. Os telões, dois ou mais, de 7 a 12 metros de largura, têm que estar posicionados em locais que possam ser vistos por todos. Pode-se filmar ao vivo num enquadramento de primeiro plano aquele que está com a palavra (padre, leitor, comentarista...) e projetá-lo ao vivo nos telões. O melhor exemplo de televisionamento está na Basílica de Aparecida; em Curitiba-PR, Paróquia das Mercês. Se então, se quiser missa a missa ao vivo na TV ou pela internet, basta colocar um transmissor. Já há padres que chegam na igreja com um pendrive contendo a homilia. A cabine de comando do áudio-vídeo pode ficar embutida na parede e isolada com uma parede de vidro.

Na parede frontal da igreja, escrever o nome da igreja; exemplos: Paróquia Nossa Senhora das Graças, Capela São Lourenço. Implantar na frente da igreja uma placa metálica com os horários das missas, reuniões, expediente...

- Sonorização:

            Quando uma criancinha chora na igreja, a primeira causa é o som estridente, pois a criança tem o ouvido muito sensível. Quando a Igreja mudou a missa do latim para a língua vernácula, foram feitas acomodações, mas ainda não se chegou ao bom uso - inteligibilidade - da palavra falada e ouvida. Cabe aos peritos em acústica e sonorização, a instalação de um bom equipamento de sonorização numa igreja. Cabe à comunidade treinar alguém para ser o operador do equipamento de som; deve ser alguém que entende de eletrônica e que entende de liturgia. Para testar o microfone, deve-se sibilar (som entre língua e dentes) ou falar algumas frases úteis; não se deve assoprar no microfone, nem falar “Alô”, nem dar “tapas” no microfone. O microfone esteja revestido de espuma para neutralizar a interferência do vento e da respiração. Diferenciar microfone de palco (sorvete), de lapela, sem-fio, de orelha. O microfone, quanto mais caro, normalmente tem mais qualidade. Na regulagem, para a voz humana, não exagerar nos sons graves (Low); é bom acentuar levemente os agudos (High). As caixas-de-retorno, geralmente colocadas no chão, mais atrapalham do que ajudam, pois a tendência é regular a aparelhagem pensando em quem canta ou fala e não pensando em quem ouve.

Dicas para quem usa o microfone:

- Falar alto (sem gritar), devagar, com naturalidade

- Pronunciar bem as palavras, com o sotaque de origem

- Ler como se não estivesse lendo

- Cuidar da respiração, sem sorver o ar

- Manter a distância correta entre a boca e o microfone, falando na direção do microfone

- De preferência, segurar o microfone na mão e não deixá-lo no pedestal

- Evitar que pessoas não treinadas façam leituras no microfone

- Além de terem voz boa, os membros da equipe litúrgica devem se vestir adequadamente

Principais erros da sonorização:

- Falar ou cantar muito perto do microfone

- Ficar escondido atrás do microfone e da estante (a visualização correta é como o enquadramento que aparece nos telejornais: braços a serem vistos)

- Aparelhagem desregulada e mal projetada na hora da compra

- Microfones sem qualidade (analógico X digital)

- Erros de posicionamento das caixas-de-som

- Iluminação:

            O projeto arquitetônico deve privilegiar a luz natural e dar condições para uma iluminação artificial adequada para cada momento. A luz natural deve ser direcionada a partir do povo para o altar. A Mesa da Palavra e a Mesa da Eucaristia devem ficar bem iluminadas, de dia ou de noite. Os lustres - que são uma versão moderna dos antigos candeeiros nos quais se queimava azeite - devem projetar a luz sobre o povo e não para o teto. Distinguir a luz difusa - que ilumina as obras de arte - da luz direta - que ilumina lá aonde a equipe litúrgica e o povo precisa ler. O teto seja pintado com cores claras. As janelas, tendo persianas acionadas por controles eletrônicos, têm que dar condições de escurecer levemente o ambiente na hora das projeções no telão. Prever que alguns eventos religiosos - casamentos, primeira comunhão... - serão filmados, para o que precisa uma boa iluminação fixa e a disposição de tomadas elétricas para a iluminação portátil.

- Climatização:

            Prevenindo frio ou calor, a igreja deve ter ar condicionado; o aparelho de climatização deve ficar do lado de fora para evitar ruídos. Valorizar a ventilação natural, pois não adianta deixar as janelas fechadas e ligar os ventiladores.

- Decoração:

            Observar as cores litúrgicas prescritas no Diretório Litúrgico: verde, vermelho, roxo, branco e róseo. Flores e toalhas sejam bem cuidadas. No altar, deve ficar unicamente o Missal Romano e, durante a Liturgia Eucarística, o cálice, a patena e o cibório; vela e flores, sempre fora do altar. Flores, velas (já existe a vela eletrônica), estátuas, vitrais, quadros, ícones da via-sacra, alfaias sagradas, lecionário, missal, mesa da palavra, mesa da eucaristia, bíblia sagrada, piso, paredes, teto... todos esses elementos devem remeter ao sobrenatural. Lembrar de comprar livro novo quando o antigo já está desgastado.

- Comunicação:

A igreja se caracteriza pela comunicação entre o elemento humano e o ser divino, na base da fé na vida sobrenatural do homem. Mesmo na pós-modernidade, ainda há espaço para a religião e para a mística. O badalo do sino é convite à oração, isto é, ao diálogo entre o homem e Deus. Hoje, o sino é substituído por um CD. O coral de música sacra é substituído pelo cântico de todos os fiéis. O órgão de tubos, pesando toneladas, foi substituído por um teclado eletrônico portátil.

* Segurança:

Não esquecer de: sensor de presença, câmera filmadora, alarme monitorado, cerca eletrificada, cachorro, guardião, seguro total...

Lourenço Mika

Free business joomla templates